1. Spirit Fanfics >
  2. Love and Hate Jikook >
  3. Friends?

História Love and Hate Jikook - Capítulo 45


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura ♥️ ♥️

Capítulo 45 - Friends?


Fanfic / Fanfiction Love and Hate Jikook - Capítulo 45 - Friends?


🐥🐰🐥🐰🐥


Sabe quando as coisas na  sua vida tomam  proporções  que você  jamais imaginou que tomaria?

Bom, eu poderia dizer que enfim eu havia tomado uma atitude. Talvez como sempre acontece comigo, de forma precipitada, mas que de algum jeito me trouxe uma sensação  de liberdade. E  isso com certeza esta condicionado ao que aconteceu entre mim e o Yoongi.

Não sinto arrependimento, nem medo de que alguém  ou até  mesmo que o Jungkook descubra, não importa o que ele pensa ou deixa de pensar sobre mim.

Mas carrego comigo a sensação  de que nos perdemos no caminho  e que não nos acharemos nunca mais. É  estranho pensar isso, e chega  a doer, mas infelizmente  é  verdade.

Pronto ou não, aqui vou eu.

Na semana seguinte a tudo que aconteceu com Yoongi  eu liguei pro Jackson  e falei que precisava de algo para preencher meu tempo sempre tão livre. Não queria ficar mais parado  em casa. Então ele sugeriu que eu fosse trabalhar no nosso escritório, porém  eu precisava correr atrás  de algo que fizesse me sentir realizado, e a dança fazia isso.

Portanto resolvi entregar o meu currículum de dançarino em uma academia de dança. A principio eu não seria contratado, pois não havia vagas naquele  momento, mas assim que chego em casa recebo a ligação  de que iriam precisar de mim, pois  o cadastro de uma turma infantil acabava de ser finalizado.

— Do que adianta ter dinheiro se você  prefere dar aula pra um bando de fedelho?

Estávamos  vendo série.

— Pois é Kai, o Jimin  saiu da pobreza, mas a pobreza não saiu dele.

Jogo uma pipoca na cara da Aecha  quando ela fala isso.

— Você  deveria ir procurar um trabalho também, ou então  voltar pro seu ex marido em Busan, acha que eu tenho obrigação  de sustentar você  querida?

— Olha aqui Park  Jimin, eu estou doente ouviu. E  se ficar me enchendo com isso, não lhe conto a fofoca.

— Gossip  girl! A garota do blogue.

Diz, Kai.

— Eu nem me preocupo, pois  sei que você  vai contar. A sua língua é maior do que a boca.

Dou de ombros.

— Pois acertou! Eu vou contar mesmo. Sabe  o coiso?

— Não, mas diga  logo.

Eu e Kai  a encaramos.

— O Jae...o coiso...

— Desembucha!

Grito.

— Hoje de manhã  ele colocou as malas no carro e foi embora.

— E  o que eu tenho a ver com isso?

Começo  a rir com Kai. Mas no meu caso era de nervoso mesmo. Na verdade  aquela era uma informação  relevante e não devia importar  mais  importava sim.

— O Jungkook  esta livre seu burro!

Ela me empurra me fazendo cair do sofá.

Só  um tombo como esse, pra me fazer para de ser besta. Porque foda-se Jungkook. Ele que não venha choramingar nos meus pés.

Ta bom, talvez esse meu pensamento esteja meio exagerado. E  no fundo eu tenha um pouco de esperança  de que ele realmente viesse, só  para que eu pudesse pisar nos seus sentimentos como se pisa em uma barata assim como ele fez comigo.

Definitivamente  viver não é  fácil. As coisas mudam em um piscar de olhos e voltar atrás  é  praticamente  impossível.

Não posso retroceder, tampouco buscar os cacos e soldar tudo com uma cola resistente.

Muitas vezes o amor não resiste, não permanece. Então  creio que aconteceu isso comigo  é com Jungkook, o nosso amor falhou  é agora nos resta seguir em frente.

Não sei porque a hipótese de Jungkook vir atrás de mim, veio em minha mente como se isso fosse realmente acontecer. Do nada relembrei tudo o que aconteceu entre a gente.

—  Para de falar em Jungkook que o Jimin agora vai curtir a vida. Aliás  nem pense em contar pro Yoongi  que vamos no club hoje.

Era sexta e não tinha porque não  sair hoje, sem contar que só  começaria a trabalhar na segunda.

— Mas eu já falei, mas ele está no plantão.

— Aliás  você  e  o Yoongi  viraram ficantes fixos ?

Pergunta Kai.

— A gente só  ficou umas quatro vezes. Mas não se preocupe que hoje sinceramente  estou pensando em relembrar os velhos tempos com o Jackson.

Neste instante o semblante de Kai  muda.

Já tem uns dias, depois que ele começou a trabalhar no escritório tenho notado que eles viraram amiguinhos.

Aecha começa  a rir.

— O coração  do Kai  errou uma batida. Tu quer matar o teu melhor amigo Jimin?

Meu amigo bufa  irritado pelo comentário e simplesmente  se retira.

— Você  sabe que eles estão de caso não é  mesmo?

— Desconfio, mas não precisava deixar ele constrangido.

A repreendo.

No minuto seguinte a campainha toca.

Aecha finge que vai atender mas muda o seu percurso indo para a escada.

— Vou pedir desculpas pro Kai, sorry.

Eu vou atender, mas só  na força  do ódio.

— Quem me incomoda?

Digo já abrindo a porta e dando de cara com Jungkook.

Ao menos aparentemente não estava alcoolizado.

— Te incomodo?

Pergunto.

— Com certeza.

Finjo pouco interesse.

Ficamos os dois em silêncio.

— Vai falar porque veio ou vai esperar eu fechar a porta na sua cara?

Talvez eu tenha sido grosso. Não que isso me importasse.

— A gente pode conversar?

— Não. Não tenho mais nada para conversar.

Já ia fechando a porta na cara, mas ele coloca o pé  na frente.

— Dez minutos. Depois disso eu vou embora.

Finjo pensar e o encaro em silêncio.

— Ja começou a contar e digamos que agora você  só  tem nove minutos.

Ele parece relutar um pouco, mas por fim fala:

— Eu e o Jaehyun  não estamos mais juntos.

— E o que eu tenho a ver com isso?

Mais uma vez finjo indiferença.

— Só  queria que soubesse. Consegui convencê-lo  de ir se tratar.

— Tão simples assim? Então porque não fez isso antes? Ah! Deve ser porque você queria mesmo era trair o idiota aqui.

— Só  quero que saiba  que eu me arrependo amargamente por tudo Jimin. Eu sempre fui muito sortudo por ter você. Os melhores momentos da minha vida foram ao seu lado. Talvez todas essas palavras sejam iinsuficientes para expressar todo o meu amor. Tivemos nossos momentos difíceis, até  ataques infundados de ciúmes, uma infinidade de coisas. Te amar todos os dias era o maior propósito da minha vida, mas eu desperdicei inúmeras vezes. Fui te perdendo cada dia um pouco mais, pois mesmo depois de te dizer que te deixaria seguir em frente e ser feliz, eu continuei a te magoar com o meu ciúme, com a minha vontade incontrolável  de não querer que ninguém se aproximasse de você. Eu fui tão  idiota, eu só  quero que me perdoe mais uma vez. Eu sei que jamais poderei ter o seu amor como meu homem de volta, mas sinto falta de te abraçar, de te fazer sorrir nos momentos mais difíceis, enfim,  sinto falta de você  em minha vida, te amar foi incrível demais. Mas como não posso ficar com você, namorar você... queria te pedir ao menos a sua amizade. Eu sei que isso ainda é  muito, mas eu realmente queria que me desse ao menos a chance de ser seu amigo.

Ouço  todas aquelas palavras proferidas por Jungkook  em silêncio.

— Não Jungkook... Não quero nenhum tipo de aproximação  com você. Nem como amigos.

É  o que digo e logo depois fecho a porta.

Fiquei alguns segundos ali, naquela posição enquanto encarava o teto.

— Eu ouvi tudo.

Ouço a voz da Aecha.

— Com certeza você ouviu. Pois é  uma intrometida e  fofoqueira.

Digo tentando disfarçar  uma lagrima traidora que desceu.

—  Não te culpo por me tratar assim, eu mereço. Olha pra mim priminho?

A encaro sem vontade.

— O quem tem demais no pedido dele? Só quer ser seu amigo. Porque não dá  uma chance?

— Não se meta na minha vida por favor.

Digo indo na direção  da escada onde ela estava.

— Não vai se arrumar pra irmos?

Pergunto.

— Vou sim. Só  vim pegar o meu celular  que eu esqueci no sofá.

Eu subo e ela vai pra sala.

Fiquei alguns minutos chorando no meu quarto e encarando a janela do quarto de Jungkook.

Amigos? Não seria tão fácil assim. Eu tinha muito medo de acabar fraquejando. E  eu não podia, não depois de tudo que aconteceu.

[•••]

Depois de mais ou menos três horas já estávamos no clube.

Não foi estranho  ver o quanto Kai  e Jackson  estavam se dando bem. Estava feliz por eles. Mesmo o meu amigo negando até  a morte que eles não tinham nada, era óbvio  que tinham sim.

Aecha falou que estava esperando alguém  e que iria lá  fora ver se ele já havia chegado.

Eu dei de ombros, peguei uma bebida e logo depois fui pra pista de dança.

Estava dançando sozinho mas sinto uma mão  ser posicionada na minha cintura.
Me viro e encaro o desconhecido. Que na verdade  me lembrava alguém, mas não podia dizer quem era.O encaro e começamos a dançar.

— A sua boca... parece  tão boa de beijar.

Diz no meu ouvido e eu sorrio.

"Ele não é um Jungkook  da vida, mas era bonito"

Porra  até  nessas horas eu penso no traste.

— Então porque não beija pra ter certeza?

Proponho já me aproximando. Ele  segura firme na minha cintura, fazendo nossos corpos ficarem praticamente  colados.

Beija o meu pescoço  e depois os meus lábios.

Ficamos alguns minutos naquilo  até  ele  me levar ao bar pra pegarmos algo pra beber.

— Você  vem sempre aqui? Qual o seu nome mesmo?

— Jimin, Park Jimin!

— Me chamo Sungwoon. Não sei, pensei já ter te visto em algum lugar  e agora que me falou o seu nome tenho certeza de que já nos vimos.

— Sungwoon... Sungwoon.

Penso por alguns segundos.

— Lembrei! Casamento da minha prima Mina com o seu irmão.

Poxa vida, era verdade.

— Isso mesmo! Quanto tempo.

Ficamos ali conversando sobre as nossas vidas até  decidirmos estender aquele encontro até  o seu apartamento.

Procuro meus amigos e não os encontro, então resolvi mandar mensagem avisando  que sairia com um amigo.

— Pronto! Podemos ir.

Digo me aproximando do mesmo que estava me esperando próximo ao seu carro.

De repente  o meu celular começa  a tocar.

Era Aecha.

Onde você  ta  little Jimin?

Saindo do club. Vou dormir na casa de um amigo.

Nãooo! Eu tô com uma cólica  desgraçada. Você  precisa me levar pra casa.

Kai  está  com as Chaves do carro. Peça  a ele.

É serio Jimin, eu estou achando que vou morrer.

A rainha do drama na área.

Ok! Estou aqui na saída. Vem pra cá.

Não! Vem me buscar aqui dentro. Eu não consigo achar a saída.

Diz e encerra a ligação.

— Vou entrar rapidinho. A minha prima está  precisando de mim. Me espera aqui ta bom?

Ele concorda e eu entro.

Encontro Aecha sentada em uma mesa das que ficavam afastada do som. Dava pra conversar normalmente.

— Vamos embora?

Digo e ela vira para mim.

— Tem uma pessoa aqui que estava querendo te ver.

De repente Jungkook  aparece com umas  bebidas.

— Jimin?

Eu já o encaro irritado e minha irritação  se estende a minha prima.

— Porque fez isso?

Pergunto olhando diretamente para ela e ignorando o outro.

— Eu não fiz nada.

Se faz de boba.

— O que esta havendo?

Pergunta Jungkook.

— Não seja hipócrita Jungkook, sabia que eu estava aqui por isso veio. Com certeza foi a Aecha  que te falou. Eu já disse que quero distância de você, não quero sua amizade. Não quero nada que te envolva. Entendeu ou quer que eu desenhe?

— Eu juro que eu não sabia. E foi a Aecha que me chamou sim, mas não me disse que você  também  estava aqui. Só  vim me divertir um pouco.

— Ok, então. Se divirta aí  com essa mentirosa, que eu tenho coisa melhor pra fazer.

Quando já ia me afastando Aecha  me puxa  e me faz sentar em uma das cadeiras.

— Perdeu a noção  querida?

A encaro com meu olhar fulminante.

— Me agradeça  depois priminho. Na pior das hipóteses aceite ao menos a amizade. Mas não seria nada mal ter uma noite louca de sexo selvagem com o ex. Não finja, eu sei que você no fundo quer isso.

Diz  próximo ao meu ouvido e depois se  distancia.

— Eu não vou ficar aqui, Tchau.

Digo já levantando e tentando ir, mas sou contido pela mão  de Jungkook  que segura o meu braço.

— Fica, por favor.

Foram segundos até  eu sentir a mão  de Jungkook  ser tirada do meu braço.

— Larga ele! Está  comigo.

Era Sungwoon.

Ele é  bem esquentadinho  pois já chegou empurrando Jungkook.

— Ei...esta tudo bem.

Digo tentando contê-lo.

— Você  esta com ele?

Pergunta Jungkook.

— Achei que já tivesse ficado óbvio.

Digo olhando diretamente para ele.

— Vamos Jimin, quero que conheça  o meu apartamento hoje.

Sungwoon  estava tentando provocar o Jungkook, talvez lembrando da briga que tiveram na festa e que por sinal ele levou a pior.

Quando ia seguir Sungwoon, Jungkook  segura o meu braço.

— Não  vai Jimin, por favor não vai.

Encaro Sungwoon  me esperando e também  Jungkook  quase me implorando para não ir.

Eu não deveria ter nenhuma dúvida. Deveria ir com Sungwoon  uma vez  que já era o meu plano para essa noite. Mas encarar Jungkook  daquele jeito, não sei se conseguiria.

Continua...



🐥🐰🐥🐰🐥









Notas Finais


O que vocês fariam???

1.Me desculpem por esse capítulo meio bosta. Eu assumo que deveria ter caprichado mais. Porém é isso aí, no próximo eu prometo melhorar.

2. Vocês devem estar se perguntando: O Jimin no capítulo passado estava com o Yoongi e agora o Sungwoon. O Jimin agora quer curtir, ok? E também não tem nada sério com o Yoongi. Mas adianto que o Yoongi terá grande importância na vida do Jimin, e ainda aconteceram muitos momentos Yoongmin.

3. O Jaehyun não saiu da história, ao contrário, vai dar um trabalho ainda pra jikook.

Até o próximo meus amores ♥️ eu estou amando essa interação de vocês nos comentários.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...