História Loucos podem amar - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias .hack//Liminality
Personagens Personagens Originais
Tags Gore, Hentai, Magia, Poderes, Yaoi
Visualizações 5
Palavras 1.712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 36 - O Procurado


Sentindo meu corpo balançar diversas vezes, eu abri meus olhos assutado, suando frio e tremendo, Mark estava olhando para mim com uma cara preocupada e logo deu um suspiro de alívio.
- Mas que merda, você me assustou!
Olhei para todos os lados, todos estavam em volta de mim e Mark..aquilo era um pesadelo? Parecia ser tão real..eu estava querendo chorar, Mark colocou as mãos sobre meu rosto e acariciou com seus dedos enquanto falava com um tom de firmeza e preocupação. 
- Oque aconteceu? Oque você teve pra estar assim?
Depois de uma longa pausa, respirei fundo e comecei a falar tentando não gaguejar para que pudessem me entender melhor.

- T-Todos vocês estavam loucos!! M-Mark você estava se cortando no quarto e começou a me perseguir! R-Rose estava...d-devorando as vísceras da Mabel!! 

- E-Eu devorando a Mabel?! Ela falou com um tom surpreso e assustado, ela botou uma das mãos por baixo da '' máscara '' de enfermagem que tampava sua boca e olhou para o lado com a cabeça abaixa fazendo com que seu cabelo tampasse seu rosto. - E eu neh?!! Halsey falou com um tom de curiosidade, por que ela queria saber de qual forma ela tenha ficado louca? Vai que ela tenha morrido?!
- V-Você estava no canto gritando que havia devorado a Olivia, e-eu tentei entender como isso aconteceu.

Mabel deu um passo para trás assustada, Halsey começou a recuar e falou num tom meio nervoso. 

- E-EU NÃO DEVOREI ELA NEH!! C-COMO EU IA NEH?!
- Claro que você não devorou idiota, por que você devoraria o corpo de alguém que já esta morto? Lucy falou com frieza e olhou para mim, ela parecia querer saber oque aconteceu com ela nesse...pesadelo infernal.

- L-Lucy e Timmy não estavam no pesadelo, eu não sei como. 

Timmy estava olhando assustado para nós como se ele fosse chorar. - E-EU TENHO QUE IR!!  Ele correu até a porta e a abriu rapidamente e correu para fora, Mark estava me olhando de um jeito estranho mas logo ele me abraçou e começou a fazer cafuné em minha cabeça, eu admito que era bom..mas eu estou assustado, isso ainda irá acontecer? Por que a Rose estava devorando Mabel?! Olhei para Rose que começou a correr para a porta também, seus cabelos se movimentando mostraram seus olhos cheio de lágrimas.

- R-Relaxa gente isso só foi um sonho maluco, nada disso aconteceu ou vai acontecer...eu espero... Mark olhou para o lado e deu um suspiro pesado, Mabel correu para seu quarto com lágrimas nos olhos, eu não deveria ter contado, teria sido melhor eu apenas ter mentido...  - Eu sinto muito não queria ter deixado vocês assim..mas eu não sei como eu sonhei com isso tudo, me desculpem!
- Relaxem foi tudo um sonh-  
Halsey interrompeu Lucy com um grito que parecia com um tom de choro e raiva. - VOCÊS ESTÃO FALANDO ISSO POR QUE NÃO FORAM VOCÊS QUE MAIS SOFRERAM NISSO TUDO NEH!

- MAS QUE MERDA HALSEY, ENTENDA QUE ESSA SÓ FOI A PORRA DE UM MALDITO SONHO! Mark falou com uma voz diferente, como se ele estivesse com raiva, ele olhou para Halsey com seus olhos ficando com uma tonalidade laranja, como se estivesse indo para vermelho, ele separou o braço e fez um facepalm enquanto tentava se acalmar, Halsey abaixou suas orelhas e correu para o seu quarto. 

- Olha...vamos ficar calmos se tudo ficar no desespero só vai trazes mais problemas...eu nem sei se o Timmy vai ter coragem de olhar para mim de novo depois disso tudo. Lucy se levantou com uma cara de decepção e começou a subir as escadas lentamente indo para o seu quarto, ela abriu a porta e antes de fecha-la olhou para mim com um desprezo e logo fechou como se estivesse com raiva. 

- Eu odeio minha vida..

- Acredite ainda tem muito pela frente que você ainda precisar ver e vai sofrer.. Mark deu uma risada e retirou a sua mão de seu rosto e me olhou com o seu olho normal. - Mas acredite, a sua vida é melhor do que muita gente por ai, tem muitas pessoas que querem uma vida e não conseguem, então pra que desperdiçar não é. 

- Tem razão... Olhei para o lado e me sentei no sofá com as mãos do rosto, tudo que conseguir ouvir foi passos e o  barulho da porta se abrindo e fechando, ele parece ter saído...já consigo imaginar oque ele deve fazer. 

V.S Mark 
Comecei a andar pelas ruas, estava já bastante movimentado, eu não reconheço esse lugar, talvez seja por que estamos em outra parte da cidade..bem, mas até que aqui é mais bonito que o outro lado, tem mais árvores e parece ter um parque aqui perto, fui andando até lá, tinha um bando de garotas e garotos reunidos, famílias e criancinhas que voltaram da escola. 

- Que lugar...feliz?
Olhei para os garotos e garotas de novo e eles olhavam para mim enquanto sussurravam e riam, continuei andando até que um dos garotos que parecia estar fumando assoprou a fumaça perto do meu corpo, que cheiro horrível..eu tampei minha respiração e fui na direção dos garotos.

- Oque você quer seu esquisitão?
- Você fez isso de propósito não fez? 
Falei com calma, eu não quero ter que me estressar com adolescentes que pagam de adultos fumando maconha e comendo qualquer piranha por ai. - E se eu ter feito de propósito? Vai ligar pra polícia que nem todos fazem?

- Naah..pra que eu ligaria pra eles perderem tempo com pessoas como vocês? Eles começaram a fazer uma roda e as garotas ficaram observando com seus olhares de confiança que parecia ser seus namorados. - Bastante ousadia a sua mas saiba que você não vai durar muito aqui. 

Eles fecharam os punhos e ficaram em posição de ataque, as pessoas em voltas começaram a sair para que as crianças não vissem a briga e ficassem influenciadas mas elas resistiram e ficaram assistindo de longe. - Podem vir mas se for homem de verdade bate de frente. Com um sorriso de canto tirei minhas mãos dos bolsos e esperei eles atacarem a qualquer momento, três deles vieram para cima de mim tentando me derrubar no chão, conseguir ir para trás e segurar no cabelo de dois deles e fazerem eles baterem a cabeça uma na outra e os joguei no chão, então todos eles vieram para cima de mim e começaram a me bater de diversas áreas do meu corpo. - PROVA ISSO SEU MERDA!  Eles conseguiram me derrubar me encheram de chutes e socos. - A-AHhh! Merda! 

 

Fiquei usando meu braço para defender meu rosto, já estava sentindo meu corpo ficar quente por causa dos golpes que eles acertavam, eles me levantaram e seguraram meu braço e deram diversos socos no meu rosto, meu nariz começou a sangrar o bastante para que eu pudesse ver a mão do que estava me batendo já meio ensaguentada, eles pararam de me bater por alguns minutos, as namoradas deles estavam tirando fotos e gravando a briga, enquanto eles se distraíram rindo consegui soltar meus braços e meus olhos ficaram em tonalidade vermelha até ficar por completo, as crianças começaram a gritar de medo e algumas choravam, os pais espantados até perceberem que debaixo do meu casaco eu havia retirado uma arma. - Minha vez...HAHAHA! 

- MICHEL!! Uma das garotas que havia percebido tentou gritar ao namorado, apontei a arma para ela e atirei em sua cabeça que a fez cair no chão e o sangue ter ido no rosto de suas amigas elas começaram a gritar e tentavam correr, os garotos vieram pra cima de mim novamente. - QUE TAL VOCÊS SE JUNTAREM A ELA? MORTOS NO CHÃO!? HAHAHAH! Com uma risada insana comecei a atirar nos que vinham em minhas direção, um deles me pegou pela barriga e tentou me derrubar, consegui posicionar minha mão sobre seu pescoço e o levei até um escorregador diversas vezes bati seu rosto contra o brinquedo o deixando desmaiado e com seu rosto sangrando e inchado. - EU QUERO BRINCAR!! VOCÊS NÃO QUERIAM TAMBÉM?! VAMOS BRINCAR JUNTOS! 
Eles tentavam sair o mais rápido possível mas eu atirei em seu suas pernas e eles tentavam se arrastar igual insetos podres, recarreguei a arma lentamente para que eles pudessem ouvir o som do desespero, pisei na costas do que havia me atingido no rosto, ele estava chorando e tentando tirar meu pé de suas costas, com minha outra perna pisei com uma certa força em sua cabeça fazendo ela quebrar, o barulho...era ótimo, os pais começaram a correr para chamar a polícia. - SOCORRO! ELE É LOUCO! L-LOU-GGAH! Aqueles que pediam socorro atirei diversas vezes em suas cabeças e o que estava fumando estava agonizando de dor por apenas um tiro ter acertado seu peito, peguei ele pela sua jaqueta e o deixei preso entre os balanços, o deixei de cabeça para baixo e sempre que ele estava sendo balançado batia a cabeça diversas vezes sobre o chão e uma pequena pedra escondida entre a grama, ele morreu lentamente, o parque estava com as gramas sujas de sangue, os brinquedos ensaguentados e várias pessoas no chão. 

- ha...hah...HA...HAHAHAHAHA!! N-NINGUÉM!! NINGUÉM VAI ME PARAR!! HAAH! 
Dava para ouvir o barulho de viaturas da polícia, algumas chegaram rápido, alguns policiais saíram do carro armados e apontaram as armas para mim enquanto um com um alto-falante dizia. - SOLTE A ARMA E DEIXE SUAS MÃOS NA CABEÇ-

- Policial...por que não brincam comigo também?
- SOLTE A ARMA E COLOQUE SUAS MÃOS NA CABEÇA! 

- BRINQUEM COMIGO TAMBÉM!! HAHAHAHAHAH!
Eles atiraram sem pensar, rapidamente levantei um dos corpos dos garotos e usei como escudo e comecei a correr enquanto ria insanamente, depois de um certo tempo deles me perseguindo consegui corta um caminho que me perderam de vista, eu estava de um outro lado de um lixão, parecia que o lugar estava em obra, eu me sentei sobre o chão enquanto aos poucos chuviscava e então chovia, todo sangue do meu rosto escorria sobre meu pescoço e em minhas roupas. - Eu não consigo controlar..o prazer que eu sinto em ver corpos no chão...o sangue..os gritos...HAAAH...EU SOU PROCURADO PELA POLÍCIA HAHA! 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...