1. Spirit Fanfics >
  2. Love Akatsuki (Parte II ) >
  3. Capítulo 9 : Desculpas

História Love Akatsuki (Parte II ) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


O penúltimo! E depois vira o fim!

kkk falei com suspense, mas ficam ai com este cap! ate o próximo!

Capítulo 9 - Capítulo 9 : Desculpas


A festa de Hidan e Kakuzo foi linda, no final o albino chorou por que o moreno ajoelhou e fez uma cerimonia toda para pedir a mão dele. Foi mágico para ambos e convidados.

Pain bebia uma taça de vinho e sorria olhando o casal, até que Utakata aproximou.

— Foi muito bom tê-lo trabalhando comigo nesta manhã.

Sorriu sereno e compreensivo.

Pain devolveu um sorriso nada sincero, afinal o cara era marido da mulher que ele ama.

— Obrigado eu que agradeço.

Utakata continuou olhando para Pain, como se estivesse perdido em pensamentos, o ruivo piscou sem entender e sorriu sem graça.

— O que foi Utakata?  — Disse confuso.

— Eu me apaixonei. — Falou o moreno e o ruivo, engasgou com a bebida.

Utakata de imediato deu tapas nas costas do outro que no fim conseguiu desengasgar-se.

— Ok, ok eu morri mas passo bem. — Disse Pain rindo-se.

Utakata começou a rir também e em disparada atirou:

— Pain, eu estou apaixonado!

O outro fez cara de confuso e incerteza.

— Pela Konan?

Utakata negou, e Pain ficou surpreso, seria uma coisa a menos no caminho dele agora.

— Não, é por você.

Foi um choque para ele, Pain arregalou os olhos e em seguida os apertou, a garganta secou e ele não sabia o que falar.

— Como assim? — Disparou quando a voz lhe voltou. — Tem outra pessoa não? Sem ser eu ou a Konan.

Disse disfarçando que era apaixonado pela esposa do cara que  era apaixonado por ele.

— Bem, não. E outra eu nao sei, eu te vejo na TV e sinto algo que nunca senti, é algo novo, você poderia me aceitar?

Pain mordeu o lábio. Era difícil.

— Sim, entendo, mas eu não...— Contorceu pois nao queria magoa-lo e e nem deixar Utakata bravo, ou desapontado. — Não faço a sua praia.

Disse em um disparo só. Utakata sorriu triste balançando a cabeça.

— Entendo, mas eu vou te proteger de todos, eu vou dar o meu melhor por você, Konan não merece você, sou eu que mereço. Eu te amo. Vou dar um tempo para você pensar, e  daí vai querer voltar para meus braços, eu te garanto que sao os melhores.

Disse e saiu de leve. Pain ficou sem piscar por uns dois minutos com aquilo, até que Deidara chegou curioso e com um olhos mais grande que sei la, só para saber da fofoca.

— O que aconteceu Pain?

— O Utakata me ama.

O loiro que carregava uma bebida mas mãos a jogou em Pain de uma só vez.

O ruivo passou a mão nos cabelos molhados e olhou sem entender para o amigo.

— Vai tomar no cu Pain, cada conversa louca, quem te ama é a Konan!

Disse o mais jovem.

Pain olhou estranho, so nao xingou o mais novo por que não queria intrigas.

Nao demorou poucos minutos e Konan chegou preocupada.

"Será que ela sabe, já? "

Pensou Pain ao olhar a azulada com cabelos feitos em um rabo de cavalo e crooped lilas e conjunto  moleton da Adidas (patrocina aqui).

— O que esta acontecendo aqui Deidara?

— O Utak...

— Nada não. — Pain exatamente no momento em que Deidara ia contar para a sua amada tampou a boca dele e sorriu para a jovem. — Nada nao Konan, fica em paz, era so uma brincadeira.

Sorriu esbelto e tentando convencer a outra, que ergueu a sombrancelha desconfiada.

— Ok, Deidara sai daqui que eu vou pegar uma roupa nova do Hidan para o Pain, e me segue senhor fedido de whisky.

O loiro obedeceu e o ruivo a seguiu em silêncio.

Assim que chegaram no quarto, Konan se sentiu muito a vontade para procurar uma roupa do albino sem a permissão dele.

— Ele nao vai brigar? — Perguntou Pain preocupado.

— Nao se preocupe Pain, ele nao liga.

Ela pegou uma blusa laranja e uma calça preta.

— Serve?  — Perguntou.

Pain parou para olhar ela em vez da roupa.

Ela estava tao sexy naquela roupa. Piscou tentando voltar a realidade e conseguiu.

— Pode ser.

— Ok, o banheiro fica ali, vou te esperar la fora.

— Ok... — Falou o ruivo com um som inaudível de confirmação.

Konan ia passando por ele, mas parou na frente do mesmo.

Ela olhou para ele e sentiu como era quando  jovem com dezesseis anos.

— Eu posso te perguntar algo? — Falou ela, se aproximando e tocando o busto do jovem, ele recuou e ela abaixou a mão envergonhada e corada.

— Sim, mas se mantém longe. Por favor.

Disse Pain, para a segurança dele, por que se ela tocasse mais uma vez nele, o mesmo juraria que a fazia dele no mesmo momento, mas Konan era uma mulher de compromisso, nao poderia arriscar.

Ela balançou a cabeça e se sentiu idiota por manter ele longe dela, ou dizer que nunca mais ele ia olhar na cara dela. Ela sentia tanta falta dele. Por um momento achou que ia chorar na frente dele, mas resistiu e saiu do quarto dando um tchau e Pain respirou aliviado.

Pegou a roupa e tomou uma ducha para tirar o cheiro do álcool e vestiu-se, pronto, estava novinho em folha.

Saiu do banho e foi ostentar seu perfume novo que roubou de Hidan, se o mesmo descobrisse iria mata-lo.

A noite recorreu tudo certo.

Quando amanhaceu, Obito ja havia ido para casa, Hidan beijava os pés de Kakuzo que ria manhoso, Deidara e Sasori estavam em casa olhando a filha e Itachi havia feito sexo com Kisame a noite toda, estavam exaustos.

Pain estava no hotel dele pensando nas informações que ele recebeu de Utakata e o ato de Konan. Nao esperava nenhum dos dois.

Utakata, marido de Konan era apaixonado por ele? Como assim?

Ouviu uma batida na porta, vestiu uma camisa e foi atender.

Para sua surpresa, (nem tanto assim) Era Utakata, vestido de terno e entrou sem nem mesmo ser convidado.

— Mas oque...

— Nao se preocupe com os guardas, eles.me conhecem, e ja disse Te amo hoje?

Falou o moreno rindo. Pain revirou os olhos.

— Cara quantas vezes vou te falar que nao te amo.

— Se nao me ama, quem será o sortudo?

— É ela.

— Que seja, eu vou descobrir e tirar ela da sua vida, por que daí vai ter espaço so para mim.

Disse o moreno rindo malévolo.

— A sai daqui Utakata, eu não te amo porra! Eu amo a Konan!

Disparou o ruivo e o moreno ficou olhando surpreso.

— Que seja, eu vou tirá-la da sua vida, ela nao te merece, e se você não ama a mim, nao amara a mais ninguém. Adeus.

Disse empurrando Pain e passamos pela porta.

"Ele so pode estar fingindo né".

Pain queria acreditar no pensamento acima, mas derrepente tudo poderia se encaixar, fazia tanto sentido.

Quando acordou para a realidade o que ia acontecer saiu correndo pois ele nao queria perder o amor da vida dele mais uma vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...