História Louisa Parker (2 Temporada) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Deadpool, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Felicia Hardy (Gata Negra), Loki, May Parker, Natasha Romanoff, Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Peter Parker (Homem-Aranha), Steve Rogers, Thor, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Drama, Heróis, Louisa Parker, Romance
Visualizações 63
Palavras 1.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Mamãe Parte Um


Fanfic / Fanfiction Louisa Parker (2 Temporada) - Capítulo 16 - Mamãe Parte Um

 -Louisa POV 

 

 _Me devolva o chip e ninguém sai ferido. -Disse levantando as mãos ficando em posição de ataque.

 _Não vai dar não. -Respondeu o cara mascarado.

 _Ótimo... Você acabou de tornar o meu dia muito mais divertido...

 Sorri e usei os meus poderes para jogar todos contra a parede, corri até ele e peguei o chip de suas mãos, senti algo aproximando-se de mim, quando me virei segurei o pescoço da mulher de cabelos brancos e a joguei no chão.

 _Não se ataca as pessoas pelas costas... -Disse enquanto apertava seu pescoço deixando-a claramente sem ar.

 Senti novamente que algo estava se aproximando então soltei seu pescoço e me abaixei, uma grande peça de metal foi atirada contra mim e passou de raspão, quando olhei para trás as mãos da mulher ruiva estavam emanando uma luz vermelha.

 _Eu também sei brincar... -Me levantei e atirei algumas labaredas em sua direção, ela desviou como eu esperava então usei meu poderes para jogar uma mesa de metal nela a acertando em cheio.

 Senti algo pegajoso na minha perna, antes que eu pudesse olhar o que era, fui puxada bruscamente e parei aos pés do homem mascarado.

 _Fim da linha. -Disse ele me prendendo com sua teia.

 De repente alguém o atingiu fortemente com um soco.

 _Tava demorando hein! -Arrebentei aquela coisa e me levantei.

 _Bucky? -Perguntou a mulher de cabelos brancos aproximando-se de nós.

 _Vocês se conhecem? -Ainda estava com as minhas mãos erguidas emanando algumas labaredas. -Ah esquece não faz diferença! Eu pego o chip e você cuida das duas!

 Rapidamente fui em direção ao homem que estava jogado no chão devido ao nocaute que Bucky havia dado nele, sentei em seu peito e peguei o chip de suas mãos o colocando entre os seios.

 _Vamos ver esse rostinho... -Quando arranquei a máscara dele percebi que se tratava do homem que aquela mulher de cabelos brancos havia abraçado, e assim como ela, ele também me era familiar... -Quem é você? 

 _Sou o Homem-Aranha! -Ele jogou uma teia no meu rosto, não conseguia enxergar e mal respirava, senti ele pegando o chip enquanto eu arrancava aquele negócio da minha cara.

 Quando finalmente tirei, ele me deu um chute extremamente forte na barriga me fazendo bater em uma estante de livros.

 _Cansei de brincar! -Rasguei a saia do meu vestido deixando-o curto, arranquei a máscara que dificultava a minha visão e tirei as lentes de contato que estavam incomodando os meus olhos. -Bem melhor...

 Respirei fundo e peguei a arma que estava no coldre da minha coxa, atingi a perna da ruiva que estava atacando Bucky fazendo ela cair no chão grunhindo de dor, tentei atirar no homem mascarado, mas ele desviou, joguei a arma no chão e usei meus poderes para puxa-lo deixando ajoelhado em minha frente, quando ficamos a poucos metros de distância seu semblante mudou completamente, ele parecia surpreso, aproveitando essa deixa arranquei o chip de sua mão.

 _Louisa?

 Assim que ele falou meu nome a mulher de cabelos brancos veio até ele assim como a ruiva, olhei para o lado e Bucky estava desacordado no chão. 

 _Bucky! -Gritei e senti uma gosma encostar em mim novamente.

 _Desculpe querida... -Sussurrou o Homem-Aranha

 De repente senti uma grande corrente elétrica percorrendo todo o meu corpo, me joguei no chão gritando em agonia, tudo estava ficando embaçado, olhei ao redor e a mulher de cabelos brancos estava chorando enquanto a ruiva aproximou-se de mim.

 _Não! 

 Segurei aquela teia na minha barriga e ateei fogo obrigando o homem a soltá-la sessando a condução de energia, me levantei do chão respirando fundo, mas antes que eu pudesse usar meus poderes para atacar eles senti a mão da ruiva na minha cabeça e em segundos eu perdi totalmente a consciência.

 

 Abri os olhos lentamente com dificuldades devido à luz na minha cara, meu corpo estava dolorido e minha cabeça doendo, quando tentei passar a mão no rosto percebi que estava presa em uma cadeira.

 _Merda...

 Tentei sair dali de todos os jeitos possíveis, mas tenho quase certeza que o material daquela cadeira era titânio, tentei usar meus poderes, mas eles não estavam funcionando, só então percebi que eu estava com uma coleira parecida com as que eu tinha que usar na Hydra. Lutar seria inútil, eu só preciso esperar pelo momento certo para fugir daqui... Comecei a olhar envolta, parecia ser uma espécie de sala de interrogatório, eu estava de frente para uma mesa com um arquivo em cima, no canto superior da sala havia uma câmera com uma luz vermelha piscando e em uma das paredes um grande espelho.

 _Sei que estão me observando! Será que alguém pode vir aqui me soltar! -Gritei olhando para o espelho.

 Ouvi a porta se abrindo e um homem entrou e sentou-se na cadeira na minha frente.

 _Ora ora ora o que temos aqui... Homem-Aranha não é? 

 _Não se lembra de mim Louisa? -Ele tinha um semblante sério e triste ao mesmo tempo.

 _Acho que nunca nos vimos antes... Eu lembraria de um rostinho bonito como o seu... -Me inclinei sobre a mesa até onde as amarras da cadeira permitiam, favorecendo fortemente os meus seios. -O que quer comigo Homem-Aranha?

 Ele apenas levantou-se da cadeira e saiu da sala me deixando totalmente confusa e sem resposta alguma.

 _Ótimo! -Bufei jogando a cabeça para trás.

 Novamente ouvi a porta se abrir, a mulher de cabelos brancos entrou na sala e sentou-se na minha frente, seus olhos estavam vermelhos e inchados como se tivesse chorado por horas.

 _Vocês vão me torturar ou o que? -Perguntei a encarando.

 _Você não se lembra de mim querida? -Ela limpou as lágrimas que escorriam pelo seu rosto.

 _Lembro de você na festa, e tenho certeza que nunca te vi antes disso...

 _Olha... -Ela abriu o arquivo e colocou algumas fotos sobre a mesa, em uma das fotos ela estava segurando um bebê, mas a que me chamou mais a atenção foi uma que ela estava rindo muito e eu estava ao lado dela... -Você não se lembra disso?

 _Não... Por que eu estou nessa foto com você? Quem é esse bebê? Por que você está me mostrando isso? 

 _Seu nome... É Louisa Parker... Eu Amélia Parker, sou a sua mãe e aquele homem que acabou de sair daqui é o seu pai Peter Parker...

 _Não! Os meus pais morreram em um acidente de carro a muito tempo! -A minha voz soou ríspida, eu estava confusa e nervosa, um nó se formava na minha garganta e eu tentava ao máximo não chorar e demonstrar fraqueza.

 _Isso é mentira... É só uma das mentiras que a Hydra te contou filha.

 _Uma das minhas habilidades é conseguir ler os sentimentos das pessoas... Se você tirar esse negócio do meu pescoço e deixar eu tocar em você... Talvez eu pudesse acreditar em você...

 _Não... A Hydra ainda está na sua cabeça, você provavelmente tentaria escapar e eu não posso correr o risco de te perder de novo Lo... Eu não posso... E se você não acreditar em mim tudo bem... -Ela estava chorando muito. -Eu também não acreditaria se não me lembrasse de nada... Mas a prova de que não estou mentindo está no seu pescoço, esse colar que você carrega... Seu pai te deu no dia que você desapareceu... 

 Ela se levantou e aproximou-se de mim, tirou o meu colar, e o abriu... Eu não fazia ideia que ele fazia isso... Dentro dele havia uma foto dela e do Peter com um bebê...

 _Ai meu Deus... -Nesse momento as lágrimas já escorriam pelo meu rosto. -Sou eu?

 _Sim querida... É você, quando era bebê... Você tinha 3 aninhos, foi um sacrifício fazer você olhar pra câmera esse dia... -Ela sorria com a lembrança enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto.

 _Você pode pelo menos me soltar dessa cadeira para eu poder te abraçar mamãe?

 _Posso...

 Ela apertou um botão atrás da cadeira e os meus braços foram soltos.

 _Me desculpe por isso... -Sussurrei.

 _O que? -Perguntou espantada.

 Com um rápido movimento acertei um soco em seu rosto a deixando inconsciente e arranquei aquele negócio do meu pescoço.

 _Não é nada pessoal Amélia... -Disse enquanto procurava o cartão que abria a porta. -Mas eu não posso ficar aqui!

 Antes de sair eu sabia que precisava criar uma distração, então usei os meus poderes para incendiar o lugar e sai o mais rápido possível de lá.

 Enquanto soava o alarme de incêndio eu corria pelos corredores daquele lugar derrubando algumas pelo caminho, indo atrás do Bucky, não faço ideia de onde estou, esse lugar aqui é enorme! Finalmente cheguei a uma sala onde Bucky estava preso a uma cadeira semelhante à minha.

 _Louisa! Me tira daqui! -Gritou assim que me viu.

 _Calma... -Usei meus poderes para danificar a estrutura da cadeira o suficiente para ele arrebentar as amarras e conseguir sair.

 _Vamos!

 Ele segurou a minha mão e corremos o mais rápido possível procurando a saída daquele lugar, de repente apareceram algumas pessoas atirando em nossa direção, estiquei a minha mão livre e usei meus poderes para danificar as armas deles e jogá-los contra a parede enquanto passávamos por ele.

 _Boa! -Disse Bucky sorrindo pra mim ainda correndo, retribui piscando para ele.

 Quando finalmente chegamos a porta de saída o vento estava muito forte e frio, estava tudo escuro e havia uma neblina densa, foi então que percebemos que não estávamos no chão...

 _Merda...

 

Continua ...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...