História Love And Keys - Capítulo 1


Escrita por: e zyixiungsoo

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, D.O, Kris Wu, Sehun
Tags Chanhun, Chanyeol, Exo, Exozone, Krisyeol, Kyungsoo, Sehun, Yifan
Visualizações 236
Palavras 2.684
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Único.


Era uma sexta feira quando Chanyeol saiu de casa todo animado pelo aniversário de um ano com Yifan — que dera extremamente errado —, ele estava vestindo seu moletom preferido, até a calça de couro que Yifan tanto gostava que ele usava, mas nem seu combo de moletom e meias da sorte — que consistiam em um uniforme do Iron Man — ajudaram a salvar aquela noite tão desastrosa, bom, para que entendam é melhor começar do início, onde Chanyeol e Yifan começaram a namorar.

A verdade é que o Park sempre amara demais para uma relação, fazer o quê? Sua mãe sempre dizia que ele era muito rápido e que se apaixonava fácil demais, mas não era algo que ele conseguia controlar não é mesmo? Enfim, eles haviam se conhecido por meio do melhor amigo do Park, Kyungsoo, esse disse que sabia de um carinha muito lindinho da informática, que se ele fosse gay até dava uns beijinhos — se ele não namorasse a Baek, claro —, no início Chanyeol não deu muita bola, mas quando viu o maior, pode-se dizer que foi amor à primeira vista — por parte de Chanyeol, claro —, e acabou que tudo aconteceu rápido demais, ele e o tal do Kris (ou Yifan)  começaram a sair, e quando viram já estavam em um namoro.

O problema é que namorar não era muito com o Wu, ele não sabia como se comportar e acabava deixando o Park ser um pouco grudento demais, e o que Yifan sentia por Chanyeol acabou esfriando e se tornando nada mais que um amor muito grande, mas não de maneira romântica, e bem, Kris sabia que Chanyeol gostava dele pra caramba, não queria machucar os sentimentos do pobrezinho, mas acabou dando aquele pé na bunda nele naquele aniversário de um ano.

Chanyeol ficou desolado, ele havia deixado de tomar café pra juntar dinheiro para comprar aquela jaqueta caríssima que o maior estava de olho na vitrine no mês passado, tinha dividido em milhões de prestações e no final das contas fora tudo em vão…. Chanyeol não poderia se encontrar mais que devastado.

Ele adoraria ter o ombro do melhor amigo pra chorar e se lamentar — obrigando o mesmo a fazer um daqueles cafunés gostosos até ele dormir exausto de tanto chorar —, a verdade é que Kyungsoo tinha um lugarzinho reservado no céu, sempre que o Park precisava ele estava lá, o mesmo tinha até digitado todo o trabalho de direito penal quando Chanyeol havia quebrado o braço, e mesmo que não gostasse de admitir — sempre iria falar que “O tempo que você digita com a mão esquerda é a mesma que a minha avó leva pra tirar o carro da garagem, e ela nem dirige” —, ele se preocupava pra caramba com Chanyeol, afinal ele sempre soubera que o Park era bobinho, muito crianção e facilmente amava as pessoas, o que poderia ser algo extremamente bom, mas sempre fazia o mesmo bater de cara na parede da realidade, pois nem sempre era correspondido.

Chanyeol amava muito, esse era o problema, e Kyungsoo sempre tinha as melhores soluções, seja com seus cafunés, seja com seus lanches na madrugada, ou até mesmo ficando ali do lado de fora da porta esperando o mesmo parar de chorar… Ele era um amigo e tanto.

Mas Chanyeol não poderia o incomodar essa noite, mesmo sabendo que ele largaria o que estivesse fazendo para ir consolá-lo, Chanyeol não podia evitar se sentir culpado, poxa, ele estava falando daquele jantar com a Baek fazia dias, também não era justo com a baixinha roubar o namorado dela por causa de uma besteira dessas… Chanyeol decidiu remover Kyungsoo dos seus pensamentos e apenas entrar no maldito prédio, as palavras de Yifan ainda ecoavam na sua cabeça “Eu ainda te amo Chan, mas não estou mais apaixonado por você", um tapa no meio da fuça do Park teria doído menos que aquele discurso de “Ainda podemos ser amigos?” que ele já havia decorado depois de tantos romances, a verdade é que Chanyeol gostaria de ter toda a coragem daquelas mocinhas de comédias românticas e falar logo aquele “Não” na cara de Yifan, mas a única coisa que conseguiu dizer foi “Claro” e sair correndo dali o mais rápido possível como o grande covarde que era.

Ele não conseguia mais prender as lágrimas, era mais ou menos como quando uma pessoa estar com muita vontade de fazer xixi mas ainda está na rua, por estar na rua ela tem noção que não pode simplesmente abaixar as calças e mijar ali, mas assim que chega no elevador do prédio bate aquela vontade de mijar tão forte que pode te fazer até mijar na roupa se não for rápido, e bem Chanyeol estava a ponto de mijar pelos olhos, já no elevador ele não aguentava mais prender as lágrimas, muito menos manter o nó na sua garganta preso, ainda perdido em seus devaneios e com a visão embaçada pelas lágrimas que já começavam a ser derramadas, nem notou o garoto sentado na porta à frente da sua, apenas bateu a cabeça contra a entrada quando a chave caiu e apenas desabou ali, na frente daquele vizinho de olhar inexpressivo com quem ele raramente trocava mais que um “Bom dia", mesmo que esse vivesse em sua casa por conta de Kyungsoo que era pelo que ele ouvira falar, um dos poucos amigos do Oh.

Chanyeol se sentia patético por estar chorando daquele jeito na frente de um desconhecido, mas parecia que tudo tinha dado errado naquela noite, o seu encontro, estava sem seu melhor amigo, estava sem as chaves de casa — pois na pressa para sair de casa havia pegado o molho com as chaves da casa da sua mãe —, e pra variar agora estava passando por aquela humilhação na frente do vizinho bonitão que parecia estar assustado com o berreiro que Chanyeol estava abrindo ali no corredor.

— Você tá chorando só por ter esquecido a chave? Cara, eu também esqueci, não é muita coisa não, se acalma… — o Oh disse tentando consolar Chanyeol que a essa altura já soluçava alto, sorte que a única vizinha deles naquele andar era a senhora Zhou, uma velhinha chinesa que usava aparelho auditivo. — Cara, não fica assim, pessoas esquecem as chaves todos os dias ok? Hoje fomos nós, amanhã é outra pessoa, tá na vida sabe?

— Não me fale de vida! — Chanyeol disse ainda com a voz tremendo com o choro.

— Por que você tá chorando, Yeol? — ao ouvir o apelido ele chorou ainda mais pois lembrou de como o Yeol saía bonitinho na boca do chinês — Sem Yeol, ok, desculpa, mas por que você tá chorando, Chan?

— Por tudo, eu sou a porra de um azarado do caralho! Eu quero explodir! — disse já voltando a chorar, mesmo não tendo parado.

— Chan, olha pra mim sim? — pegou no rosto do mesmo para fazê-lo o encarar. — Me explica tudo direitinho, o Soo vai demorar a chegar, você pode chorar comigo então ok?

— Não quero te encher. — disse tímido.

— Eu já estou entediado, joguei todos os meus joguinhos no celular, não tem atualização nenhuma da minha fanfic preferida e não tem atualização nenhuma no twitter, então você não vai estar me enchendo. — disse e Chanyeol se pôs a falar.

— Então, foi assim, eu tava fazendo um ano com o Yifan sabe?

— Aquele gigantesco que vem aqui?

— O próprio, o negócio é que ele terminou comigo, ele disse que o amor dele me esfriou e até pediu pra ser meu amigo… — disse e Sehun abriu a boca de queixo caído.

— Ele realmente fez isso?

— Sim, e eu disse que não me importava e sai correndo, o negócio é que eu não consigo ser amigo dele, poxa, como que eu vou ser amigo de alguém que eu amei tanto e que devastou meus sentimentos? — perguntou chorando.

— Mas Chan, você não vai se sentir assim por muito tempo não, uma hora você supera ele, aí ele vai ser tipo aquele chiclete que você pisou e ficou a marca no all-star novo sabe? Nem vai mais incomodar. — disse não ajudando muito.

— Você é péssimo em consolar as pessoas Sehun, você nem ouviu a pior parte… — Sehun arregalou os olhos, tinha como ter uma parte pior?

— Ai meu deus… Tem uma pior parte? — a essa altura Sehun estava com tanta dó do Park que parecia sentir seus sentimentos… Fazer o quê? Ele pegava muito as dores dos outros para si.

— Sim, eu fiquei um mês inteiro sem comprar meu paizinho de queijo e meu Danete, eu tava indo pra faculdade sem comer nada de manhã, só pra comprar essa porra de jaqueta cara pra caralho pra ele… — disse e Sehun apenas franziu a testa, o Park estava tão chateado que fazia Sehun querer chorar. — Sabe qual é o pior? É que eu nem posso devolver a jaqueta, parcelei em um milhão de vezes, mas também não posso nem usar ela porque toda vez que eu colocar vou lembrar daquele filho da puta lindo.

— Chan, eu não tô querendo defender ele não, mas ele não fez certo? Terminou com você antes dele te machucar… — disse meio apreensivo recebendo um olhar mortal do mesmo.

— Caralho Sehun, você acha que eu não sei disso? Eu quero reclamar caralho… Quero xingar ele, mesmo que ele esteja certo, eu quero reclamar! — disse fazendo Sehun rir e tombar seu rosto fazendo assim Chanyeol se deitar em seu colo.

— Então reclama Chan, pode falar… O Soo-hyung não está aqui mas eu estou ok? Pode despejar suas amarguras. — disse enquanto fazia um carinho meio bruto no cabelo do mesmo.

— A que ponto eu cheguei? Eu sempre falei que não ia chorar por carinha nenhum, que eu era melhor que isso, mas Sehun-ssi, tomara que eu exploda, eu bati com a boca no arame, quero só esperar o Kyung chegar entrar pro banheiro, tomar aquele banho e chorar até o dia amanhecer enquanto eu vejo filmes do estilo 10 Coisas que eu odeio em você. — disse e Sehun deu uma risadinha.

— Me chame quando for ver, não perco uma oportunidade de ver Patrick Verona, está tudo bem chorar hyung, não é um pegado ou um crime nacional sabe? As vezes é bom chorar e xingar a pessoa, mesmo que ela esteja meio certa, tá beleza xingar ele por um tempo. — disse e Chanyeol achou engraçadinho aquele cara tão mais novo que si lhe dando conselhos e ouvindo suas lamúrias.

— Você é legal Sehun, por que não somos amigos? — perguntou e Sehun ficou vermelhinho.

— Porque eu te acho uma gracinha mas você namorava. — disse e foi a vez de Chanyeol corar.

— Você gosta de mim? — perguntou após um longo silêncio confortável, Sehun ainda não tinha parado de brincar com as pontas ressecadas do cabelo azul de Chanyeol.

— É mais um tipo de amizade barra crush platônico sabe? As coisas que o hyung fala de você me faz parecer que seríamos muito amigos, mas por mais que não pareça nessa conversa eu sou muito tímido hyung, não sei dar primeiro passo pra nada, e sempre me lasco. — disse e Chanyeol agora brincava com os dedos.

— O que Kyungsoo te contou que o faz achar que seríamos amigões? — perguntou agora brincando com a barra da camiseta preta com a estampa do Bleach de Sehun.

— Ah, várias coisas hyung, somos bem parecidos até, ele disse que você sempre chora vendo “10 Coisas que eu odeio em você “ porque sente falta do nosso Heath Ledger, e também porque fala que ninguém cantaria “Can't take my eyes off you" em público pra você, eu sou do mesmo jeito sabe? Meu filme preferido também é “O Morro dos Ventos Uivantes", a versão de 2009 claro, porque a última meu Deus… Enfim, ele disse que você fez patinação por um ano inteiro até perceber que não levava jeito pra coisa só porque viu Yuri!!! on Ice, e hyung, até hoje patinar é uma das minhas coisas preferidas… Fora que Soo-hyung disse que você gosta de ler livros que ninguém mais liga ou leu e nos somos iguais nos quesitos da sétima arte, sério!

— Então seja meu amigo, Sehun-ah. — disse e Sehun deu uma risadinha.

— Não posso ser seu amigo hyung, eu não curto muito Friendzone sabe? Já me lasquei muito por causa da maldita… — disse.

— Mas você me parece legal, qual a diferença entre você gostar de mim sendo meu amigo e não sendo? Você sendo meu amigo ainda ficaria perto de mim e não me deixaria sozinho. — Sehun estalou os dedos da mão – um tique nervoso que tinha quando estava enrolando.

— Hyung, é legal ver você de longe, sabe? Eu sei que uma hora vai passar e o penhasco que eu tenho por você vai parar de existir, mas se eu passar tempo com você acha mesmo que vou conseguir seguir em frente? — disse e Chanyeol acenou com a cabeça mostrando que entendia o ponto do mesmo.

Um longo silêncio se instalou, mas não era um silêncio desconfortável, muito pelo contrário, cada um dos dois estavam absortos demais em seus pensamentos para. conseguirem formularem uma frase sequer, imagine um diálogo…

Ficaram ali por longos minutos que acabaram virando horas, de vez em quando comentavam algo entre si, até mesmo brincaram e listaram os filmes que já haviam visto, Sehun ficou sabendo assim que Chanyeol era um cinéfilo ainda mais assíduo que imaginara, e bom… Chanyeol que nunca havia parado para pensar no Oh, teve a chance de passar algumas horas com o mesmo de encantando pela personalidade divertida que acariciava os cabelos.

Não tardou muito para Kyungsoo chegar, com um sorriso no rosto e as mãos no bolso da calça — sempre preta — pegando os dois ali, na porta da sua casa praticamente dormindo, Chanyeol estava esticado no chão deitado com a cabeça no colo do Oh enquanto este apenas se escorava na parede, eles pareciam murmurar algo — provavelmente sobre algum filme —, quando notaram que Kyungsoo estava de volta se levantaram correndo para abraçá-lo, Kyungsoo era um amigo muito querido para ambas as partes.

— Hyung, não vai acreditar, perdi minha chave, eu sei que o Jongdae-hyung deixou a dele com você, preciso urgentemente dela senão vou cagar na roupa. — disse fazendo Kyungsoo rir.

— E você Chanyeol, por que está em casa? Não ia ficar no Kris? E por que não entrou? — bombardeou.

— N-nós meio que acabamos sabe? E pro meu azar eu peguei as chaves da casa da minha mãe, então fiquei aqui fora fazendo companhia pro Sehun-ssi. — disse desarrumando os fios do cabelo do mesmo é o puxando para perto.

— Entendi, vamos entrar então. — disse abrindo a porta fazendo todos o seguir até a cozinha e pegar no chaveiro a cópia das chaves de Jongdae. — Toma Sehun, se eu fosse você não deixava ele saber que você perdeu a chave mais uma vez, vai ser a sexta já.

— Pode deixar Hyung, vou trabalhar duro em não perder minha chave. — disse exaltando a voz fazendo Kyungsoo soltar um “Shhh”.

— Que seja garoto, Chanyeol acompanha ele até a porta que eu vou descarregar. — disse indo em direção ao banheiro.

Chanyeol seguiu até a porta com Sehun parando na mesma quando o outro saia.

— Nos podemos tentar você sabe… — disse e Sehun riu rapidamente.

— Não seria justo hyung, eu gosto muito de você, mas sei que está falando isso porque está triste com o Kris. — disse e Chanyeol pensou se era mesmo aquilo.

— Tudo bem Sehun-ah, siga pra sua casa e tenha um ótimo descarregamento. — disse e Sehun o fez, Chanyeol não sairia da porta até vê-lo entrar.

— Me procure quando já não estiver mais magoado com o Kris, nós tentaremos então, e eu vou ser um ótimo “amigo”, hyung — disse e já estava fechando a porta quando ouviu:

— Não vejo a hora, não se preocupe Sehun-ah, eu vou voltar.

E bem, eles tentaram devagarinho, não era certo que iria dar tudo Ok, mas Sehun finalmente teria alguém para cantar “Can't take my eyes off you" e Chanyeol iria poder finalmente conversar horas afinco sobre seu tema preferido: Cinema, tudo isso por causa daquele encontro desajeitado nos corredores do prédio após um termino não tão desastroso assim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...