História Love and Hate - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Kim Seokjin, Lee Taeyong, Loveaandhate
Visualizações 13
Palavras 2.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


AVISO:
Este capitulo pode fazer vc rir, chorar, e ficar puto.
Recomendamos (eu, no caso) que escute as musicas:
Broken - Lund
If You Want Love - NF
Paralyzed - NF

Sua leitura ficara bem mais legal ouvindo essas musicas.
Avisando que, são musicas com letras pesadas e batidas sads, não recomendado pra quem está num mal dia.
Obrigada.

<3
<3
<3

OIE!

Turu bom?

Só pelo avisinho lá em cima, vces já devem estar sabendo que esse Capitulo vai ser sad.

(Bom, pelo menos eu ache, por que eu chore fazendo ele. KKKK)

Bom, vamo lá.

Boa Leitura.

Capítulo 10 - 10 - I Hate You...


Fanfic / Fanfiction Love and Hate - Capítulo 10 - 10 - I Hate You...


 

[Meses Depois]
 

(S/N)

 

Esses dias, foram maravilhosos.

 

Eu e Jin estamos muito mais próximos e começo até a achar que estamos juntos, finalmente.

 

Estamos sempre conversando, trocando carinhos e beijos um com o outro, é como um sonho se tornando realidade.

 

Hoje, eu decidi que iria para o trabalho do Jin, sair, dar uma descontraída e quem sabe fazer com que ele relaxe um pouco sobre os papéis de uma pesquisa sobre câncer de útero do pai dele.
 

 

*
 

*
 

*

 

Assim que cheguei em casa, fui para o meu quarto e tomei um banho.

 

Coloquei uma blusa florida leve, um short jeans, um casaquinho azul claro e um salto.

 

Desci e peguei um Cupcake que comprei no caminho de vinda para casa, peguei minhas chaves, uma bolça que estava com meus documentos e meu celular, e sai.

 

Quando sai, vi o Taeyong, sentado na calçada, mexendo no celular.

 

Sorri e segui até o mesmo.

 

Ele me olhou e sorriu.

 

- Olá, sumida.

 

- Oi, Tae. - sorrio.

 

- E ai, tudo bem? Você ficou um tempão sem sair pra ir me ver jogar com os meninos. - ele bagunça o cabelo.

 

- Ah... Me desculpa. Já comecei a faculdade e tem varias coisas que não me permitem sair muito. Trabalhos, lições de casa, etc... - Na verdade, tenho um... Namorado? Não, um amante. Um amante que me prende dentro de casa e se pá, tem ciúmes meu até com o meu irmão.

 

- Ah, entendi. Bom, vai sair? - ele me olha e estreita os olhos, por conta do sol que estava pegando bem em cima de mim.

 

- Sim, vou ir ver o Jin no trabalho.

 

- Ah ta... Quer que eu te leve lá? Não tenho nada pra fazer hoje mesmo. - sorri.

 

- Sem querer abusar da sua boa vontade, mas, quero sim. - sorrio e ele ri.

 

- Espera aqui que eu vou pegar minha moto. - ele se levanta rapidamente e entra na casa.

 

Fico lá esperando ele sair.

 

Um pouco depois, ele volta vestindo uma jaqueta preta e em cima de uma BMW 2013 fosca.

 

Eu faço um "o" perfeito com a boca. A moto é linda, assim como o dono dela. (Num guentei, sorry. KKK)

 

Ele me da um capacete.

 

- Vem, sobe ai. - ele sorri e coloca o capacete.

 

Coloquei o capacete e subi na moto.

 

Ele ligou a moto e começou a dirigir.
 

 

*
 

*
 

*
 

 

[Jin]

 

Meu expediente está quase acabando, mas ainda tem uma cliente para vir.

 

A Senhora Mendes.

 

Engraçado que ela vem me procurando muitas vezes nessa semana, provavelmente o marido dela descobriu alguns dos amantes dela que são próximos, e ela deve estar desesperada por sexo, e o marido dela nem deve saber que eu existo.

 

Eu olho meu celular, que estava aberto nas mensagens com a (S/N).
[ BabyPudding - 16:07 ]
Jinnie, cheguei em casa.
Vou começar a fazer o jantar.
Até mais tarde. <3

 

Eu preciso mudar esse nome que coloquei no contato dela...
 

{Autora on}

 

Por uma curiosidade, e como vcs devem saber que não bato nada bem da cabeça, o nome da (S/A)zinha é assim no IPHONE PICA DAS GALAXIAS do Jin, é assim, por que ele raciocinou que as tetinhas da (S/N) são que nem pudim.

 

Gostosos e macios.

 

NÃO LIGUEM PRA MINHA DEMENCIA.

 

Obrigada.

 

{Autora off}

 

Como sou uma pessoa tão sortuda por ter essa menina comigo?

 

Linda, amavel e cozinha bem.

 

- Eu sou um babaca... - falo pra mim mesmo.

 

Eu transei com a senhora Mendes duas vezes depois que eu disse "Eu te amo" pra Dongsaeng.

 

Eu me sinto um idiota por isso.

 

Por mais que a Noona seja, gostosa e saiba fazer um oral maravilhoso, eu amo a (S/N) e transar com a Mendes, não é o mesmo que transar com a (S/N).

 

Na verdade, eu e a Dongsaeng não transamos, fazemos amor de uma forma mais agressiva, eu acho. (KKKKK)

 

Suspiro.

 

Eu não sei o que eu faço... De um lado, eu tenho a garota que eu amo, e do outro, tenho a mulher mais gostosa que já peguei na vida.

 

Mas, a (S/N) é mais gostosa...

 

- Porra mano, que merda. - coloco os braços sobre a mesa e o rosto a cima deles.

 

Eu não sei o que eu faço, realmente, não sei.

 

Saio dos meus pensamentos quando escuto a porta da sala ser a berta.

 

Era a Senhora Mendes, com uma calça jeans branca e uma blusa preta *muito* decotada.

 

Ela sorri, aqueles dentes brancos em meio ao batom escuro a deixavam muito sexy.

 

Ela fecha a porta e segue para a cadeira onde estou sentado.

 

Ela joga a bolsa na mesa e senta no meu colo, de frente para mim.

 

- Olá, Senhor Kim. - ela beija minha bochecha e abrindo um pouco minha camisa, começa a beijar meu pescoço. - Acho que já podemos começar nossa seção, não? - ela olha pra mim e morde o labio.

 

- S-senhora Mendes... - ela me olha, abrindo os outros botões da minha camisa.

 

- Diga, querido. - ela sorri.

 

- E-Eu... Não sei se isso é certo... - mordo a parte interna da minha bochecha.

 

Ela me olha como se eu estivesse louco.

 

- Por que seria errado, Jin?

 

Eu sinto minhas bochechas arderem.

 

- Eu... Amo outra pessoa, Pamella. - a olho, sério.

 

- Pamella? Nunca me chama assim. - ela acaricia minha bochecha. - Quem seria essa "pessoa"?

 

- Bom... Ela mora comigo, é irmã do Yoongi, voce o conhece. 

 

- Ah... A irmã de Min Yoongi... O que ela tem de tão especial, Jin?

 

- Ela... É linda, inteligente, inocente... Eu amo aquela garota e ela também me ama, Pamella. Acho que transar com voce, enquanto estou com outra pessoa, não é certo.

 

- Jin, meu anjo. Eu lhe entendo.

 

A olho.

 

- Entende? - falo franzindo o cenho.

 

- Eu amo o meu marido, mas ele não supera meus prazeres sexuais, por isso tenho você. - ela acaricia meu pescoço. - Sua garota não precisa saber do nosso caso.

 

- E-eu não sei, Pamella... - abaixo minha cabeça.

 

- Então, podemos ter nossa ultima foda? - ela beija minha testa. - Vou sentir falta de voce, Jin. - ela levanta meu rosto para que a olhasse e sorri.

 

- Tudo bem... - sorrio.

 

Ela sorri e volta a beijar meu pescoço, abrindo ainda mais minha blusa e passando as unhas compridas em meu peito.
 

*
 

*
 

*
 

 

(S/N)

 

Chegamos no consultório e Tae estacionou a moto na porta do prédio.

 

Desci da moto e dei o capacete ao Tae.

 

- Obrigada, Tae. - Beijo a bochecha dele.

 

- De nada gatinha. - ele sorri. - Qualquer coisa, me liga, certo? Vou estar andando pelo centro mesmo.

 

- Ok. Mas acho que não vai ser necessário. - sorrio.

 

- Certo... Até mais.

 

- Até, obrigada de novo.

 

Ele sorri e vai embora.

 

Suspiro e entro no prédio.

 

Sorrio para a recepcionista e ela sorri para mim.

 

- Boa tarde, o consultório do Senhor Kim? - pergunto para a mulher de pele clara.

 

- 12, segundo andar. Tem hora marcada? - ela me olha e sorri.

 

- Não... Só vim vê-lo.

 

- Ah, sim. É parente dele?

 

- Digamos que... Sim. Quer dizer, acho que sim. - sorrio fraco.

 

- Bom, pode ir lá, irei avisa-lo.

 

- Hum... Se puder, não o avise. Quero fazer uma surpresa. - sorrio.

 

- Ah, certo. - sorri. - Pode ir lá, mas terá de esperar... Ele esta atendendo uma paciente agora.

 

- Sem problema, obrigada. - sorrio.

 

- Por nada, boa sorte. - sorri.

 

- Obrigada. - sorrio e sigo para as escadas.

 

Como é só no segundo andar, acho que não vale a pena pegar o elevador.

 

Espero que ele goste de me ver, por que estou ansiosa para vê-lo.

 

Quando cheguei no andar, segui para um corredor e vi o numero da sala.

 

Quando cheguei na porta, ouvi alguns gemidos.

 

- Ah... Kim... Voce faz isso tão bem...

 

Era a voz de uma mulher.

 

Coloquei a mão no rosto.

 

Ele não pode estar fazendo isso...

 

Coloquei a mão na maçaneta.

 

Hesitei por um momento, mas apertei os olhos e abri a porta.

 

Quando vi a cena, não acreditei.

 

Uma mulher estava no colo de Jin, sem a parte de baixo da roupa e nem a calcinha.

 

Havia a camisa de Jin e o jaleco dele no chão, juntamente a uma calcinha de lingerie e uma calça branca.

 

Soltei a caixinha com o Cupcake, a deixando cair no chão, fazendo ela se espatifar no chão e sujar todo o chão de cobertura de bolo.

 

Na hora em que a caixa caiu, os dois me olharam.

 

Minhas lagrimas já escorriam do meu rosto.

 

- (S/N)... - Jin me olha com o rosto todo vermelho e chegando a pingar suor.

 

- Achei que você me amasse Kim SeokJin... Achei que tínhamos algo. Achei que eu não seria assim, achei que você não iria ficar comigo só por sexo, mas me enganei.

 

- (S/N), por favor, me dei... - o cortei.

 

- NÃO TEM O QUE DIZER SEOKJIN! VOCE É UM MENTIROSO! UM PUTO DE UM MENTIROSO! - eu já chorava muito. - Espero que seu prazer esteja bom, aproveite enquanto fode essa puta, por que comigo, você não faz mais nada. - saio dali, correndo e chorando muito.
 

 

[Jin]

 

Eu fiquei paralisado.

 

- Puta? Que falta de respeito.

 

- Sai de cima de mim, Pamella. - falo sério.

 

- Vai atrás daquela vadiazinha? Ela nem é tudo isso, Kim.

 

- Sai. De cima. De mim. - falo a olhando com os olhos lacrimejando.

 

- Ah Jin, por fa... - a corto.

 

- SAI DE CIMA DE MIM! - grito e ela arregala os olhos, se assustando e saindo de cima de mim.

 

Coloco meu mebro para dentro da box e da calça, fecho o zíper e levanto o mais rápido possível. Pego minha camisa e coloco ela, ao mesmo tempo correndo atrás da (S/N).

 

Cheguei na saída e a (S/N) estava parada, abraçando o corpo e podia ver os ombros dela se mexendo, ela esta chorando.

 

- (S/N)... - me aproximo dela.

 

- Eu não quero ouvir o que voce tem a dizer, SeokJin. - ela se vira pra mim, o rosto inchado e borrado de maquiagem.

 

- Vamos conversar, por favor. - falo quase chorando.

 

- Eu já disse que não quero ouvir o que voce tem a dizer, Jin. Voce me traiu, voce me machucou com aquela cena. Achei que voce me amasse, que tínhamos algo, que era além de sexo, mas eu sou IDIOTA AO PONTO DE ACHAR QUE PODIAMOS TER ALGO JUNTOS! - O tom de voz dela se eleva e algumas lagrimas escorrem do meu rosto. Ela suspira. - A quanto tempo transavam? Aposto de que desde o dia em que falei que te amava, você come aquela puta. Ou pior - ela ri sarcástica - você deve comer ela a anos, não? Ela é mais velha, rica, gostosa. Ela tem tudo que eu não tenho, não é? Ela é sua Sugar Mommy, SeokJin? - ela me olha séria.

 

Eu abro a boca para a responder, mais nada saia da minha boca.

 

- Sabe o que pode ser pior? Você deve ter outras. Você deve comer varias enquanto transava comigo ao mesmo tempo. - ela coloca as mãos na cintura. - Você é um puto, Kim SeokJin. UM PUTO! - ela começa a chorar.

 

Eu queria dizer que tudo foi um erro, tudo o que fiz e tudo o que ela viu. Eu não amo a mais ninguém, somente ela.

 

Não existe sentimento com as outras, não existe nada além de fodas e pensamentos arrependidos.

 

Eu a amo. Não existe mais ninguém, não existe ninguém que faça eu me sentir amado e feliz.

 

Eu queria dizer tudo isso, mas minhas lagrimas não me ajudavam em nada.

 

- Eu te odeio, Kim SeokJin. - ela sai andando.

 

Eu não consegui segurar o braço dela, eu não consegui fazer nada.

 

Eu não consigo, fazer nada.

 

- (S/N)! - só consegui gritar aquilo, eu comecei a chorar, chorar muito. - Eu me arrependo de ter feito isso com você, amor... - falo baixo para mim mesmo, soluçando, aos prantos.

 

 

 

 

 

 

 

Will you end my pain?
Will you take my life?
Will you bleed me out?
Will you hang me out to dry?
Will you take my soul in the midnight rain?
While I'm falling apart
While I'm going
Will you end my pain?
Will you take my life?
Will you bleed me out?
Will you hang me out to dry?
Will you take my soul in the midnight rain?
While I'm falling apart
While I'm going
Insane
Can you break my bones?
Will you tear my skin?
Can you taste my lust?

 


Notas Finais


Bom, se vc não ficou sad, parabéns, vc é um insensível.
Zoas KKKKK

Bom, eu tentei misturar bastante as coisas nesse capitulo
E espero que tenham gostado.

Quem ta puto, fala pra mim.
Quem riu pela teoria do nome da (S/N) no cell do Jin, fala pra mim.
Quem ficou triste, fala pra mim também.

Bom, foi isso, até o próximo capitulo!

BEIJU!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...