História Love Born in Crime - Imagine Jungkook HOT (Hiatus) - Capítulo 5


Escrita por: e mykasa

Postado
Categorias (G)I-DLE, Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, HyunA, Seventeen, TWICE
Personagens Baekhyun, BamBam, Chaeyoung, Chanyeol, Chen, D.O, Dahyun, HyunA, Jackson, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jinyoung, Jung Hoseok (J-Hope), Jungyeon, Kai, Kim Mingyu, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lay, Lu Han, Mark, Min Yoongi (Suga), Mina, Minnie, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Sana, Sehun, Suho, Tao, Tzuyu, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags Bangtan Boys, Crime, Criminal Love, Exo, Fanfic, Got7, Hoseok, Imagine, Imagine Hoseok, Imagine Jeon Jungoook, Imagine Jungkook, Imagine Lay, Imagine Namjoon, Imagine Sehun, Imagine Seokjin, Imagine Taehyung, Imagine Yoongi, Jeon Jungkook, J-hope, Jin, Jungkook, Kai, Kook, Kookie, Kpop, Lay, Luta, Mina, Momo, Namjoon, Romance, Sana, Sehun, Seokjin, Seventeen, Suga, Taehyung, Titiakim, Twice, Tzuyu, Você, Yoongi
Visualizações 480
Palavras 5.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii anjos, então, eu fiz 15K de palavras nesse capítulo mas eu fui copiar do meu bloco para postar aqui porém apagou tudo e eu consegui recuperar apenas isso.

Eu nunca fiquei tão chateada na minha vida, eu juro que pensei até em excluir essa fanfic de tão desabilitada que eu fiquei, mas eu amo muito esse projeto e amo vocês!!

Vou tentar recuperar o restante e quando eu conseguir eu postarei (vou fazer se tudo pra postar hoje ainda - caso eu consiga)

Quero explicar que, eu entrei em hiatus nesse mês de férias pois muitos parentes meus morreram nesse meio tempo, incluindo um primo e um tio que eu era muito próxima, espero que entedam!

Boa leitura ❤

Capítulo 5 - Chapter Five - Action


Fanfic / Fanfiction Love Born in Crime - Imagine Jungkook HOT (Hiatus) - Capítulo 5 - Chapter Five - Action

[LEIA A NOTA INICIAL]

 

Bielorrússia | 16:01 pm | Seu Nome

Me deparar com aquela silhueta incógnita era um fato plenamente forasteiro. Não é todo dia que contratamos pessoas novas para a máfia, e com esse próximo passo se torna ainda mais improvável. Pensei em tudo que há de explicação para a presença de tal, mas não cheguei em nenhuma conclusão concreta à meu favor.

Com um tempo de conversa sobre o que haviamos visto, eu e Momo bolamos algo para não sairmos perdendo de maneira alguma. Tudo até então estava contra todos nós, mas na verdade nem tudo estava acabado por completo. Ambas as máfias estavam com as armas prontas para ataque, mas nenhuma estava com munição suficiente, e era isso que o informante estava fazendo aqui - procurando saber mais informações para ficarem acima de tudo e todos. Nossa única opção foi conseguir a munição antes dos rivais, e o plano que conseguimos pensar em menos tempo já estava entrando em ação.

As pressas, eu mandei uma mensagem de texto para Yoko resumindo brevemente o que estava acontecendo e pedi para que não reagissem com expressões faciais. Depois de um tempinho disfarçando, ela deixou o jardim junto a Jimin e em seguinda eu e Momo aparecemos por lá, como verdadeiras primas prontas à contar um segredo intrigante. Rolei meus olhos vendo a silhueta atrás das árvores nos espionando e então decidi fazer tudo o mais rápido possível.

- Preciso te falar uma coisa - Transformei meu momento sorridente em um semblante sério - Titio está com problemas - Suspirei - Não iremos agir hoje como planejamos, nossa máfia não está preparada o suficiente para ataque, teremos que remarcar.

- Não se preocupe, assim será melhor, eles estarão menos preparados e tudo ocorrerá mais fácil - Momo entrou no jogo, dizendo em forma de conforto com um sorriso um tanto tênue. Como estava gostando do que estávamos fazendo, iriamos continuar mas fomos cortadas pela voz suave de Suho.

- Garotas venham esperimentar minha sobremesa! - Gritou o rapaz e então, eu e Momo nos olhamos finalmente entrando em casa.

- Vocês foram curtas e ótimas, ele gravou tudinho e já está indo atrás do chefe para passar as informações erradas - Gargalhou Yoko num tom cheio de deboche, mas não discordo, a pessoa tem que ser bastante idiota para cair numa furada dessas.

- Então... Ainda precisarão da minha ajuda ? - O garoto se aproximou coçando a nuca claramente cansado.

- Oh, não - Balancei minhas mãos em negação - Obrigada por ter nos ajudado - Sorri em agradecimento e recebi um selar na testa assim como as outras garotas antes do mesmo subir e desaparecer no corredor - Não. falem. nada - Semicerrei os olhos para ambas que sorriram sapecas preparadas para fazer gracinha.

Bielorrússia | 16:39 pm | Hector Pierre

- Senhor Pierre ? - Um de meus empregados adentram minha sala e eu faço sinal para que prossiga - O informante Aaron está aqui para trazer notícias sobre a máfia Mean Girls da Eurásia.

- Oh, mande-o entrar - Ajeito meus papéis acima da mesa e me sento em minha cadeira enquanto aguardo um dos meus informantes mais competentes em que coloquei para monitorar essa máfia tão almejada por mim.

A máfia da Eurásia não é qualquer uma. Além de ter muito poder sob o governo Russo, ela se divide em dois continentes - europeu e asiático - tendo assim, ainda mais lucros. Por esse e outros motivos eu cobiço ter todo esse império em minhas mãos, mas tenho consciência que não será fácil, pois há uma garota, a protegida, e eu terei que acabar com ela caso queira algo.

- Olá Aaron, sente-se por favor - Me desligo dos meus devaneios vendo minha silhueta favorita passar pela porta com um sorriso de saudação - Soube que tem notícias novas, espero ser boas - Gargalho sem humor e o mais novo me acompanha.

- Eu fiz o que o senhor pediu e tenho certeza que irá gostar do que tenho para falar.

Bielorrússia | 16:57 pm | × × ×

- Olá princesinha - Uma voz grave soa pelo porão onde eu estava presa a anos, me assustando pela visita completamente inesperada - Como vai a minha gatinha, ugh ? - Rodeia meu corpo tocando em meu cabelo, me fazendo não aguentar segurar meu semblante de nojo - ME RESPONDA QUANDO EU TE PERGUNTAR GAROTA - Enlaçou sua mão pesada em meus fios os puxando com força me fazendo gritar de dor.

- E-eu e-stou b-be-em - Sussurrei com dificuldade engolindo o choro que insistia em se manisfestar.

- Boa garota - Gargalhou me soltando - Tenho novidades... Adivinha quem está na Europa ? - Perguntou com um sorriso perverso e eu ardi em ódio sabendo do que se tratava.

- Deixe meus pais e minha irmã em paz desgraçado!! - Gritei querendo ir para cima do maior que só ria, porém, eu estava amarrada dos ombros aos pés e tudo que eu tentasse fazer seria falho.

Bielorrússia | 02:53 am | Seu Nome

- Todos aqui ? - Assentimos em uníssono - Ótimo, agora vamos reforçar os grupos - Pegou uma prancheta e começou a falar os nomes de quem iriam ficar juntos. E a decisão foi a seguinte;

Grupo 1 : Eu, Yoko, Jimin e o traste.

Grupo 2 : Momo, o inútil e D.O

Grupo 3 : Jin, Akemy, Lay, Suho, Sana e Mina.

Grupo 4 : Namjoon, Taehyung, Chanyeol, Nayeon, Jeongyeon e Dahyun.

Grupo 5 : Xiumin, Baekhyun, Sehun e Chen.

Grupo 6 :Jihyo, Kai, Chaeyoung e Tzuyu.

Hyuna e titio iriam ficar monitorando as câmeras do lugar, sempre nos informando acontecimentos e os lugares certos que devíamos ir. Não deixaríamos Chung ir conosco por motivos de segurança, então Aika ficaria em casa cuidando do mais novo também analisando as câmeras que pouco tempo atrás foram hackeadas por Chen. Conversamos mais um pouco sobre o que iria acontecer durante a abordagem e então fomos dividos em sete vans, onde seis delas seriam para os tais grupos formados e a outra para Hyuna e titio.

Durante todo o percurso fiquei bastante nervosa, pensando o quanto me sentiria culpada caso algo desse errado e meus pais sofressem algo. Minhas pernas não paravam de se mexer, demonstrando todos meus sentimentos ruins em pequenos atos. Jimin dirigia atentamente pelas ruas de Minsk - uma das mais famosas capitais do continente Europeu, destacada diante do país de Bielorrússia - tendo ao seu lado, Yoko, que se encontrava quase no mesmo estado que o meu, porém, de uma maneira mais suave.

Afinal, nessa história eu era a personagem principal.

Já Jeon se encontrava aparentemente bem confortável com a situação, mas não é surpresa, se não fosse minha família metida nisso eu estaria menos preocupada e bem conformada com a situação tanto quanto ele. Por mais que eu o odeie, tenho que admitir que temos muito em comum, e não sei bem se isso é bom pois o encosto é o tipo certo de garoto errado. Preocupante. Fiquei um bom tempo pensando fundo, e acabei nem notando quando o carro parou ao lado dos outros, sendo esvaziados aos poucos.

- ______, está me escutando ? - Ouço a voz de Hyuna no fone e resmungo algo aleatório a pedindo para prosseguir - Ótimo, quero que vá pelos fundos junto aos de seu grupo. Fique atenta, nas câmeras aparecem apenas cinco homens armados, porém não posso te afirmar que só tenha eles. Os outros irão pelos lados e pela frente atirando em qualquer um que obter a marca no pescoço, os destraindo enquanto vocês quatro entram no local.

- Certo, mas o que eu tenho que fazer afinal, isso tudo está com muita regra - Bufei olhando meus três parceiros que também escutavam atentamente tudo que Hyuna dizia em seus devidos fones. Acredito que os outros também estejam escutando pois o microfone é um só para todas as escutas.

- Bom, eu estou observando o lugar com seu tio e justo na câmera quarenta e seis é visível um corretor repleto de quartos, eu consegui acessar apenas sete desses quartos que estão vazios, mas ainda há três e seus pais podem estar em um deles, ou não. Escute bem, também foi rastreado toneladas de dinamite por todo o território, então não aja por impulso e sim na estratégia, qualquer passo errado pode colocar tudo água abaixo. Hector Pierre fugiu enquanto descobriu que não viriamos hoje, entre aspas, porém qualquer aviso que ele receber pode causar uma explosão intensa no lugar. Ele controla tudo - Disse séria e firme suspirando leve - Jungkook e Jimin, não deixem nada acontecer com as duas garotas, elas irão fazer a maior parte e vocês vão precisar ficar de guarda. Caso alguma se machuque leve-as para o carro. Estão entendidos ?

- Sim - Responderam em uníssono ajeitando suas fardas sem demostrar nenhum tipo de hesitação.

- Perfeito. Agora vão pois não temos muito tempo - Concordamos e adentramos a mata, passando vagarosamente entre as árvores dando de cara com uma enorme empresa abandonada em poucos metros andados.

- Isso é assustador - Yoko olha o local boquiaberta. O lugar tinha nível de peculiaridade ao extremo, nunca que passaria em nossas cabeças que o esconderijo dos trastes seria numa empresa de bonecas abandonada, algo assustador porém cômico. Depois de observarmos cada canto da área, saímos do transe ao escutarmos tiros indicando que os outros já estavam reagindo - É agora, vamos!

Bielorrússia | 04:23 am | Hector Pierre

Ao receber aquela notícia de que não seríamos atacados, tive uma idéia infalível no qual seria o principal motivo de eu estar agora dentro de um avião. Eu decidi fugir, pois é a única maneira de acabar com Choi sem eu sair machucado. Obviamente eu não viria despreparado e para garantia de que eu ainda ficaria por cima, eu trouxe os pais da garota comigo, sei que a protegida está louca atrás da família e daria qualquer coisa para tê-los de volta depois da descoberta. Coisa que vai custar caro. Ouvi dizer que eles estão bem preparados, com mais máfias prós, e o que fiquei mais intrigado foi a filha de Hirai está entre eles.

Hirai é um grande mafioso japonês, filho do pai de Choi e companhia, mas eles nunca se deram bem, apenas sua filha mais nova, Hirai Momo. A garota já fez parte da minha máfia por um bom tempo, mas ao criar amizade com suas incontáveis primas decidiu seguir somente entre elas. Claramente eu fiquei extremamente bravo, ela era uma das poucas que conseguia planejar algo bom o suficiente e por esse motivo eu estou aqui, não confiando nadinha do que Aaron disse. Deixei alguns de meus homens na empresa onde ficávamos, apenas para tentar matar alguns deles e causar algum tipo de obstáculo.

Aliás, não tenho nada a perder com isso não é mesmo ?

Soube que Choi havia ganhado um filho e que ele estaria em casa com a vagabunda que supostamente nos espionou durante todo esse tempo. Eu teria matado Aaron por não ter ido mais a fundo para trazer informações à mim, mas ele disse que agora faria um trabalho ótimo como recompensa, sequestrar o pequeno herdeiro para atrair a atenção de todos.

Bielorrússia | 04:45 am | Seu Nome

Já fazia um bom tempo que estávamos procurando por algo que provavelmente nem se encontraria por ali e agora se tornava ainda mais impossível de acharmos algo, já que nossos fones tiveram que serem quebrados por obter rastreadores. Os grupos já eram inexistentes, todos haviam se misturado e Momo estava comigo junto a Jungkook, Jimin e Yoko, procurando por alguma pista que entregasse o velho seboso. Durante essa caça eu criei algumas expectativas e tenho algumas suspeitas, mas realmente não quero enxerga-las de modo algum, acontece que Momo andava tão traquila, parecia que até conhecia o local como a palma da mão e não nego ter estranhado sua ação repentina passando a observa-la diante à mais detalhes.

- Sabia - Momo berrou com ira nos olhos e a olhei confusa - Yoko, peça todos para saírem daqui, corra o mais rápido que puder porquê não temos muito tempo - A olhou séria e minha prima concordou saindo em passos rápidos. Comecei a fuçar tudo que havia naquele lugar, até que eu encontro uma uma chave.

- Achei algo - Sussurrei atraindo os olhares dos três que estavam comigo - É uma chave - Mostrei o objeto e Jungkook logo a pegou da minha mão indo até um lugar coberto, que ao ser exposto foi visto uma porta - O que está fazendo ? - Perguntei encarando o garoto que me ignorou por completo focando na porta que em segundos foi aberta.

- Me agradeça depois - Piscou pra mim entrando no lugar junto à Jimin - Quem é você ? - Escutei o mais velho perguntar confuso e eu corri junto com Momo até eles. Era uma garota, aparentemente já em uma fase superior a de todos que se encontravam ali, porém não deixava de ser jovem. Por um momento naquela madrugada as esperanças tinham gritado, clamando ser meus supostos pais, mas me decepcionei ao encontrar apenas uma jovem desconhecida. Mas enfim, nada são flores e nem tudo será prós.

- Jimin vá até titio e avise-o que meus pais não estão aqui - Pedi ao garoto que assentiu saindo depressa e desaparecendo pelos corredores - E Jungkook...aguenta levar ela ?

- Hum - Murmurou se abaixando na altura da garota enlaçando seus braços ao redor do corpo gélido a sua frente. Ele andou até a porta prestes a deixar o porão que estávamos, mas cessou os passos de uma hora para outra me deixando desordenada - Vocês não vão vim ?

- Não nos esperem no carro, assim que Yoko e Jimin chegarem lá, saiam daqui de imediato! - Ordenei e ele se virou me encarando desconexo - Poupe as perguntas e apenas vá Jeon!

| 05:03 am |

- Vamos Momo, não há mais nada aqui - Dizia apressada por Momo negar cada vez mais procurando por algo que eu não fazia a mínima ideia do que seria. Comecei bater os pés a observando mexer em algumas bonecas por ali e então escutamos um barulho extremamente auto, capaz de surdar qualquer que estivesse perto suficiente - Droga! Vamos rápido, já está começando a explodir - Gritei a puxando e a garota se levantou num pulo.

- ACHEI! - Gritou contente estendendo uma boneca assustadora e ao processar o que eu disse agarrou meu braço correndo de uma maneira completamente cansativa ao meus olhos - Temos apenas 10 segundos, estamos perto - Revirei os olhos e soltei meu braço de seus dígitos, agora agarrando o dela e aumentado ainda mais meus passos.

Eu nunca havia corrido tanto antes, eu peguei tanto impulso naquele momento que a qualquer hora eu cairia feito ovo cru no chão sem forças para ao menos piscar. Minha respiração ja se encontrava mais ofegante que nunca e minhas costas ardiam diante do fogo que nos seguia prestes a nos alcançar. Suspirei derrotada, vendo que naquele momento não havia mais jeito, estavamos presas entre corredores extensos daquela gigante empresa, que em mínimos segundos estaria destruída e caindo aos pedaços.

Bielorrússia | 05:34 am | Jung-guk

Já fazia um tempo desde que estávamos esperando as garotas no carro, descumprindo totalmente a ordem da esquentadinha mandona. Na verdade eu já estava ficando preocupado, a menina ainda estava desacordada e Jimin exautado por Yoko também não ter dado as caras, tudo estava dando errado. Escutei um barulho auto, capaz de fazer meus ouvidos sangrarem e ao ver o desespero do meu Hyung, me dei por entender a situação acolhendo também o mesmo sentimento que o dele.

- E-está explodindo - Jimin sussurrou com os olhos marejados e sem demoras abri a porta da van dando de cara com Choi tampando minha passagem.

- Me deixe passar, essa merda está explodindo e as garotas ainda estão lá - Falei rápido tentando de uma forma passar e ir até elas, mas fui negado.

- Yoko está a salva, ela chegou a tempo com os outros - Diz o mais velho cabisbaixo e Jimin suspirou aliviado mas eu não. Ao perceber que o som havia cessado por completo meus olhos marejaram sem nem mesmo minha permissão e aquilo me deixou completamente caótico - Já era... - Finalizou deixando lágrimas grossas caírem sob seu rosto.

- Não, elas ainda estão vivas me deixe passar!! - Gritei tentando engolir o nó que se fez em minha garganta mas fui puxado pelos ombros por Jimin que negava a todo instante.

- Acorda Jungkook, elas se foram... Já era - Neguei passando as mãos nos fios e me sentando no último banco da van vendo que por mais que eu tentasse ir até a merda daquele lugar eles iriam me barrar. Merda, mil vezes merda. O ruivo se direcionou até o banco do motorista e Choi fechou a porta indicando para meu amigo da partida, e assim fez, mesmo contra minha vontade.

Eu não sei o que eu sentia nesse momento, mas não nego de forma alguma minha angústia. Por um momento eu tive medo de perde-la mas sei que isso tem chances de ser fantasia da minha cabeça. Ou não. Eu realmente estou confuso, literalmente preso em meu consciente como um louco que a pouco tenha chegado no hospício. Minha garganta havia se fechado, numa maneira que eu não coseguiria explicar nem com as palavras conjugadas à minha frente. Era uma sensação terrivel, extremamente doída.

Levantei minha cabeça vagarosamente sentindo minha bochechas se molharem mas em um momento conturbado as limpei voltando a minha postura forte de sempre. Choi estava com seu rosto num tom rosado e suas bochechas brilhavam pelo reflexo que suas lágrimas transmitiam, ele parecia atordoado com tudo isso - assim como eu e isso me causava pena. Me sentei um pouco mais a frente sem cortar meu olhar de seu corpo, no qual estava servindo de apoio para a cabeça da garota e aí me veio uma dúvida que não consegui segurar por muito tempo.

- A conhece ? - Perguntei vendo o mais velho assentir acariciando o rosto da mais nova ao seu colo - É sua sobrinha... não é ? - Pronunciei aflito vendo-o arregalar os olhos pela surpresa - Todo lugar que eu vou tem sobrinhas suas, apenas chutei - Levantei meus braços estilo rendição soltando um riso soprado completamente sem humor.

- Sim, você acertou como sempre - Sorriu mínimo - Ela é filha do meu irmão mais novo...Essa é a irmã da minha princesa Jungkook - Arregalei os olhos. Não pode ser - Está tudo bem ?

Assenti e mais um silêncio perturbador tomou posse do lugar, me fazendo sentir desconfortável. Vaguei meu olhar por todo o espaço mas acabei parando na moça, ela realmente tinha traços de ________ e seu corpo era inegável, com certeza também não era asiática como a irmã. Fiquei mais um tempo a analisando e nem me dei por conta que ela estava acordada e me encarando. Levei um susto e arregalei meus olhos indo até ela que parecia ter medo.

- Está tudo bem ? - Perguntei vendo-a se encolher mais - Calma, eu não vou te fazer mal - Sorri mínimo - Eu e mais pessoas já tiramos você daquele lugar, agora está tudo bem - Suspirei pegando minha garrafinha de água e a entregando - Beba, deve estar com sede - E assim fez, bebendo a metade do líquido me deixando surpreso mas não falei nada, apenas segurei a risada vendo a cara de senhor Choi dormindo.

Bielorrússia | 05:57 am | Park Jimin 

Por um instante eu me senti culpado em ficar aliviado enquanto as garotas supostamentes tenham morrido, entre elas a única que até hoje conseguiu atrair o coração de pedra de Jungkook, mas todos tem que entender que Yoko foi uma das poucas garotas que ganharam meu olhar e imaginar ela morrendo ali seria o estopim.

Já estávamos chegando em casa e eu só observava de relance Jeon cuidando da menina que pelo o que ouvi era a irmã da _______. Chocado estou. Ela aparentemente estava exausta e julgo que não aguentaria por muito tempo se continuasse naquele estado e naquele lugar. O que fico intrigado é que senhor Choi nunca havia contado sobre essa garota para nós e sinto que algo está errado, tem muito água inundada de baixo dessa ponta.

Bielorrússia | 06:02 am | Jung-guk

- Chegamos - Jimin abriu a porta da van com o sorriso ladino e eu entendi ao ver que ele tinha chegado antes de todos. Sempre a meta do Park.

- Ótimo, pegue ela - Sussurrei colocando a mulher nos braços do mais velho que deu as costas entrando na casa. Fui até Choi que ainda dormia e o peguei levando também para dentro de casa o acomodando no mesmo quarto onde ele dormia com Hyuna. Fechei a porta do cômodo e esbarrei em Jimin que saia do quarto de ______ - Vá esperar o outros lá em baixo, vou ver se Aika e Chung estão bem - Assentiu e eu fui para o quarto que a informante havia se hospedado. Eu estava prestes a adentrar no cômodo até que eu escuto um murmúrio que eu conhecia muito bem - Não pode ser... - Sussurrei olhando pela brecha da porta vendo a garota pular da janela, entrei no quarto rapidamente e vi Aika no chão completamente ensanguentada e apagada. Suspirei pesado e pulei da janela com a ajuda da corda que havia ali e ao chegar no chão corri atrás da mais nova, alcançando-a em poucos minutos frente à uma mata ali perto - O que faz aqui ? - Pronunciei segurando seu pulso fortemente.

- Me solta idiota - Se debateu querendo fugir mas a interrompi puxando-a para um árvore e a prensando ali.

- Por que você matou Aika ? - Olhei no fundo de seus olhos negros - Cadê Chung ?

- Não pira traste - Bufou - Eu não matei Aika e se você não tivesse me atrapalhado eu estaria procurando Chung agora ou até mesmo com ele dentro daquela casa.

- Mas como você saiu ? Você está bem ? - Disse um pouco mais auto que um sussurro e passei meu olhar sob seu corpo num ato de análise.

- Sim, Momo e eu entramos num cômodo e o lugar ficou intacto, era o escritório de Hector - Passou a mão no cabelo mordendo o lábio levemente. Maldita. - Ela já trabalhou para Hector e havia planejado tudo enquanto andávamos por lá.

- Como ? - Perguntei surpreso - Mas e cadê ela, não deveria estar em casa ou aqui com você ?

- A irmã dela buscou ela - Explicou serena mas logo mudou - Olha Jeon, eu poderia muito bem ficar aqui te explicando entre vírgulas mas Chung está correndo perigo e eu não posso esperar mais.

- Tudo bem, eu vou com você - Ditei sério e ela arregalou os olhos pronta pra repreender - Shh, nem adianta pois eu vou de qualquer jeito - Pisquei selando seus lábios ligeiramente fingindo que nada aconteceu - Por onde vamos ? - Rondei meu olhar pelo o lugar com as mãos no bolso de minha calça.

Bielorrússia | 06:13 am | Seu Nome

Com toda a certeza do mundo esse dia foi o mais cansativo de toda a caminhada da minha vida agitada. Após a explosão eu pensei que tudo tinha acabado, mas acontece que ainda não é minha hora - pois é, o mundo ainda vai ter que desfrutar muito das minhas loucuras, não foi dessa vez. Eu ainda me encontrava confusa, procurava no fundo das minhas memórias se Momo havia me contado sobre sua irmã algum dia, mas a resposta era negativa. Nunca que eu pude imaginar que eu teria uma segunda prima da família Hirai, mas não me surpreende muito o fato de terem escondido isso de mim esse tempo todo, aliás, titio sempre foi afastado do outro irmão, principalmente por ser nativo do Japão, mas enfim. De início eu não estava confiando em deixar Momo a sós com sua irmã, mas não vejo nada demais, acredito que Hana não seria capaz de machucar seu próprio sangue Momo me parecia bem confortável e tranquila.

Acordei de meus devaneios ao escutar o barulho infernal do GPS indicando que haviamos chegado ao lugar que supostamente Chung estaria, bom, isso foi o que Aika conseguiu dizer antes de se apagar por completo, e eu praguejo quem seja o infeliz que tenha a matado, mas sei que ele não vai durar muito, não enquanto eu estiver viva.

- Ei, acorda esquentadinha - Jungkook disse estalando seus dedos frente ao meu rosto e para minha surpresa o moreno selou meus lábios pela segunda vez naquela madrugada. Sinceramente ele é a terceira vítima em meu pensamento depois do filho da mãe que assassinou Aika e o causador disso tudo, se não fosse pelos seus dons relevantes para ajuda eu já teria espalhado pedaços de seu corpo por todos os lugaree possíveis.

- Ô garoto dá pra parar de roubar selinhos meus ? - Fechei a cara depositando um tapa forte e seu braço.

- E você dá pra prestar atenção no que estamos fazendo - Ironizou e eu bufei - Aliás, o que estamos fazendo num parque de diversões abandonado ?

- Eu não sei - Sussurrei passando entre os brinquedos e de repente todas as luzes do lugar se acenderam - Alguém está aí ? - Gritei olhando para os lados assim como Jungkook, recebendo uma música extremamente terrorista de resposta.

- Ai meu deus - Ouvi o garoto sussurrar e então acompanhei seu olhar dando de cara com um homem encima da roda gigante ninando Chung que chorava a ponto da garganta arder - Ótimo, um homem bomba, tudo que eu precisava.

- Isso só pode ser brincadeira - Disse completamente vidrada no cara.

- Fique aqui, nem um passo a mais está me entendendo ? - Neguei irônica - Já me lidei com caras como esses, eles foram treinados para morrer sob um comando, mas eu posso reverter isso agindo como seu superior, mas pra isso você vai ter que entrar na brincadeira.

- Tanto faz - Resmunguei cansada e o garoto roubou mais um selinho me fazendo tremer de raiva - Eu estou torcendo para você morrer, saiba disso - Rangi os dentes.

- Sempre simpática - Riu sem humor e foi se aproximando a roda gigante enquanto eu apenas observava num lado mais afastado e escuro.

Bielorrússia | 06:27 am | Kim Hyuna

- Eu quero meu filho Choi - Gritei mais uma vez naquela madrugada, clamando por meu filho que já não estava conosco.

- Calma Hyuna, Jungkook não está aqui, deve ter ido atrás dele - Mina dizia enquanto acariciava meus fios.

- Primeiro minhas sobrinhas, depois meu irmão que não estava naquela maldita empresa, agora Chung... E-eu não quero viver mais - Meu marido disse chorando mais do que a mim e como suporte de consolação, foi envolvido num abraço confortável com suas sobrinhas enquanto eu era mimada pelos meninos.

- Não fale isso titio, ele vai voltar e _______ não ficaria feliz se você deixasse de viver por ela, muito menos Momo.

- M-mas Nay... - Tentou se explicar mas foi cortado por Chaeyoung.

- Mas nada, vá descansar que nós tomaremos conta de tudo, ugh ? - Negou teimoso.

- Vamos tio, eu não estou pedindo - Jeongyeon disse séria e por um momento eu sorri de sua expressão.

- Você também Hyuna, precisa descansar - Sana veio fofamente até mim me abraçando de lado.

- Vocês são jóias raras - Sorri em meio de lágrimas - Mas eu não posso dormir enquanto meu filho pode está passando frio sei lá por onde.

- Ele não está, algo me diz que ele está bem e meus pressentimentos nunca estiveram errados.

- A Tzuyu está certa, também sinto o mesmo - Jihyo complementou.

- E-eu... - Suspirei derrotada - Vamos meu velho, vamos descansar e amanhã iremos atrás de nosso filho e voltaremos na empresa para ter a certeza do acontecido com as meninas - Fui até meu marido pegando sua mão e o mesmo assentiu ainda hesitando.

Bielorrússia | 06:33 am | Seu Nome

- Demorou muito mas nenhum sinal de vida - Sorri satisfeita observando o cara ao meu lado com um tiro atravessado ao meio de sua testa - Agora vamos sair logo daqui, titio deve estar morrendo de preocupação e Hyuna pior - Falei pegando Chung sonolento no colo saindo dali, ou quase já que fomos barrados - Mas que caralhos - Bufei impaciente.

- Como vai... _______ ? - Ditou o cara encapuzado que ao retirar o pano de sua cabeça pude finalmente reconhecer. Desgraçado - Oh, olá princesinha - Se referiu a Jungkook que roçou seus dentes ardendo em raiva pelo jeito falado.

- Aposto que sou mais homem que você - Jeon se aproximou do mesmo com sangue nos olhos, péssima idéia do europeu de quinta insultar ele.

- Sabe... eu queria muito brigar com vocês mas estou sem paciência hoje - Falei simplista sacando minha arma e atirando no membro de Aaron vendo-o soltar sua arma e se contorcer caindo no chão e como se não bastasse, em seguida atirei em sua perna para terminar de arrancar suas força e faze-lo caminhar ao lado da morte mais em breve.

- Um tiro na perna, sério mesmo ? - Jungkook perguntou com semblante sarcástico e eu revirei os olhos voltando a andar com Chung dormindo serenamente.

- Eu rompi a artéria dele, não vai demorar muito pra ele ir queimar no inferno - Dei de ombros - Você como assassino deveria saber disso.

| 06:57 am |

E depois de somente mais alguns minutos chegamos em casa vendo que tudo estava completamente escuro entregando que todos já haviam ido dormir - o que eu mais queria fazer depois de todo esse tempo correndo e lidando com o pior. Subi as escadas com todo cuidado do mundo querendo não fazer barulho mas ao contrário de mim, Jungkook assobiava completamente sem noção mas finalmente cessou os barulhos ao ver meu olhar de repreensão. Ignorando o mais velho, eu estava prestes a abrir a porta do meu quarto mas em um movimento rápido fui puxada para o quarto ao lado o que me deixou completamente confusa diante a situação.

- Ô caipira eu não estou com saco para perturbações e estou morta de cansaço, da pra me deixar ir dormir ? - Ardi em raiva mas ele apenas me encarava tediado.

- Durma aqui, devem ter retirado o corpo do quarto de hóspedes mas o cheiro provavelmente ainda não tenha saído e sua irmã esta no seu quarto então você terá que ficar aqui - Explicou fazendo uma corrente elétrica passar pelo meu corpo após a notícia de que supostamente eu teria uma irmã.

- I-irmã ? - Assentiu com um sorriso minimo nos lábios - Eu preciso falar com ela - Ia saindo do quarto mas sou puxada novamente.

- Deixe ela descansar, sabe lá se deixaram ela dormir esse tempo todo enquanto estava presa - Disse trancando a porta e enfiando a chave no bolso - Antes que reclame eu durmo no chão e você dorme na cama com ele - Se referiu ao pequeno em meus braços e eu concordei ditosa.


Notas Finais


Foi isso meus amores, irei tentar trazer o próximo o mais rápido possível com acontecimentos contagiantes e escrita detalhada - sei que vocês gostam. Beijos da Unnie e se cuidem ❤

🥀 Sigam-me os bons: @Titia_Kim

.
.
.

-- Outros projetos :

Casamento Arranjado - Imagine Jung-guk :

https://www.spiritfanfiction.com/historia/arranged-marriage--imagine-jungkook-13147539

A Submissa - Imagine Jung-guk :

https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-submissa--imagine-jungkook-hot-13349780


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...