História Love impossible - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yuma Mukami
Tags Intrigas, Lobos, Luta, Magia, Morte, Romance, Traição, Vampiros
Visualizações 43
Palavras 1.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi

Capítulo 2 - Chegada


Fanfic / Fanfiction Love impossible - Capítulo 2 - Chegada

Depois de algum tempo, Girya e Logan haviam conseguido ficar juntos, Luna agora tinha sete anos, eram uma criança adorável. Tinha os cabelos ruivos de sua mãe, e os olhos purpura de seu pai, não era uma criança normal, era introvertida e não fazia muita questão de ter amigos. No momento estavam na enorme sala que a casa tinha, Girya e Logan estavam deitados no sofá, abraçados e tiravam um cochilo. Enquanto Luna estava no chão brincando com o filhote de lobo do ártico que seu pai lhe dera, era extremamente branco e os olhos eram de um tom azul claro. Eram felizes, realmente haviam feito uma boa escolha. De vez enquanto eram incomodados pelos soldados do pai de Girya, que a procurava em todos os mundos possíveis. Sendo incomodados por batidas nas portas, Logan se levantou, indi até a porta e ao abrir, sua feição mudou rapidamente, deixando que seus caninos crescerem. Karl estava ali, e não estava sozinho, um rapaz ruivo de olhos esmeraldas, usando um chapéu um tanto antigo, o acompanhava.

– Finalmente achei vocês! Pode encolher essas presas lobinho, não vim na intenção de lutar… Este aqui é meu filho, Sakamaki Laito! – entrando sem cerimônia, abriu um sorriso ao ver a menina.

– Então ela será meu novo brinquedo? – falando de forma manhosa, se aproximou da criança, que logo pegou o filhote de lobo e subiu bo sofá, indi para perto de sua mãe. – Não precisa ter medo de mim ainda, não tenho interesse em você no momento. Mas nada disso impede que nos tornamos íntimos no futuro…

– Manda seu filho calar a boca, caso contrário eu vou decapita-lo aqui mesmo! – fazendo sua voz ser presente. Girya encarou o vampiro que ainda estava com um sorriso bo rosto.

– Por que tanta violência? Como disse, não vim na intenção de brigar. Apenas vim conferir se ela estava sendo bem cuidada, e vejo que ela se tornará uma mulher extremamente atraente… – olhando para a menina com um olhar sério, voltou os olhos para Laito. – Por favor, saia. O assunto que quero falar não precisa da sua presença! Leve a garota com você, crianças não precisam saber disso...

– Hai! Venha futura Bicht-chan! – mesmo hesitando, acabou acompanhando o ruivo até a porta da casa, sendo seguida pelo filhote de lobo, e ai sair. Se sentaram nas cadeiras que haviam ali, se cobrindo com as cobertas que já ficavam no local.

– Você é estranho… – pegando o lobinho no colo, começou a acariciar seu pelo.

– Imagino que esteja mais frio ai, por que não se senta no meu colo? Podemos gerar mais calor desse jeito… – não era pedófilo, mas não perderia chance de criar uma certa “amizade” com ela. Dessa forma ela ficaria mais tempo com ele ao invés dos outros.

– Ta bom. – saindo da cadeira, caminhou até a de Laito, subindo e sentando em seu colo, ainda com o lobo nos braços.

– Qual o nome dele? – perguntou enquanto começava a passar uma das mãos nos cabelos ruivos da menina.

– Alcatraz, meu pai me deu de aniversário. – se deitando sobre o peito do ruivo, não deixou o filhote de fora. O mesmo também estava na mesma posição.

Observando a figura ruiva, não fazia expressões, apenas passava a mão sobre os fios ruivos enquanto observava ela cochilar. Estava curioso sobre como seria a aparência dela quando tivesse dezesseis. No exato momento que ela fosse para a mansão, iria dar um jeito de faze-lá dormir em seu quarto, iria ser seu brinquedo particular. Mas antes iria criar um laço com ela, já estava planejando um jeito de ficar ali por algum tempo, e ganhar a confiança da menina. Além do que, havia mulheres atraentes nas fazendas vizinhas, e nada o impedia de se aproveitar um pouco delas. Voltando sua atenção para a menina ruiva que estava em seu colo, se perguntou por que estava a tratando de maneira tão gentil.

– Você é um pedófilo? – se surpreendendo com a perfura da menor, soltou uma risada manhosa. Achou que ela estivesse dormindo.

– Não querida, não curto meninas novas, elas ainda não estão no padrão de mulheres que gosto. – falando de maneira mais manhosa, passou a mão pelo pescoço da garota, retirando os fios de um dos lados. Passando a ponta dos dedos sob a pele, era uma tentação com aquele aroma doce pelo ar. Mas não a morreria ainda, poderia mata-la.

– Eu vou pro meu quarto – descendo do colo de Laito, entrando dentro da casa, subindo as escadas rapidamente.


Alguns anos se passaram desde então. Luna agora tinha seus dezesseis anos. E não possuía mais contato com Laito desde os dez anis de idade. Quando o ruivo fez sua última visita. Se preparava para ir a mansão sem nem um entusiasmo, as malas estavam todas prontas, mas queria arrumar os fios espetados de seu cabelo, iria rever o ruivo. E querendo ou não, havia criado um laço com ele, mesmo sabendo sobre o que ele faz com a maioria das mulheres.

Se despedindo de seus pais, entrou na limousine acompanha por Alcatraz – seu inseparável companheiro. Se sentando de maneira relaxada no banco, seria uma viagem longa, então dormiria a maior parte do tempo. Caindo no sono, acordou pelo fato de terem parado, em frente a uma enorme mansão. Se perguntou como havia chegado tão rápido, já que o Alaska é praticamente do lado oposto do Japão. Mas decidiu não dar muita moral. Pegando suas malas, abriu o portão e caminhou até a porta com entusiasmo. Queria ver o ruivo imediatamente, e assim que entrou logo deu de cara com ele.

– Bicht-chan, finalmente posso ver seu rosto… – a olhando de cima a baixo de maneira discreta, lambeu os lábios. Mau via a hora de ter aquele corpo apenas para si. – Me acompanhe, você precisa ver o restante deles antes de ir para seu novo quarto!

– Certo. – estando meio desconfiada, mesma assim o acompanhou. E ao chegar na sala se deparou com mais cinco homens, e depois de uma longa e chata apresentação. Finalmente pode se pronunciar novamente. – Entendo, se me derem licença, podem me dizer onde eu irei dormir?

– Que pergunta é essa Bicht-chan?! Logicamente ira dormir no mesmo quarto que eu! – se aproximando por trás da ruiva, falou as últimas palavras com o tom de um sussurro.

– E por que no seu quarto?! Ela deveria dormir com o Ore-sama! – se levantando do sofá branco em que estava, Ayato. Que era o terceiro filho de Karl, não demostrava estar a favor.

– Não importa com quem ela ira dormir, ira nos dar seu sangue do mesmo jeito. – sendo sério, Reiji a encarou com desprezo. – Melhor se comportar, faz tempo que não ensino bons modos para uma mulher...

– Deixe eles Bicht-chan. Venha comigo! – começando a subir as escadas, foi seguido por Luna que demonstrava estar perdida no assunto.

Ao chegarem no quarto, viu que ele era de uma coloração creme, a cama possuía lençóis com tons verdes e o piso era de madeira escura, dando uma boa aparência para o local.

– Este quarto é meu, mas passara a ser seu também... Apenas um detalhe, o lobo não pode ficar aqui. – referindo-se a Alcatraz, Luna bem deu bola para isso, já havia imaginado então deixou o animal bo quintal. – Agora que estamos a sós, poderemos nos divertir, seu corpo mudou desde a ultima vez que te vi!


Notas Finais


Ate! Espero que ela já esteja dando sinais de que esta melhor que antes!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...