1. Spirit Fanfics >
  2. Love intensely >
  3. Nothing without them

História Love intensely - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oii babys!!!

Vocês estão bem??espero que sim...

Beem nosso bolinho tem um cap só dele sim sim sim...

Obs: As frases em italiano são pensamentos dos personagens.

Tem um aviso importante no final ok? Pfv leiam.

Boa leitura.

Capítulo 8 - Nothing without them


Fanfic / Fanfiction Love intensely - Capítulo 8 - Nothing without them

Jimin


Este pode ser o pior dia na história, e no domingo foi tão bom. Bom no final da noite, de qualquer maneira. E então a revelação dos gêmeos esta manhã o atingiu como uma pedra entre os olhos. Ambos queriam que ele fosse seu companheiro. 


Inédito


Não, só que eles não eram do mesmo grupo, mas ambos para ele! Ele nem sabia como isso iria funcionar e toda vez que pensava nisso, seu coração batia forte e seu estômago embrulhava.


Taehyung levantou sua voz naquela manhã e cada instinto que ele teve para argumentar até que ele estivesse com o rosto azul saiu voando pela janela e seus velhos hábitos chutaram para cima. Quando um poderoso homem mandava você parar de fazer algo, você simplesmente parava.


 Ponto final.


 Ele odiava a si mesmo por se sentir tão baixo na frente deles, porque ele mesmo gostou da noite de domingo, quando ele reuniu coragem e enfrentou as fêmeas. Mas ele ainda era um estranho aqui, ainda fora do lugar.


E então, quando ele foi para o quarto para se esconder de seus olhares penetrantes, ele ouviu a voz de Jason em seu celular que fez todo o seu corpo estremecer.


— Eu não sei qual é seu problema, primo, mas você tem a minha esposa grávida enlouquecendo, porque você não liga de volta. Estou cansado de sua preocupação com você. Até longe você atrapalha nosso relacionamento. Eu sei que você pediu para ela me ignorar porque eu coloquei ela para baixo grávida por sua causa, então se ela perder o bebê por causa do estresse, eu vou caçá-lo e fazê-lo pagar, família ou não. Agora você pare de drama e ligue para sua suposta melhor amiga.


A ligação terminou em um grunhido que ele conhecia muito bem. Jason não estava errado. Jimin estava sendo um mal amigo. Ele queria muito ligar para Cades, mas ele tinha medo de que ele implorasse para voltar para casa. 


Então Jimin olhou para seu celular e, depois olhou para o prato que Jungkook fez para ele e deixou sobre a cômoda. Ele sentiu como se estivesse preso entre dois mundos, que ele não entendia.


E foi aí que ele percebeu que Allen não era mais sua casa. Jimin pediu para sair da matilha. Uma vez que um lobo se tornava renegado, não podia voltar para sua matilha, esse simplesmente não era o seu caminho. Mesmo que ele voltasse para Allen, ele seria “um lobo não bem vindo” em seus bailes semanais, e durante a lua cheia ele teria que encontrar um lugar para caçar sozinho. E isso também significava que todos podiam tratá-lo como uma merda, e ele seria um fantasma em sua cidade natal. Como se ele já não tivesse se sentido assim antes.Uma combinação de coisas que provocara, a crise humilhante na concessionária. A ligação de Jason, e a bondade de Jungkook e Taehyung, a sua declaração, e sim, um pouco de um  flashback.


 Quando ele ligou o carro, se perguntou exatamente onde estava indo. E talvez isso fosse o suficiente para fazê-lo explodir. Mas aquele beijo com Taehyung no carro foi alguma coisa. Ele cheirava tão bem, como um tempero quente, todo macho e força. Ele queria que Taehyung acreditasse que não foi afetado pelo beijo, então disse a coisa mais estúpida da história.


 Como se pudesse ter relações sexuais com ele e não ficar totalmente apaixonado! Isso foi um feito digno de Houdini. Sem falar na minha anomalia nas partes baixas. Será que eles vão me achar estranho


Quando ele entrou na casa da garagem, ele contornou Jungkook na cozinha sem dizer uma palavra e foi para o quarto para pegar seu telefone. Jimin não poderia ter todo mundo o odiando agora. Mas Cadence tinha que deixá-lo ficar em pé sozinho e isso significava que ele precisava de algum espaço.


Doía, mas ele manteve a ligação civilizada e curta. Jimin disse a Cades que estava preso em uma cidade com neve, no norte e estava com problemas com o carro, e jurou que estava muito bem. Ele não disse que achava que Jason era um babaca, embora fosse a primeira coisa que ele queria dizer. Ele está autorizado a proteger sua esposa.


— Você está decidido a nunca voltar para casa, não é? — Sua voz estava plana.


— Não, Cades. Bem, quero dizer que eu poderia ir visitar, você sabe, depois de ter seu bebê, mas eu não posso viver mais ai. Você passou a vida inteira me protegendo. Você tem um pequeno vindo e um marido agressivo, por isso suas mãos estão cheias. Fique tranquila minha amiga. Eu a amo.— Ele não ia chorar. Ele segurou suas emoções e desligou o telefone. 


Se preparando e esperando que Taehyung tivesse voltado a trabalhar, para que ele não precisasse encará-lo, Jimin entrou na sala da família. É claro que ele estava lá, sentado impassível no sofá com os braços cruzados. 


Droga. Então, como você conserta algo depois de se oferecer para um homem que não foi nada além de doce com você? Nenhuma pista. Um pedido de desculpas, talvez? Oh merda, é se ele realmente aceitasse a sua oferta? 


Jimin viu Jungkook na cozinha e ele parecia irritado. Ele não estava sendo justo com eles. Ele, pelo menos, devia a verdade.


Ele parou na frente de Taehyung. Levou um longo tempo para olhar para Jimin. Quando o fez, ele disse:— Eu sinto muito. Eu, uh, sou um completo idiota e não queria tratá-lo tão mal. Bem, isso não é verdade, exatamente.Eu planejei ser um chato quando vocês roubaram minha bagagem e fizeram o hotel negar o meu cartão de crédito. Era para ser assim, e então vocês não aguentariam e me levariam de volta, mas isso não funcionou por algum motivo. — Ele parou de respirar, houve uma batida forte na porta da frente e todos os três viraram suas cabeças naquela direção. 


Jungkook foi para a porta, abriu e logo a fechou abruptamente, com um pequeno grunhido. O que quer que estivesse lá fora, não o deixou feliz.


Taehyung se levantou. — O quê?


Jungkook balançou a cabeça rapidamente e outro olhar de gêmeos parece ter passado entre eles. O que estava se tornando rapidamente a sua coisa menos favorita. Jimin abaixou em torno do braço que Taehyung esticou para interceptá-lo e bater os pés para Jungkook.


— O que esta lá que o deixou irritado? — Ele perguntou, olhando para seu rosto lindo e a raiva iluminava as suas feições. Ele não parecia menos bonito, ele apenas parecia mais mortal.


— Não é nada. Você estava dizendo alguma coisa?


— Não minta para mim. — Jungkook colocou a mão na maçaneta da porta e os nós dos dedos da mão que estava segurando a porta ficou branco quando ele exerceu a força para impedir Jimin de abrir. 


Taehyung se juntou a eles à porta, e bufou, cruzando os braços mais uma vez, que, infelizmente, fez os músculos sob seu uniforme parecerem que iam rebentar pelas costuras.


— Você não deve esperar o que você não esta disposto a dar.


— Eu fui mais do que claro sobre minhas intenções. Eu não menti para qualquer um de vocês.— Os olhos de Taehyung escureceram e todo o seu corpo ficou imóvel.


— Oh? Então você vai se juntar a mim na cama agora? — Jimin engoliu em seco, e seu coração parou de bater por um segundo.— Sim, bem, isso é o que eu pensava. Se Jungkook diz que não há nada atras daquela porta, então você deve ir embora.


Jimin olhou para os dois e baixou a mão da porta. Ele queria muito ver o que estava do lado de fora. Sua paranoia teve um pensamento sobre ele.


— Olha — Ele se posicionou de modo que ainda podia pegar na maçaneta quando Jungkook se afastou. Agora parecia que ele poderia esperar a idade de gelo.— Eu já pedi desculpas pelo que disse a você no carro. Você sempre joga as coisas de volta nas pessoas assim? —Taehyung teve a decência de pelo menos parecer um pouco infeliz quando ele disse isso, e que o fazia secretamente feliz. Ele não gostava de pedir desculpas. Desculpas devem apagar memórias. Pelo menos essa era a sua teoria.— Eu não tenho certeza do que vocês querem de mim. — E isso era a verdade, mesmo que ele estivesse usando, atualmente, como uma tática evasiva. Jimin absolutamente precisava ver o que estava na varanda.


A testa de Jungkook ficou instantaneamente franzida.— Jimin, nós só queremos conversar.


— Tudo bem.  


Para provar que ele queria falar, quando o que ele realmente queria fazer era abrir a porta da frente, ele deu um pequeno passo para longe da porta. Eles relaxaram um pouco, e Jungkook disse: — Vamos sentar no sofá onde é mais confortável.


No momento que os dois se voltaram juntos, Jimin abriu a porta antes que pudessem reagir. Lá, no tapete de boas-vindas estava um grande osso de cão de couro cru, com um laço vermelho sobre ele.


Agora, esse é o tipo de merda que  uma pessoa louca faz


— Pelo amor de Deus — Taehyung o agarrou pela cintura e o puxou batendo a porta.—Você se sente melhor agora? — Jimin não tentou não perder o controle. Por um lado, era como um vício maldito. E por outro lado, foi muito bom.


Jungkook interrompeu.— Nós estávamos tentando protegê-lo. Por que você insiste em contrariar tudo o que tentamos fazer?


— Porque eu não preciso de sua proteção. Eu passei minha vida inteira sendo protegido por outras pessoas, e estou farto disso. Taehyung, me solte, por favor. — Jimin lutou contra seu aperto, mas tudo o que fez foi esfregar a bunda dele contra sua virilha e Jimin não podia perder aquela parte dele que estava muito dura. 


Oh Merda.


Sua voz era baixa e atada com uma inclinação perigosa quando sua boca roçou seu ouvido:— Você me deixa tão furioso que eu quero colocá-lo sobre o meu joelho e bater na sua bunda, Jimin. 


Maldição corpo traidor


Ele não apenas tremeu com aquela insinuação! Esperando que seu rosto não o traísse, mesmo se seu corpo provavelmente o fizesse, Taehyung o soltou e endireitou suas roupas. Diante deles, Jimin disse:— Por que vocês querem que eu fique em um lugar onde eu não sou bem-vindo? Não é como se eles me conhecessem e viram que sou uma pessoa terrível, eu nem tenho certeza que eles não gostam de mim. Mas se é assim depois de estar aqui por dois dias, então como vai ser daqui um mês ou um ano?  


Jungkook não pediu permissão, ele agarrou seu cotovelo, e puxou Jimin para a sala e apontou para o sofá. Ele sentou, porque o olhar em seu rosto, disse que Jimin realmente deveria fazê-lo. 


Taehyung esfregou a têmpora como se tivesse uma dor de cabeça. Provavelmente. Jimin tende a tornar as pessoas insanas depois de um tempo.


— Por que você deixou a sua matilha?


— Isso não importa. — Era a sua vez de cruzar os braços. Taehyung e Jungkook ficaram na frente dele, olhando para baixo e ele se sentiu ainda menor do que o habitual. Mas estranhamente não estava com medo deles, era apenas que ambos estavam tão imponentes e que eles realmente acreditavam que estavam fadados a ficar juntos. Por que iriam querer um moreno pequeno como ele, ao invés, dessas leoas de pernas longas e vazias, era uma incógnita. 


— Não. Isso não importa. O doutor... — Jungkook começou e Jimin colocou a mão para cima.


— Se você falar sobre renegado novamente para mim, eu vou me zangar. Não estou brincando. Podemos ser geneticamente os mesmos, mas ele falou comigo somente duas vezes e não sabe nada sobre mim.


— Justo. — Taehyung disse, esfregando o dedo em seu queixo. Uh, Jimin teve os dedos nessa mandíbula. Jimin beijou, também. Oh merda, ele acabou de lamber os lábios?


— Se você não quer que a gente fale com ele, então você tem que falar com a gente.


Jimin chupou os dentes em aborrecimento. — Saí porque meu primo, o alfa, insistiu que sua companheira, minha melhor amiga, colocasse todas as mulheres em seu lugar para um pequeno lembrete de quem está no comando. Ela o fez, mas ela me deixou de fora, porque ela não me considera uma mulher. Ela não quis levantar a mão contra mim, mesmo se sua vida dependesse disso. Jason ficou furioso, e quando ele disse a ela para me isolar ou ele iria fazê-lo, ela se levantou entre nós. Então ele a colocou no meu lugar, na frente da matilha. — Jimin riu, mas não era um som agradável. Foi difícil. — Ela é uma híbrida. Sua mãe estava grávida e foi atacada por um bando rival e de algum modo quando sua mãe morreu, passou sangue suficiente para ela por isso ela é cerca de metade e metade. Não se transforma, mas possui algumas das habilidades como velocidade e temperamento. Então ela era a vira-lata. Todas as fêmeas a tratavam assim, porque ela era diferente, e eu sempre fui fraco, então ela me defendeu delas, mesmo ela sendo pior do que eu era. A deixei ficar no meu lugar na minha infância, eu a deixei tomar as surras por mim, porque eu estava com muito medo de ser atingido, embora nunca importasse, porque eu sempre tenho medo de qualquer maneira. Então, eu não estou muito interessado em  me defender constantemente de um bando de bonecas Barbie. Meu plano para a minha vida no momento que deixei a matilha era me estabelecer em uma cidade inteiramente humana, casar com um ser humano, ter um monte de bebês humanos e ser o único lobo em torno, de modo que ninguém iria tentar impor hierarquia na minha bunda, mais uma vez. Você acha que foi o destino que me trouxe aqui, eu acho que foi apenas um maldito acaso. Lamento me sentir assim. Desculpe, eu tentei ficar nesta cidade e porra, estou cansado de me explicar para vocês.  


Lá. Isso foi uma dura verdade. Eles teriam que deixá-lo ir embora.


Foi Jungkook que bufou primeiro.


— Porra quanta besteira.


Jimin se arrepiou.— Desculpe?


— Você me ouviu. Lamento que teve uma vida horrível antes, Jimin, mas agora está no nosso mundo, e se você acha que vamos deixa-lo, você esta muito enganado.


Os olhos de Taehyung estavam com raiva. — Você acha que pode enfiar o rabo entre as pernas e fugir de tudo isso? Você pertence a nós. Não há nada na terra que vai mudar isso.


Jimin sentiu seu olho tremer com o seu tom, mas seu coração batia irregularmente com o que acabara de dizer. Não era um dominador “pertencer”, era sincero. 


Puta merda. Eles... o amavam?


Jimin cruzou os braços novamente. Era isso ou agarrá-los. Ele virou a cabeça para o lado, para que não tivesse que ver os seus corpos lindos.


— Não importa o que você pensa. No minuto em que eu puder sair daqui, eu vou.


— Vamos ver se você vai. Se você for embora,vamos com você. — Jungkook disse com uma convicção que dizia que ele esperava que Jimin simplesmente fosse junto com ele.


Antes que Jimin pudesse perguntar o que ele quis dizer com vamos com você, Taehyung sentou no sofá com um suspiro pesado e Jungkook sentou na mesa de café. Taehyung passou as mãos pelo cabelo e, virou seus olhos cinza prata para Jimin. A raiva foi embora, mas o calor e o desejo estavam lá.


— As mulheres não querem nada permanente. São os homens que querem ter filhos e família. Nosso pai foi aquele que nos alimentou, nos criou, inteiramente por conta própria. Nossa mãe nos olha como se não soubesse que somos parte dela, e o fato de que ela não se importa, de uma forma ou de outra, é uma facada em nosso peito o tempo todo. Você teve dificuldade em crescer, bem, nós também. Tudo o que queríamos era não ficar presos na mesma vida como nosso pai. Não ter que explicar aos nossos filhos que sua mãe não os ama e não os quer, e que eles terão que se contentar com apenas metade de uma família. 


— Aqueles meninos, Jimin , eles não entendem você, mas eles querem que você volte. Eles querem o carinho e atenção de uma pessoa maternal, porque esta em nossa natureza, ansiar. E lamentamos que as fêmeas estejam reagindo a você assim, mas não é uma surpresa para nós. Elas não nos querem, mas não querem nada que contamine o conjunto de genes, e elas vão ficar violentas para impedir que isso aconteça. Agora, elas estão te irritando para fazer você ir embora e parece que estão fazendo um bom trabalho. — Jungkook disse, com as mãos pressionadas com tanta força que os nós dos dedos estavam brancos novamente. 


Jimin não sabia por que disse isso, mas saiu de sua boca antes que ela pudesse deter. — Então vocês só me querem porque eu sou capaz de amar?


Bem, isso foi a coisa errada a dizer. Ambos rosnaram com raiva e o som se alojou na base de sua espinha. Jungkook levantou com um suspiro e com sua voz completamente vazia de emoção.


— Eu vou cuidar dessa coisa na varanda. Taehyung?


Seus olhos estavam planos e parecia que queria derrubar um edifício com os punhos.


— Vou para a delegacia terminar o meu turno.


E assim, Jimin estava sentado sozinho na sala. A porta da frente se abriu e ele ouviu Jungkook dizer:


— Bem, eu cheiro Melania e Lola. Elas devem ter conversado com as outras mulheres.


Ele deve ter chegado perto de Taehyung ou disse algo que Jimin não podia ouvir, porque a voz normalmente calma de Taehyung ficou tensa.


—Não, Jungkook. Eu não. Mais tarde. — As botas de Taehyung rangiam sobre o sal na calçada e, quando a porta da frente se fechou, Jungkook entrou silenciosamente pela casa e desceu para o porão. Jimin ouviu o arranque e o guincho de pneus quando eles derraparam bruscamente para frente.


 Uau, ele os insultou totalmente, e seu peito doía ao saber disso.Se era assim que se sentiam quando ele se afastava deles, então ele tinha que se desculpar.


Notas Finais


The end...

Nosso bolinho é decidido...

Gente estou comunicando a vocês por aqui que eu estou trocando o nome da fic. Quem está acompanhando pfv prestem a atenção para não se confundir depois e para quem está chegando agora sejam muito bem-vindos.

Até a próxima lobinhos e gatinhos. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...