História Love Hurts - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Piper Chapman
Visualizações 159
Palavras 3.892
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês! Espero que gostem e desculpem qualquer erro!

Capítulo 4 - Capítulo 4


ALEX POV

- Quer merda! – entrei batendo a porta.

- O que aconteceu? – Glória veio até mim.

- Você não viu? – fui grossa.

- Alex, isso é normal, ela namora com o rapaz. – ela me disse com calma.

- Ela sabe que eu gosto dela Glória, ela sabe que eu quero ela, é impossível não perceber. E mesmo assim, ela vai embora com ele! – falei caminhando até a cozinha.

- Alex, presta atenção, ela não podia terminar com ele pelo telefone, e depois a menina gosta de você, dá pra perceber. – Glória disse abrindo um cerveja, e a entregando pra mim.

- Elas sempre fazem isso Glória, sempre me trocam por eles. A Piper é igual a Sylvie! – falei e sai em direção ao meu escritório.

Eu estava me concentrando no meu trabalho, ou não, já não sabia mais o que estava fazendo, as imagens se embaralhavam na minha visão, as palavras vinham desconexas, várias ideias boas numa mente conturbada por uma mulher, uma mulher que mais parecia um anjo de olhos azuis, que me hipnotizava até quando me olhava em meus pensamentos, de repente o telefone começou a tocar:

- Alô! – atendi sem ao menos ver quem era.

- Alex, por favor, me desculpa! – a voz de Piper parecia chorosa.

- O que aconteceu? – perguntei, preocupada.

- Eu terminei com ele! Por favor, me desculpa. – ela pedia chorando.

- Onde você está? - minhas palavras pareciam autoritárias.

- No meu apartamento, deitada no colo da Lorna, chorando! – ela me respondeu.

- Quer que eu vá até ai? – questionei.

- Quero, mas sem sexo! – ela disse, rapidamente.

- Eu estou indo! – desliguei o telefone.

Sai de casa correndo, sem ao menos me olhar no espelho ou trocar de roupa, só conseguia pensar me Piper, só conseguia ver ela na minha frente, só queria que ela ficasse nos meus braços, era somente isso que eu queria. Cheguei no prédio, e assim que minha entrada foi liberada, eu corri até o apartamento, bati na porta desesperada, e então ela abriu, com os olhos inchados e vermelhos por conta do choro, assim que me viu, Piper pulou em meus braços, eu somente a abracei, sem dizer nada, apenas senti o corpo dela no meu, senti o seu cheiro, o seu perfume, Piper chorava com a cabeça escondida no meu peito, a peguei no colo e segui para o seu quarto, que Lorna me apontou, a coloquei na cama e me deitei ao seu lado, não demorou nem um segundo para que ela se aninhasse no meu corpo, em  poucos minutos Piper estava dormindo profundamente.

Acordei no dia seguinte, ainda na cama de Piper, com ela completamente em cima de mim, acabei dormindo meio sentada, e com certeza ela havia se aninhado no meu colo durante a noite, me mexi e a coloquei com cuidado na cama para que não acordasse, e sai do quarto, indo em direção a sala:

- Bom dia Vause! – Nicky me cumprimentou usando somente calcinha e sutiã.

- Bom dia Nichols! – a cumprimentei.

- A noite foi boa? – perguntou, com um sorriso malicioso no rosto.

- Nós só dormimos, se é isso que você quer saber! – afirmei.

- Não se fazem mais Vauses como antigamente! – ela disse jogando uma almofada em mim, e se sentando no sofá.

- A sua noite com toda certeza deve ter sido muito boa. – falei, também me sentando no sofá. – E eu só não jogo essa almofada de volta na sua cara, porque você está tomando café e eu não quero sujar o apartamento das meninas!

- Eu gostaria de saber o que você está fazendo aqui, se não transou!? – ela estava intrigada.

- A Piper me ligou chorando, pediu pra eu vir pra cá, e eu vim! – respondi.

- E nada de sexo? – perguntou indignada.

- Nada de sexo! Pedido dela. – respondi, rindo da expressão da minha amiga.

- Piper, vai se foder, você liga pra essa gostosa vir até aqui e pediu pra não ter nada de sexo? – Nicky disse, olhando para a porta do corredor, em que Piper estava parada, ainda com cara de sono.

- Cala a boca Nicole! – Piper disse, se sentando no sofá ao meu lado, e se aninhando no meu colo novamente.

- Agora eu entendi tudo, a Alex virou a mamãe! – Nicky debochou, me fazendo gargalhar, e Piper jogar a almofada nela.

- Cala a boca e me deixa dormir Nicole! – Piper disse enfiando o rosto no meu pescoço, enquanto eu acariciava seus cabelos.

- Você veio pra cá, só pra dormir de novo? – perguntei.

- Uhum! – ela respondeu.

- Por que? – perguntei novamente.

- Porque seu colo é o melhor! – ela me respondeu.

- Entendi! Quer voltar pra cama? – Nicky ria da situação.

- Não, aqui está perfeito! – Piper me respondeu. – E antes que eu me esqueça, vai se foder Nicole! – ela disse.

- Piper Chapman é oficialmente a garota mais esquisita que você pegou! – Nicky disse ligando a televisão.

- Não é não! Lembra daquela louca que me perseguiu por dois meses? – falei dando risada da lembrança.

- Nossa, aquela era louca de marca maior! – Nicky gargalhava.

- Eu vou dormir no quarto, não preciso ficar ouvindo vocês duas falarem das mulheres que a Alex já pegou! – Piper se levantou e saiu batendo o pé.

- Isso é falta de sexo Vause! Vai lá resolver isso! – Nicole dizia ainda em tom de deboche.

Fui atrás de Piper, rindo das piadas de Nicky, definitivamente ela era a melhor pessoa. Quando cheguei no quarto, Piper se virou de costas pra mim:

- Ei, vamos parar com esse bico? – me deitei atrás dela, a puxando para mim.

- Sai Alex! – Piper me empurrou.

- Pipes, não faz assim! – afastei uma mecha de seu cabelo e beijei o seu pescoço.

- Eu não quero transar com você! – ela disse, se virando pra mim.

- Quem falou sobre isso? – sorri.

- Você pensou nisso! – ela disse, acariciando meu rosto.

- Pensar também não pode? – brinquei.

- Pode, mas por enquanto só pensar! – ela me respondeu.

- Sim, senhora! – pisquei para ela.

- Você é linda sabia? – seus olhos pareciam analisar cada detalhe do meu rosto.

- Não, você que é linda, parece um anjo de olhos azuis! – depositei um beijo leve em seus lábios.

- Me desculpa por ontem? – pediu novamente.

- É impossível eu não te desculpar, até porque não tem nada pra desculpar! – falei sorrindo pra ela.

- Para com isso! – ela disse de repente.

- Parar com o que? Eu não to fazendo nada! – disse rindo.

- Você sorri, e eu quase morro, meu coração acelera...

- E você fica com tesão! – completei.

- Como você sabe? – perguntou.

- Você diz nada de sexo, eu dou um sorriso e você me manda parar, você se arrepiou inteira e a sua perna instintivamente pulou na minha cintura! – falei piscando pra ela.

- Você é muito chata sabia? – continuou com a perna sobre mim, me puxando mais pra perto.

- Sabia! – acariciei a coxa dela.

- Mas eu não quero sexo, não agora! – ela disse.

- Tudo bem, eu não vou te forçar a nada! – respondi.

- Mas quero que você me beije! – ela deixou nossos lábios a centímetros um do outro.

Não me segurei mais, comecei a beija-la vagarosamente, Piper se deitou e eu fiquei por cima dela, uma das minhas pernas ficou no meio de suas pernas, enquanto uma das pernas de Piper estava segurando na minha cintura, passeei com a minha mão por todo o seu corpo, e com a perna estimulava seu sexo, enquanto a beijava, minha língua explorava o céu de sua boca, senti suas mãos entrelaçarem e puxarem meu cabelo, enquanto um leve gemido saia de sua boca, me deixando ainda mais excitada do que eu já estava, eu continuei estimulando seu sexo com a minha perna e conseguia senti-la ficando molhada, desci meus beijos pelo seu pescoço, mas logo fui obrigada por ela a voltar pra a boca, que me esperava para morder meu lábio inferior, com uma de minhas mãos massageei um de seus seios, enquanto continuava a sessão de beijos, coloquei a minha mão por debaixo da blusa dela, para conseguir ter contato direto com sua pele, sentia ela ficar arrepiada sob meu toque, e escutei outro gemido vindo dela:

- Deixa eu te ver gozando pra mim, Pipes? – perguntei, morrendo de tesão.

- Al...eu não...

- Tudo bem! – me senti frustrada.

Voltei a beija-la, tirando a minha mão da sua blusa, ouvindo um gemido de reprovação, Piper soltou uma das mãos de meus cabelos, e colocou a minha mão de volta no lugar que a estimulava, mas a minha frustração era grande, então Piper levou minha mão até o seu sexo:

- Eu quero gozar pra você! – ela disse, ofegante.

- Tem certeza? – perguntei.

- Absoluta! – ela me respondeu.

- Olha pra mim então, eu quero ver você! – mandei.

Afastei um pouco a calcinha que ela usava e comecei a estimular o seu clitóris, Piper me obedeceu e fixou seu olhar no meu, eu podia ver o tesão em seus olhos e ouvia o som inebriante de seus gemidos, penetrei dois dedos em seu sexo, a fazendo gemer um pouco mais alto, meu dedão ainda estimulava o seu clitóris, aumentei a intensidade das estocadas quando percebi que ela iria atingir o orgasmo, acabei gozando junto com ela, aquela mulher não precisava nem tocar em mim pra me fazer gozar, vê-la já era o suficiente:

- Sabe, qualquer dia você vai me deixar careca! – falei, voltando a beijá-la.

- Vai dizer que você não gosta? – falou, ainda se recuperando.

- Eu adoro, minha linda! – respondi. – Preciso tomar um banho!

- Banho? – ela me perguntou intrigada.

- Você não foi a única que gozou Pipes! – falei.

- Entendi! – ela sorriu de forma inocente.

Tomei o meu banho e logo depois que eu voltei ela entrou no banho, eu me joguei na cama e assim que Piper voltou e se aninhou no meu peito, cai num sono profundo.

 

PIPER POV

Acordei na hora do almoço, sentindo o cheiro da comida de Lorna, era quase um ritual aos sábados, mas aquele era especial, senti o braço de Alex me segurando junto ao seu corpo, me virei para olha-la e então seus olhos se abriram, me saudando com aquele verde maravilhoso:

- Bom dia, de novo! – eu disse, acariciando seu rosto.

- Bom dia! – ela me respondeu, abrindo um sorriso.

- Posso te contar um segredo? – perguntei.

- Todos! – ela me respondeu.

- De repente, verde se tornou a minha cor favorita! – depositei um beijo inocente em seus lábios.

- E o azul a minha! – Alex me respondeu, sorrindo.

- Meninas lindas, eu amo ver vocês desse jeito, mas o almoço está pronto, e se vocês não vierem logo, a Nicole vai acabar com tudo! – Lorna entrou no quarto, me dando um susto.

- Já estamos indo Lor! – respondi.

Nós duas nos levantamos ainda meio sonolentas, e fomo almoçar com nossas amigas, precisei aguentar as piadas de Nicky, enquanto Alex se divertia, era bom tê-la ali, eu desejava com todas as minhas forças que ela quisesse ficar ali para sempre, queria poder tê-la na minha cama todas as noites. Infelizmente, a minha felicidade não durou muito tempo, Alex foi embora rapidamente depois de receber uma ligação misteriosa, então eu, Lorna e Nicky ficamos assistindo a alguns filmes na sala.

 

ALEX POV

Fui obrigada a voltar pra casa, quando Glória me ligou, dizendo que Sylvie estava lá, meu coração se acelerou na mesma hora, fazia anos que eu não a via, era como um fantasma em minha vida. Assim que cheguei, pedi um momento para que eu pudesse trocar de roupa, já que eu estava na casa de Piper desde a noite passada, aproveitei esse momento pra recobrar um pouco da minha sanidade mental, e então voltei para a sala, onde aquela mulher que acabou comigo uma vez, me esperava:

- O que é tão importante, que foi necessário você vir até a minha casa pra me falar? – perguntei, enquanto prendia meus cabelos.

- Meu Deus, eu tinha me esquecido o quão sexy você é desse jeito, mais despojado! – ela disse, mordendo o lábio.

- Sylvie, fala logo o que você quer. – ignorei o seu comentário.

- Bom, eu vim te ver uma última vez, antes de me mudar definitivamente para a casa do Paul! – ela me informou.

- Conseguiu o que queria? – perguntei, irritada.

- Você está com alguém? – ela ignorou completamente a minha pergunta.

- Não te interessa! – respondi, ríspida.

- Poxa vida, só queria saber quem é a dona dos seus pensamentos no momento! – ela disse fazendo charme.

- Eu não estou com ninguém Sylvie! – respondi, e não era mentira, eu e Piper não tínhamos nada de oficial.

- Então quer dizer que aquela Alex Vause que eu domei, voltou? – perguntou.

- Voltou, com mais força do que nunca! – respondi.

- Isso é excitante! – ela disse, abrindo um botão de sua camisa.

- E você quer provar de novo, estou certa? – provoquei.

- Muito! – Sylvie mordia os lábios, eu podia ver o seus olhos escurecidos pelo desejo.

- Você está torcendo pra eu te comer aqui mesmo, em cima desse sofá, e depois te levar pra minha cama e te fazer gozar como só eu sei. – me aproximei dela.

- Sim! – suas pernas se abriram ligeiramente, quando eu parei a sua frente.

- Me diz então, o quanto você quer isso!? – me abaixei e me posicionei entre suas pernas, passando minhas mãos com firmeza pelas suas coxas, sentindo sua pele ficando arrepiada ao meu toque.

- Alex, por favor, me fode, como só você sabe fazer, eu não aguento mais não te sentir, eu não deveria ter te deixado, nunca! – ela abriu ainda mais as pernas.

- Sabe o que você é Sylvie? – perguntei, subindo sua saia.

- O que? – a pergunta foi mais um gemido.

- Uma vagabunda! – parei assim que cheguei em sua calcinha. – Mas uma vagabunda muito gostosa! – afastei um pouco sua calcinha, e comecei a estimular o seu clitóris.

- Alex... – ela gemia meu nome, suplicando por mim.

Continuei a provocando, por vezes penetrava dois dedos em seu sexo, enquanto ela gemia e clamava por mim, pedia pela minha boca, pelo meu corpo, e então quando ela estava quase atingindo o orgasmo eu parei:

- Pronto, agora você sabe como é se sentir abandonada! – falei, enquanto me levantava.

- Alex, eu preciso de você! – ela suplicava.

- Não, você não precisa! – falei.

- Eu vim pra te entregar o meu convite de casamento! – ela disse, enquanto se arrumava. – Toma! – me entregou o envelope. – Eu também queria que você me convencesse a não casar, e você conseguiu!

- Sai da minha casa! – apontei pra porta.

- Eu te amo Alex! – Sylvie disse em meu ouvido.

- SAI DAQUI! – gritei, e então ela se foi.

Assim que ouvi a porta do elevador se fechando, me sentei no sofá, olhando pro convite, maldito convite, as lagrimas tomaram conta do meu rosto, o choro foi inevitável, eu amei tanto aquela mulher, e ainda não havia conseguido supera-la completamente, toda aquela história ainda doía muito em mim, ainda era horrível lembrar do dia do casamento, era horrível lembrar das horas que eu a esperei, eu só queria que tudo aquilo se apagasse da minha mente de uma vez por todas.

Naquela noite eu decidi que iria me acabar, o sexo e a bebida fariam parte da minha vida mais do que nunca, liguei para Nicky e pedi para que não levasse Piper até a balada naquela noite, eu não queria que ela fosse a pessoa que eu usaria para esquecer Sylvie, eu não suportaria aquela ideia. Foi realmente uma madrugada agitada, muita bebida e ao todo cinco mulheres uma no meu colo, outra no banheiro da área VIP, outra no banheiro da pista e mais duas na minha casa, garrafas de tequila e whisky se esgotaram em questão de minutos, meus cigarros acabaram rapidamente também.

Acordei no dia seguinte, com o meu celular tocando, minha ressaca não me deixava enxergar nem com meus óculos, então apenas atendi:

- Alô!

- Alex? – a voz doce de Piper invadiu os meus sentidos.

- Oi Pipes! – respondi com um sorriso bobo no rosto.

- Queria saber como você está!? Você foi embora ontem e não falou mais comigo, convidei as meninas pra irem naquela balada mas elas não quiseram. – ela dizia com preocupação.

- Eu estou bem, minha linda! Tive que resolver algumas coisas...

- Com alguém? – ela perguntou, inocente.

- Sim, com alguém! – respondi com pesar.

- Transou com ela? – o ciúme era notável em seu tom de voz.

- Não! – respondi. – Você está com ciúmes Pipes?

- Lógico que não! – negou.

- To achando que você está hein. – sorri.

- Você é meio idiota né. – ela respondeu rindo.

- Eu só estou falando a verdade! – falei, ouvindo sua risada do outro lado da linha.

- Bom, eu só liguei pra saber de você mesmo, vou te deixar descansar. – ela começou a se despedir.

- Pipes, você não quer ir comigo no parque de diversões? Eu preciso de uma companhia, e a sua é a melhor! – convidei.

- Tudo bem! – ela me respondeu.

- Eu passo pegar você no final da tarde então. – um sorriso morava no meu rosto.

- Até mais tarde então. – ela se despediu.

- Até! – respondi, e desliguei o telefone.

Voltei para o meu quarto e encontrei as duas garotas da noite anterior dormindo tranquilas na minha cama, completamente nuas, acordei as duas e pedi pra elas irem embora, pedido esse que foi acatado rapidamente. Passei a tarde inteira ansiosa para ver Piper, era incrível o que aquela mulher fazia comigo, já no final da tarde, eu me arrumei, e fui busca-la, não me dei ao trabalho de subir até seu apartamento, mandei uma mensagem e me coloquei ao lado do carro, para espera-la:

- Nossa, eu estou tão importante assim pra você me esperar fora do carro? – ela brincou, enquanto vinha até mim.

- Você não está, você é! – respondi.

- Como você está? – ela perguntou entrelaçando meu pescoço com seus braços.

- Muito melhor agora! – respondi acariciando a base de suas costas.

- Não vai me contar o que aconteceu? – perguntou.

- Não é nada de importante! – respondi, fugindo do assunto. – Vamos?

- Vamos! – ela se afastou um pouco.

Abri a porta para Piper entrar no carro, e então corri para o banco do motorista.

 

PIPER POV

Alex foi atenciosa e carinhosa comigo durante todo o tempo, ela não me beijou e nem andamos de mãos dadas, mas ela também não ficou afastada, nos divertimos a tarde inteira, fomos em todos os brinquedos possíveis, Alex ganhou alguns bichinhos de pelúcia pra mim, e também me encheu de comida, eu percebia que o sorriso não saia de seu rosto, aliás era impossível não perceber aquele sorriso lindo, no final do nosso passeio, nos sentamos em um banco tomando sorvete, eu estava distraída quando senti o olhar de Alex sobre mim:

- Eu estou suja? – brinquei.

- Não! – ela sorriu.

- Então o que atrai tanto a sua atenção? – perguntei.

- Você! – seus olhos brilhavam enquanto ela falava comigo.

- Eu? Acho que você tem problemas Vause! – brinquei novamente.

- Se te achar linda é um problema, então eu tenho! – ela se aproximou.

Nossos rostos estavam a poucos centímetros um do outro, nossas respirações se misturavam, os olhos de Alex oscilavam entre minha boca e os meus olhos, ela acariciou meu rosto com uma de suas mãos e me puxou gentilmente para si, então alguém a chamou, dando um susto em nós duas:

- Alex? – uma moça ruiva se aproximou de nós duas, e eu pude ver os músculos de Alex se tencionarem. – Então essa é a moça?

- Você não consegue me deixar viver em paz? – Alex cerrou os punhos.

- Namorada? – a moça não a respondeu.

- Não! Eu já disse isso pra você! – a resposta dela me doeu um pouco, mas de fato, nós não tínhamos nada.

- Não foi o que pareceu. – a mulher dizia irônica.

- Você está precisando de óculos então. – ela parecia furiosa. – Vai embora daqui!

- O espaço é público, Alex! – a moça provocou.

- Vai pra junto do seu noivo e me deixa em paz, para de fazer esse inferno na minha vida, me deixa em paz porra! – Alex se levantou e ficou a centímetros da mulher.

- Eu não vou mais me casar, minha linda! Você me ajudou a decidir ontem! – a ruiva deu uma piscadinha de leve para Alex, enquanto eu observava tudo. – Eu quero continuar sempre na sua vida Alex.

- Vem Piper! Vamos embora! – Alex me deu a mão.

Nós duas fomos embora a passos largos, foi difícil pra mim acompanha-la, a raiva parecia ter dominado o seu corpo, meus pensamentos estavam todos bagunçados, eu não conseguia pensar em nada, a não ser em descobrir quem era aquela mulher. Assim que Alex parou o carro na frente do meu prédio, perguntei:

- Al, você está bem?

- Não, mas vou ficar! – ela me respondeu com um sorriso forçado no rosto.

- Quer subir? – a convidei.

- Eu não vou ser a melhor companhia pra você agora. – ela acariciou o meu rosto.

- Eu não quero saber se você é a melhor companhia ou não, eu quero ficar com você! – afirmei.

- Pipes, eu não mereço toda essa sua atenção! – ela segurava o meu rosto com as duas mãos.

- Alex...

- Shh, por favor, vai pra sua casa, e fica tranquila, eu vou ficar bem! – seus polegares acariciavam meu rosto, e então ela me beijou. – Faz o que eu estou te pedindo!

Assim que ela me soltou, e então eu sai do carro, Alex não nem me esperou entrar, apenas acelerou e eu fiquei ali parada vendo o carro se afastar, querendo e desejando que ela tivesse aceitado o meu convite, fui para o meu apartamento ainda pensando em tudo o que havia acontecido, contei tudo para Lorna, e inevitavelmente para Nicky que saiu correndo atrás da amiga, assim que ela saiu, me joguei no colo de Lorna:

- Amiga, eu não sei mais o que fazer. – falei.

- Com a Alex? – ela perguntou, enquanto passava a mão pelos meus cabelos.

- Sim! Sabe, eu ela não deixa eu me aproximar, mas eu também não consigo me afastar. – eu me abria pra minha amiga.

- Pie, se te serve de consolo, eu nunca vi a Alex agir desse jeito! – Lorna dizia calmamente.

- Só ajudaria se ela estivesse aqui! – respondi.

- Piper, entenda, a Alex não é de namorar, nunca foi, antes da Sylvie era assim e depois dela ficou ainda pior, ela é uma pessoa difícil, e precisa de um tempo pra se entregar. Agora, ela gosta mesmo de você, por mais que não assuma um relacionamento agora, ela gosta, basta você entender isso, pode ser que a Alex demore pra te pedir em namoro, ou te apresentar como namorada, pode ser que ela nunca faça isso, você só tem que saber se é isso que quer pra sua vida! – Lorna dizia com uma voz calma.

Eu não respondi nada, apenas me virei e aproveitei o carinho que minha amiga fazia, acabei dormindo pensando em Alex e em como seria conviver com ela, em todas as circunstancias possíveis.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...