História Lost Stars - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Hentai, Jimin, Maya, Romance, Sun Hee, Vhope
Visualizações 17
Palavras 1.588
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu simplesmente evaporei...
Desapareci por longos meses, minha presença nem deve fazer tanta diferença, mas finge que ela é importante.
Bom, trago essa fanfic meio maluca, que até parece ser super alegre.
Só parece mesmo, heuheuheuh
Okay!
Boa leitura!
Fighting!

Capítulo 1 - The Best Rain


Seoul, South Korea

08:30

As condições climáticas não estavam adequadas para uma caminhada na manhã, as nuvens tampando a luz do Sol, as gotas caindo do telhado e um frio tão confortante que se pudesse, ficaria na cama pelo resto do dia. Apenas tomou um banho quente, vestiu suas roupas de inverno e desceu as escadas, sendo recebido carinhosamente pelo cachorrinho, que de pequeno não tinha nada. Sabia o quanto Yuuki gostava da chuva que, em Seoul, costumava ser daquelas em que todos aproveitam uma boa caneca de chocolate quente, aquecidos pelo cobertor, enquanto assistiam um filme de sua preferência.

Colocou a coleira meio folgada no animal, checando se as chaves de casa realmente estavam em um dos bolsos. Puxou o capuz para a cabeça e saiu, confortando o laço no pulso. Os vizinhos só podiam pensar que o jovem era louco de sair naquele tempo, ainda mais com o cachorro ao seu lado. Porém, aparentavam estar felizes, mesmo depois de Jimin ter virado a noite jogando o que tanto gostava, Overwatch.

Pouquíssimos segundos correndo e ambos já se encontravam encharcados, o frio nem era problema, já que a neve ainda não tinha se aproximado, nem sabia se o faria. O garoto lembrou-se da conveniência que o condomínio resolveu inaugurar há quase uma semana, acabando por receber ótimas avaliações de quem resolveu experimentar o que o estabelecimento tinha a oferecer.

Parou na cobertura que o local tinha antes da porta, agachou e acariciou a cabeça de Yuuki, deixando a coleira presa na mesa, para que pudesse comprar algo que lhe desse energia ao menos até o meio dia.

- Bom dia, jovem. – disse o atendente, bebericando de sua xícara de café. Como estava distraído antes, virou-se rapidamente para o senhor.

- Bom dia... – sorriu fraco, meio envergonhado pelo ‘’susto’’ que tomara ao ser chamado – Licença, vocês têm pães de queijo aqui? – aproximou-se do balcão, tentando soar o menos tímido possível.

O caixa assentiu, entendendo rapidamente que o mais novo estava meio vermelho, corado. O garoto apenas se apoiou sobre os cotovelos sobre o sólido, pedindo três dos que havia perguntado antes, somado a uma caneca com achocolatado quente. Mandou colocar na conta, que registrou na mesma hora.

- Seu nome completo, por favor.

- Park Jimin.

- A idade? – o senhor ajeitou os óculos de grau no rosto, com os olhos fixados no monitor.

- Vinte anos.  – passou a mão devagar pelos fios molhados, deixando-os para trás.

- O último item, endereço.

- Casa número 23.

Com a pequena bandeja – com os três pães de queijo, o achocolatado e alguns biscoitos que o jovem julgou serem ótimos – em mãos, andou até o cachorro, sentando na cadeira ao lado do mesmo. Deu as bolachinhas ao Yuuki, as qual o pequeno comeu rapidamente.

Observou o céu ainda nublado, nenhum sinal das nuvens carregadas deixarem o Sol brilhar hoje, tomaram o dia inteiro para molhar as plantas ao redor da cidade. Sentia o corpo gelado, entretanto, ficava quietinho para não sentir mais frio, tendo a ajuda do chocolate quente em sua caneca para aquecer-se. Deu alguns goles, acabou com os pães de queijo e ficou sentado durante alguns minutos, com o cachorro deitado ao lado da cadeira. A rua estava vazia, o que era comum para um sábado, mas, um tempo depois, um carro branco estacionou em frente ao estabelecimento, saindo do veículo uma moça com um guarda-chuva em mãos. O cabelo estava bem arrumado, as roupas apropriadas ao clima e o perfume... O jovem nem conseguiria contar se fosse ele quem estivesse narrando a história. Assim que a garota passou por ele, o mais alto respirou fortemente, procurando mais do cheiro nas partículas do ar.

Olhou para si e notou que parecia só mais um adolescente bobão que morava no condomínio. Puxou as mangas longas para os cotovelos, tentando arrumar o cabelo o máximo possível. Até mesmo o Yuuki encantou-se com a mulher que estava comprando um café no balcão. Se importava tanto com a sua aparência, porém, naquele dia, pensava que ninguém importante o veria daquele jeito. Sequer sabia por que a considerava alguém relevante, já que jamais ouvira falar da moça em todos os anos que morou no condomínio.

Em todos, quero dizer, dois anos.

A conta bancária subia como nunca no período em que se mudou, até os dias, que, para ele, eram o presente.

Seguiu a pequena com o olhar, todas as mesas estavam molhadas devido ao vento forte que carregou as gotas até lá. Checou a que sentava, vendo-a seca, só podia ser o dia de sorte do garoto. Um sorriso se estendeu em seu rosto, quase fazendo-o fechar os olhos por completo.

Então, caro leitor, deve saber o que se passa na lerda... Digo, genial mente de Park Jimin... Certo?

Obviamente, dar uns amassos na garota!

Não que tal informação esteja errada, mas não foi exatamente isso que o jovem encantador pensou.

Testou a garganta com algumas tossidas fracas, ajeitando o corpo na cadeira, pois antes parecia um sem educação, aqueles que se encontra em qualquer esquina. Respirou fundo e assoviou para a jovem, que virou para ele. Nessas horas que o ser tímido é realmente uma droga, Jimin ficou basicamente parado, os olhos arregalados com a troca de olhares. Criou o mínimo de coragem e abriu a boca.

- Desculpe incomodar, gostaria de sentar aqui? – apontou para a cadeira em que estava, pensando no que acabara de dizer – Q-Quer dizer... Não necessariamente aqui, você pode sentar na outra... – bagunçou levemente os fios de cabelo da nuca, ouvindo uma risada baixa da parte da guria.

- Está me perguntando se eu não quero sentar aí nessa mesa, já que as outras estão molhadas, certo? – ela disse calmamente, sorrindo pela vergonha do mais alto em fazer uma simples pergunta. O Park assentiu – Claro, e... Obrigada por perguntar.

O sorriso do garoto se estendeu ainda mais em comparação a antes, com a visão da outra puxando uma das cadeiras para se sentar. Ele terminou o achocolatado e colocou a caneca na bandeja, limpando a boca com um guardanapo que tinha ali.

- Com licença, meu nome é Park Jimin, posso saber qual o seu? – parecia mais uma criança do Fundamental I fazendo amizades, ou ao menos, tentando.

- Certamente. Chamo-me Baek Maya, é um prazer, Park. – estendeu a mão para o outro, tendo-a cuidadosamente apertada pelo mesmo. Alternou o olhar para o cachorro ao lado do jovem – Como ele se chama?

- Yuuki. – levou a mão até a cabeça do animal, fazendo um carinho lento ali.

A conversa rendeu cerca de uma hora, trocaram telefones, mesmo com o Park não estando com o seu celular em mãos. Voltou satisfeito para casa, ainda por não ter ido a pé e sim, pela carona que a pequena havia o oferecido depois dele dizer que precisava ir. Destrancou a porta da frente e tirou os sapatos, não ligando para as roupas frias, que antes estavam molhadas. Deu um sorriso de orelha a orelha, pulando de felicidade pela nova amizade feita, essa que ele esperava ter certas melhorias, se é que você, leitor nem tão lerdo, entende o que elas são.

- Oh, insuportável, qual o motivo dessa alegria toda? – a pequena falou, apoiando o corpo na borda da porta, com os braços cruzados e uma cara daquelas que acabou de acordar.

- Encontrei uma pessoa legal, miniatura de smurf. – pegou um copo e o encheu de água natural, bebendo o líquido sem gosto devagar. – Seja uma irmã útil e ligue a banheira para mim, por favor.

- Eu já falei que vou fazer você engolir o que tanto chamas de teclado se não parar de me chamar de baixinha. – suspirou, virando o rosto para o lado com um biquinho formado nos lábios. – A propósito, não sou a sua escrava, Park Retardado Jimin.

- Que violência. – terminou de se hidratar, colocando o copo dentro da pia. Andou até a mais nova e a abraçou, abaixando-se levemente para esfregar os cabelos meio úmidos no ombro da garota. – Eu sei que você me ama, Sun Hee.

- Vamos fingir que isso é verdade. – rio fraco, não ligando para o que acabara de fazer, somente levou a canhota até minha nuca e fez um carinho leve ali – Trocando de assunto, quem é esse ser que te fez chegar que nem um coelhinho?

- Bom, pequeno gafanhoto, o nome da moça é Maya, sem necessidade de saber o sobrenome. – se afastou levemente, apoiando o cotovelo no balcão – Ela é um pouco mais alta que você, é bem inteligente, fofa, bonita... Linda... Maravilhosa... – o Park começou a elogiar a jovem que havia encontrado há um tempo, encarando o nada, deixando claro que estava viajando nos pensamentos.

A menor notou que o irmão estava mergulhado em uma profundidade razoável no oceano da sua mente, então, estalou os dedos em frente o rosto do mais velho, segurando a risada.

- Resumindo, você está se iludindo com alguém que acabou de conhecer, que segundo as suas palavras, a pessoa é extremamente linda e perfeita. – ela explicou, fazendo uma encenação com as mãos, soltando a risada presa.

- Basicamente isso...

Deve estar se perguntando...

Que história mais clichê! Os dois vão se apaixonar no próximo capítulo e terão filhos da noite pro dia!

Nah... Não é exatamente isso que vai acontecer, pois ainda tem muita informação para o seu baixo – ou alto – QI raciocinar.

 

 

‘’Eu fui capaz de entrar no seu coração?’’

‘’Você o invadiu sem nem tirar os sapatos...’’

Shigatsu Wa Kimi No Uso (Your Lie In April)


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse primeiro capítulo, que foi bem simples... Muito mesmo.
Obrigada por ler!
Saranghaeyo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...