História LOVE AMONG THE DEMONS- imagine Jeon Jungkook - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook)
Visualizações 39
Palavras 3.853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, LGBT, Magia, Mistério, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Muitas mulheres foram assassinadas na época em nome de Deus e em razão da ignorância e desconhecimento.

Capítulo 15 - Apenas idiotas mexem com bruxas


Fanfic / Fanfiction LOVE AMONG THE DEMONS- imagine Jeon Jungkook - Capítulo 15 - Apenas idiotas mexem com bruxas

P.O.Vs Kim S/n

O tilintar na hora do jantar ecoavam em minha cabeça junto aos milhares de pensamentos e questionamentos, eram intermináveis e angustiante até. Me prender nesses pensamentos até a hora certa me ajuda um pouco mas mesmo assim minhas mãos soavam e minhas pernas tremiam em resposta á ansiedade que sentia.

Todos comiam menos eu que tentava encaixar tudo, mas eu realmente não sei o que pensar, não sei o que está acontecendo. Passo a mão na cabeça ao sentir ela latejar. Jin toca minha mão olhando preocupado.

S/n: eu estou bem, não se preocupa- falei sem voz

Jin: você mal tocou na comida- ele se aproximou sussurando- tem certeza que está bem?-.assenti com a cabeça forçando um sorriso mas sei que ele percebeu- olha, come só mais um pouco tá?

S/n: tudo bem oppa.- mexi a comida com o hashi desanimada e levei uma pequena porção de arroz até a boca, me senti enjoada mas engoli mesmo assim.

Jhennie: com licença, já acabei. Vou me retirar, Boa noite - fez uma reverência e saiu.

Lisa: espera Jhen, vou com você- se levantou e fez a reverência também- com licença, Boa noite Sr. e Sra.Kim, Boa noite meninos 

Omma: Boa noite meu amor.

Appa: Boa noite Srta.- falou em um tom mais amoroso.- bem eu também ja terminei, Terminou Sulli? 

Omma: Sim, já . Eu estou bem cansada na verdade, desculpa nao poder ficar mais um pouco meninos, tenham uma boa noite e obrigada por virem.- appa e Omma se levantaram juntos.

S/n: Boa noite mãe, Boa noite pai.- os meninos se levaram e fizeram reverência e assim estávamos apenas nós 9 na sala de jantar.

Hobi: então Hee-Chul é filho da sua tia por parte de quem?- perguntou se virando para mim.

S/n: Por parte de mãe, mas eu nunca conheci minha tia- soltei os hashi no lado do prato, cruzei as mãos e fitei o HeeHee que parecia incomodado.

Hee-Chul: Bem, eu vou para o meu quarto e até amanhã, Boa noite.

Jungkook: mas já... Heehee? - pronunciou o apelido que eu dei a Hee-chul como uma provocação. Olhei para Jungkook com desdém e limpei a garganta.

S/n: Boa noite, qualquer coisa é só me chamar.

Hee-chul: certo.- falou virando-se para ir embora como se nem tivesse ouvido Jungkook ele parece aéreo, não sei o que há com ele.

Hobi: não sei vocês mas senti uma energia meio pesada nele.

S/n: ele está estranho mesmo.

Jin: amor, o que aconteceu com a mãe dele?- todos na mesa me olharam.

S/n: sabe, minha mãe contou que ela morreu quando ele ainda era apenas um bebê, disse que ela era muito linda... E o pai dele nunca apareceu.

Tae: morreu ou foi morta?

Yoongi: Vou subir, até.- se levantou tirando a atenção de todos

S/n: ah eu já coloquei os convites nos quartos de vocês, Boa sorte.- fui me levantar mas a mão de Jin tocou meu braço como se me chamasse, olhei por cima do ombro e me virei pra ele.

Jin: não vai comer?

S/n: eu estou sem fome oppa e um pouco enjoada, vou me deitar antes de descer.

Jin: qualquer coisa nós estamos aqui.

S/n: obrigada, todos vocês são ótimos. Até logo.

Agora subindo as escadas reparei que Jungkook não disse quase nem uma palavra no jantar, conhecendo ele é estranho.

Vi novamente a luz na escada no fim do corredor e lembrei do sótão.

S/n: não mesmo.- entrei para o quarto rápido e tranquei a porta. Olhei a bolsa suja e surrada em cima da minha cama.

É estranho estar logo aqui na minha casa uma possível versão original desse livro, minha ansiedade não permitia com que eu ficasse quieta, parada ou calma. O que tenho nas mãos é praticamente um documento que matou várias mulheres acusadas de bruxaria .

Não consigo me conter, vou até a bolsa tirando o livro com cuidado. Notei que a capa de trás foi arrancada com mais uma centena de páginas, abri desde o começo e era como os livros publicados, claro que com algumas modificações, na verdade muitas.

Ouvi alguém bater na porta 3 vezes seguidas, como se fosse unhas batendo em sequência. Fitei a porta e por algum motivo um medo avassalador me atravessou.

S/n: Jungkook? É você?- silêncio-Jhen?Lisa?- outro silêncio- quem está aí?- mais três batidas.- me levantei e fui até a porta, assim que coloquei a mão maçaneta que estava tão fria que queimou minha mão e tirei no mesmo instante- aish.- percebi que o clima estava ficando frio cada vez mais sem nem ao menos estar ligado o ar-condicionado. Senti um sopro mais frio em meus cabelos e me virei para a janela e estava fechada.- o que está acontecendo?- um ranger de unhas na porta fez com que eu me afastasse com as mãos nas orelhas tentando abafar o som ensurdecedor e parou.

Uma fumaça cinzenta entrou pelas frestas da porta e se materializou em uma silhueta feminina, demorou até que se tornasse humano.

Era uma mulher de pele negra com laços rosas prendendo as madeixas encaracoladas, usava um vestido longo, com uma calda eleangante vermelho-sangue e seus olhos eram fechados, respirava lentamente. Diferente de mim que tinha a respiração quase incontrolável, engoli seco esperando a  mulher parada em minha frente dar qualquer sinal de vida.

A pele sedosa, a maquiagem dos olhos era leve mas a boca era carnuda e bem vermelha reluzente, como uma maçã polida. Suas palmas da mão eram viradas para cima e seu queixo erguido como seu peito, sua postura era de uma verdadeira rainha.

Eu não conseguia falar nada, apenas olhava a figura da bela moça para em meu quarto, a beleza era tanta que esqueci que ela havia vindo de uma fumaça.

Xx: S/n- meu nome saiu como mel de sua boca- está me ouvindo?- seus olhos se mentiam fechados.

S/n: S-sim.- eu não tenho problema de gagueira, aish.

Xx: prazer S/n, meu nome é Lilith- seus olhos abriam e eram negros como um abismo. Meu coração bateu mais forte que o normal e senti minhas pernas frequenjarem. Quase cai mas ela me segurou.- calma, eu estou do seu lado. Não tenha medo- sua voz era calma, calma como a madrugada.

S/n: a- a Li-Lithi da-da...

Lilith: da bíblia? Er,  digamos que sim. Mas eles não me deram crédito nenhum, ainda fui substituída por aquela Evinha idiota.- ela disse com um sorriso unilateral.

S/n: pe-perai... Eu não to conseguindo raciocinar ou eu estou sonhando?

Lilith: o que? Ah, só apareci porque pensei que estivesse pronta e já que está sozinha lendo esse livro, pensei em fazer companhia!

S/n: perai. Você está me dizendo que um demônio quis fazer companhia para mim?- ela andou avaliando o quarto.

Lilith: Sim, não pode? Afinal, você tem uma parte demônio também e gostei de você sabe.

S/n: meu deus, eu devo estar muito chapada, me belisca por que acho que estou sonhando- joguei o livro em cima da cama e passei a mão no rosto- só pode ser brincadeira... isso é muita coisa de contos de fadas. Agora vai dizer que é minha casa madrinha?

Lilith: bom... er...

S/n: não, não diga.

Lilith: tudo bem- disse rindo.

S/n: então você é o demônio Lilith?

Lilith: a própria, em carne e osso,bem, mais ou menos.

S/n: Por que está aqui, tipo... você é a Lilith o primeiro amor de Lucifer caramba! Por que está aqui?

Lilith: não é bem assim... Eu não sou o primeiro amor de Lucifer.

S/n: então?

Jungkook: S/n? Tá com alguém ai?- desviei meu olhar para a porta e depois para Lilith que já havia virado fumaça.- S/n???- bateu mais forte.

S/n: aish, espera. Quer quebrar minha porta?- fui até a porta e encostei com cuidado na maçaneta que tinha a temperatura normal assim como o resto do quarto e abri.- eu só estava lendo- Jungkook entra como se procurasse por algo- o que foi?

Jungkook: alguém esteve aqui?- o rosto de Lilith se formava atrás de Jungkook e pedia silêncio com a não- S/n?.

S/n: que? Não. Quem estaria aqui?

Jungkook:hm. Estão todos lá em baixo te esperando á 5 minutos. Subi pra verificar se está bem.

S/n: aish, que horas são?- ele olha o relógio de pulso 

Jungkook: meia noite e oito.

S/n: que? Vamos logo. Peguei a mochila e o livro e sai do quarto  correndo sem esperar Jungkook. Cheguei na sala de estar e todos estavam sentados na frente da lareira, as chamas iluminavam seus rostos perfeitamente feitos, como se fossem esculpidos.- desculpem eu perdi a hora.

Jimin: você está bem? - seu semblante era assustado 

S/n: Sim por que?- falei meio ofegante

Jin: parece que estava no frio amor.- senti minha boca ressecada e passei a língua pata umidece-la

Hobi: hum, estou sentindo uma energia muito pesada, aish, você trouxe a bolsa? 

S/n: sim Hobi, aqui está. Desculpe, não tive tempo para limpar.- tirei o livro antes de entregar ao Hobi.

Hobi: aish, obrigada S/n. Você é um anjo.

S/n: de nada meu sol.- falei sorrindo para ele e senti as mãos do Jungkook em meus ombros e logo desvencilhou- senta Jungkookie.- ele sentou junto ao Jimin e Tae.

Yoongi: então o que era tão importante?

S/n: eu quero contar o que me aconteceu ontem logo depois que eu passei mal- meus olhos caminhavam pelos rostos de cada um ali e parei no Jungkook que tinha seu corpo em estado de alerta- mas antes- apertei o livro contra meu peito e proucurei fôlego para  falar- eu tive um pesadelo... com o Jungkkokie.- olhei para o Yoon que estava mais alerta que antes.

Nam: e seus sonhos já se concretizaram alguma vez anjo?

S/n: algumas vezes, mas eram coisas simples que provavelmente iriam acontecer. Mas este foi mais vivido e doloroso para mim e para ele aposto.- senti meu coração apertar e olhei para ele verificando para ver se e estava bem mesmo, suspirei em alívio.

Tae: conta S/n.- sua voz grave me causou um arrepio só de lembrar desse sonho.

S/n: bem- um nó se fez na minha garganta e eu me forcei á engolir, respirei fundo- eu estava em uma estrada com mais dois homens, um deles era mais forte e a estatura do outro era mais magra e pálida.

Jin: e quem eram?- perguntou ansioso

S/n:até então eu não havia visto o rosto de nenhum deles, eles estavam virados um para o outro em posição de luta... e ai eles avançaram.- puxei o ar novamente e cerrei os lábios- agora o tal homem com a fisionomia mais vigorosa estava trucidando o segundo homem. Eu não conseguia me mexer, era como se eu fosse apenas uma câmera ali. Bem, eles lutavam como se tivessem determinados á matar um ao outro. Havia sangue e suor na pele de ambos, feridas e escoriações.- apertei os olhos com força e soltei o ar pela boca- por um descuido o homem magro acertou o outro com um pedaço de madeira e ai- minha voz embargou e senti meu pulmão se fechar- ai ele estava deitado no chão, já apagado sem força nenhuma... o homem que parecia ainda ter fúrias nos olhos, um olhar não humano, o despedaçou com as próprias mãos- uma lágrima me escapou- cheguei perto para verificar homem então morto com as entranhas para fora e o sangue banhando a estrada escura- eu já estava entre lágrimas- me abaixei e tirei seu cabelo do rosto e era ele- apontei para Jungkook e meu coração falhou, e cobri a rosto com as mãos - desculpem, e-eu só... eu acordei desesperada. E fui atrás do Jungkook, ele não estava no quarto, nem no banheiro e eu já estava em pânico.- estava entre soluços e eles apenas me ouviam- quando vi ele tomando café com meus pais meu sangue esfriou na hora e eu passei mal, minha pressão baixou e eu tive vertigem... pensei que por um momento eu...- olhei para o Jungkook que tinha uma expressão de dor em seu rosto- eu nunca mais fosse vê-lo- meu soluço foi mais alto e Jungkook se levantou vindo até mim.

Jungkook: eu tô bem S/n, não chora. Eu não vou embora nem se você me pedir.- ele me envolveu em seus braços e me pressionou sobre seu corpo, senti o calor, o aconchego e pude me sentir mais calma, eu sabia que ele estava ali naquele momento, que estava inteiro, sem nenhum arranhão, ele estava ali para mim.- sei que faço muita falta e sou muito importante para você, mas não precisa chorar S/n, eu aceito ser seu amigo- comentou com ironia e eu bati em seu peito afastando ele e limpando o rosto, tentei segurar o sorriso mas foi impossível.

S/n: idiota.- funguei e olhei para os meninos que continham o sorriso- o que? 

Tae/Jimin: nada!- falaram ao mesmo tempo rindo 

Hobi: eu shippo- Yoongi deu um empurrão leve no Hobi- aish, ta ta ta, mas vocês fazem um casal lindo.

Yoongi: Hope.

Hobi: parei, mas ja fizeram mapa astral  do amor? se vocês quiserem eu...

Yoongi: Jung Hoseok.

Hobi: desculpa, parei.

Eu sorri meio constrangida e olhei para o Jin que tinha o rosto pensativo assim como o Nam .

S/n: Jin? O que foi?

Jin: er..  eu...

Nam: Jin teve um presságio parecido com esse, basicamente foi a continuação onde pode se ver o rosto de ambos os envolvidos.- meu corpi gelou por inteiro.- mas, ela não mencionou nenhuma risada Jin. 

Jin: você viu alguma mulher? Ou viu?- ele parecia nervoso.

S/n: na verdade ... sim.- Havia a figura de uma mulher no final dessa estrada  e sua risada ecoou para todos os lados-  sim, mas não consegui ver ela.

Jin: Nam... se alguma coisa acontecer com o meu bebê eu vou surtar.

Nam: calma- colocou a mão por cima da do Jin- vai ficar tudo bem.

S/n: seus sonhos se concretizam?

Jin: não foi um sonho amor, foi um presságio. É diferente, eu estava acordado foi como uma visão. E sim elas acontecem.

Yoongi: S/n, tem algo á mais para nos contar?

S/n: sim, na verdade sim.- Yoon acenou com a cabeça e eu prossegui- depois que o Jungkook me ajudou, eu saí do quarto e pensei em agradecer, mas algo me atraiu para o segundo terceiro piso e me levou até o sótão que eu não fazia ideia que tinha. Bem eu vi algumas coisas bem estranhas la e o Jungkook apareceu é praticamente me arrastou de la.

Jungkook: Que? Eu não. Eu fui buscar os meninos. Que horas isso aconteceu?

S/n: não sei, umas 11:00 horas, eu acho.

Jungkook: eu liguei para o Jimin avisando que iria sair 10:15 e sai 

S/n: 10:25, eu sei. - completei- é neste ponto que eu quero chegar, assim que chegamos no meu quarto Jungkook virou o corredor onde ao mesmo tempo meu pai apareceu e perguntei se ele tinha visto o Jungkook e ele me disse que você já tinha saído fazia 30 minutos mais ou menos. - contei todo o processo que fiz para verificar a saída dele e  sobre todo o resto.

Jin: então alguma coisa tomou a forma do Jungkook? Para que?

S/n: não sei, mas assim que caímos no banker Jungkook começou a ter um ataque da sua rinite e o sótão onde "ele" subiu é bem mais empoeirado, ele nem se quer fungou lá.- todos tentavam calcular até onde eu queria chegar com aquilo.- na hora em que eu fui no quarto e vi o anti-alergico lembrei do episódio do Jungkook no banker  e "ele" no sótão, totalmente diferente, então o chamei para ir comigo até o sótão.

Jungkook: eu não consegui nem entrar, é muito sujo lá, meu nariz quase sangrou.

S/n: foi ai que eu percebi que aquele não o Jungkook, nem de longe.

Yoongi: isso é meio óbvio desde o início. Se seu pai não o viu, como pôde ter dúvidas?

S/n: bem eu estava com febre, até agora acho que estou delirando sobre esses tal A.B.O, então sei lá, só quis ter certeza.

Tae: e esse livro S/n?

S/n: ah, eu realmente tinha que falar com dois de vocês sobre isso mas vocês são meio que uma família  então...- virei o livro e Jin é Hobi arregalatam os olhos 

Jin: c-como conseguiu isso S/n?- pegou da minha mão passando a folhea-lo- isso é escrito á mão e...

Nam: parece ser escritura antiga, pelas páginas e respingos.

S/n: eu disse -  sussurei para o Jungkook 

Hobi: como vocês encontraram isso?

S/n: no banker, eu achei la e parece ter muitas coisas la, muitas mesmo. Bem, eu imagino que tenham arrancado páginas do livro.

Jungkook: vocês podem me explicar o que é esse livro?

Jin:No início do século IX, havia a crença popular sobre a existência de bruxos que, através de artifícios sobrenaturais, eram capazes de provocar discórdia, doenças e morte. Por sua vez, a Igreja não aceitava a existência de bruxos e ainda, baseado no Conselho eclesiástico de São Patrício (St. Patrick), afirmava que "um cristão que acreditasse em vampiros, era o mesmo que declarar-se bruxo, confesso ao demônio" e "pessoas com crenças não poderiam ser aceitas pela Igreja a menos que revogue com suas palavras o crime que cometeu"Na segunda metade do século X já havia penalidades severas para quem fizesse uso de artes mágicas. No século XIV (por volta de 1326) a Igreja autoriza a Inquisição a investigar os casos de bruxaria. Pouco mais de cem anos depois, em 1430, teólogos cristãos começam a escrever livros que "provam" a existência de bruxos. O livro Formicarius, escrito por Thomas de Brabant, em 1480, aborda a relação entre o homem e a bruxaria. Em uma sociedade na qual a religião, a política, a sexualidade e as artes estavam interligadas e sob o domínio da Igreja, transgredir as normas de conduta em apenas um desses campos, acarretaria, por conseqüência, numa transgressão generalizada e direta sobre o poder do clero. Dessa forma, sob o papado de Inocêncio VIII, o Malleus Maleficarum nasceu da necessidade que a Igreja Católica tinha de organizar e legitimar suas práticas, principalmente quando relacionadas à Santa Inquisição, que já atuava desde o final do século XII. Até aquele momento, não havia uma referência oficial que abordasse a questão da bruxaria. Fazia-se necessário um documento escrito, aprovado pelo corpo eclesiástico, que tivesse valor legal e determinasse com maior precisão possível, as práticas de feitiçaria e suas respectivas punições.As teses centrais do Malleus Maleficarum fundamentaram-se na ideia de que o demônio, sob a permissão de Deus, procura fazer o máximo de mal aos homens para apropriar-se de suas almas. Este mal é feito prioritariamente através do corpo, único canal em que o demônio pode predominar. A influência demoníaca é feita através do controle da sexualidade, e por ela, o demônio se apropria primeiramente do corpo e depois da alma do homem. Segundo o livro, as mulheres são o maior canal de ação demoníaca. Ainda, a primeira e mais importante característica descrita no livro, responsável por todo o poder das feiticeiras, é copular com o demônio. Portanto, Satã é o "senhor do prazer". Dessa forma, uma vez obtida à relação com o demônio, as feiticeiras são capazes de desencadear todos os males, especialmente impotência masculina, impossibilidade de livrar-se de paixões desordenadas, oferendas de crianças à Satã, abortos, destruição das colheitas, doenças nos animais, entre outros.

S/n:Porém, no próprio livro é citado que o coito com o demônio não seria exatamente carnal, já que estas criaturas eram espíritos, mas ocorria através de rituais orgíacos. Tradicionalmente, nas culturas pré-cristãs, a mulher era objeto de adoração e respeito. Era a fonte doadora da vida e símbolo da fertilidade.- falei quase sussurando sem foco em algo, Jin assentiu.

Jungkook: Então basicamente foi feito para infernizar a vida das mulheres? E acusa-las de algo que não são?

S/n: muitas mulheres morreram por ignorância dos católicos e hoje morrem por ignorância de homem e mulheres no geral, não mudou muita coisa. As mulheres tomadas pela Inquisição sofriam torturas inimagináveis que violavam desde o corpo até a mente, chegando algumas, a admitir a culpa de algo que não fizeram para livrar-se da tortura, entretanto diferente do que acontecia com os homens. Diante da confissão da mulher as torturas não cessavam. Elas aconteciam em calabouços ou publicamente até a morte ou até que fosse saciada a vontade dos inquisidores.O Malleus Maleficarum ainda mencionava que as bruxas carregavam em seu corpo o símbolo da besta. Esta era mais uma forma que os sacerdotes utilizavam para aproveitar-se do corpo da mulher alegando buscar a marca demoníaca. Era citado ainda que onde houvesse esta marca no corpo da mulher a pele estaria adormecida e que esta região quando perfurada não sangrava e nem doía, logo os inquisidores criaram um mecanismo singular que era utilizado para detectar esse marca, o chamado “fura-bruxas”. Uma espécie de faca com uma ponta retrátil, ou seja, quando pressionada sobre a pele ela se retraia dando a ilusão para quem assistia a tortura e para a própria torturada de que a faca havia perfurado o corpo, mas não havia sangue e nem gritos de dor. Normalmente esse procedimento era feito em público para que a própria população condenasse a bruxa.As mulheres condenadas por bruxaria e feitiçarias em grande parte não se utilizavam de bruxarias e as que se utilizavam não eram pra fins maléficos, mas a Igreja Católica Romana forjou provas, confissões e até mesmo acusações que levassem a esta matança.Um número estimado de 75 milhões de pessoas pagou o preço final, enquanto milhões de outras foram intimidadas, torturadas, e forçadas a manter relações sexuais com sacerdotes que manejavam essa arma terrível contra as mulheres. 

Tae: meu deus, eu não sabia dessa.

Jin: era horrível, vocês não fazem ideia de como era viver naquela época.

S/n: que? Como assim, "viver naquela época?"

Jungkook: apenas eu e Jimin e Tae somos desse século S/n, nenhum dos meninos tem de 26 para baixo.

S/n: maknae Line, uau. Então você sabe quem escreveu o livro Jin?

Jin: se sei? Esse livro matou minha mãe e minhas irmãs. Heinrich Kraemer e James Sprenger, dois alfas totalmente egoístas, hipócritas e religiosos. Fundaram esse livro para que apenas sua raça existisse no mundo, o pai dele um católico lunático, foi o cientista que fundou vocês, ele fez experiência nos dois filhos dele para que eles lutassem em nome de "Deus", milhares de pessoas morreram por um coração com um falso vazio preenchido. Quando a caçada das bruxas começou eu e minha família fomos até a Alemanha, onde tudo começou, para resgatar algumas bruxas e mante-las á salvo aqui na Coreia e la minhas irmãs foram capturas junto a mim, mas me liberaram sabe o por que? Porque eu sou homem, eles eram machistas.

S/n: até hoje são né. Sinto muito oppa

Jungkook: ta mas eles ainda estão vivos?- Jungkook Pareceu eufórico.

Jin: não, um bando de vampiros dilecerou os corpos deles, deixando apenas o membro sexual fincados em uma lança, como eles faziam com as mulheres. Porém um deles tem filho perdido, que ninguém nunca conseguiu encontrar.


Notas Finais


Amadaaaahz to morta, espero que tenham gostado, sz bjs amores e obrigada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...