1. Spirit Fanfics >
  2. Love - Crossed Lifes >
  3. Everything can change

História Love - Crossed Lifes - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Contexto: O ano é 2024, depois da pandemia e a vida já voltou completamente ao normal e empresa Victoria's Secret tem uma nova chance de se reerguer ao mudar novamente sua administração. A história começa quando Chris decide ajudar a cunhada, Aline, através de um oferta de emprego para que ela trabalhe diretamente com ele e algumas modelos como secretária.

Aline Sousa: Aline Marie Sousa é uma jovem brasileira de 21 anos, nascida e criada no Piauí. Atualmente, mora em New York e divide um apartamento no Queens com 3 amigas, Daniela Brandão (estudante de arquitetura), Raíssa Avelar (residente em neurocirurgia) e Lena Rodrigues (residente em oncologia). Ela tem 2 irmãs mais velhas, Alicia (está em coma há 6 meses por causa de um acidente de carro. Uma das únicas da família que apoia e defende a Aline) e Alana e um irmão mais velho, Ricardo (os dois últimos romperam relações com Aline). Os pais, Miguel e Maria Alice, também romperam relações com a filha mais nova e a culpam pelo acidente da primogênita. Chris Edwards, marido de Alana, e Clara Carvalho, esposa de Ricardo, estão entre os únicos três que apoiam Aline.

Candice Swanepoel: Candice Susan Swanepoel é uma jovem modelo sul africana de 36 anos. Nasceu e foi criada numa fazenda na cidade de Mooi River na África do Sul. É divorciada, está solteira já faz 5 anos e está começando a desacreditar no amor e é mãe de dois meninos, Anacan e Ariel. Tem uma ótima relação com os pais e o irmão, especialmente com a mãe. Apesar da boa convivência com ex marido, Hermann, eles tem entrado em conflito nos últimos anos. Atualmente, mora em um apartamento de luxo em New York com os dois filhos e está quase sempre com os amigos Eduardo Bravin, Behati Prinsloo, Lily Aldridge e Lais Ribeiro. Na área profissional, ela está no auge e sendo mais requisitada do que nunca. Recebeu uma proposta de voltar para Victoria's Secret e decidiu aceitar para ajudar a empresa como uma forma de agradecimentos final.

Outros personagens (que não foram citados acima): Adriana Lima, Sara Sampaio, Alessandra Ambrósio, Gisele Bündchen, Stella Maxwell, Ashley Graham, Grace Bol, Jasmine Tookes, Adut Azech, Tauá Biral, Bella Hadid, Sui He, Taylor Hill, Gigi Hadid, Valentina Sampaio, Josephine Skriver, Audrey Littie, Fluvia Lacerda, Hunter Schafer, Hermann Nicoli

Aviso: a história pode conter gatilhos para certas pessoas.

Capítulo 1 - Everything can change


Aline Sousa Point Of View

 

 

Acordei cedo com os sons vindo da rua e a luz do sol. Abri a janela do meu quarto e fiquei observando a cidade. Nova York, como sempre, estava agitada e ainda não passava das oito da manhã.

 

Em um dia normal, eu provavelmente ainda não estaria acordada, mas dessa vez estava porque tinha uma reunião marcada às nove com meu cunhado, Chris.

 

Chris Edwards era casado com uma de minhas irmãs mais velha. A família dele era dona de um verdadeiro império de empresas e, recentemente, a mãe dele havia lhe confiado a tarefa de ser CEO de uma das maiores marcas do mundo da moda, a Victoria's Secret

 

Ele havia me chamado para uma reunião e se bem o conheço, deveria ser para me fazer alguma proposta de emprego. Olhei o celular e quando estava prestes a sair da cama quando ouvi batidas na porta.

 

- Hora de acordar! - ouço a voz de minha amiga e colega de quarto, Daniela Brandão, e dou um sorriso. Do meu grupo de amigas, ela era a mais "certinha" e pontual desde sempre.

 

- Eu já acordei. - respondo alto e ela abre a porta

 

- Já fiz o café da manhã e vou sair daqui meia hora pro trabalho. Se quiser, pode vir comigo. Antes de ir no trabalho, deixo você na...?

 

- Na nova sede da Victoria's Secret, mas não precisa. Vou pegar o metrô mesmo.

 

- Você que sabe. - diz olhando o celular - Mas vai logo, porque você sempre se atrasa, ainda mais quando neva. - assenti e me levantei, indo para o banheiro. Tomei um banho rápido por causa do frio. Quando o inverno chegava, em certos momentos, quase desejava voltar para o Brasil. Após terminar, fui direto para cozinha preparar meu café da manhã

 

- Bom dia, Ali! - Raíssa fala se sentando na cadeira em frente a minha.

 

- Bom dia, Rai! - a cumprimento antes servir a comida dela também. Raíssa Avelar e eu éramos amigas desde a escola quando tínhamos uns 13 anos e agora morávamos juntas com mais duas amigas em NY.

 

Ela e nossa outra amiga e colega de quarto, Lena Rodrigues, eram residentes no hospital mais famoso da cidade, o New York-Presbyterian, e também era o mesmo onde uma das minhas irmãs mais velha, Alicia, estava internada em coma.

 

- Bom dia, meninas! - Lena cumprimenta pegando a garrafa de café e enchendo um copo - Chequei a Alicia ontem. Ela continua na mesma, mas tem alguns pequenos sinais de melhoras.

 

- Sei que não devíamos dar esperanças assim, mas talvez ela acorde em breve. - Avelar diz sorrindo

 

- Tomara que sim. Já fazem 5 meses desde que... - fiz uma pausa. Eu ainda quase não conseguia falar nada sobre o acidente. Len colocou a mão no meu ombro.

 

- Ela vai acordar em breve, Ali. - ela tenta me manter positiva - Já tá na nossa hora, Rai. O uber já chegou. - diz para a colega de trabalho enquanto olhava o celular

 

- Okay. Vamos lá. - Raíssa pega a mochila e beija minha cabeça antes de sair - Boa sorte. Espero que dê tudo certo hoje.

 

- Vai dar tudo certo. - Rodrigues diz pegando a bolsa e se despedindo.

 

- Obrigada! Bom trabalho pra vocês. - elas saem e termino de tomar meu café. Dani saiu em seguida e logo depois de terminar de me arrumar, saí de casa rumo ao metrô.

 

Passagem de tempo

 

Respirei fundo, parada em frente ao prédio, antes de entrar no local. Já tinha uma ideia do porque havia sido chamada ali e estava nervosa. Ao adentrar no ambiente, fiquei encantada com a magnitude do espaço. Era muito mais bonito por dentro do que por fora.

 

Andei em direção à recepcionista e logo acabei descobri que meu cunhado me esperava na sala dele no último andar. Entrei em um elevador e, após parar onde devia, fui até a sala depois de ser anunciada.

 

- Pode entrar. - disse a voz que reconheci ser dele. Abri e vi ele arrumando a gravata - Oi, Aline. Como estou? - perguntou

 

- Tá ótimo, playboyzinho! - respondi e ele revirou os olhos ao ouvir seu apelido. Havia apelidado ele assim desde que começou a namorar uma das minhas irmãs mais velhas, Alana - Então, por que você me chamou aqui?

 

- Você sabe o motivo. Quero te oferecer um emprego, Ali - fiz menção a falar, mas fui interrompida por ele - Antes que recuse, sei que está desempregada e precisando de dinheiro ou vai ter que voltar a morar com seus pais no Brasil e sei bem que essa é a última coisa que você deseja, principalmente nesse momento. Você sabem bem que...

 

- Que meus pais não me aceitam por eu ser bi, ficariam furiosos a cada vez que eu saísse fora casa e me culpariam ainda mais por coisas que não são minha culpa e nem estão no meu controle? - minha fala quase que automático o fez apertar os lábios. Eu sabia bem que ele se incomodava bastante com o jeito que parte da família me tratava, mas preferia ficar calado e manter a paz.

 

- É, infelizmente, é bem por aí. Além disso, sei que você tenta pagar boa parte das despesas do hospital da Alicia e viver em New York, mesmo dividindo apartamento com amigas, é bem caro. - assenti em resposta a fala dele - Então, como sei que não vai aceitar dinheiro de graça, peço que aceite esse emprego.

 

- O que eu iria fazer caso aceite?

 

- Resumindo, trabalhar diretamente com algumas das modelos e algumas vezes, comigo. - ele fez uma pausa - Você basicamente iria buscar café, ajudar elas a escolherem as roupas, os detalhes, as asas, coisas de viagens e outras coisas que precisarem. Aliás, mandei uma lista das modelos com quem você provavelmente vai trabalhar. - peguei meu celular e abri o arquivo.

 

- Adriana Lima? Gisele Bündchen? Alessandra Ambrósio? Elas já não saíram já faz algum tempo? - um sorriso começou a surgir no meu rosto. Eu era simplesmente apaixonada pelas três, especialmente por Adriana.

 

- Depois de algumas muitas conversas, ligações, propostas e reuniões, consegui convencê-las a voltar. - assenti em resposta, maravilhada com a possibilidade de trabalhar com as três.

 

Continuei a lista passando por nomes como Jasmine Tookes, Josephine Skriver, Sara Sampaio, Bella e Gigi Hadid, Behati Prinsloo, Lily Aldridge, Candice Swanepoel, Hunter Schafer, Stella Maxwell Taylor Hill, Grace Bol, Adut Azech, Ashley Graham, Fluvia Lacerda e Valentina Sampaio. Era muitos nomes. Parei novamente de ler quando achei um nome específico.

 

- Lais Ribeiro? - Edwards riu da minha expressão - Por que você tá rindo?

 

- Você parece uma criança que acabou de ganhar um presente. A Bia faz essa mesma cara toda vez que ganha um cupcake. - ele fala e dou um sorriso ao lembrar de minha sobrinha, Bianca. Já não a via faziam oito meses porque Alana proibiu. - E sim, Lais Ribeiro. Sei que você é bem fã dela e ela é do nosso estado. Pelo o que lembro, também gosta bastante da Adriana... e aí, alguma dúvida?

 

- Então, eu vou ser uma espécie de secretária?

 

- É, pode-se dizer que sim Vai ser uma espécie de secretária, conselheira, ajudante e também vai trabalhar com muitas pessoas e...

 

- Acho que entendi. - respondi olhando para a janela - Por que me escolheu para isso e não pra área jurídica? Você sabe que eu acabei de me formar.

 

- Sendo sincero, eu escolhi você porque achei legal a ideia de trabalharmos juntos e mais próximos já que... - ele fez uma pausa - a Alana afastou você por besteira e como sempre fomos tão próximos, sinto sua falta - sorri para o moreno. Era difícil pra mim ficar longe da família - E também porque sei que você ama o mundo da moda e é fã de algumas modelos, mas se quiser, depois do desfile posso te redirecionar pro jurídico da empresa.

 

 - Você promete me tratar como trataria qualquer outra pessoa nesse cargo? - perguntei

 

- Sim, é óbvio! E então... aceita o trabalho? - respirei fundo. Ao mesmo tempo que queria, sentia que não podia aceitar, mas também sabia que tinha que pensar em mim e em Alicia e que aquele dinheiro viria em boa hora, porque minhas reservas estavam começando a acabar.

 

- Aceito.

 

- É a melhor decisão - o homem de olhos castanhos respondeu antes de fazer uma pausa - Não se preocupe. Você vai amar - assenti dando um sorriso tímido e ele se levantou

 

- Quando eu começo?

 

- Pode ser agora mesmo ou amanhã se quiser esperar.

 

- Por mim, pode ser agora.

 

- Ótimo! Tenho uma reunião agora com algumas das modelos, posso te apresentar no final da reunião. Vai demorar um pouco, mas você pode ficar com a minha secretária por enquanto. Aí na hora te chamo, okay? - assenti em resposta. Ele se levantou e abriu a porta - Vamos?

 

- Vamos! - respondi animada o seguindo até uma mulher parada atrás de um balcão

 

- Dori, essa é a nova assistente das modelos, senhorita Sousa. Aline, essa é a senhorita Hamilton, minha secretária.

 

- É um prazer conhecê-la, senhorita Sousa.

 

- Digo o mesmo - cumprimento a mulher - E pode me chamar de Aline, se quiser, senhorita Hamilton

 

- Okay, mas, por favor, me chame de Dori - assenti em resposta. - Sr. Edwards, nem todas as suas convidadas chegaram, mas algumas sim e já o esperam na sala de reuniões. - ele refletiu por alguns segundos. Era visível que estava nervoso. - Sr. Edwards?

 

- Ah, sim. Estou indo. Obrigada por avisar. - o homem se virou e ficou parado. Apertei os lábios. Sabia bem o que passava na mente dele. Ele precisava fazer tudo sair perfeito para se provar perante a família e para si mesmo.

 

- Chris... - me aproximei, tocando em seu ombro - Você vai conseguir. Tenho certeza que vai dar tudo certo. - ele sorriu de canto e ajeitou a gravata.

 

- É... obrigada por isso, Ali. - o vi acenar e sair indo em direção a uma sala.

 

Ainda fiquei conversando com Dori por algum tempo, mas acabei ficando sozinha na recepção mexendo no celular quando ela foi levar café para eles.

 

- Com licença, estou aqui para uma reunião com o sr. Edwards. Você tem alguma ideia de onde fica a sala de reuniões? - levantei os olhos para ver a pessoa e quase deixei o celular cair.

 

- Ai meu Deus. - eu senti meu coração acelerar e fiquei completamente sem palavras. A pessoa falando comigo era ninguém mais, ninguém menos do que Adriana Lima. Ela sorriu para mim - Você é... você é...

 

- Adriana Lima. É um prazer te conhecer. - ela estendeu a mão e apertei

 

- Ah, eu sei. - respondi fazendo-a sorrir

 

- E você? Qual é o seu nome?

 

- Aline. Aline Sousa.

 

- Brasileira? - perguntou animada na língua materna

 

- Sim, sou do Brasil. - respondi também em português - e é bom conhecer voc... a senhora também

 

- Pode me chamar de Adriana mesmo. Não precisa de formalidade. - assenti ainda maravilhada com a presença da mulher na minha frente. Ela era mais bonita pessoalmente.

 

- Adri, já sabe onde é a sala? - vi Lais Ribeiro entrando no cômodo e meu sorriso aumentou - Aqui a sua chave. - devolveu o objeto para amiga e olhou para mim - Oi, prazer em conhecer, sou a Lais. - ela disse sorrindo e meu primeiro pensamento foi "Eu morri e fui pro céu?"

 

- É, eu sei. - estendi a mão que ela apertou em seguida.

 

- Essa é a Aline. Ela é brasileira também. - Lima explicou e Ribeiro assentiu

 

- É bom estar entre brasileiros - ela falou - Já sabe onde é a sala da reunião? Estamos atrasadas.

 

- Quarta sala a direita. - apontei para o corredor

 

- Muito obrigada pela informação, Aline. - as duas foram em direção a sala, mas pararam pouco antes de entrarem.

 

- Ué, você não vai entrar com a gente? - neguei com a cabeça - Você não é modelo também? - a Lima perguntou com uma sobrancelha levantada.

 

- Não.

 

- Bem, certamente, tem a beleza de uma. Eu tinha quase certeza que era uma das novas contratações da VS. - senti vontade de pular de alegria com as palavras das duas. Era o maior elogio que eu já tinha recebido na vida.

 

- Obrigada. - falei muito animada. As duas sorriram e entraram na sala enquanto fiquei sentada sorrindo. Sem nem saber, Lais e Adriana melhoraram minha autoestima e jamais esqueceria daquele momento.

 

Passagem de tempo

 

Candice Swanepoel Point Of View

 

Já havia cerca de duas horas que estávamos em reunião com Chris Edwards, o novo CEO da Victoria's Secret. A sala estava cheia de modelos. Tanto as antigas quanto as novas estavam dentro, que já haviam passado pela VS como eu, Behati e Lily quanto novas contratadas como Fluvia Lacerda, Hunter Schafer e Audrey Littie e fora as que já estavam antes e ele conseguira manter na empresa.

 

Me surpreendi ao ver na sala algumas pessoas como Gisele, Alessandra e posteriormente, Adriana e fiquei ainda mais surpresa ao saber que a partir de agora, elas e Lais ajudariam diretamente no desfile. Ambrósio e Bündchen ajudariam com as roupas e as asas enquanto Lima e Ribeiro seriam responsáveis pelo casting.

 

Edwards, certamente, havia tido um trabalho enorme para convencer todas as mulheres presentes ali, mas não me surpreendia tanto, pois o homem era muito persuasivo e havia algo nele que fazia com que as pessoas se sentisse bem.

 

Desde o começo da reunião, não havia conseguido tirar os olhos dele. Se eu já o considerava lindo por fora, ele estava se tornando ainda mais bonito aos meus olhos durante aquelas duas últimas horas.

 

Ele estava buscando revolucionar a VS, trazer diversidade de verdade e realmente se importava com aquilo, com as modelos e com o que pensávamos e queríamos o que era extremamente raro na indústria como um todo. Se ele conseguisse fazer o que queria, é bem provável que mudaria não apenas reergua e mude a própria empresa, mas possivelmente também o mundo da moda.

 

- Peço desculpas por essa reunião estar tomando muito do tempo de vocês. - Chris levantou-se e sorri de forma quase que inconsciente em sua direção. - Acho que já combinamos toda a dinâmica de trabalho. Creio que só falta mais uma parte. Volto daqui alguns minutos. Preciso apresentar alguém para vocês. - ele disse se retirando e saindo da sala.

 

- Eu vi isso, Candy. - Behati falou baixinho

 

- Isso o que?

 

- Não se faz de desentendida - Lily virou para o meu lado - A gente viu o seu sorrisinho pro Edwards

 

- Eu não dei sorrisinho nenhum.

 

- Você sorriu pra ele sim. - Lais entrou na conversa e antes que eu pudesse responder, Chris bateu na porta e a abriu um pouco.

 

- Voltei. - avisou adentrando o ambiente e, atrás dele, estava uma pessoa. - Pode entrar, Aline. - ele fez um sinal com a mão para jovem e ela rapidamente ficou ao lado dele. - Essa é a Aline Sousa. - assim que ela entrou, senti uma emoção diferente.

 

Era uma coisa boa como com Chris, porém havia mais alguma coisa nela, algo novo e que me acalmava sem sequer dizer uma palavra, apenas com sua presença.

 

- Oi, sou a Aline. É bom conhecer vocês. Vou ser... basicamente uma assistente. Podem me procurar para tudo que precisarem. - falou com um sorriso genuíno e animado no rosto. Soube naquele instante que ela era o tipo de pessoa que quando sorria fazia o mundo sorrir junto com ela.

 

A reunião seguiu por mais alguns minutos até que tudo foi dada por encerrada. Ao final, na sala restavam apenas eu, Lais, Jasmine, Josephine, Sara, Bee, Lily, Adriana, Alessandra, Gisele, Aline e Chris.

 

- Vamos, Candice? - Aldridge chamou de pé em frente à porta e neguei com a cabeça.

 

- Me espera em frente ao prédio, vou falar com algumas pessoas e aí vamos. - respondi indo em direção a Edwards que conversava animadamente com Tookes e Skriver.

 

- Já vai, senhorita Swanepoel? - o homem de olhos castanhos perguntou e assenti.

 

- Já, preciso ir ficar com meus filhos. - respondi e ele sorriu

 

- Ficar longe deles mesmo que por pouco tempo pode ser muito difícil. Digo por experiência própria já que estou longe da minha filha e daria tudo para estar com a minha pequena Bianca agora. - concordei com a cabeça. Ficar longe dos meus filhos eram muito ruim para mim, apesar de minha carreira exigir isso de mim por inúmeras vezes

 

- Se me permite a pergunta, onde ela tá?

 

- Com a mãe. - respondeu e senti que não queria dar mais respostas. Subentendi que ele possivelmente era divorciado assim como eu já que não notei aliança em suas mãos.

 

- Bem, acho que já vou indo, Sr. Edwards. - disse com um sorriso

 

- Pode me chamar só de Chris. Acho que já passamos dessa fase de formalidade, senhorita Swanepoel. - assenti em resposta

 

- Então, nesse caso, me chame apenas de Candice, por favor.

 

Me despedi dele e das outras pessoas que ainda continuavam dentro da sala rapidamente e fui encontrar minhas amigas na rua. Sentia meu coração batendo rápido. Eu estava começando a gostar dele de outro modo além do profissional, mas tinha medo disso e não só por causa do profissionalismo, porém também por medo de me machucar de novo.

 

Caminhei pela calçada e avistei Behati, Lais e Lily paradas conversando e quando estava indo até as três quando esbarrei sem querer em uma mulher por estar distraída.

 

- Ah, meu Deus, desculpa. Eu não vi a senhora. - falei ajudando-a se levantar - Tá tudo bem? Você se machucou?

 

- Não se preocupe, querida. Foi o destino que pôs colocou aqui nesse exato momento. - ergui uma sobrancelha sem entender - Vejo em seus olhos que está com medo do amor e vejo que o grande amor da sua vida está mais próximo do que pensa. Apenas se lembre que deve se permitir e aproveitar porque tudo pode mudar a qualquer momento, mas no fim, tudo vai ficar bem. - disse e foi embora me deixando ali, parada, confusa e com uma aparente previsão do futuro da minha vida amorosa.

 

Após alguns minutos pensando naquilo, resolvi tentar desconsiderar aquilo e acreditar que não era nada demais, mas não conseguia parar de pensar sobre isso e, principalmente, que ela devia estar falando do Chris e do que eu começava a sentir por ele. Andei até minhas amigas e fui para casa com elas.

 

Aline Sousa Point Of View

 

- Vamos, Ali? - chamou Chris após todas as pessoas saírem da sala. Eu havia acabado de me despedir de Sara e ela já tinha me dado o número dela. Nós nos demos bem imediatamente.

 

Além disso, eu estava um pouco distraída pensando em como seria o trabalho e nas pessoas com as quais trabalharia. Era um sonho, é claro, porém mesmo assim, eu estava meio insegura e também distraída pensando em alguém em específico, Candice. Já tinha ouvido falar dela e visto ela por acompanhar a Lais, mas nunca procurei saber muito, porém ver ela hoje me despertou algo diferente.

 

- Você vai me deixar em casa? Não precisa... - perguntei sem entender

 

- Na verdade, primeiro, nós vamos passar no hospital pra ver a Alana. Sei que você visita ela quase todos os dias. Aí vamos almoçar juntos e é depois disso que vou te deixar em casa. - explicou e assenti. - E se você, podemos visitar ela no hospital quase todos os dias depois do trabalho.

 

- Obrigada. - respondi dando um abraço nele que foi correspondido.

 

- Tenho que ir pegar uns papéis na minha sala. Você pode me fazer um favor? - fiz que sim com a cabeça - Meu carro está estacionado do outro lado da rua. Pega ele e fica me esperando em frente ao prédio. - disse e assenti. Saí da sala depois de ele me entregar a chave e fui em direção ao elevador.

 

- Oi! - me virei vendo a Sara e Hunter paradas do meu lado - Indo embora?

 

- Sim. Quer dizer, na verdade, vou pegar o carro do Chr... Sr. Edwards. Ele me pediu pra deixar na frente do prédio. E vocês?

 

- A gente tava esperando o uber que eu pedi. Ele falou que já tava chegando então vamos descer agora. - Schafer explicou - Sei que já nos vimos hoje na reunião, mas é um prazer te conhecer. Meu nome é Hunter Schafer - a loira estendeu a mão que apertei imediatamente

 

- Ah, eu sei. É um prazer te conhecer também - fiz uma pequena pausa - digamos que eu seja uma grande fã sua no mundo da moda e em Euphoria - ela sorriu em reposta

 

- É bom saber. - continuamos a conversa, mas logo formos interrompidas pelo elevador que se abriu e descemos juntas.

 

- Bem, acho que agora é mesmo tch... - Sara tentou dizer, mas foi interrompida por uma senhora que chegou perto de nós

 

- Você! - falou apontando para mim

 

- Eu? - perguntei sem entender nada

 

- Sim, você. O amor da sua vida está mais próximo do que pensa e lembre-se: aproveite os momentos porque tudo mudar de repente, porém saiba que no final tudo vai ficar bem. - disse e saiu me deixando sem entender nada

 

- O que acabou de acontecer ? - a loira perguntou entendendo tanto quanto eu

 

- Eu também não sei, mas acho que aquela mulher era uma cigana e acabou de fazer uma previsão da sua vida. - Sampaio disse um pouco confusa. Passado aquele momento, nos despedimos e peguei o carro de Chris.

 

Pouco depois, meu cunhado chegou e fomos ao hospital, mas passei o caminho todo distraída tentando entender o que aquela mulher me disse, contudo, sem sucesso algum.

 

Chegando ao New York Presbyterian Hospital, procurei por Raíssa e Lena já que elas estavam trabalhando naquele dia. Minutos após achá-las, subi com Chris até o apartamento onde minha irmã se encontrava e entramos.

 

- Oi, Alana. - falei indo em direção a ela dando um beijo em seu rosto. Por mais que ela não estivesse acordada, sabia que tinha uma possibilidade de ela estar escutando, então por isso conversava normalmente. - O Chris veio ver você hoje comigo.

 

- Oi, Lana. - ele cumprimentou - Eu tô aqui - disse dando um beijo delicado na mão dela. - Faz umas semanas desde a última vez que estive aqui... mas prometo que não vou ficar longe muito tempo e vou tentar te ver todos os dias. - vi algumas lágrimas nos olhos dele que ele logo limpou.

 

- Onde sua aliança tá? Perdeu ela de novo? - perguntei ao perceber naquele momento que não estava em nenhuma das mãos dele. Ele quase sempre perdia inúmeras coisas sem nem perceber e a aliança era um dos exemplos.

 

- Ah, tá aqui - ele sorriu e retirou o colar que tinha o anel como pingente. - Percebi que tenho menos facilidade em perder quando uso como colar. - Chris se virou novamente para Alana - Agora vamos voltar pra ela. Lana, a Ali arrumou um emprego, acredita? Tenho certeza que ela vai ser ótima nele. - disse e me aproximei dos deles.

 

Deixei Edwards conversando sozinho com ela por algum tempo e fiquei observando. Era lindo ver o amor que ele tinha por mim e por ela. Eles nos amava e nós o amávamos e se tinha alguém que eu sabia que nunca me abandonaria, fora Alana, na família seria ele.

 

- Chris? - chamei

 

- Sim? - ele se virou para mim

 

- Também senti sua falta. - falei e ele pôs o braço em volta de mim.

 

- É, eu sei.Aline Sousa Point Of View

 

 

Acordei cedo com os sons vindo da rua e a luz do sol. Abri a janela do meu quarto e fiquei observando a cidade. Nova York, como sempre, estava agitada e ainda não passava das oito da manhã.

 

Em um dia normal, eu provavelmente ainda não estaria acordada, mas dessa vez estava porque tinha uma reunião marcada às nove com meu cunhado, Chris.

 

Chris Edwards era casado com uma de minhas irmãs mais velha. A família dele era dona de um verdadeiro império de empresas e, recentemente, a mãe dele havia lhe confiado a tarefa de ser CEO de uma das maiores marcas do mundo da moda, a Victoria's Secret

 

Ele havia me chamado para uma reunião e se bem o conheço, deveria ser para me fazer alguma proposta de emprego. Olhei o celular e quando estava prestes a sair da cama quando ouvi batidas na porta.

 

- Hora de acordar! - ouço a voz de minha amiga e colega de quarto, Daniela Brandão, e dou um sorriso. Do meu grupo de amigas, ela era a mais "certinha" e pontual desde sempre.

 

- Eu já acordei. - respondo alto e ela abre a porta

 

- Já fiz o café da manhã e vou sair daqui meia hora pro trabalho. Se quiser, pode vir comigo. Antes de ir no trabalho, deixo você na...?

 

- Na nova sede da Victoria's Secret, mas não precisa. Vou pegar o metrô mesmo.

 

- Você que sabe. - diz olhando o celular - Mas vai logo, porque você sempre se atrasa, ainda mais quando neva. - assenti e me levantei, indo para o banheiro. Tomei um banho rápido por causa do frio. Quando o inverno chegava, em certos momentos, quase desejava voltar para o Brasil. Após terminar, fui direto para cozinha preparar meu café da manhã

 

- Bom dia, Ali! - Raíssa fala se sentando na cadeira em frente a minha.

 

- Bom dia, Rai! - a cumprimento antes servir a comida dela também. Raíssa Avelar e eu éramos amigas desde a escola quando tínhamos uns 13 anos e agora morávamos juntas com mais duas amigas em NY.

 

Ela e nossa outra amiga e colega de quarto, Lena Rodrigues, eram residentes no hospital mais famoso da cidade, o New York-Presbyterian, e também era o mesmo onde uma das minhas irmãs mais velha, Alicia, estava internada em coma.

 

- Bom dia, meninas! - Lena cumprimenta pegando a garrafa de café e enchendo um copo - Chequei a Alicia ontem. Ela continua na mesma, mas tem alguns pequenos sinais de melhoras.

 

- Sei que não devíamos dar esperanças assim, mas talvez ela acorde em breve. - Avelar diz sorrindo

 

- Tomara que sim. Já fazem 5 meses desde que... - fiz uma pausa. Eu ainda quase não conseguia falar nada sobre o acidente. Len colocou a mão no meu ombro.

 

- Ela vai acordar em breve, Ali. - ela tenta me manter positiva - Já tá na nossa hora, Rai. O uber já chegou. - diz para a colega de trabalho enquanto olhava o celular

 

- Okay. Vamos lá. - Raíssa pega a mochila e beija minha cabeça antes de sair - Boa sorte. Espero que dê tudo certo hoje.

 

- Vai dar tudo certo. - Rodrigues diz pegando a bolsa e se despedindo.

 

- Obrigada! Bom trabalho pra vocês. - elas saem e termino de tomar meu café. Dani saiu em seguida e logo depois de terminar de me arrumar, saí de casa rumo ao metrô.

 

Passagem de tempo

 

Respirei fundo, parada em frente ao prédio, antes de entrar no local. Já tinha uma ideia do porque havia sido chamada ali e estava nervosa. Ao adentrar no ambiente, fiquei encantada com a magnitude do espaço. Era muito mais bonito por dentro do que por fora.

 

Andei em direção à recepcionista e logo acabei descobri que meu cunhado me esperava na sala dele no último andar. Entrei em um elevador e, após parar onde devia, fui até a sala depois de ser anunciada.

 

- Pode entrar. - disse a voz que reconheci ser dele. Abri e vi ele arrumando a gravata - Oi, Aline. Como estou? - perguntou

 

- Tá ótimo, playboyzinho! - respondi e ele revirou os olhos ao ouvir seu apelido. Havia apelidado ele assim desde que começou a namorar uma das minhas irmãs mais velhas, Alana - Então, por que você me chamou aqui?

 

- Você sabe o motivo. Quero te oferecer um emprego, Ali - fiz menção a falar, mas fui interrompida por ele - Antes que recuse, sei que está desempregada e precisando de dinheiro ou vai ter que voltar a morar com seus pais no Brasil e sei bem que essa é a última coisa que você deseja, principalmente nesse momento. Você sabem bem que...

 

- Que meus pais não me aceitam por eu ser bi, ficariam furiosos a cada vez que eu saísse fora casa e me culpariam ainda mais por coisas que não são minha culpa e nem estão no meu controle? - minha fala quase que automático o fez apertar os lábios. Eu sabia bem que ele se incomodava bastante com o jeito que parte da família me tratava, mas preferia ficar calado e manter a paz.

 

- É, infelizmente, é bem por aí. Além disso, sei que você tenta pagar boa parte das despesas do hospital da Alicia e viver em New York, mesmo dividindo apartamento com amigas, é bem caro. - assenti em resposta a fala dele - Então, como sei que não vai aceitar dinheiro de graça, peço que aceite esse emprego.

 

- O que eu iria fazer caso aceite?

 

- Resumindo, trabalhar diretamente com algumas das modelos e algumas vezes, comigo. - ele fez uma pausa - Você basicamente iria buscar café, ajudar elas a escolherem as roupas, os detalhes, as asas, coisas de viagens e outras coisas que precisarem. Aliás, mandei uma lista das modelos com quem você provavelmente vai trabalhar. - peguei meu celular e abri o arquivo.

 

- Adriana Lima? Gisele Bündchen? Alessandra Ambrósio? Elas já não saíram já faz algum tempo? - um sorriso começou a surgir no meu rosto. Eu era simplesmente apaixonada pelas três, especialmente por Adriana.

 

- Depois de algumas muitas conversas, ligações, propostas e reuniões, consegui convencê-las a voltar. - assenti em resposta, maravilhada com a possibilidade de trabalhar com as três.

 

Continuei a lista passando por nomes como Jasmine Tookes, Josephine Skriver, Sara Sampaio, Bella e Gigi Hadid, Behati Prinsloo, Lily Aldridge, Candice Swanepoel, Hunter Schafer, Stella Maxwell Taylor Hill, Grace Bol, Adut Azech, Ashley Graham, Fluvia Lacerda e Valentina Sampaio. Era muitos nomes. Parei novamente de ler quando achei um nome específico.

 

- Lais Ribeiro? - Edwards riu da minha expressão - Por que você tá rindo?

 

- Você parece uma criança que acabou de ganhar um presente. A Bia faz essa mesma cara toda vez que ganha um cupcake. - ele fala e dou um sorriso ao lembrar de minha sobrinha, Bianca. Já não a via faziam oito meses porque Alana proibiu. - E sim, Lais Ribeiro. Sei que você é bem fã dela e ela é do nosso estado. Pelo o que lembro, também gosta bastante da Adriana... e aí, alguma dúvida?

 

- Então, eu vou ser uma espécie de secretária?

 

- É, pode-se dizer que sim Vai ser uma espécie de secretária, conselheira, ajudante e também vai trabalhar com muitas pessoas e...

 

- Acho que entendi. - respondi olhando para a janela - Por que me escolheu para isso e não pra área jurídica? Você sabe que eu acabei de me formar.

 

- Sendo sincero, eu escolhi você porque achei legal a ideia de trabalharmos juntos e mais próximos já que... - ele fez uma pausa - a Alana afastou você por besteira e como sempre fomos tão próximos, sinto sua falta - sorri para o moreno. Era difícil pra mim ficar longe da família - E também porque sei que você ama o mundo da moda e é fã de algumas modelos, mas se quiser, depois do desfile posso te redirecionar pro jurídico da empresa.

 

 - Você promete me tratar como trataria qualquer outra pessoa nesse cargo? - perguntei

 

- Sim, é óbvio! E então... aceita o trabalho? - respirei fundo. Ao mesmo tempo que queria, sentia que não podia aceitar, mas também sabia que tinha que pensar em mim e em Alicia e que aquele dinheiro viria em boa hora, porque minhas reservas estavam começando a acabar.

 

- Aceito.

 

- É a melhor decisão - o homem de olhos castanhos respondeu antes de fazer uma pausa - Não se preocupe. Você vai amar - assenti dando um sorriso tímido e ele se levantou

 

- Quando eu começo?

 

- Pode ser agora mesmo ou amanhã se quiser esperar.

 

- Por mim, pode ser agora.

 

- Ótimo! Tenho uma reunião agora com algumas das modelos, posso te apresentar no final da reunião. Vai demorar um pouco, mas você pode ficar com a minha secretária por enquanto. Aí na hora te chamo, okay? - assenti em resposta. Ele se levantou e abriu a porta - Vamos?

 

- Vamos! - respondi animada o seguindo até uma mulher parada atrás de um balcão

 

- Dori, essa é a nova assistente das modelos, senhorita Sousa. Aline, essa é a senhorita Hamilton, minha secretária.

 

- É um prazer conhecê-la, senhorita Sousa.

 

- Digo o mesmo - cumprimento a mulher - E pode me chamar de Aline, se quiser, senhorita Hamilton

 

- Okay, mas, por favor, me chame de Dori - assenti em resposta. - Sr. Edwards, nem todas as suas convidadas chegaram, mas algumas sim e já o esperam na sala de reuniões. - ele refletiu por alguns segundos. Era visível que estava nervoso. - Sr. Edwards?

 

- Ah, sim. Estou indo. Obrigada por avisar. - o homem se virou e ficou parado. Apertei os lábios. Sabia bem o que passava na mente dele. Ele precisava fazer tudo sair perfeito para se provar perante a família e para si mesmo.

 

- Chris... - me aproximei, tocando em seu ombro - Você vai conseguir. Tenho certeza que vai dar tudo certo. - ele sorriu de canto e ajeitou a gravata.

 

- É... obrigada por isso, Ali. - o vi acenar e sair indo em direção a uma sala.

 

Ainda fiquei conversando com Dori por algum tempo, mas acabei ficando sozinha na recepção mexendo no celular quando ela foi levar café para eles.

 

- Com licença, estou aqui para uma reunião com o sr. Edwards. Você tem alguma ideia de onde fica a sala de reuniões? - levantei os olhos para ver a pessoa e quase deixei o celular cair.

 

- Ai meu Deus. - eu senti meu coração acelerar e fiquei completamente sem palavras. A pessoa falando comigo era ninguém mais, ninguém menos do que Adriana Lima. Ela sorriu para mim - Você é... você é...

 

- Adriana Lima. É um prazer te conhecer. - ela estendeu a mão e apertei

 

- Ah, eu sei. - respondi fazendo-a sorrir

 

- E você? Qual é o seu nome?

 

- Aline. Aline Sousa.

 

- Brasileira? - perguntou animada na língua materna

 

- Sim, sou do Brasil. - respondi também em português - e é bom conhecer voc... a senhora também

 

- Pode me chamar de Adriana mesmo. Não precisa de formalidade. - assenti ainda maravilhada com a presença da mulher na minha frente. Ela era mais bonita pessoalmente.

 

- Adri, já sabe onde é a sala? - vi Lais Ribeiro entrando no cômodo e meu sorriso aumentou - Aqui a sua chave. - devolveu o objeto para amiga e olhou para mim - Oi, prazer em conhecer, sou a Lais. - ela disse sorrindo e meu primeiro pensamento foi "Eu morri e fui pro céu?"

 

- É, eu sei. - estendi a mão que ela apertou em seguida.

 

- Essa é a Aline. Ela é brasileira também. - Lima explicou e Ribeiro assentiu

 

- É bom estar entre brasileiros - ela falou - Já sabe onde é a sala da reunião? Estamos atrasadas.

 

- Quarta sala a direita. - apontei para o corredor

 

- Muito obrigada pela informação, Aline. - as duas foram em direção a sala, mas pararam pouco antes de entrarem.

 

- Ué, você não vai entrar com a gente? - neguei com a cabeça - Você não é modelo também? - a Lima perguntou com uma sobrancelha levantada.

 

- Não.

 

- Bem, certamente, tem a beleza de uma. Eu tinha quase certeza que era uma das novas contratações da VS. - senti vontade de pular de alegria com as palavras das duas. Era o maior elogio que eu já tinha recebido na vida.

 

- Obrigada. - falei muito animada. As duas sorriram e entraram na sala enquanto fiquei sentada sorrindo. Sem nem saber, Lais e Adriana melhoraram minha autoestima e jamais esqueceria daquele momento.

 

Passagem de tempo

 

Candice Swanepoel Point Of View

 

Já havia cerca de duas horas que estávamos em reunião com Chris Edwards, o novo CEO da Victoria's Secret. A sala estava cheia de modelos. Tanto as antigas quanto as novas estavam dentro, que já haviam passado pela VS como eu, Behati e Lily quanto novas contratadas como Fluvia Lacerda, Hunter Schafer e Audrey Littie e fora as que já estavam antes e ele conseguira manter na empresa.

 

Me surpreendi ao ver na sala algumas pessoas como Gisele, Alessandra e posteriormente, Adriana e fiquei ainda mais surpresa ao saber que a partir de agora, elas e Lais ajudariam diretamente no desfile. Ambrósio e Bündchen ajudariam com as roupas e as asas enquanto Lima e Ribeiro seriam responsáveis pelo casting.

 

Edwards, certamente, havia tido um trabalho enorme para convencer todas as mulheres presentes ali, mas não me surpreendia tanto, pois o homem era muito persuasivo e havia algo nele que fazia com que as pessoas se sentisse bem.

 

Desde o começo da reunião, não havia conseguido tirar os olhos dele. Se eu já o considerava lindo por fora, ele estava se tornando ainda mais bonito aos meus olhos durante aquelas duas últimas horas.

 

Ele estava buscando revolucionar a VS, trazer diversidade de verdade e realmente se importava com aquilo, com as modelos e com o que pensávamos e queríamos o que era extremamente raro na indústria como um todo. Se ele conseguisse fazer o que queria, é bem provável que mudaria não apenas reergua e mude a própria empresa, mas possivelmente também o mundo da moda.

 

- Peço desculpas por essa reunião estar tomando muito do tempo de vocês. - Chris levantou-se e sorri de forma quase que inconsciente em sua direção. - Acho que já combinamos toda a dinâmica de trabalho. Creio que só falta mais uma parte. Volto daqui alguns minutos. Preciso apresentar alguém para vocês. - ele disse se retirando e saindo da sala.

 

- Eu vi isso, Candy. - Behati falou baixinho

 

- Isso o que?

 

- Não se faz de desentendida - Lily virou para o meu lado - A gente viu o seu sorrisinho pro Edwards

 

- Eu não dei sorrisinho nenhum.

 

- Você sorriu pra ele sim. - Lais entrou na conversa e antes que eu pudesse responder, Chris bateu na porta e a abriu um pouco.

 

- Voltei. - avisou adentrando o ambiente e, atrás dele, estava uma pessoa. - Pode entrar, Aline. - ele fez um sinal com a mão para jovem e ela rapidamente ficou ao lado dele. - Essa é a Aline Sousa. - assim que ela entrou, senti uma emoção diferente.

 

Era uma coisa boa como com Chris, porém havia mais alguma coisa nela, algo novo e que me acalmava sem sequer dizer uma palavra, apenas com sua presença.

 

- Oi, sou a Aline. É bom conhecer vocês. Vou ser... basicamente uma assistente. Podem me procurar para tudo que precisarem. - falou com um sorriso genuíno e animado no rosto. Soube naquele instante que ela era o tipo de pessoa que quando sorria fazia o mundo sorrir junto com ela.

 

A reunião seguiu por mais alguns minutos até que tudo foi dada por encerrada. Ao final, na sala restavam apenas eu, Lais, Jasmine, Josephine, Sara, Bee, Lily, Adriana, Alessandra, Gisele, Aline e Chris.

 

- Vamos, Candice? - Aldridge chamou de pé em frente à porta e neguei com a cabeça.

 

- Me espera em frente ao prédio, vou falar com algumas pessoas e aí vamos. - respondi indo em direção a Edwards que conversava animadamente com Tookes e Skriver.

 

- Já vai, senhorita Swanepoel? - o homem de olhos castanhos perguntou e assenti.

 

- Já, preciso ir ficar com meus filhos. - respondi e ele sorriu

 

- Ficar longe deles mesmo que por pouco tempo pode ser muito difícil. Digo por experiência própria já que estou longe da minha filha e daria tudo para estar com a minha pequena Bianca agora. - concordei com a cabeça. Ficar longe dos meus filhos eram muito ruim para mim, apesar de minha carreira exigir isso de mim por inúmeras vezes

 

- Se me permite a pergunta, onde ela tá?

 

- Com a mãe. - respondeu e senti que não queria dar mais respostas. Subentendi que ele possivelmente era divorciado assim como eu já que não notei aliança em suas mãos.

 

- Bem, acho que já vou indo, Sr. Edwards. - disse com um sorriso

 

- Pode me chamar só de Chris. Acho que já passamos dessa fase de formalidade, senhorita Swanepoel. - assenti em resposta

 

- Então, nesse caso, me chame apenas de Candice, por favor.

 

Me despedi dele e das outras pessoas que ainda continuavam dentro da sala rapidamente e fui encontrar minhas amigas na rua. Sentia meu coração batendo rápido. Eu estava começando a gostar dele de outro modo além do profissional, mas tinha medo disso e não só por causa do profissionalismo, porém também por medo de me machucar de novo.

 

Caminhei pela calçada e avistei Behati, Lais e Lily paradas conversando e quando estava indo até as três quando esbarrei sem querer em uma mulher por estar distraída.

 

- Ah, meu Deus, desculpa. Eu não vi a senhora. - falei ajudando-a se levantar - Tá tudo bem? Você se machucou?

 

- Não se preocupe, querida. Foi o destino que pôs colocou aqui nesse exato momento. - ergui uma sobrancelha sem entender - Vejo em seus olhos que está com medo do amor e vejo que o grande amor da sua vida está mais próximo do que pensa. Apenas se lembre que deve se permitir e aproveitar porque tudo pode mudar a qualquer momento, mas no fim, tudo vai ficar bem. - disse e foi embora me deixando ali, parada, confusa e com uma aparente previsão do futuro da minha vida amorosa.

 

Após alguns minutos pensando naquilo, resolvi tentar desconsiderar aquilo e acreditar que não era nada demais, mas não conseguia parar de pensar sobre isso e, principalmente, que ela devia estar falando do Chris e do que eu começava a sentir por ele. Andei até minhas amigas e fui para casa com elas.

 

Aline Sousa Point Of View

 

- Vamos, Ali? - chamou Chris após todas as pessoas saírem da sala. Eu havia acabado de me despedir de Sara e ela já tinha me dado o número dela. Nós nos demos bem imediatamente.

 

Além disso, eu estava um pouco distraída pensando em como seria o trabalho e nas pessoas com as quais trabalharia. Era um sonho, é claro, porém mesmo assim, eu estava meio insegura e também distraída pensando em alguém em específico, Candice. Já tinha ouvido falar dela e visto ela por acompanhar a Lais, mas nunca procurei saber muito, porém ver ela hoje me despertou algo diferente.

 

- Você vai me deixar em casa? Não precisa... - perguntei sem entender

 

- Na verdade, primeiro, nós vamos passar no hospital pra ver a Alana. Sei que você visita ela quase todos os dias. Aí vamos almoçar juntos e é depois disso que vou te deixar em casa. - explicou e assenti. - E se você, podemos visitar ela no hospital quase todos os dias depois do trabalho.

 

- Obrigada. - respondi dando um abraço nele que foi correspondido.

 

- Tenho que ir pegar uns papéis na minha sala. Você pode me fazer um favor? - fiz que sim com a cabeça - Meu carro está estacionado do outro lado da rua. Pega ele e fica me esperando em frente ao prédio. - disse e assenti. Saí da sala depois de ele me entregar a chave e fui em direção ao elevador.

 

- Oi! - me virei vendo a Sara e Hunter paradas do meu lado - Indo embora?

 

- Sim. Quer dizer, na verdade, vou pegar o carro do Chr... Sr. Edwards. Ele me pediu pra deixar na frente do prédio. E vocês?

 

- A gente tava esperando o uber que eu pedi. Ele falou que já tava chegando então vamos descer agora. - Schafer explicou - Sei que já nos vimos hoje na reunião, mas é um prazer te conhecer. Meu nome é Hunter Schafer - a loira estendeu a mão que apertei imediatamente

 

- Ah, eu sei. É um prazer te conhecer também - fiz uma pequena pausa - digamos que eu seja uma grande fã sua no mundo da moda e em Euphoria - ela sorriu em reposta

 

- É bom saber. - continuamos a conversa, mas logo formos interrompidas pelo elevador que se abriu e descemos juntas.

 

- Bem, acho que agora é mesmo tch... - Sara tentou dizer, mas foi interrompida por uma senhora que chegou perto de nós

 

- Você! - falou apontando para mim

 

- Eu? - perguntei sem entender nada

 

- Sim, você. O amor da sua vida está mais próximo do que pensa e lembre-se: aproveite os momentos porque tudo mudar de repente, porém saiba que no final tudo vai ficar bem. - disse e saiu me deixando sem entender nada

 

- O que acabou de acontecer ? - a loira perguntou entendendo tanto quanto eu

 

- Eu também não sei, mas acho que aquela mulher era uma cigana e acabou de fazer uma previsão da sua vida. - Sampaio disse um pouco confusa. Passado aquele momento, nos despedimos e peguei o carro de Chris.

 

Pouco depois, meu cunhado chegou e fomos ao hospital, mas passei o caminho todo distraída tentando entender o que aquela mulher me disse, contudo, sem sucesso algum.

 

Chegando ao New York Presbyterian Hospital, procurei por Raíssa e Lena já que elas estavam trabalhando naquele dia. Minutos após achá-las, subi com Chris até o apartamento onde minha irmã se encontrava e entramos.

 

- Oi, Alana. - falei indo em direção a ela dando um beijo em seu rosto. Por mais que ela não estivesse acordada, sabia que tinha uma possibilidade de ela estar escutando, então por isso conversava normalmente. - O Chris veio ver você hoje comigo.

 

- Oi, Lana. - ele cumprimentou - Eu tô aqui - disse dando um beijo delicado na mão dela. - Faz umas semanas desde a última vez que estive aqui... mas prometo que não vou ficar longe muito tempo e vou tentar te ver todos os dias. - vi algumas lágrimas nos olhos dele que ele logo limpou.

 

- Onde sua aliança tá? Perdeu ela de novo? - perguntei ao perceber naquele momento que não estava em nenhuma das mãos dele. Ele quase sempre perdia inúmeras coisas sem nem perceber e a aliança era um dos exemplos.

 

- Ah, tá aqui - ele sorriu e retirou o colar que tinha o anel como pingente. - Percebi que tenho menos facilidade em perder quando uso como colar. - Chris se virou novamente para Alana - Agora vamos voltar pra ela. Lana, a Ali arrumou um emprego, acredita? Tenho certeza que ela vai ser ótima nele. - disse e me aproximei dos deles.

 

Deixei Edwards conversando sozinho com ela por algum tempo e fiquei observando. Era lindo ver o amor que ele tinha por mim e por ela. Eles nos amava e nós o amávamos e se tinha alguém que eu sabia que nunca me abandonaria, fora Alana, na família seria ele.

 

- Chris? - chamei

 

- Sim? - ele se virou para mim

 

- Também senti sua falta. - falei e ele pôs o braço em volta de mim.

 

- É, eu sei.


Notas Finais


Leiam também e favoritem:
Atomic Blonde - The New Generation: https://www.spiritfanfiction.com/historia/atomic-blonde--the-new-generation-15377050


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...