1. Spirit Fanfics >
  2. Love About Shots II >
  3. Oh, come on Alice!

História Love About Shots II - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meninas! Esse é mais um capítulo feito com carinho. Espero que gostem! Boa leitura.☺️

Capítulo 5 - Oh, come on Alice!


Fanfic / Fanfiction Love About Shots II - Capítulo 5 - Oh, come on Alice!


Justin passou para o lado do motorista e eu fiquei sem graça no branco do passageiro com Flora no meu colo brincando com a embalagem do doce na mão. Sim, ele me convenceu de ir. Peguei meu celular tanto para evitar aquele clima estranho quanto para mandar uma mensagem a Abel avisando que ele poderia voltar com o meu carro e que eu ligaria quando fosse para ele me buscar. Eu mandaria minha localização.

Justin Drew Bieber on.

Tudo bem. Era uma situação nova, delicada, incrível e ao mesmo tempo ruim. Alice omitiu um filho meu esse tempo todo e ainda queria me afastar da menor! Mas nem fodendo que eu iria me afastar agora. A filha é minha também e eu tenho meus direitos nisso.

Chamei Alice para vir junto por três motivos: Ela entendia melhor o que Flora iria falar, ela é mãe. Querendo ou não, seria mais confortável para Flora. E por último, mas não menos importante. Tínhamos que conversar.

Eu ocupei meu lugar ao lado da morena e pude perceber suas curvas bem mais de perto. Gostosa como sempre e eu não negava isso! O tempo fez bem para ela e pelo visto a gravidez também. Eu queria ter acompanhado.

- Estão morando perto?

Perguntei para quebrar aquele gelo entre eu e Alice que agora tirou os olhos do celular e me olhou já que finalmente saí do estacionamento. Eu tinha ligado o rádio deixando em uma música ambiente baixa para não ter tanto silêncio naquele carro.

Alice: Nós... estámos ficando na minha antiga casa por enquanto.- Sim, ela falou minha casa e não "a casa do Evan" como ela falava e conhecia  antigamente.- Vamos voltar para o Brasil daqui alguns dias.

Ela falou com calma, me fazendo franzir o cenho. Ela quer voltar? Pretendia voltar?

- Voltar para o Brasil?

Pergunto meio sério olhando a estrada e por segundos paro o carro já que estávamos no sinal vermelho e acabo as olhando, vendo Flora mais calma no colo de Alice e provavelmente com sono.

Alice: Sim... lá é nossa casa. Estámos em Boston para resolver alguns assuntos pendentes.

Ela falou aquilo sem olhar para mim. Ela ainda insistia em fugir dos meus olhos.

-Que assuntos seriam esses?

Sim, eu queria de todo jeito quebrar o gelo e saber também se ela tinha intenções de voltar com os negócios dela em Boston. Essa porra ainda era minha cidade.

Alice: Acho que não preciso contar minhas particularidades para você Bieber.- Ela falava de uma forma seca enquanto Flora enfiava a mão dentro do decote dela.- Isso é...- Alice foi abaixando o tom meio turrona ainda e eu  molhei os labios acompanhando a mão da menor. Antes que eu abrisse a boca. Flora acabou puxando para baixo o decote de Alice, tirando um dos seios dela e praticamente o abocanhou sem mais nem menos, deixando uma situação embaraçosa para Alice.- Flora!

A mesma não sabia onde enfiar a cara! Eu apenas olhava a cena um tanto admirado e vendo a mão da menor ainda dentro do decote dela. Alice não fez nada para tirar.

-Ah... Ela ainda mama.- Seguro o riso vendo como Alice estáva sem graça pelo comportamento da menor ali. Eu na verdade tinha gostado de ver aquela cena. Além de Alice abaixar um pouco aquela pose de durona, ficou extremamente constrangida!- Quanto tempo ela tem?

Eu pergunto vendo Alice sem nem quer olhar na minha cara, já eu acabei voltando minha atenção no caminho e pousei minha mão sobre a coxa dela que não tinha reparado minha mãoali. Ou reparou e não quis tirar. Era impressão minha ou ela estáva aceitando mais minha presença agora?

Alice: Ela vai... Fazer um ano daqui alguns dias..- Ela estáva extremamente desconfortável com o que Flora acabou de fazer. Eu gostei na verdade.- Olha... Desculpe por...

Ela estáva sem graça e aquilo me fez rir fraco pelo nariz apenas olhando a estrada.

-Nada do que já não tenha visto antes.

Falo para a mesma sem mais nem menos, o que era verdade. Eu fodia ela antes se ela não sabe! Ela estáva com vergonha de me mostrar o corpo? Ah, faça-me um favor!

Alice: Mas... Já faz tempo...- Falava baixo e sem graça ainda.

Ela tentava de algum jeito amenizar a situação, mas aquilo só piorava o lado dela.

Ri fraco pelo nariz acariciando a coxa de Alice. Não demorou muito para que eu entrasse pelos enormes portões da minha casa e andar com o carro até a garagem, vendo ao meu lado Flora praticamente apagada com o seio da mãe dela na boca.

-Acho que alguém apagou.

Comento vendo ela rir fraco e em seguida ajeitar o seio novamente dentro do vestido, em seguida ajeitou a menor com calma em seu colo. Dessa vez finalmente ela me olhou, mas ainda totalmente sem graça.

Alice: Eu acho melhor eu ir para casa...

Ela falou me fazendo molhar meus lábios e suspirar fundo.

-Eu tenho um quarto de hóspedes... Vamos deixar ela lá e vamos conversar.- Disse decidido.

Eu bati novamente nessa tecla de conversar com ela para mostrar que realmente eu precisava falar com ela. Pelo visto a mesma tomou gravidade da situação em que estávamos no momento. Ela acabou não revidando minhas palavras.

Alice: Tudo bem...

Disse ela baixo e abriu a porta do carro. Eu acabei saindo pelo meu lado da porta e fui até o lado dela. Peguei a pequena em meus braços, levando agora a mesma no colo para dentro da casa com Alice atrás de mim super coruja com a pequeninha que estáva em meus braços agora. Caralho, ainda não acreditava que eu era pai! E era de uma menininha linda!

Eu entrei, subi as escadas com Alice e Flora, podendo agora ajeitar a menorzinha dentro do quarto de hóspedes a deitando e deixando agora Alice se aproximar para tirar os sapatinhos dela. Em seguida ela a cobriu e deu um beijo na testa de Flora.

Eu molhei meus lábios olhando a cena e logo olhei Alice que virou para me olhar. O jeito sem graça dela me encantava! Mas eu não podia demonstrar isso, na verdade não posso demonstrar que senti saudades dela.

Alice: Ela não deve demorar para acordar...

Ela falou querendo desviar já o assunto e eu ri fraco negando com a cabeça. Eu te conheço Alice! Sei quando quer fugir de algo.

-Tudo bem... Vamos descer. Depois subimos para ver ela.

Falo da porta do quarto, vendo ela assentir totalmente decepcionada por perceber não ter escapatória daquela tal conversa e passa por mim em seguida. Sim, eu dei uma bela olhada na bunda dela quando a mesma passa por mim e suspirei fundo. Realmente é de sentir saudades! Aquele vestidinho apertado no corpo dela só estáva atrapalhando minha vida.

Alice Salvatore Peters on.

Dentro daquele carro foi um vexame! Flora puxou para baixo meu vestido e foi mamar na frente de Bieber! Sim, na frente do Bieber!Ela faz isso. Bem, ela sempre fez, mas sempre quando estávamos sozinhas já que vivíamos sozinhas. Eu não imaginava passar por aquilo na frente de Justin.

Eu estáva com tanta vergonha que eu não conseguia o olhar, eu não acreditava na verdade naquela situação! Foi realmente embaraçosa.

Chegamos na casa de Justin com ela apagada em meu colo e a levamos para o quarto de hóspedes. Depois disso, descemos juntos para a sala e Justin acabou me oferecendo whisky antes de se servir e poder sentar no sofá. Estávamos agora um de frente para o outro com apenas uma mesinha em nossa frente.

Justin: Quando você pretendia me contar que eu era pai... Alice?- Ele foi direto ao ponto.

Justin estáva sério me olhando com um copo de whisky na mão dele depois que o mesmo o encheu antes de sentar no sofá. Eu tinha recusado a bebida ou qualquer outra.

-Talvez... Nunca?- Falei isso vendo ele erguer uma sombrancelha com o meu sarcasmo na voz. Mas no fundo tinha uma pitada de verdade.- Não sei Justin. Eu não... Não me senti pronta... Para...

Eu tentava falar, achar palavras para dialogar com ele mas sempre fugiam de meus lábios.

Justin: Não se sentia pronta para falar que eu era pai? Que você teve um filho comigo?- Sim, ele estáva puto e era visível. Eu não tirava sua razão. - Eu perdi um ano de vida da minha filha por você não se sentir pronta?

Ele jogou a merda de uma vez na minha cara e o que eu fiz foi apenas abaixar a cabeça totalmente sem graça. Toda a pose séria que eu tinha ia embora magicamente sempre que Justin falava algo. Eu odiava o fato de ele ainda ter de certo modo um "poder" sobre mim e minhas escolhas. Eu sou um desastre mesmo.

Eu juntei minhas mãos mexendo meus dedos uns sobre os outros totalmente nervosa e desconfortável, minhas mãos estávam em cima de minhas coxas e minha cabeça estáva baixa. Meu corpo mostrava esse desconforto.

-Me desculpe por isso...

Eu falei baixinho aquilo realmente arrependida e o olhar dele continuava a queimar sobre mim. Ele observava cada movimento que eu fazia em sua frente.

Justin: Você amava o Evan?

Ele perguntou sem ao menos responder meu pedido de desculpas e agora eu o olhei. Justin estáva realmente vidrado em mim agora esperando minha resposta.

-Como tio.

Falo firme encarando ele e o mesmo revira os olhos rindo fraco pelo nariz. Justin levanta:

Justin: Você só pode está brincando comigo, Alice.- Ele falou totalmente puto.- Tenho que te lembrar o que ele fazia com você? Suas madrugadas chorando? Ou você só se fazia de coitada mesmo? -Ele responde extremamente grosso e rude comigo.

-Você não conhecia ele, Bieber.

Eu falei revidando e levantei ficando cara a cara com ele. Justin acabou se aproximando de mim puto também, dando a volta pela mesinha de centro para poder ficar mais próximo de mim. É, não acabaria bem aquilo.

Justin: E não queria ter conhecido aquele desgraçado.- Ele falou travando o maxilar bem perto de mim.- Você dormiu com ele, né? Andava dormindo com ele?- Justin soltou uma risada fraca com certo desânimo na voz.

Era só o que me faltava! Justin falando que eu dormi com Evan era a coisa mais absurda que eu estáva ouvindo hoje! Tudo bem que todos achavam isso, achavam que eu tinha transado com Evan, mas não. Eu nunca dormi com Evan.

- Não Bieber. Eu não dormi com ele! Ao contrário. Ele me respeitou depois que soube da grávidez e isso foi depois que te expulsei da casa. Ele queria assumir a Flora antes de morrer.- Falo seca jogando aquilo na cara dele sem medo algum. Não tinha motivos para ter medo.- Ele não... Era um monstro.

Eu sabia do que eu estáva falando e eu sabia que Evan não era um monstro como eu achava nesses anos em que vivi junto dele!  Evan queria amor, ele queria atenção e atenção minha. Eu sei que o que ele fazia era imperdoável, mas não posso simplesmente ignorar que ele tinha um jeito diferente de amar. Todos nós temos nossos jeitos de amar e sempre um diferente do outro. Por que as pessoas simplesmente não entendiam isso?

Justin: Não era um monstro, Alice?!- Sim. Era notável sua indignação na voz e ele acabou se exaltando, começando a rir de nervoso.- Estámos falando do mesmo Evan? Aquele que tentou te estuprar diversas vezes? Aquele que te batia? Humilhava? Xingava?

Justin jogava aquelas coisas, me fazendo respirar fundo travando meu maxilar olhando para um ponto específico e de braços cruzados, logo voltei minha atenção para ele. Eu não estáva gostando do rumo daquela história.

-Exatamente. Estámos falando do cara que fez tudo isso e claro que você não iria entender, Bieber.- Falei rude.

Juro que a cara de indignação de Justin foi tanta que achei que tivesse xingado a mãe dele aquela hora após eu liberar aquelas palavras de meus lábios.

Justin: Então por favor Sra.Peters! Me explique o que eu não entenderia. Quero tentar entender um pouquinho do que se passa na sua cabeça mesmo depois de todos esses anos ele te dando a plena certeza de que nunca foi uma boa pessoa!

Justin tinha raiva, tinha magoa, tinha nojo em sua voz! Eu o entendia já que por anos eu tive a mesma visão que ele tinha sobre Evan. Mas seus últimos dias de vida o fez se tornar outra pessoa, uma pessoa boa posso arriscar dizer.

- Nesses últimos dias ele mostrou diferença no comportamento, ele estáva pedindo uma segunda chance.- Falei vendo Justin sério aquele momento apenas me observando e eu suspiro fundo.- Eu dei uma segunda chance para ele e... E agora ele foi embora.- Falo mostrando está sentida com aquele assunto e eu estáva.- Eu não devia ter sido tão rude... Cega por não perceber todo esse tempo Bieber. Ele só queria amor...

Falei aquilo deixando que o silêncio tomasse conta daquele ambiente e eu fico de costas agora podendo abraçar meus braços. Eu não conseguia falar sobre Evan e esse ocorrido sem me sentir culpada! Por minha culpa ele está morto agora. Eu desejei isso tanto que acabou acontecendo, só que não foi no tempo que eu queria.

Justin: Evan não foi uma pessoa boa... Alice.- Ele falou dando uma breve pausa enquanto eu estáva de costas para ele.- Um ato nobre que ele te fez uma vez apenas não vai mudar os seus 6 anos junto dele.- Ele falou calmo e eu pude o olhar.- Você não sabe como ele seria depois que o bebê nascesse... Quando Flora nascesse e ele estivesse vivo... Já parou para pensar nisso? E se ele fizesse com ela tudo o que ele fazia com você... Alice?- Ele riu fraco e nega com a cabeça.- E se a nossa bebê fosse o próximo alvo dele?

Aquilo me deixou pensativa e sim. Justin tinha razão! Evan era bipolar e eu sabia disso. Bem, eu deveria ter pensado nisso já antes. Como pude me cegar nesse ponto? Droga, eu estáva tão confusa! Era muito para que eu pudesse processar no momento.

-Eu não sei o que falar.

Eu falei baixo mostrando está pensativa ainda. Minha cabeça estáva a milhão com aquela história na verdade. A verdade era que eu me levei mais uma vez por apenas um ato de Peters! Um ato de muitos outros. Acho que estáva carente demais no quesito de confiança já que Bieber acabou com toda a que eu tinha nele.

Justin: E não deveria também. - Ele falou me fazendo ficar mais perdida do que eu já estáva.- Olha, Alice. Pessoas são imprevisíveis.- Justin falou aquilo se aproximando mais de mim aos poucos e nesse momento eu acabei respirando fundo já em meu limite.- Ele era imp...

Antes que ele falasse qualquer coisa a mais eu acabei o cortando.

-Já chega Justin.- Eu falei em um tom sério e seco olhando o nada, logo em seguida olhei ele.- Evan não era a melhor pessoa do mundo, mas isso não te torna um santo.- Disse ainda em um tom seco.

Eu ainda tentei achar algo que pudesse defender Evan de alguma forma. Vejo agora Bieber soltar um sorrisinho fraco seguido de uma risada nasalada baixa como reação das minhas palavras.

-E não te torna uma santa também, Salvatore.- O mesmo me calar novamente com suas palavras.- Mas nos conhecemos o suficiente ao ponto de ter certeza de que não faríamos nenhum mal a nossa filha.- Ele aproveita da situação levando uma de suas mãos até meu rosto, tratando de o trazer mais para ele, deixando nossos lábios bem próximos. O desgraçado ainda soltou um sorrisinho com a respiração próxima da minha.- Ah morena... eu sempre adorei esse seu perfume.- Justin passou calmamente a ponta de seu nariz por minha bochecha bem próximo de mim.

Justin me deixa totalmente arrepiada! Fecho meus olhos com nossas respirações se misturando e seus lábios bem próximos dos meus. Minha cabeça estáva a milhão e eu sabia que não resistiria aos encantos dele, aos encantos de Bieber. Sabe quanto tempo estou sem sexo? Bem, a última vez está prestes a fazer um ano e está lá em cima no quarto de hóspedes! Mas eu precisava ser forte. Ele só queria se aproveitar de mim.

-Quer que eu pegue uma cerveja para você?- Corto totalmente o clima.- Droga estou com tanta sede!

Disse ágil me afastando do mesmo com intenção de me livrar do charme que tanto aquele desgraçado tinha.

Eu odiava ficar a mercê dos toques dele! Justin sabia meus pontos fracos e usava isso, mas não posso simplesmente me dar o luxo de voltar assim para ele. Não depois de tudo o que ele fez! Eu estáva meio desnorteada por está em um puta fogo. Sim, se ele respirasse perto de mim era capaz de eu subir nele! Isso não é brincadeira e é algo que não pode acontecer. Eu não posso permitir ser tão fácil para ele.

Acabei indo em direção da cozinha com minha respiração um pouco descompensada por aquele momento ter sido algo bastante intenso para mim e assim que entrei na cozinha, o inesperado acontece.

Bieber acabou me puxando pela nuca, me fazendo arfar baixinho quando minhas costas bateram contra o peitoral dele e por fim o mesmo me virou para o olhar. Droga, eu não iria aguentar!

Justin não falou, mas sim agiu tomando meus lábios para ele em um beijo gostoso, feroz e quente também! Me colocando contra a ilha da cozinha e ficando entre minhas pernas.

É, não foi dessa vez que eu consegui dizer não.


Notas Finais


O que acharam? Mais capítulos esperam pela frente! Haha.☺️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...