História Love Bites - Imagine Kim Taehyung. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, voltei com o segundo capítulo da fanfic. Os títulos dos capítulos sempre seguirão um padrão: às vezes um trecho da música de "Love Bites" em inglês que está na sinopse da história e me inspirou a escrever a fanfic ou nomes de episódios de The Vampire Diaries (minha série de vampiros favorita).

Como é o caso desse capítulo com o nome do episódio 16 da 2ª temporada da série: "A hóspede". Esse episódio me traz boas lembranças e como a ________ é a nova hóspede da mansão é perfeito. Espero que aproveitem o capítulo de hoje.

Capítulo 2 - A hóspede.


Fanfic / Fanfiction Love Bites - Imagine Kim Taehyung. - Capítulo 2 - A hóspede.

     Fui carregada por toda a floresta de Yongsan até chegar em uma casa enorme, seriam muitas horas de corrida e exploração até alí, mas com a super velocidade dele, chegamos em poucos minutos. Acho que conseguimos despistar os lobos.



Ele para quando chegamos na varanda e eu desço de seu colo ainda meio desnorteada e um pouco tonta da viagem. Penso nos meus pais e nas minhas amigas... Eles ficarão preocupados se eu sumir por muito tempo. Um leve receio me toma, mas afasto rapidamente o sentimento. Eles podem viver sem mim por uns dias.



—Vamos entrar - Ele fala e me leva até o salão principal.



Tudo é impressionantemente bonito, com um toque vintage de pelo menos dois séculos passados. É espaçoso e repleto de quadros, há algumas estantes nos cantos com livros empoeirados, o sofá parece bem macio e acolchoado.




—Você quer parar de analisar tudo e sentar logo de uma vez? - Ele reclama e me sento olhando pro homem à minha frente.


—Me desculpe, não quero ser invasiva.


—Por que você não pode ser hipnotizada? - A irritação fez seu tom de voz aumentar e ficar mais grosso do que de costume. Ele me dá medo.


—Eu não sei...


—Claro que sabe! Você tem que saber, você é um deles não é? Só seres sobrenaturais não são afetados pela hipnose dos vampiros.


—Ah então você é um vampiro? Eu pensei nisso quando você se alimentou de mim mas queria ter certeza, isso é muito fascinante.


—Olha só garota, eu não sei o que você acha que tá acontecendo aqui, mas isso é vida real e espero que responda às minhas perguntas.


—Eu sei tanto quanto você. Você poderia tentar ser gentil pelo menos uma vez não é? Eu fui perseguida, meu sangue foi drenado, fui carregada pela floresta por um estranho com lobos gigantes me perseguindo e ainda assim estou tentando manter a calma.





Ele passa a mão nos cabelos castanhos os bagunçando de forma nervosa, seus fios parecem tão esvoaçantes e macios que tive que me concentrar pra continuar focada na conversa. Seus olhos voltam a ficar vermelhos e selvagens, concluí que eles devem mudar de cor nesses pequenos picos de emoção que ele tem, quero anotar todos os detalhes em minha mente pra pelo menos tentar entender a situação.




—Me desculpe ok? Eu só estou nervoso. Estamos em guerra por séculos, mas nunca chegamos em um momento tão decisivo quanto agora. Só que ainda não sei se posso confiar em você.




Ele parece genuinamente sincero e o pedido de desculpas me fez relaxar um pouco. Seu olhar se torna avaliativo enquanto eu o observo, ainda de pé em sua pose de dominância.




—Estive te observando por semanas, você parece somente uma humana normal pra mim. Seu cheiro é humano, mas lobisomens às vezes não têm cheiro de lobo predominante por causa da metade humana. Mesmo sendo lua cheia hoje, você não manifesta nenhum impulso animal... Então por que você é imune à hipnose?


—Eu não sei. Isso que tô tentando te dizer. - Olho para meus próprios joelhos, um pouco tensa e desnorteada e confesso, não entendendo a maior parte do que ele fala - Por que você ficava me perseguindo? - Tive receio de perguntar isso na lata, mas não conseguia parar de pensar nisso. Ele parecia um psicopata mais cedo e agora está agindo normalmente. Isso é, no mínimo, apavorante.


—Você era simplesmente a presa da semana. - Fala em tom casual, como se falasse do tempo ou das rodovias da cidade, ainda assim não consigo compreender.


—Mas pra quê fazer tanto mistério e aparecer pra mim e me fazer sentir pavor? Não era mais fácil só se alimentar, me hipnotizar e sair?


—Um gato perde interesse pelo rato se ele for fácil demais de pegar certo? Faz parte do instinto de caçador.


—Ainda não entendi aonde você quer chegar.


—Perseguir, investigar sobre a vida da pessoa, entrar na casa e saber de seus segredos costuma ser mais excitante do que se alimentar. - Ele vem e se senta ao meu lado no sofá - Eu só deixo meu instinto predador aflorar.


—Isso dá muito medo. - Confesso e rio de nervoso - Mas você não pretende se alimentar de novo né? Doeu muito quando você fez isso. - Seu olhar desce para o meu pescoço e me arrependo na hora de perguntar.


—Depende muito. Se eu tiver vontade e você for a presa mais perto disponível - Ele parece considerar seriamente isso, o que não me satisfaz nem um pouco - Não tem nada de muito interessante em sua mente também, você é normal. Até mesmo o seu complexo de inferioridade por ser apenas uma humana sem ter presenciado nenhuma aventura é divertido. Mentes adolescentes em sua maioria são muito transtornadas, mas são estimulantes como algodão doce. Ótima maneira de passar o tempo ______, você sabia de alguma forma que criaturas como eu existem, isso pode ser uma lembrança sua há muito tempo apagada.


—Obrigada pela parte que me toca. Não preciso ficar te ouvindo tirando sarro de mim, parece besteira, mas pelo jeito você entende como é. Você acha que alguém pode ter apagado minha mente?


—Duvido muito que tenha sido intencionalmente, penso que são lembranças levadas pelo tempo.


—Eu tô muito ferrada né? - Rio pra mim mesma de nervoso, eu vim atrás disso e acabei me envolvendo por vontade própria, eu sou uma idiota.


—Você está sendo sincera o que é bem esperto da sua parte, porque só estou sendo gentil pois você não apresenta risco.


Seu olhar se torna frio e afiado de repente e dá facilmente pra acreditar que esse rosto doce de príncipe pode fazer coisas cruéis se necessário. A dualidade dele me confunde e me atrai, ele é um enigma muito interessante de tentar decifrar e o fato dele responder minhas perguntas me reconforta.


—Você sendo você não apresenta risco, mas o que você sabe é valioso e eu não posso simplesmente te hipnotizar e te forçar a esquecer isso. E acredite se eu pudesse eu faria sem hesitar, sem me importar se você esperou por isso a vida toda ou não. Só que não posso te deixar sair assim, você sabe quem eu sou e o que eu sou. Não quero correr o risco de deixar minha cidade e dar aos lobos uma vantagem, não mesmo. Você vai ficar aqui comigo até eu resolver tudo isso.


—Tudo bem por mim - Afirmo de forma calma e sincera, o que é estranho porque estou tecnicamente largando minha vida e nem sei quão temperamental ou perigoso esse vampiro pode ser - Os lobos que você se refere, são lobisomens mesmo? O clichê de vampiros e lobisomens viverem em guerra acontece no mundo real também?


—É. Mas não tem nenhuma garota pros dois lados disputarem como no seu filme favorito de vampiros cor-de-rosa que brilham no sol - De repente me sinto constrangida por ele ter invadido minha mente, ele sabe até os mínimos detalhes e isso é desconcertante - Depende da nossa existência. É muito mais sério que isso, minha vida e dos meus amigos e família dependem disso. De não sermos mais a caça deles.




Ele joga essa informação e o ar fica um pouco mais pesado e estou começando a me sentir um pouco mais empática com ele. Ele está sendo um pouco mais educado agora e isso me dá esperanças de continuar o conhecendo. Como seres tão poderosos quanto os vampiros podem ser caça? Isso parece assustador, não gostei nada de ter sido usada pra ele se alimentar, mas como ele falou eu era só mais uma que ele escolheu, seria só uma vez e ele iria embora, eu não seria caçada pra sempre. Do jeito que ele falou... Parece que ele vive a eternidade fugindo e se escondendo. Não consigo me imaginar em uma situação assim.




—Ah, por favor... Eu não preciso da sua pena. - Ele dita em tom irônico e eu solto uma risada surpresa.


—Você quer por favor sair da minha mente? - Suspiro e volto a olhá-lo agora com mais coragem, apesar do ego aparentemente ferido ele tem um brilho divertido nos olhos. Então ele tem um certo tipo de humor mórbido às minhas custas... gosto dele no mesmo momento.


—Qual o seu nome? Perguntei isso um pouco tarde, desculpe.


—Kim Taehyung. - Ele sorri levemente e se curva, agora em sua forma 100% educada.




Um fato engraçado sobre ele é que suas expressões em si não entregam muito suas emoções, seu olhar é responsável por isso e apesar de muitas vezes ser indecifrável isso só me cativa. Kim Taehyung... O nome dança em minha mente gravando ele na memória. Sim, Kim Taehyung é cativante.




A idéia de fugir nem passou pela minha cabeça e acho que ele não tentou me prender em um quarto ou me acorrentar porque sabe que eu sou curiosa, que eu esperei por isso o tempo todo. Ele entrou na minha mente pra buscar informações, mas não posso deixar de me sentir um pouco envergonhada agora. Não sei como isso funciona, mas ele parece me entender um pouco melhor.




–Taehyung, mas que surpresa te ver em casa com uma humana! - Um novo rapaz falou sorrindo assim que entrou pela porta da frente - Namorada?


—Presa - Respondeu - Ela não pode ser hipnotizada. Como não quero ser descoberto eu trouxe ela comigo.




Há algo como um laço fraternal ou no mínimo amigável entre eles já que o Taehyung sorri levemente para ele mesmo depois de ter sido pego de surpresa. O rapaz se aproximou de mim, se curvou como os costumes asiáticos pedem e beijou minha mão como um perfeito cavalheiro.



—Sou Jimin, melhor amigo dele, prazer em te conhecer humana - Ele sorri e aperta os olhos tornando difícil saber se ele me enxerga agora ou não.




Jimin tem cabelos pintados de rosa, é um pouco mais baixo e com lábios carnudos. Ambos os vampiros usam roupas tão atuais e agem de forma tão casual que aos olhos de todos parecem simplesmente normais. Eles realmente se camuflam bem na nossa sociedade.



—É um prazer também Jimin. Sou _______.


—Nome legal ______, diferente. Pela sua aparência é ocidental - Ele fala tão relaxado que gosto dele na mesma hora, ele parece ser uma pessoa bem fácil de lidar - Então não pode ser hipnotizada hum? Isso é muito interessante, mas um pouco ruim já que a fome sempre bate.




Ele afasta a mão dos seus lábios e vira a palma da minha mão pra cima, passando o polegar na veia principal do pulso. Recolho meu braço com certa velocidade com medo de ser atacada novamente e quando olho pra Taehyung ele nos observa com uma expressão impassível. Claramente incomodado.



—Você pode arrumar sua própria presa, tire as mãos da minha - O tom de voz mais grosso e assustador voltou e sinto um arrepio na espinha. Quando Taehyung olha pra Jimin seus olhos se tornam ligeiramente vermelhos, mas voltam ao castanho novamente e ele sorri friamente como quem dá o recado. Taehyung é belo como um anjo, mas tem um lado incrivelmente assustador.


—Você é terrivelmente possessivo com suas coisas. - Jimin rola os olhos e se senta na poltrona a nossa frente - Relaxa cara, só queria ver até onde essa garota é importante pra você. Você sabe que eu prefiro bolsas de sangue.


—Então Jimin, você mora aqui com ele?


—Sim. Alguém tem que aguentar esse cara marrento pelo resto da eternidade certo? - Ele aperta as bochechas de Taehyung, enquanto ele fica irritado, isso me diverte. Jimin deixa o ar mil vezes mais leve - Pelo jeito ele não te apresentou a casa, algo me diz que você veio somente com a roupa do corpo, que não está em um bom estado agora.




Olho para minhas vestes na hora e vejo que ele tem razão. Tem sangue na minha blusa de farda e alguns rasgos na meia 3/4 direita, provavelmente feitas por galhos na hora em que corríamos a mil na floresta fugindo dos lobos.



—_______ vou te arranjar umas roupas e toalha pra você tomar um banho e ficar mais à vontade, prometo que darei a devida bronca para nosso péssimo anfitrião - Ele pisca para mim como em um ato de cumplicidade e sorrio - Vem, vamos invadir o guarda-roupas dele. Ele odeia isso.



Subo as escadas da mansão e viro à esquerda no corredor seguindo Jimin. O quarto dele é enorme e uma suíte o que torna tudo bem mais fácil. Jimin pegou o menor conjunto de moletom de Taehyung, me guiou até a máquina de lavar e secadora pra eu poder usar minhas roupas íntimas e me deu uma toalha. Ele me deixa muito à vontade facilmente, seria um ótimo amigo, tenho certeza disso.



—Obrigada por ser tão gentil Jimin. Estou mais tranquila agora. - Sorrio e me curvo enquanto ele fala um "não foi nada" e se dirige à saída.



Posso me acostumar a isso. Mas ainda preciso de tempo pra pensar em tudo e um bom banho no chuveiro sempre é a solução pra isso. O dia foi longo e tenho muito pra digerir e aceitar ainda, tudo ainda parece tão irreal que agora de olhos fechados com as gotas de água caindo em mim... É como se quando eu abrisse os olhos eu voltaria pro meu banheiro e Taehyung não estaria mais lá embaixo, só seria fruto da minha imaginação. Isso traz tranta angústia de repente que só abro os olhos, o alívio de estar no banheiro luxuoso da mansãoé quase sufocante e gratificante.




Visto as novas roupas e me olho no espelho. Ainda sou eu, inteiramente eu, como sempre. Me sinto diferente agora, me sinto mais em paz como se eu estivesse exatamente onde devo estar, cumprindo meu destino. É estranho sentir isso e de certo modo muito vaidoso da minha parte, mas me sinto realizada, finalmente estou me olhando sem julgamentos, desde muito tempo.



Assim que coloco a mão na maçaneta para abrir a porta eu escuto passos e as vozes deles, parece algo confidencial o que aguça ainda mais minha curiosidade pra continuar ouvindo escondida.



—Estou te dizendo, tem algo diferente no sangue dela. Tenho que controlar minha ânsia a todo o momento, é torturante. Eu normalmente só atacaria sem consentimento dela, mas tem algo impedindo.


—Talvez seja o bom senso. Você é muito rude às vezes, isso afasta as damas e você parece interessado nela. É até bom, porque tem séculos desde a última, você é um cara muito parado, é até difícil de acreditar.


—Não seja idiota Jimin, ela é só uma humana.


—Eu vi como olha pra ela. - Silêncio no corredor, eles parecem em um impasse e só de ouvir eles dá pra saber que Taehyung é do tipo difícil. O que é uma pena pra mim que me interessei nele há poucos minutos antes - É estranho Taehyung, eu acho que ela nem mesmo humana é.


—O quê? É loucura, a garota não têm lembranças sobrenaturais e nem cheira a vampiros ou lobos. Só o cheiro humano.


—Os únicos seres sobrenaturais não são somente os vampiros e lobisomens. Tem os que deram origem à eles, os seres originais que vivem escondidos desde que a guerra se tornou árdua...


—________, escutar atrás da porta é um ato muito lamentável para uma moça - Taehyung abre a porta e eu encaro seu rosto impassível com muita vergonha.


—Como você...? - Jimin parece incrédulo - Eu não te escutei e nem senti seu cheiro se aproximar.


—Acho que sei com que tipo de criatura estamos lidando - Taehyung fala com um sorriso no rosto, se sentindo vitorioso por algum motivo - Não conseguimos ouvir ela porque ela não quis ser ouvida, ela usou um feitiço sem nem mesmo sentir. Só uma bruxa se aproximaria assim sem ser notada.


—O quê? Mas isso não faz sentido, eu não tenho nenhum abracadabra ou coisa parecida. Pode tirar isso da cabeça.


—Essa é a única explicação, isso é totalmente útil para nós - Seu sorriso fica ainda mais largo - É por isso que os lobos estavam perseguindo ela, queriam ela do lado deles.


Ser a hóspede da casa talvez seja mesmo uma idéia ruim.


Notas Finais


Apesar de ser uma fanfic flop... Está sendo divertido produzir ela. Por favor deixe comentários, suas teorias ou idéias pra história, o apoio de vocês me ajuda bastante.

Obrigada por tudo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...