1. Spirit Fanfics >
  2. Love Akatsuki (Parte II ) >
  3. Capítulo 2 : Notícias

História Love Akatsuki (Parte II ) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Eu falei que ia atualizar amanhã, mas quem sofre de ansiedade nao é fácil, eu vou postar tudo hj! kkk

Capítulo 2 - Capítulo 2 : Notícias


Fanfic / Fanfiction Love Akatsuki (Parte II ) - Capítulo 2 - Capítulo 2 : Notícias

Konan era uma mulher formada em elegância e gentileza. Neste momento ela nao se via assim. Seu pai,havia acabado de falecer.

Ela chorava abraçada ao caixão. Queria tanto ver ele sorrindo dizendo qua ela era sua princesa.

O momento mais do que triste era profundo. Jiraya havia partido. Mais uma pessoa importante para ela se foi.

Konan era forte, ela chorava mais ainda se  mantem-se forte.

Chorar lava alma e não é sinal de fraqueza, ao contrário, isso quer dizer que ela chegou ali firme e vai continuar firme, bem ela vai tentar.

Levantou passando o lenço no rosto, para secar o mesmo.

Olhou para o pano úmido e borrado de maquiagem, e sentiu-se perdida.

" O que eu irei fazer agora? Por que todos que eu amo vai embora tao cedo? Eu amo meu pai e sempre amarei, ele é meu herói."

Algumas das  perguntas ela não sabia responder, mas no momento certo ela descobrirá.

Suspirou e mais lágrimas corriam dos olhos, o esposo, Utakata chegou de mansinho e a abraçou, afagou os cabelos e falou que estava tudo bem, ele estava ali para ajuda-la.

Era engraçada a história dos dois. Konan estava na Grécia a passeio, até que acidentalmente esbarrou-se em um jovem, que abismado com a beleza dela a chamou para sair, logo depois dos encontros eles viram que as coisas estavam sérias e decidiram namorar. Utakata estava tão apaixonado por ela que a pediu em casamento em alguns meses, Konan nao aceitou de imediato, claro ela sabia que ele ia pedir a qualquer hora, mas ela teria que pensar foi muito rápido para a azulada.

Konan quando estava namorando com Utakata, pensava se conseguiria viver com ele pensado em outro. Ela sabia que seu coração pertencia a Pain, mas ele deveria seguir em frente.

Ela nao iria ser justa imaginando Pain voltando para ela e dizendo que a amava ainda, mas era o que ela queria. Pediu uma semana para Utakata, ele concordou, por ela fazia tudo.

"Onde foi que eu errei?"

Perguntou milhares de vezes a si mesma, sobre o relacionamento do passado.

" Eu nao devo pensar nisso, Pain nunca iria atrás de mim, e não seria justo comigo e com Utakata, pois ele me ama. Devo seguir sem Pain na minha vida. "

E foi assim que ela conseguiu por de lado um amor que partiu o coração e seguiu tentando. Konan tentou esquecer o ruivo. Era impossível, mas ela não desistia, a cada dia um pouquinho ela tentou. Utakata seu marido, sabe do ocorrido e de Pain, mesmo que nunca o viu, queria tirar Konan longe dele. O marido de Konan era gentil, carismático, mas havia uma parte nele que o fazia muito pocessivo, algo que era fora do normal já, pois pessoas perfeitas nao existem. Era o que Konan concluiu. Ele nunca demonstrou esse lado a esposa, mas ela sabia que existia, então decidiu ficar longe de Pain.

Naquele velório ela queria muito que Utakata estivesse lá, e ele estava. Uma parte dela também queria Pain, mas ela não sabia. Eles forma embora depois, voltaram para a cidade deles, Paris.

Konan não falou nada durante o trajeto de viagem, queria ficar na dela, o marido respeitou.

Chegaram e foram para mansão. Ela chegou e tomou um banho e deitou para dormir, nem iria comer, estava sem fome.

Utakata insistiu para que comesse, mas ela negou e ele respeitou sua escolha.

Dormiu sem perceber. Sonhou que corria em um campo aberto, e estava uma ventania muito forte, ela sentia que algo muito ruim iria acontecer, e em breve. Nuvens escuras formavam no céu, estava tudo nublado. De repente começou a chover forte, e Konan se viu toda molhada. Trovões e raios estreiam no céus, a azulada cai de joelhos no chão e chorava, nada a impedia. Sentiu uma mão na sua boca a impedindo de gritar, se levantou e a mão deslizou para os ombros, ela queria se virar para saber quem era, mas nao se movia. A chuva ainda estava ali, o medo também, a angústia e a solidão.

— Me desculpe querida, mas você nao pode ficar calada, grite e fala para o seu mundo que ainda o ama.

A voz é masculina. De repente ela nao sentiu mais medo, a chuva estava mais fraca,e sabia de quem era aquela voz. Era seu pai dizendo que ela no fundo o amava, Pain. Mesmo com outro do lado, ela nao podia enganar-se, ela ainda o ama!

Sorriu e uma lágrima desceu dos olhos. Se virou e encontrou Jiraya sorrindo. Ele estava ali, chorando ela abraçou forte e falou que ele deveria ficar, ela sentia muita falta já. Konan queria que o pai voltasse dos mortos, mas aquilo era um sonho, algo que o inconsciente  dela estava formando.

De repente tudo sumiu, ela viu uma fresta  de luz na cara. Fez uma careta e percebeu que era de manhã, dormiu tanto tempo?

Espreguiçou e pensou no que havia acabado de sonhar. Ela não podia amar ele ainda, ou podia?

Ela não sabia.

Começou a chorar por dois motivos:  Um  sentia falta do pai, e nem se despediu no sonho, e o segundo era que não superou Pain ainda. Nunca o superaria.

E ela estava correta, Pain era seu verdadeiro amor, eles só se amaram na hora errada. Mas se a vida lhe desse um terceira chance, ela voltaria para ele. Só que ela fazeria tudo diferente.

Utakata se levantou do seu lado e a abraçou, ela estava em prantos, e sentiu muito pior neste ato do marido. Ela nao o amava, ele deixava ela feliz, mas não o suficiente para que Konan pudesse ser liberta.

— Sinto muito Utakata. — Desculpou-se chorando em prantos. — Eu não te mereço.

Disse isso e se levantou saindo correndo para o banheiro. O jovem ficou olhando ela confuso, e decidiu segui-la, mas não entrou no cômodo.

Utakata estava perdido, não sabia o por que a esposa estava falando aquilo, pensou que poderia ser por causa da morte do pai, mas decidiu esperar pacientemente do lado de fora.

Dez minutos mais tarde ela apareceu.

Olhou para o marido com olhos inchados e aproximou-se dele, ela so queria que fosse Pain, mas aquilo doeu mais ainda.

Utakata pensou que ela tivesse delirando ou so com a cabeça fora do lugar, por que seu pai havia falecido na noite anterior.

— Eu te amo Konan, vem cá, deixe te dar um abraço. — Falou e abriu os braços.

Ela deu um meio sorriso, e o abraçou, mas nao correspondeu o "Eu te amo" do marido.

Ela nao o amava, como iria dizer aquilo? Tenso.

Suspirou depois de se soltar e forçou um sorriso dizendo para ele que logo iria descer, precisava se arrumar. Utakata poderia ir tomar café.

Ele deu um selinho nela, e assim fez. Konan piscou um pouco antes de colocar os pensamentos em ordem. Apertou os olhos e suspirou pesadamente. Parecia que por um segundo a aura ruim havia ido embora, mas só parecia mesmo, pois ainda estava ali.

Se jogou na cama e pensou o porque aquele sonho a incomodou tanto? Era possível viver um pouquinho sem pensar em Pain?

Ela sabia que ele agora era um cara ocupado, tinha seus negócios e formado em uma faculdade, coisa que ela nao conseguiu. Abondonou tudo e voltou para a Grécia, isso foi a quatro anos atrás.

Quatro anos havia se passado e ela não havia esquecido dele. Era como uma maldição.

Levantou da cama e vestiu uma calça jeans e uma camisa de botões branca, tratou de colocar a blusa por dentro da calça.

Perfeito nela, realçando seus seios firmes e a cintura fina com nádegas redondinhas e pernas esbeltas.

Assim que se arrumou desceu e Utakata ja nao estava mais ali, havia ido trabalhar, pois deixou-lhe um bilhete. Olhou no relógio e percebeu que o marido saía muito cedo nas sextas, mas ela nao se importava.

Ela jogou o pedaço de papel na pia e viu que os funcionários ja haviam acordado e estavam trabalhando, tudo isso as seis da manhã.

Decidiu ir olhar as plantas e rega-las, era sua paixão o jardim da mansão.

Regou uma roseira amarela e sorriu muito ao ver as hortências arroxeadas que ela havia semeado meses atrás, estavam frondosas e vistosas.

Largou o regador de lado e caminhou para dentro, sentou em frente a TV  e a ligou.

Para a sua surpresa estava passando uma notícia de que um jovem ruivo havia ganhado um prêmio de artes, e ele iria apanhar em Paris.

Konan quase caiu no chão surpresa. Ele não podia por os pés em Paris, se não ela iria atrás dele de qualquer forma.

Ela o amava e muito. Mas esperaria ele procurar ela, coisa impossível para o ruivo que havia decidido deixar ela em paz.

Konan nao sbia do segredo do amor de Utakata a amava, porém havia um segredo por trás do amor dele.

Um segredo que partiria o coração dela. E mais cedo ou mais tarde ela descobrirá, pois ela nao era dele.

Desmanchou os pensamentos sobre Pain e foi para a casa de Deidara e Sasori cuidar da pequena, que ela pegou tanto amor, ela até queria uma filha, mas Utakata nao queria filhos, nem hoje e nem nunca. Ele havia pegado trauma de crianças e decidiu nao tê-las, era o único ponto chato do marido que Konan via. Mas entao agarrou-se  a Ukata.


Notas Finais


Gostaram? Deixe seu feedback! Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...