1. Spirit Fanfics >
  2. Love Affairs >
  3. Nas terças nós assistimos filmes

História Love Affairs - Capítulo 1



Notas do Autor


Eai Sopeanes do meu coração, como vocês tão?
Espero que estejam bem, se alimentando, se cuidando nessa quarentena, lavando as mãos sempre e usando álcool em gel.
Essa é mais uma historia em parceria com a @JinWorld, projeto que nós da @SopeWorldPjct amamos e damos mto apoio❤

Enfim, espero que gostem e nos vemos lá em baixo🥰

Capítulo 1 - Nas terças nós assistimos filmes


Fanfic / Fanfiction Love Affairs - Capítulo 1 - Nas terças nós assistimos filmes

— Então… — Yoongi começou, com o controle remoto na mão, procurando algum filme de terror no catálogo da Netflix. — Qual vai ser hoje? Invocação do mal?


Anii! Não iremos assistir terror, Yoonz. — Hoseok disse vindo da cozinha com um balde de pipoca.


— Hoje é terça, Hobi, você prometeu que nas terças iremos ver filmes de terror e nas quintas comédia romântica, como você queria. — Explicou com os olhos cravados na tela, atrás do filme.


Já faziam meses que se encontravam assim, nas terças e quintas inventavam de assistir um filme ou série, nas sextas saíam pro Happy hour. Yoongi morava duas quadras de distância do Jung, mas isso não queria dizer que ele ia sempre para casa, na maioria das vezes dormia com o rapaz, às vezes nem dormiam. O começo daquela relação foi depois de uma das festas do batalhão, onde Hoseok encheu a cara e acabou sendo levado para casa pelo Min, a fim de dar um banho no rapaz, o mais velho lhe levou ao banheiro e foi aí que tudo rolou, Hoseok lhe agarrou e beijou intensamente. Era claro que o menor lhe deu um banho e colocou ele para dormir depois disso, se preocupou em como ia ser depois daquele ocorrido… Yoongi sempre pensava demais, era uma das várias coisas em comum que tinha com o moreno, acabou por deixar rolar e assim se passaram os dez meses.


Hoseok se sentou ao seu lado e encheu a mão de pipoca enfiando tudo na boca em seguida e mastigando.


— Hum, que tal fazermos algo mais produtivo? — O moreno questionou em um tom baixo e inocente, Yoongi lhe olhou curioso vendo que, o mesmo deixou a bacia de pipocas na mesinha de centro.


Ele se sentou no colo do Min e lhe beijou intensamente, as mãos de Yoongi foram na sua cintura colando os corpos e se recostando no sofá.


— Acho que podíamos fazer algo diferente, disso. — Se referiu a ir para cama com o mais novo. Hoseok continuou com os braços apoiados nos ombros do Min e apenas se distanciou.— Eu andei pensando.


— Woah, Min Yoongi andou pensando. — Hoseok zombou arqueando uma das sobrancelhas.


O loiro revirou os olhos e continuou com o que estava a dizer.


— Estive pensando, meus pais irão vir de Jeju semana que vem, foram para a segunda lua de mel deles… — O rapaz deu uma pausa, fitando o Jung. — Pensei em irmos visitá-los. Você ir junto… Como meu namorado. — Hoseok parou de respirar assim que o mais velho terminou de falar.


Se sentiu trêmulo, Yoongi estava mesmo lhe convidando para conhecer os Min, para se assumir com o seu apoio… Tudo o que o Jung mais temia era aquilo, o medo deles não aceitarem que o filho gostava de homens, medo deles machucarem o loiro. Sempre teve um lado protetor com o Min, desde que se conheceram.


Saiu do colo de Yoongi e se sentou ao seu lado.


— Acho que está cedo. — Respirou fundo. — Estamos a poucos meses… Juntos.


Não tinham dado nome ao que tinham, não era público, não era oficial, estavam acostumados a aquela rotina, trabalhar junto, ir para casa junto, transar as vezes, olhar filmes, agir como casal, mas nada de rotular aquilo. Nada de deixar explícito, era confuso, mas nunca pararam para conversar sobre e ter o mais velho querendo oficializar aquilo era algo surpreendente.


— Cedo? Dez meses é cedo para você? — Yoongi questionou arqueando uma das sobrancelhas. 


— Só acho que estamos dando um passo largo demais, Hyung. — Murmurou nervoso, se levantando e indo até a cozinha, Yoongi lhe seguiu rápido.


— Qual é, já esta na hora de assumirmos o que temos, não acha? — Perguntou vendo o rapaz servir refrigerante em um copo no balcão da pia. — Ou iremos só… Ficar nessa? 


— Não era o que você queria? — O Jung perguntou indo até a geladeira. — Não está satisfeito com o que temos?


— Estou. — O Min murmurou tombando a cabeça para o lado. — Mas por que não podemos mudar?


— Porque foi isso que combinamos. — Hoseok disse baixinho, encarou os olhos castanhos claro e suspirou. 


E se depois disso o Min quisesse conhecer seus pais também? Deus! Ia ser um caos total seus pais terem a notícia tão de repente, principalmente sua mãe, que era bem conservadora.


— O que combinamos? — Perguntou o loiro.


— Combinamos de  passarmos um tempo juntos sem preocupações, de… ajudarmos um ao outro para nos aliviar. — Disse a última frase baixinho.



— E você não quer mais que isso? Não quer deixar de ter que se esconder? — Perguntou novamente fazendo o mesmo se encolher.


Hoseok sentiu os olhos do mais velhos lhe encarar intensamente, sabia que o mesmo estava empolgado com aquele plano, mas não queria lhe ver mal, não queria ver o Min preocupado com o que os pais iriam dizer a ele, ou com o que seus amigos iriam pensar. Decidiu arriscar, amava-o demais para aquilo.


— Não. — Respondeu. — Estamos bem assim, não acha? — Perguntou depois de um tempo e Yoongi soltou um riso breve, negando de leve com a cabeça. — Apenas, nos ajudando quando nos sentimos necessitados.


— Se você acha. — A voz amargurada se fez evidente. Sentiu-se insuficiente, se o Jung não queria tornar aquilo oficial, era por que não era correspondido no que sentia. Se sentiu um tanto aborrecido. — Vou para casa, está tarde. — Avisou virando-se para a sala.


— Mas… Não íamos assistir o filme? — Hoseok questionou seguindo o mais velho até a porta do apartamento.


— Você não gosta de assistir terror e não vou te obrigar a nada. — Respondeu colocando a jaqueta jeans claro. — Amanhã nos vemos, no trabalho.


Hoseok apenas assentiu, sério. Não sabia o que fazer, Yoongi pegou as chaves e o telefone que tinha deixado no hall, colocou o tênis e saiu sem dizer mais nada.


Era tão claro que o mesmo estava chateado, Hoseok sabia disso, se sentou no sofá e encarou a bacia cheia de pipoca. Tentou ser esperançoso em que o Min ia mudar de ideia. Ao chegar na delegacia, no dia seguinte, encontrou apenas Suran, a moça que trabalhava no atendimento.


— Bom dia, Seok. — A menina disse sorrindo fraco.


— Bom dia, Su… — Respondeu, olhou para os lados e não encontrou o parceiro. — O Yoonz ainda não chegou?



— Uh, ainda não. Aliás, vocês tem que acompanhar um caso hoje, ele... — Foi interrompida pela presença do Min. — Ah, aí está você. — Falou vendo o mesmo se aproximar no balcão. 


— Oi. — Hoseok disse baixinho, vendo o mesmo apenas fazer um aceno com a cabeça.


Achou estranho o Min não lhe dizer nada, ou abrir um sorriso quando lhe viu, pois mesmo de mau humor sempre fazia isso. Virou-se para Suran e tentou não focar naquilo, afinal teriam tempo para conversar na viatura.


— O caso quarenta e cinco. — Começou Suran, colocando uma pasta na frente dos dois. Yoongi a abriu e folheou. — O caso é sobre uma mulher que recentemente encontrou um cadáver, já em decomposição no porão da empresa do KangChan, alguns policiais já estão no local desde de manhã, mas precisam de reforços, já que tem muitos repórteres e fotógrafos a fim de adentrar o local. — Explicou. — Senhor Hyun mandou eu lhes entregar essa pasta para dar ao inspetor do caso.


— Claro. Iremos entregar. — Hoseok afirmou e a mesma assentiu.


— Bom trabalho. — Desejou e Yoongi sorriu fraco.


— Obrigado, noona. — Chamou baixinho saindo do local sem nem trocar algum olhar com o mais novo, o que afetou bastante o moreno.


Entraram na viatura e Yoongi colocou a pasta no banco de trás, colocou o cinto e ligou o motor.


— Está tudo bem? — Hoseok perguntou depois de vê-lo manobrar o carro.


— Está. — Falou baixo, sem interesse. Hoseok olhou para as próprias mãos caídas no colo, os dedos nervosamente brincando um com o outro. — E com você?


— Também. — Respondeu. O trajeto foi silencioso o bastante para o Jung se irritar com aquilo.


 Quando a viatura parou perto de um prédio cercado de outros veículos com outros colegas de trabalho, Yoongi ficou em silêncio e observou o carro a frente, tinha vontade de conversar com o mais novo, de perguntar como foi a sua noite como sempre fazia quando não dormiam juntos, porém tinha uma dignidade, um orgulho no meio de tudo, e além disso estava aborrecido com a decisão do Jung de não dar um passo na relação deles.


— O que aconteceu? — Hoseok perguntou tirando o rapaz do seus devaneios.


— Como? — Perguntou surpreso.


— O que aconteceu para você estar assim… — Jung não soube se expressar e logo bufou. — Você está estranho.


— Não sei do que está falando. — Murmurou rouco, abrindo a porta do carro.


— Você está quieto. — Retrucou cruzando os braços.


— Eu sou quieto. — Yoongi rebateu saindo do carro.


Hoseok sabia que aquilo em parte era verdade, mas sabia também que quando o mais velho estava com ele era totalmente diferente, sorria, brincava, ria e até falava pelos cotovelos.


Assim que saiu do carro procurou o inspetor junto com o Min, logo um homem alto em meio aos policiais se aproximou do dois. O cabelo castanho claro, quase loiro, os lábios grossos e o nariz levemente afilado, tinha um porte de modelo, mas se vestia simples, de jaqueta jeans preto e uma camiseta branca assim como o jeans que era claro também.


— Hyung? — Yoongi chamou descrente. — Você está trabalhando aqui?


— Yoonie? Woah! — Sorriu e abraçou o mesmo rapidamente. — Faz tanto tempo que não te vejo.


— Verdade… Desde… — Yoongi parou para pensar.


— Desde a formatura. — Completou e os dois sorriram. 


— Isso, desde a formatura. Nossa faz tanto tempo. — Murmurou nostálgico. Hoseok observava a conversa e a mudança de humor do Min de perto.


— E quem é o seu parceiro? — Seokjin perguntou curioso.


— Ah, esse é o policial Jung Hoseok, meu parceiro de trabalho. — Disse se distanciando, o moreno se curvou para Seokjin e o mesmo retribuiu.


— Prazer, hyung. — Hoseok disse sorrindo agradável.


— Prazer, me chamo Kim SeokJin. Inspetor da corporação da décima quarta delegacia de Daegu. — Disse formalmente, com a sua voz grave.


— Viemos lhe entregar a pasta do caso. — Yoongi avisou e Hoseok deu a pasta ao mais velho.


— Uh, muito obrigado. — Disse abrindo a pasta.


Ambos observaram alguns policiais saindo do prédio enquanto o Kim lia algo importante naqueles documentos.


— Tudo certo até por onde eu li… — Murmurou fechando a pasta. — Vai almoçar onde hoje? 


— Uh? — Yoongi levantou o cenho meio perplexo. — Falou comigo?


— Uhum. — O Kim resmungou. — Quero almoçar com você, como nos velhos tempos.


— Ah… Eu almoço sempre no Zione. — Informou.


— Ótimo, nos vemos lá ao meio dia? — O mais velho perguntou olhando o relógio no pulso.


— Claro. — Yoongi disse empolgado, mas logo se arrependeu, pois viu Hoseok lhe encarar curioso.


— Foi um prazer conhecer você, policial Jung. — Seokjin se curvou para o mais novo que fez o mesmo rapidamente e sorriu brevemente.


Logo depois que voltaram a delegacia, Suran os designou a uma outra ocorrência, que os levou a ficar até o horário do almoço na rua.


— Irá almoçar no Zione, com o Jin-hyung? — Yoongi perguntou pela primeira vez aquela manhã.


— Ahn… Pode ser. — O moreno murmurou e observou o loiro dirigindo.


Ao chegarem no restaurante se sentaram um ao lado do outro e logo Seokjin apareceu, se sentou de frente para os dois policiais e começaram a conversar, em alguns determinado momentos Hoseok apenas ficava calado, observando o Min e pensando em várias possibilidades do porquê ele havia mudado de humor. Quando terminou o horário do almoço e o trio acabou de almoçar, Hoseok entrou primeiro no carro e Yoongi parou ao lado do inspetor para se despedir, mas teve uma surpresa.


— Há quanto tempo o policial Jung gosta de você? — O Kim perguntou descaradamente.


— O que? — Yoongi quase gritou, com os olhos arregalados. Seokjin não havia mudado nada, continuava mais observador do que nunca.


— Qual é, o cara passou o almoço lhe comendo com os olhos e mal tocou na refeição, Yoonie. — SeokJin o relembrou.


— Ah… — Yoongi não sabia o que dizer, pois estava envergonhado e também não tinha prestado atenção que o Jung lhe observou tanto. — Ele não gosta, só… As coisas são complicadas entre nós. Ele deve ter notado que não quero conversar.


— Uh… — SeokJin murmurou. — Então estão em meio de uma DR? — Questionou vendo o mais novo estalar a língua no céu da boca, e observar Hoseok dentro da viatura, de cabeça baixa.


— Não estamos em DR, porquê não temos um relacionamento. Ele não quer isso, só quer… — Se virou para o acastanhado e negou. — Podemos falar de outra coisa? — Perguntou desconfortável. Era muito raro se abrir para alguém.


— Claro, mas agora preciso ir. Passo no seu apartamento hoje a noite, ok? Vou levar uma cerveja. — Avisou dando tapinhas nas costas do Min.


O mais novo entrou no carro e dirigiu até a delegacia em silêncio, outra vez. Hoseok não puxou algum assunto sequer, estava mais pensativo e receoso, e Yoongi não fazia questão. No final do expediente, foram ao vestiário trocar de roupa, ambos com os armários perto.


— Vai para casa? — Hoseok perguntou olhando para os lados, percebendo que só havia os dois ali naquele cômodo.


— Sim. — Yoongi respondeu abotoando a camisa azul claro. — Jin-Hyung vai para lá, tomar uma cerveja.


Hoseok assentiu com a resposta e decidiu não perguntar mais sobre alguma coisa. Acabou por ir ao sushi perto da delegacia e buscar algo para comer em casa.


[...]


— Então vocês trabalham juntos, dormem juntos, fazem tudo juntos, mas ele não quer oficializar? — SeokJin perguntou com uma garrafa de Soju* na mão.


— Ele só quer alguém para isso, se gostasse de mim não ia pensar duas vezes.


— Hm, acho que não, Yoon. — SeokJin deu uma pausa, bebendo um pouco do líquido com álcool. — Joon demorou três anos para me pedir em casamento, por conta dos amigos, tinha vergonha de se assumir.


Yoongi ponderou e negou em seguida.


— Seok não é assim, ele não ia recusar por conta dos amigos, afinal ele só tem um das aulas de dança, o tal Yugyeom. — Contou.


— Talvez seja por outra coisa. — Especulou o mais velho.


— Então ele que me dissesse, porra. — Resmungou irritado. — Não devia ter feito o convite a ele… Sou tão burro. 


— Aish. — Seokjin fez uma careta. — Não aja assim, não é verdade.


— Tanto faz. E você e esse cara? Vão mesmo casar? — Yoongi perguntou deitando no sofá.


— Vamos, e você vai ser o padrinho. — Avisou fazendo o mesmo se levantar rápido. — Até acho que devíamos ir em uma boate na próxima semana, pra minha despedida de solteiro. 


O Min gargalhou, SeokJin odiava boates e agora queria ir em uma. Assentiu e parabenizou antes de agradecer por ter convidado a uma função tão especial no casamento. Acabaram a noite dormindo no sofá, bêbados.


Nos próximos dias, as coisas continuaram iguais, Yoongi mal conversava com o Jung, e quando era questionado do que ia fazer no final do dia, o mesmo falava que tinha sido convidado para fazer algo com o Kim. Hoseok se sentiu deixado de lado até mesmo no happy hour quando o loiro decidiu ir em um restaurante com o inspetor. 


Por mais que sentisse falta de Hoseok com aquelas músicas animadas demais, com o tom de voz alto e as brincadeiras idiotas, Yoongi não ia dar mais chance para voltarem a ter algo, pensou bastante durante aqueles dias que passou distante, estava na hora de encontrar alguém que lhe quisesse de corpo e alma e que enfrentasse os obstáculos junto consigo. Coisa que Hoseok não queria fazer por não gostar dele suficientemente, no seu ponto de vista.


Na terça feira o Jung arrumou todo o apartamento, era dia de filme, algo que sempre fizeram juntos, então fez pipoca, colocou um cobertor no sofá sabendo que o Min era friorento e esperou, esperou e, esperou. Depois de uma hora e meia do horário que o loiro sempre aparecia, Hoseok decidiu ligar, o telefone tocou uma, duas vezes, até que o som alto do outro lado da linha se fez presente, Hoseok franziu a testa estranhando aquelas músicas.


— Gi? — Chamou em um fio de voz.


— Hm… Oi, Seok, aconteceu alguma coisa? — A voz rouca e arrastada de Yoongi lhe dizia duas coisas, ou que ele havia acabado de acordar, ou que estava bebendo.


O mais novo nem conseguiu focar muito no seu timbre, apenas no "aconteceu alguma coisa?". Fala sério, o Min não tinha parado com aquilo ainda? Aconteceu alguma coisa… Aconteceu alguma coisa. Era claro que tinha acontecido alguma coisa, porra. Hoseok estava a ponto de explodir pelo gelo que estava levando além do bolo.


— Onde é que você está? — A pergunta em um tom seco foi proposital. Cansado daquilo, estava decidido a dar um fim.


— Ah, eu vim em uma boate com o hyungie. — Chamou carinhosamente, o rosto do mais novo começou a esquentar e mesmo sentado no sofá da sala daquele antigo apartamento, sentiu-se patético.


Por que não enfrentou todos pelo mais velho? Por que não disse o "sim", era tão simples dizer, ele amava Yoongi então porque não estar ao lado dele e mostrar isso? Hoseok sempre tinha tantas perguntas na cabeça, a maioria era inseguranças. Medo de perder Yoongi, medo do mais velho sofrer com o preconceito na família quando se assumissem um casal homossexual em plena Coréia do Sul com as duas famílias conservadoras e a profissão que com certeza não iria apoiá-los.


— Sério? — Questionou em um tom firme, com raiva. — Esqueceu do nosso compromisso? — Questionou negando com a cabeça.


Ora, estava com tanto ciúmes daquele Kim, que não queria o ver nem pintado.


— Qual compromisso? — Questionou o Min em um tom inocente, logo se escutou a voz de Seokjin perguntando se o loiro não ia dançar, escutou Yoongi dizer um "Ya, não beba tanto, não vou te carregar para minha casa como da última vez."


Inferno, o que estava acontecendo? Hoseok queria gritar e iria fazer isso!


— Nenhum. Quer saber Min Yoongi? Não temos nenhum compromisso, se divirta onde quer que você esteja. — Disse e nem sequer esperou por resposta, apertou fundo o botão do telefone residencial e o jogou no sofá ao lado.


Soltou um grito estridente fazendo até Mickey latir assustado. Fitou o animalzinho que lhe observou e voltou para a caminha. Seus olhos logo começaram a lacrimejar, se sentiu estúpido por tudo que estava fazendo, se martirizando ao último se deitou no sofá com a cabeça em uma das almofadas e abraçou o próprio corpo, um tanto melancólico. Estava tudo acabado, Yoongi não ligava mais para si, havia perdido o Min para o projeto de Ken coreano, porque fala sério, como aquele homem ia trabalhar daquele jeito? Ele ia com aquele cabelo para trás, com um penteado diferente do padrão dos inspetores, para conquistar alguém, e de certo modo deve ter conquistado Yoongi.


Alguns minutos se passaram, o bastante para a campainha tocar naquele silêncio, o Jung se levantou sem ânimo nenhum e limpou o rosto, esperava que fosse o porteiro perguntando que gritaria era aquela as dez da noite, já que seus vizinhos viviam reclamando do som alto dos ensaios do Jung. Quando abriu a porta viu Yoongi. A camiseta listrada horizontalmente de vermelho vinho fedia a álcool, assim como a calça jeans clara arremangado nas canelas mostrando a meia branca com o all star. Nunca tinha visto o mais velho daquele jeito despojado e arrumado, tentou não focar naquelas roupas casuais e em como lhe caía bem, encarou os olhos pequenos e afiados e arqueou uma das sobrancelhas, ainda tentando passar a visão de quem não queria saber dele.


— O que faz aqui? — Perguntou segurando a porta, o Min revirou os olhos e desviou dele adentrando a sala, colocou as mãos no bolso e sentou na beirada do encosto do sofá.


— Você disse que tínhamos um compromisso… — Murmurou vendo o Jung fechar a porta e cruzar os braços, indo até si. — O que era?


— Não importa. — Murmurou negando em sua frente.


— Claro que importa. — Disse rapidamente. — Você está irritado comigo. — Hoseok encarou seus olhos por um tempo, antes de responder.


— Hoje é terça feira. — Começou e o Min arqueou uma das sobrancelhas em sinal de interrogação.


— E?


—  Nós sempre assistimos aqueles filmes de terror, nas terças. — Respondeu o óbvio e Yoongi deu de ombros. Aquela pose de tanto faz só estava deixando Hoseok mais irritado.


— Você nem gosta de filme de terror, cada vez que vamos assistir acaba com… — O mais velho não continuou a falar, apenas encarou o Jung que continuava a manter a mesma postura. — Não é sobre o filme nas terças. — Afirmou, notando do que se tratava.


Estava claro agora, o rapaz tinha ficado afetado demais com suas mudanças de comportamento. Não pensou que ia chegar a tanto.


— É sim. — Respondeu rouco, mesmo sendo uma afirmação.


— Não. — Rebateu e tombou a cabeça para o lado, analisando os lábios crispados do acastanhado e os olhos apertadinhos em sinal de irritação. — Está tentando mentir logo para mim?


— Até quando vai continuar com essa idiotice? — Perguntou de uma vez e viu o Min sorrir. Aquilo… Aquele homem estava sendo petulante demais em sua própria casa.


Quando se virou em direção a porta para mandá-lo para rua, foi segurado abruptamente. 


— Você quer falar em códigos e quer que eu simplesmente entenda?


— Não é como se você não fosse entender rápido, aliás se não entender, chame SeokJin-ssi. 


Ótimo, mostrou o tom de raiva na sua fala ao se referir ao Kim. Yoongi lhe soltou e cruzou os braços, dando um sorriso fraco.


— Então isso tudo é pelo Jin-hyung? — Questionou risonho.


— Me diga você. Ele chegou e você só faltou se deitar no chão e deixá-lo passar por cima.


— Ya! Não fale desse jeito. Não use esse tom comigo. — Disse firme após escutar o tom superior do Jung. — Você que não me quis. — Deixou claro depois de um tempo. — Você que começou com isso tudo.


— Eu? — Hoseok questionou irritado.


— Sim. — Afirmou rápido ainda encarando o mais novo. — O que tem de mal em eu sair com outras pessoas? Você mesmo disse que não temos nada e que achava melhor não aprofundar o que sei lá que tínhamos. 


Hoseok bufou.


— É por isso que tem me ignorado? Porque quer que eu conheça seus pais? Quer que nos tornemos público? 


— Sim. — Disse simplista. — Mas já tirei a ideia da cabeça a partir do momento que você disse que não queria, que achava melhor só… transarmos.


Hoseok suspirou baixo e negou.


— Não quis dizer isso.


— Uh, não foi o que pareceu quando disse com todas as palavras. — Disse em um tom zombador.


— Não quero ver você sofrendo preconceito na sua família por minha causa. — Desabafou. — Não quero as pessoas te olhando torto, hyung. — Cochichou passando as mãos pelo rosto, cansado daquela situação. — Eu amo você, não quero te perder e não quero que se machuque. 


— Não aja como se fosse culpado de algo. — O Min sussurrou e respirou fundo. — Não é por você que estou fazendo isso. — Avisou. — Na verdade, em parte é. Porque não quero mais esconder o que temos. — Deu uma pausa. — E por mim, porque estou cansado de viver escondido, de não poder ser quem eu sou de verdade. Por não poder ser eu mesmo quando estou com você.


Depois daquela resposta, Hoseok fungou chorando baixinho. As lágrimas escorriam de seus olhos.


— Então não complique as coisas, não ache que a opinião deles irá me afetar tanto, pois não irá. Estarei com você. — Se aproximou acariciando o rosto do Jung com as duas mãos. — Você sempre vai ser meu porto seguro, Seokie. — Cochichou puxando ele para um abraço, o acastanhado nada disse apenas abraçou a cintura do Min e afundou o rosto no seu pescoço.


— Você é o meu porto seguro também. — Murmurou contra a pele branquinha. Depois de um tempo abraçados, Hoseok inalou o cheiro de álcool no mais velho e fez uma careta se distanciando. — Está fedendo a bebida.


Yoongi riu. Podia tomar apenas uma cerveja e já estava fedendo a álcool, puxou o mais novo para um beijo com a mão na sua nuca, fazendo um breve cafuné nos fios curtos que estava ali. Quando cessaram o beijo lento e cheio de carícias, Hoseok passou a beijar seu pescoço dando leves chupões ainda abraçando seu corpo, logo escutou a risadinha do loiro.


— O que foi? — Perguntou entre os beijinhos que deixava na pele desnuda. Yoongi se segurava em seus braços quando se distanciou.


— Hoje é terça e vai acabar como as outras terças. — Disse, fazendo Hoseok arquear uma das sobrancelhas.


— Você quer…? —  Perguntou, Yoongi inclinou a cabeça para o lado e aproximou o nariz da pele morena, roçando de leve. 


— Uhum. — Resmungou, inalando o perfume doce do Jung. 


Hoseok segurou seu rosto com as duas mãos distanciando do seu pescoço e selando seus lábios novamente, dessa vez em um beijo afoito, puxou o garoto para o quarto e lhe jogou no meio da cama ficando por cima de seu corpo. Ambos se encararam intensamente e Yoongi lhe puxou para continuar o que começaram na sala. 


Aos poucos as roupas estavam no chão daquele cômodo meio escuro, Hoseok pegou da gaveta o lubrificante que sempre usava e uma camisinha, deu nas mãos do Min que se sentou com o moreno no meio de suas pernas, logo que colocou um pouco de líquido na palma da mão, começou a bombear o membro  alheio que já estava duro. Entre beijos que trocavam no meio daquela masturbação, o Min sentiu Hoseok gemer na sua boca, se distanciou – não muito – para vê-lo e acabou se sentindo mais sedento por aquilo. Hoseok estava com uma expressão sexy, mordendo o lábio inferior.


Yoongi não perdeu tempo e se deitou na cama, abandonando o pau do parceiro, o mesmo se posicionou de joelhos entre as pernas do branquelo e catou na cama o lubrificante, colocou um pouco no dedo e rodeou a entrada do Min, vendo-o suspirar, em seguida o penetrou devagar, conseguindo entrar aos poucos na cavidade quente do mais velho. Escutou gemidos baixos até estar completamente dentro do loiro, se debruçou por cima de dele e sem rodeios, começou a estocar. Os gemidos do Min eram totalmente de prazer, ele puxava o cabelo de Hoseok para descontar um pouco daquelas sensações, fazendo assim o acastanhado gemer também.


— Eu quero tanto comer você. — O Jung murmurou no ouvido do loiro, escutou um gemido como resposta do que estava abaixo de si, com os olhos fechados.



Depois de um tempo, estocando lentamente e deixando Yoongi sofrendo abaixo de si, selou seus lábios e levantou o corpo ficando somente de joelhos, sentiu seu ápice chegando e começou a estocar fundo e com rapidez. O Min gemia alto, mas não tão alto quanto, quando suas pernas sendo seguradas pelo mais novo, tremeram e ele gozou forte, arqueando as costas. Mesmo com o garoto tendo seus espasmos e tentando se recuperar, Hoseok que estava ofegante e suado, continuou estocando até gozar também. Suas coxas fraquejaram e ele decidiu deitar por cima do corpo alheio, não tirando seu membro do interior do Min ainda.


— Seok. — Yoongi balbuciou. — Deus, Seok. — Aquilo fez Hoseok sorrir e espalhar beijos sob o rosto alheio.


Yoongi fitou o sorriso do moreno e respirou fundo. 


— Você é tão gostoso que não consegui aguentar. — Sussurrou em resposta. Deu um selinho nos lábios rosados e voltou a olhar para os olhos castanhos-claro acariciando as mechas loiras perto das orelhas.


— Promete que não vai mais… Me rejeitar daquela maneira? Que não vai agir de forma super protetora e...— Começou Yoongi depois de um tempo.


— Não posso prometer que não vou querer te proteger, eu te amo. — Aquela declaração fez o coraçãozinho de Yoongi esquentar. — Então, não tem como.


Yoongi envolveu seu pescoço com os braços e lhe deu um beijo simples.


— Eu também te amo, Seokie. — Segredou. — Eu te amo demais. — Repetiu fazendo Hoseok sorrir mais largo, ao trocarem carícias e o Min riu frouxo.


— E pensar que devo tudo ao Jin-Hyung.


— Ya! Não fale dele perto de mim. — Afirmou brabo.


— Por que? Somos amigos, serei padrinho dele no casamento. — Yoongi comentou e o Jung franziu o cenho, deitando ao seu lado depois de sair de dentro de si.


— Casamento? — Perguntou confuso.


— O Jin-hyung vai se casar com um outro inspetor, o do departamento de Seul. Kim Namjoon. — Afirmou e logo levou uma travesseirada na cara. — Aish! — Exclamou assustado. — Por que isso agora, Jung?


— Você me fez ter ciúmes de alguém prestes a casar, Min Yoongi?


Yoongi revirou os olhos, encarando o teto. Pois é, seria mais uma longa noite de terça, talvez um tanto diferente, mas seria longa.



Notas Finais


Então gostaram? Espero que sim, deixem aquele feedback lindinho que eu sempre me apaixono❤
Queria agradecer a @XnanaX pela maravilhosa betagem e a capista @monastu pelo hino de capa.

Se cuidem, se alimentem e façam o maximo para não sair de casa até esse caos passar. Não se esqueçam que eu amo vocês💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...