História Love (Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Love, Taehyung
Visualizações 111
Palavras 1.401
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores!
Bem vindos a mais um capítulo!
Espero que gostem! Boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Chegamos. 

-Que vais querer comer? -O Tae perguntou olhando as várias ementas. 

-Hmmm… pode ser sushi? 

-Sim! Ótima ideia! 

Encomendamos a comida e sentamo-nos. Conversamos sobre muitas coisas e cheguei à conclusão de que escolhi os melhores amigos certos! A Yasmin…eu adoro-a ela é incrível e depois de tudo o que já passou continua a ser uma pessoa maravilhosa (ela vive só com a avó, acho que ainda não tinha dito… pois os pais foram mortos quando ela era mais novinha) e o Tae além de ser o amor da minha vida é uma pessoa genuína, pura, amiga... onde Kim Taehyung está presente,  a diversão, a alegria e a boa disposição estão também! Sem esquecer que ambos são como uns irmãos para mim! Sempre comigo e eu sempre com eles! Adoro-os... aos dois! 

Terminamos de jantar e em seguida fomos ao cinema. Vimos um filme super interessante. 

-Vamos embora então?

-Já? 

-Porquê? Onde queres ir?

-Não sei… dar uma volta por aí! Só não queria ir para casa agora…

-Prontos ok! Então olha já são 23:30, vamos sair do shopping e depois levo te a ver um lugar lindo! Ok?

-Ok! -Sorri e dei-lhe um beijinho na bochecha.

Chamamos o elevador e junto connosco entrou uma senhora que devia de ter os seus 30 ou 35 anos com dois bebés, uma menina e um menino de mais ou menos 2 anos. 

Eles eram muito fofinhos e muito queridos um com o outro. 

Estava tudo bem até que o elevador pára e as luzes apagam-se ficando apenas a pequena luzinha de emergência acesa. 

-Que foi isto? – eu sofro de claustrofobia e de um medo terrível do escuro. A situação perfeita, sem dúvida!

-Tem calma ok? Eu estou contigo! 

-Isto tinha que me acontecer! A mim? A sério? – comecei a tremer.

Senti o Tae abraçar-me. Estava no processo de me acalmar e não ter nenhum ataque de pânico quando ouvimos uma voz no altifalante: “Caros clientes, por favor mantenham a calma. Houve apenas um corte de energia inesperado mas que será resolvido em breve. Obrigado!”

As crianças, a mando da mãe, sentaram-se no chão e mesmo com a quase inexistente luz no local começaram a fazer um jogo. A certa altura eu já estava cheia de calor e a sentir os sintomas das minhas fobias atacarem. Sentei-me no chão a respirar fundo quando…

-Mãe, o que é que aquela menina tem? 

-Aquela menina tem medo do escuro e de locais fechados…

-Mas ela é grande e o namorado dela também…

Neste momento eu e o Tae já estávamos corados pelas observações da menina.

-Mas sabes… há pessoas grandes que também têm medo… e não faz mal dizer! Toda a gente tem as suas fraquezas percebes Yura? Vai lá dar um beijinho à menina sim? 

-Está bem! E posso também brincar com ela?

-Claro!

A menina aproximou-se e deu-me um beijo e um abraço que me deixaram muito confortável. Ela tinha algo especial… 

-Obrigada! -disse baixo… já não conseguia falar em condições.

O rapazinho aproximou-se e começamos os 4 a brincar. Eu tentei aproveitar esse facto para me distrair mas passado pouco tempo já estava novamente em stress. 

Levantei-me andei um pouco por onde era possível… 

Vi o Tae dar de comer à menina e o menino adormecer. 

Sentei-me novamente no chão e aí não consegui controlar-me. Comecei a chorar, a transpirar, estava até a ficar com algumas tonturas. 

-Tem calma princesa. Vai tudo correr bem! 

-Devia de dizer alguma coisa à minha mãe ou ao Jimin…

-Para quê? A tua mãe está a trabalhar e o Jimin provavelmente nem está em casa… Seja como for vais preocupá-los sem necessidade, não podem ajudar em nada! 

-Já passou mais de uma hora e meia… ninguém nos diz nada…

-Tem calma Saman! Disseste que confiavas em mim não foi? Então confia! 

-Eu confio mas… 

Fui cortada novamente pelo mesmo motivo de há pouco. Mais uma vez ele beijou-me de forma suave e demorada transmitindo segurança e paz... cada vez que ele fazia isto mais eu gostava e sentia necessidade de mais!

-Tem algum calmante?  - ele perguntou à senhora depois de afagar os meus cabelos e de deitar a minha cabeça no seu colo. 

-Sim tenho aqui! Também tenho água! 

-Obrigada! – O Tae agradeceu.

-Obrigada! - agradeci também.

Tomei o calmante, deitei a cabeça novamente no colo dele e adormeci passado pouco tempo.

SAMAN OFF

TAE ON

Depois da Saman adormecer troquei algumas palavras com a senhora, apenas para ter algum ambiente… falamos de cultura, política, das crianças... até que chegamos a um ponto que me tocou fortemente…

-Eu? 

-Sim! Namoras com ela? 

-Não… infelizmente não posso! - baixei a cabeça.

-Como não podes? 

-Não posso fazê-la sofrer…

-Como é que amando se magoa alguém? 

-Também acho que não devia de ser asssim mas… 

Este assunto magoava imenso e sem perceber uma lágrima ou outra foi escorregando pelo meu rosto. 

-Se o problema é o medo… então não tenhas! Amar nunca fez mal a ninguém… e…

-A senhora não entende! – interrompi.

-Talvez até entenda! Eu cometi um erro um dia e por conta desse erro estou sozinha com estas crianças em vez de ter alguém que realmente me amava como ela tem a sorte de te ter a ti! Eu sei que sou apenas uma estranha e que não tenho nada a ver com a tua vida mas eu sei o que custa perdermos aqueles que amamos! Porque não aproveitas e desabafas?

-Posso? – falei com uma voz de choro…. Eu estava realmente a precisar de tirar isto tudo de cá de dentro! Continuei a massajar os cabelos da minha princesa e comecei a contar…

-É claro que sim! Eu já passei por isso! Sei o que custa! 

- Resumidamente: eu amo-a! Amo-a como nunca imaginei amar ninguém! ela torna os meus dias melhores,  é ela que me tem mantido de pé apesar de todos os problemas! Apesar da distância dos meus pais, dos meus irmãos e de tudo o que era parte de mim eu tenho me mantido em pé!  Tenho continuado a lutar por aquilo que quero e tudo graças a ela! Mas agora…. Vou perde-la e eu não suporto isso! – estava muito frágil... respitei fundo e então continuei. - Eu vou para a Coreia dentro de um mês e apesar de sentir uma vontade incrível de lhe dizer tudo isto sei que a vou magoar quando a vida nos separar! 

-Queres um conselho? Não deixes que nada nemm ninguém acabe aquilo que vocês têm! Não deixes que ela consiga seguir em frente para depois te declarares! 

-Mas eu não quero que ela sofra por mim! Eu vou fazer este sacrifício por ela!

A conversa parou por ali! Eu estava de rastos! Continuava sem saber o que fazer…  sou tirado dos meus pensamentos quando as luzes se acendem de repente e o elevador anda. Peguei nela ao colo e saio para fora assim que a porta se abre. Estava muita gente do lado de fora então apenas me dirigi para o parque de estacionamento… mas antes…

-Obrigada

-De nada! – a senhora sorriu – pensa no que te disse! E cuida bem dela!

Segui com ela no colo. Chegando ao carro coloquei-a no banco do passageiro e arranquei! Iria leva-la para minha casa. 

Chegando lá ela acorda…

-Tae? Onde estamos? - fala abrindo os olhos com dificuldade.

-Estamos no meu carro em frente à minha casa! 

-Deixas-me ficar cá esta noite? 

-Claro! 

Saio do carro. Abro a porta do lado dela e ajudo-a a descer. 

-Entra. – disse assim que abri a porta. Subimos para o quarto.

-Posso tomar banho? 

-Claro! Está ali a casa de banho. 

-Obrigada! – Saman ainda estava meia “mole” e por isso quase caiu. Ajudei-a a entrar na casa de banho e a seu pedido ajudei-a a tirar a roupa. Tirei primeiro as botas e as meias… depois a saia e a camisola! Estava a tentar manter a sanidade o que não eraa fácil...

-Já consegues assim?

-Sim! Obrigada Taezinho.

Sai da casa de banho. Estava encantado! “Ela é linda” pensei. Mas logo em seguida fui trocar de roupa e arranjar a cama para tirar estes pensamentos impuros de mim.

Passado algum tempo ela saiu da casa de banho. 

-Já está livre! Arranjas-me alguma t-shirt para eu usar? 

-Claro!- fui buscar uma e dei-lhe. Ela vestiu e a camisola assentava-lhe mais ou menos no meio das coxas… ela ficava linda assim. Mas mais uma vez abanei a cabeça e virei costas entrando na casa de banho!

Quando sai ela já estava deitada. 

-Bem eu vou dormir lá para baixo está bem? Se precisares de alguma coisa chama!

Quando ia a sair…

-Tae? Fica aqui comigo por favor… 


Notas Finais


Bem eu espero que tenham gostado... se sim compartilhem/ comentem/ favoritem... :) :)
E obrigada a quem favoritou e quem gostou e resolveu dar-me uma oportunidade! É muito importante ver que gostam para não desanimar! Obrigada <3

Ah antes que me esqueça! Estou e vou continuar a tentar postar todas as quartas e domingos (não garanto que seja à mesma hora) ok?

Enfim... no próximo terá lemon!!! ;)

Beijos! Até quarta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...