1. Spirit Fanfics >
  2. Lost World >
  3. Encontros e perdas

História Lost World - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal....
O capítulo não está grande, mas por enquanto esse deve servir, no próximo será maior.
E revelem os erros como disse antes estou enferrujada...
Boa leitura e comentem, preciso saber se deve ou não continuar ou cê estão gostando.

Capítulo 20 - Encontros e perdas


Fanfic / Fanfiction Lost World - Capítulo 20 - Encontros e perdas

Bella engolia em seco a cena que passava em sua frente, Zelena estava petrificada com olhos esbugalhados, marejados e a boca tremia olhando uma mulher baixa e morena com grandes olhos roxos em sua frente. Bella nunca tinha visto sua amada assim chocada com algo, mas algo na morena deixar Zelena assim.

Bella só queria saber o porquê.

Os olhos azuis já não suportava, mas segurar as lágrimas, essas que descem em abundância de seus olhos, bem em sua frente estava uma pessoa que não existia mais, Zelena acreditava que aquilo era uma miragem ou sua mente brincando novamente consigo, desde pequena imaginando que sua irmã estava viva, mas ali, bem ali estava ela, mas velha, mas linda.

Já Regina estava estática, imaginando como aquela mulher era parecida com sua irmã mais velha. O cabelo de fogo, os olhos azuis iguais ao céu, as pintinhas no rosto, tudo na mulher ruiva lembra sua irmã.

Bella queria entender de alguma forma o que acontecia, mas ela só observava o corpo de Zelena tremer até a ruiva cair de joelho no chão chorando com a mão na boca tentando inutilmente tentar abafar o choro.

Regina juntando as peças e percebendo que pela reação da ruiva de fato era real, ela era sua irmã.

Tomada pela emoção Regina chamar por ela.

— Ze... — engolindo o nó na garganta Regina continua — Zelena? — diz sôfrega a morena.

Mas isso só faz que Zelena chore ainda mais, reconhecendo a voz de sua irmã.

Sem perder mais tempo juntando forças que achou que não teria Regina corre de encontro da mulher ajoelhada.

Bella até então que não tinha consciência da situação, finalmente perceber que ali num abraço desesperado, cheio de emoção ela descobriu era o encontro de irmãs.

O encontro inesperado cheio de surpresa, Zelena e Regina se entregaram a saudade e amor, as duas choravam toda a dor da perda, a dor da saudade e de felicidade.

Zelena segurava o rosto da irmã, olhando todas os detalhes daquele belo rosto, ela tinha que admitir sua irmã ficou belíssima.

— Céus... você é linda. — as duas riem ao meio ao choro.

— Você também é linda cabelo de fogo — diz Regina ao meio de um largo sorriso.

Zelena gargalha ao escutar novamente seu apelido sendo dito por aquela voz que tanto lhe fez falta.

— Tampinha você virou um mulherão da porra — diz Zelena acariciando o rosto e o cabelo de Regina.

— Olha quem fala, a ruiva que para o trânsito. — diz Regina revirando os olhos em deboche.

As duas continuavam com aquele debate e esquecendo do redor envolta delas. Bella que até então estava tentando disfarçar a emoção e limpando ao algumas lágrimas por ver o reencontro das mulheres, decide se apresentar  para futura cunhada, mas antes de dar o passo a frente o local é invadido por uma mulher loira que imediatamente é reconhecida por Bella, a mesma mulher que queimou o cara vivo lá fora, rapidamente Bella saca sua arma apontando para loira.

Kara que usa sua super velocidade chega a tempo de ver Regina e uma mulher ruiva se abraçando, mas também ver o movimento da outra mulher lhe apontando uma arma, mais antes que algo aconteça uma voz é ouvida.

— Kara espera! — Regina percebendo  os olhos da loira se tornando vermelho sabe que ela estava pronta para fritar a outra mulher que venho com Zelena. Kara ainda mirava na mulher desconhecida, pois qualquer movimento seria o último da mulher.

— Kara elas não são inimigas, essa é Zelena, minha irmã mais velha. — diz Regina levantando junto de Zelena. 

Os olhos de Kara vão aos poucos voltando as azuis.

— desculpe, achei que era mais inimigos. — diz Kara envergonhada.

Zelena limpando os olhos vermelhos pelo choro, chama Belle para mais perto.

— Bella quero lhe apresentar uma pessoa muito especial para mim. — diz Zelena olhando com amor para Regina.

Regina é pega de surpresa pelo abraço de Bella.

— É um prazer finalmente conhecê-la Regina. — diz Belle emocionada.

Regina mesmo surpresa retribui o abraço.— É um prazer também conhecê-la Bella. — fala Regina igualmente emocionada.

Kara não querendo quebrar nenhum clima, mas elas precisavam encontra os outros principalmente Kara que queria ver logo Lena.

— Humm.... Não querendo interromper o momento importante de vocês, mas precisamos encontrar os outros. — diz Kara em alerta. 

Mas que rapidamente Regina se manifestar exaltada.

— Droga, não temos muito tempo, temos que sair dessa cidade o quanto antes — diz a morena nervosa, puxando Zelena e Bella para achar os outros.

— O que houve Gina? — pergunta sua irmã estranhando o comportamento repentino da irmã. 

Regina olha assustada para irmã e as outras mulheres.

— Roger me disse que caso eles não conseguissem nós capturarmos no tempo estipulado, eles simplesmente iriam mandar um caça e dizimar a cidade de novo. — diz Regina tentando soar menos nervosa.

As três mulheres se desesperam, agora mais que nunca elas precisam sair da cidade.

— Mas que porra, isso de novo não. — diz Kara irritada, afinal ela estava em Storybrook, foi lá na cidade sendo varrida da terra que ela conheceu Lena.

— Pera você é de lá? — pergunta Zelena para loira.

— Não só ela Zelena, eu e mais experimentos somos todos de lá. — diz Regina firme. Ela não gostava de lembra o que aconteceu lá.

Zelena olha para as duas, respirando firme ela pergunta.

— Quem fez isso com vocês? — pergunta Zelena.

Regina que andava rapidamente para subitamente e olha para irmã.

— Sinto muito Zel — triste Regina revela. — Foi o Henry. — dizendo isso Regina começa a caminha novamente.

Zelena apenas suspira em tristeza e aperta os punhos com força. Ela ainda tinha esperança que ele não tivesse ido tão longe, mas parece que estava a enganada. De certo forma Zelena sabia que o pai estava por trás disso de alguma forma e agora ela tinha confirmação.

Isso a magoava.




Killian carregava o mundo nos braços, agora ele não tinha mais ninguém a não ser sua esposa. Enquanto caminhavam em busca de algum carro que os tire dali, Killian olhava destruído para a esposa encolhida em seus braços, ele só queria tirar a dor dela para si, ele aguentaria pelos dois mais infelizmente isso não era possível.

Killian agora esperava por Neal que saiu a procura de alguém carro que não esteja engarrafado num mutuado de carros. Killian já não chorava, pois tinha que ser forte nesse momento, tinha que ser forte por Emma, e ele seria, mesmo seu coração estivesse em frangalhos. 

Killian avista uma Van vindo ao longe, desviando de vários carros a frente.O moreno desvia sua atenção da Van que chegava perto para sua esposa.

— Emma? — Killian chamava baixinho pela esposa que apenas se encolhe ainda mais nos braços dele.

Killian a aperta contra si.

— Amor, por favor, preciso que seja forte, agora, mas do que nunca sim! — diz carinhosamente o homem.

Por alguns minutos nada acontece, mas Killian espera pacientemente, até que Swan reaja, o que não demorar a acontecer.Emma se remexe no colo de Killian o fazendo ele a colocar de pé no chão, o moreno agarra o rosto de sua esposa obrigando-a a olhá-lo, mas o que ele ver o perfuro profundamente no peito, o brilho que ele amava ver nos olhos de sua esposa já não se encontrava mais, mas no lugar do brilho Killian apenas via escuridão, olhos verdes opacos sem vida. 

Killian que até então se mantinha forte por ela, desaba em prantos abraçando forte a mulher.

— Oh Emma.. — chora o homem.

Swan não reage, não o correspondia.O momento é quebrado por Neal que vinha em direção ao casal quebrado.

— Killian, temos que ir. — Neal olha para irmã, ele sabia que ela jamais se recuperaria disso.— Emma, temos que ir buscar o pai e ir embora de inferno de cidade. — fala Neal.

Emma não esbouça qualquer reação.

Killian sem alternativa puxa Swan para caminhar de encontro com a Van, Mas Emma não dá nenhum passo.

Killian e Neal se entreolham sem saber o que fazer.

— Eu não vou com vocês — diz Swan em um fio de voz.

Killian e Neal esperavam estarem escutando errado, mas Swan continua.

— Agora melhor vocês. — Swan falar firme agora olhando para ambos.

Killian se desespera.

— Emma o que você tá falando? Não vamos embora sem você. — diz Killian desesperado.

— Emma... O que. — Neal nem sabia o que dizer quando olhava os olhos sem vida da irmã.

Killian segura o rosto de Emma nervoso.

— Não vou a lugar nenhum sem minha esposa — rugi Killian.

Swan rudemente tira as mãos do homem de seu rosto, deixando Killian e Neal assustados.

— Sua esposa está morta Killian. — Swan fala sem um pingo de gentileza.Antes que ambos os homens falassem algumas coisas, Swan mostra os ferimentos causados pelos mortos.

Killian e Neal ficam chocados por não ter percebido antes. O moreno abria e fechava a boca várias vezes, sem saber como agir.

— Fui mordida enquanto tentava chegar aqui. Não há nada que vocês possam fazer, apenas saiam daqui o mais rápido possível. — termina Swan sôfrega.

Killian tenta se aproximar de Emma, mas é repelido.

— Swan...— os olhos azuis já se enchia de lágrimas. — Por favor... Não faça isso, vamos dar um jeito. — diz Killian tentando novamente uma reaproximação, mas dessa vez Emma o empurrar para longe.— Para Killian, para, não existe uma cura, eu estou infectada. SERÁ QUE NÃO ENTEDE QUE JÁ ESOU MORTA. — berra Swan em desespero.

Killian bufava estarrecido, puxava os cabelos com força, ele estava surtando, ele não podia perder tudo, assim, tudo de uma vez.

— Não importa! Vou ficar aqui com você Emma. — diz o homem surtado.

— Killian...— Swan é interrompida por ele.

— que se foda se esta infectada, eu sou seu marido, lembra dos nossos votos, NA SAÚDE E NA DOENÇA...— grita Killian.

Swan não queria aquilo, não queria que Killian carregasse mais uma morte, não queria ver aqueles olhos azuis sem brilho. Não queria mais um fardo para ele.

Swan então olha para o irmão, uma troca de olho silencioso.

— Emma! — Killian avança contra a mulher.— Neal! — única coisa que Killian ouve dos lábios de sua esposa antes de sentir seu corpo tombar no chão. Neal havia o acertado na cabeça por uma coronhada de uma arma.

Neal o acertou precisamente. Seu olhar encontra com Emma em pura gratidão.

— Você sabe que ele vai me matar não sabe? — fala Neal exausto.

Swan suspira.

— Eu sei, mais se não o fizesse ele não partiria sem mim, e não posse arriscar sua vida, não depois disso tudo. Ele irá superar. — falar com pesar.

Neal mesmo sabendo que aquilo não era verdade, apenas confirmou. Killian jamais se perdoaria e não o perdoaria por isso.

— Vou ajudá-lo a colocá-lo na Van. — ponta Swan para o homem no chão.

Neal nada diz, apenas com ajuda de Emma eles carregando Killian para dentro da Van.Entrando no banco do motorista Neal se despede de sua amada irmã, para sempre.

— Diga ao pai que se cuide, e que me desculpe por não poder proteger sua esposa e neto. — Emma agora se derramava em lágrimas junto de Neal.

— Não seja idiota, papai jamais te culparia por isso. Você fez o que pode Emma. — diz Neal em lágrimas.

Emma nada diz apenas o abraça pela última vez, e se despede.

Swan apenas observava seus amores indo embora para sempre.Enxuga as lágrimas, e com olhar feroz ela caminha determinada para sua última despedida, ela só queria conseguir a tempo de se transforma.

Ela só queria se despedir de Regina.




Laboratório S.T.A.R LABSO 



grupo reunido discutia uma forma de escaparem da cidade, depois que Regina revelou que a umbrella dizimaria mais uma cidade.Eles discutiam uma rota de fuga segura e rápida, só que não existe essa rota, e isso deixava todos com nervos a flor da pele.

Wells discutia com Cisco que a melhor alternativa seria fugir pelo esgoto que levaria diretamente para fora do laboratório, e Cisco brigava, pois até ali não seria suficiente para fugir da explosão, mesmo o laboratório sendo um pouco distante da cidade.

Barry e Caitlin apenas ouvi a discussão, abraçados.Um pouco mais distante estava Kara e Lena, as duas estavam em sua bolha particular.

Zelena, bella e Regina apenas reviravam os olhos em conjunto.

Parecia que ninguém tinha uma solução, pela menos até agora.

— Okay... CHEGAR. — grita Regina parando a discussão de Wells e Cisco e chamando a atenção dos outros.

— Isso não vai velar nada, não importa se vamos usar os esgotos ou qualquer outra coisa, a explosão vai nos pegar, não vai dar pra fugir dessa maneira, seremos pegos de qualquer jeito. — fala Regina firme.

Todos abaixaram a cabeça, realmente não dava pra fugir.

— Então o que faremos? Vamos aceitar nossas mortes então!. — diz Barry angustiado apertando Cait contra si.

— Talvez eu possa intercepta o míssil — diz Kara o óbvio.

Lena rápida adverte.

— Kara não! Você pode ser forte mais não sabemos se irá aguentar a potência do míssil. É perigo de mais e não posso arriscar perder você — fala Lena emocionada olhando para uma Kara surpresa.

Todos acharam a ideia da Kara otimista até Lena descarta lá.E tudo volta ao zero.

— Talvez eu possa ter outra alternativa. — fala Regina chamando a atenção de todos.

— Nem vem Sis, você também não vai explodir na com seu poder da mente. — fala Zelena firme.

Regina apenas revira os olhos.

— Não estou falando desse tipo de alternativa Zelena. — diz Regina.

— Então desembucha logo mulher — fala Cisco impaciente.

Regina respira fundo era uma ideia meia louca, mas ser der certo todos estaram seguros e vivos.

— Meus poderes, eles são tipo telecinético. Uso para mover coisas ou para curar, eles são complexos para mim. Mas se eu conseguisse transportar. — Regina encara todos.

Todo mundo parecia calcular tal possibilidade.

— Você está dizendo que talvez consiga? — pergunta Lena.

Regina olha com firmeza para ela.

— Sim...talvez..— dando de ombro Regina responde.

Todos parecia esperançoso com essa possibilidade.

— Gina, você tem certeza? — diz aflita Zelena.

— Temos que tentar não é, ou é isso, ou a morte certa. — fala Regina para a irmã.

Regina vai pro centro da sala.

— Certo, vocês venham aqui e me segurem firme, ser der certo vamos estar bem longe daqui. — diz Regina segura de si.

Todos fazem o que a morena pede, cada uma segura em uma parta da mulher.

Regina respira mais fundo que dá, fechando os olhos e concentrando em seus poderes e em questão de segundo a sala do S.T.A.R L.A.B.S estava vazia.




Em algum lugar bem longe de Boston




O grupo aparece em uma rua deserta, surpresos por te dado certo, todos começam a comemorar.

Regina aproveitando que todos estavam comemorando, se afastou do grupo, ela não ficaria com eles, pelo menos não agora, ela tinha que voltar, voltar para buscar Emma, sua Emma.

Zelena percebendo o sumiço da irmã procura por ela quando era abraçada por Bella, de longe ela avista Regina.

— Regina? Regina o que está fazendo? — grita Zelena e com isso chamando a atenção do grupo.

— Desculpe Zelena, mas não posso deixar a Emma para trás, eu vou buscá-la. — diz determinada.

— Emma? — diz Zelena confusa e surpresa.— Emma foi trás da família dela. — diz Lena para ruiva.

Foi então que Zelena se tocou, Killian e o filho deles...

— Preciso que confie em mim Zel. — diz em súplica Regina.

— Apenas prometa voltar pra mim okay? — pergunta Zelena emocionada.

Regina apenas confirmar e em um simples gesto de mão ela desaparece.



Notas Finais


Até a próxima....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...