História Love is Forever - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Cebola, Mônica, Personagens Originais
Tags Cebonica, Love Is Here, Love Me Again, Love-never-dies, Season Finale
Visualizações 102
Palavras 3.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiêêê genteee!!!
Olha só a sumida aparecendo! 😂😂
Me desculpem mas eu estava passando por um grave bloqueio criativo. Não estava conseguindo escrever esse capítulo mesmo sobre a parte do almoço e por isso mudei ele todo e acho que deve ter ficado bem melhor assim.
Me desculpem de novo e espero que gostem do capítulo!

Boa Leitura *-*

Capítulo 7 - Desentendimentos


Pov Mônica

Duas semanas tinham se passado e os preparativos para a festa de casamento estavam a todo vapor. Penha estava me ajudando com tudo e tentamos fazer algo sem exagero, de acordo com a exigência de Amanda e Do Contra.

Eu, Penha e Josh estávamos procurando por algum presente em cima da hora para dar a eles já que com tudo isso da festa, acabamos esquecendo do presente de casamento.

- Já sei! E se nós comprarmos esse tipe-tope aqui?

Penha solta uma gargalhada me mostrando um tipe-tope escrito: "Mamãe e papai, estou chegando".

- A Amanda não está grávida, Penha. 

- E essa roupinha é exatamente para causar um sustinho básico para ver se é o que eles realmente querem. Amor, o que acha?

Josh olha para o tipe-tope e solta uma gargalhada que nem Penha ao vê-lo.

- Perfeito. É esse que vamos levar.

Os dois fazem um toque idiota com as mãos e eu tenho que admitir o quanto são perfeitos um para o outro.

Queria que o meu Cê estivesse aqui comigo...

Por mais que o tosco conseguisse me seduzir e levar para cama as vezes, eu ainda estava brigada com ele e estava me matando isso de não conversarmos mais.

Briana também não tinha encontrado um lugar para ficar ainda e eu estava quase a matando. Só sei que se ela não encontrar um lugar para morar eu a expulso definitivamente da minha casa. E se Cebola ousar reclamar, ele também é expulso.

- Agora nós temos que arranjar algo para você levar, Mônica. - volto para o presente

- E eu não vou levar esse tipe-tope "Titia favorita". - Penha faz biquinho, colocando o tipe-tope no lugar quando vejo alguém um pouco mais a frente - Gente, aquela não é a Irene?

A mulher loira com os cabelos sobre os ombros estava vendo roupinhas infantis um pouco mais a frente, e ela sorria distraída com o seu enorme barrigão. Por mais diferente que estivesse, era Irene.

- É ela mesmo... - Penha murmura

- Vamos lá falar com ela, já faz séculos. Irene!

Sem esperar pelos dois, vou até Irene chamando pelo seu nome e sendo recebida por um sorriso e abraço.

- Mônica, que bom te ver!

- Também é bom te ver. - sorrio - Como anda tudo?

- Muito bem. Só sinto falta de estar em missões da polícia mas eu faço de tudo para proteger o meu filho.

Ela acaricia a sua barriga com um grande sorriso no rosto.

Depois de todo acontecido entre ela e o Josh e a perseguição do Toni acabarem, Irene pediu uma transferência da delegacia já que não queria continuar perto de Josh e desde então, nunca mais tínhamos a visto.

Estava feliz em a encontrar cheia de felicidade depois de tudo que passou.

E nesse momento, Penha e Josh se aproximam.

- Josh, Penha. Como vão? - Irene pergunta gentilmente aos dois, parecendo não guardar nenhum ressentimento 

- Bem... - Josh fica um tempo sem falar nada - Mas e você com essa barrigona?

Ele parece querer quebrar o silêncio que se instalou, o que funciona já que Irene ri.

- Estou de sete meses. Meu marido quase não me deixa sair de casa com essa barrigona.

- Então você se casou? - Penha fica curiosa

- Sim e nunca estive mais feliz. - dava para perceber o quanto ela estava feliz com a sua nova vida - Meu marido é...

- Amor, o que você acha dessas fraudas aqui?

- São boas mas são para crianças de um ano, Kris. - ela ri

Ai meu Deus!

Kristof arregala os olhos ao olhar para nós, pensando o mesmo que eu com os pacotes de fraudas na mão.

- Krisfof? - Penha abre a boca

- Penha! - Kristof estava do mesmo jeito que ela e coça a cabeça rindo olhando para todos nós - Nossa, como esse mundo é pequeno.

- Minúsculo. - Josh murmura

- Reencontro dos ex. - solto uma gargalhada, me divertindo muito com aquilo

Era sempre Penha se divertia as minhas custas e eu estava muito feliz em me divertir as custas dela pelo menos uma vez na vida.

- Então... Quando se conheceram? - eu pergunto, já que nenhum deles iria se pronunciar

- A dois anos atrás em uma viagem. Nós dois estávamos de férias e nos hospedamos no mesmo lugar, nos conhecendo. E quando vimos, já estávamos casados e esperando um bebê. - Irene é quem responde

- Uaul... O mundo é realmente pequeno! - continuo a rir daquela história

- Bom... - Penha coça a garganta - Fico feliz que você tenha encontrado alguém e esteja feliz, Kristof.

- Pois é. Achei que não encontraria mais ninguém depois da minha namorada me dar um pé na bunda mas... Irene apareceu na minha vida.

Penha sorri sem jeito quando Kristof fala dela me fazendo prender o riso.

- Nós estamos felizes por vocês. - diz Josh - Bom... A gente se encontra qualquer dia desses.

- Sim. Podemos marcar. - sugere Irene

- Um encontro a quatro seria incrível. - Penha e Josh me fuzilam com o olhar

- Claro. Até logo então. - Irene e Kristof começam a se afastar

- Até.

Foi só eles se afastarem para soltar a gargalhada que eu estava segurando tanto.

- Foi o momento mais constrangedor que eu já passei. - Penha exclama

- Falo o mesmo. - Josh concorda

- Reencontrar os ex deve ser mesmo bem difícil. - concordo rindo, fazendo Penha me olhar feio

- Sua vaca! A situação já estava ruim o suficiente sem as suas piadinhas. 

- Viu como é bom se divertir as custas da irmã?

Ela bufa, pegando eu e Josh pelo braço e nos arrastando para o caixa e só quando chegamos em casa que eu infelizmente lembrei que não tinha comprado nada para Amanda e Do Contra. Penha, por sorte, tinha comprado aquele tipe-tope idiota de Titia favorita e eu teria que dar isso como presente.

A vadia Briana infelizmente estaria para festa de casamento como estava hospedada na minha casa. De uma semana ela não passava mais.

Pov Sophie

- Então, você vai mesmo conversar com ela? - Melissa me pergunta enquanto andávamos pelo shopping

- Eu não sei. Na mesma hora que penso em ir e escutar o que ela tem a me dizer, desisto da ideia. Thomas não disse nada sobre ela no hospital mas por que motivo Maria estaria abraçada a ele?

- Isso só um dos dois pode responder, amiga. - Melissa dá um último gole do seu milkshake antes de o jogar do lixo. - Estou morrendo de fome. Vamos parar em uma lanchonete?

- Mas e a sua dieta? - riu

- Essa vida de pobre está me fazendo mudar bastante e me dando muito mais apetite. Acho que minha dieta já era.

- Em que lanchonete você quer ir?

- Ali!

Olho para onde ela estava apontando e percebo que aquela era a lanchonete que ela trabalhava.

- Mas não é aqui que você trabalha? - faço careta

- Sim. Por que?

- Esqueceu que é aqui que o Thomas também trabalha?

- Deixa de bobagem. Pode ser que esse nem seja o horário dele. - tenta me convencer - Ah, vamos vai! Eu vivo morrendo de vontade de comer tudo que tem nessa lanchonete e só agora eu tenho a oportunidade de comer. 

Seu choramingo mas faz revirar os olhos e cair na dela.

- Tudo bem. Vamos lanchar aqui. - me rendo

Melissa solta um gritinho.

- Você é a melhor amiga do mundo!

Entramos rindo na lanchonete mas meu sorriso logo se desfaz.

Só tinha duas pessoas lanchando e Thomas estava no caixa com a sua aparência de agora sempre séria mas Maria estava na sua frente não parando de sorrir um só minuto, jogando o cabelo para trás num gesto típico de quando estava flertando um cara.

A Maria estava mesmo flertando com o Thomas?

- Olha... Eu não queria dizer nada mas essa sua "amiga" é uma vaca. 

Melissa dizia ao meu lado olhando a mesma cena que eu enquanto eu concordava seriamente com ela em meu interior.

- Sabe... Nós podemos ir...

- Não. - a corto - Eu não posso ficar fugindo ou deixar de ir a lugares só porque o meu ex namorado vai estar. Eu tenho que encarar isso de frente de uma vez por todas como você mesma disse.

- E quando foi que eu disse isso?

- No seu "deixa de bobagem". - Melissa arqueia uma das sobrancelhas - Vamos logo nos sentar e pedir nossos lanches. Com licença!

Falo alto para que Thomas ouvisse assim que nos sentamos em uma mesa.

- Você mesmo. Nós queremos os cardápios. - é o que eu falo quando tenho a sua atenção - Muito obrigada.

Dou o sorriso mais falso do mundo.

- Qualquer coisa é só chamar. - se afasta

- Amiga... Se você pudesse matar alguém com esse olhar todos já estariam mortos. - Melissa ri quando Thomas já estava longe me fazendo quebrar o contato visual que eu estava fazendo - Hii... Ex amiga vaca na área.

Ela murmura colocando os olhos no cardápio. Respiro fundo sabendo que Maria estava vindo até a gente.

- Oi Sophie. - ela cumprimenta

- Maria. - falo o seu nome com um certo desgosto

- Olha, não é nada disso que você está pensando. 

- Sério? Pois não parece.

- Olha, Sophie...

- Não, olha aqui você. - me levanto da cadeira - Qual é o seu problema? Eu estava disposta a te dar uma chance para me explicar o motivo daquele abraço na escola e eu te encontro na lanchonete que o Thomas trabalha dando em cima dele.

- Não é...

- Não é o que? Vai negar que não estava paquerando ele?

Maria fica um tempo em silêncio.

- Sabe, eu tô cansada de você. Cansada da garota perfeitinha que sempre tem tudo que quer e de todos correrem atrás de você que nem um cachorrinho. Até a Melissa que era sua inimiga mortal até poucos dias só vive atrás de você agora!

- Ei! Não me envolva nisso. - Melissa reclama

- Primeiro, a Melissa nunca foi a minha inimiga mortal. Nós só não nos dávamos bem. - explico - E segundo, ela não era a minha melhor amiga quando tentava roubar o meu namorado.

- Opa! Então está querendo dizer que eu estou tentando roubar o Thomas de você? Eu não sei se você se lembra mas você e Thomas não estão mais namorando. - Maria ri

- E só por isso você vai correndo até ele?

- Eu cansei de tentar conversar com você. Pra mim já deu!

Maria me dá as costas, andando para saída.

- Já vai tarde! - grito antes que saísse - Estão olhando o que? Nunca viram duas ex melhores amigas brigando?

As poucas pessoas que estavam na lanchonete assistiam de camarote aquele desentendimento mas logo voltam ao que faziam. Me sento novamente.

- Eu realmente adoro essa nova Sophie. - Melissa ri acabando por me fazer rir também

Realmente, as vezes eu nem me reconhecia. Sem dúvidas esse término com o Thomas me mudou bastante. Eu já não conseguia encontrar aquela doce Sophie que eu costumava ser.

- Quer saber de uma coisa? Eu vou ficar nessa lanchonete infernizando o Thomas. Garçom!

Melissa ainda ria quando Thomas voltava a nossa mesa.

Pov Mônica

Amanda e Do Contra já tinham se casado no cartório e estavam na minha casa agora para a festa.

Cebola ficava o tempo todo tentando fazer as pazes comigo mas eu o ignorava. Em algum momento, tive que ir buscar o presente em meu quarto e não gostei nem um pouco do que vi lá.

Bianca estava com uma das camisas de Cebola nas mãos e parecia... Cheirar a roupa?

Bato com força a porta a fazendo dar um pulo.

- Assustou? - sorrio sem humor

- Ah... Mônica... Não é...

- Vou deixar uma coisa bem clara aqui. - puxo com força a camisa de sua mão - Essa é a minha casa, casa que você está de favor e que eu posso te mandar para fora a qualquer momento. - a vejo engolindo a seco - Se eu te ver mais uma vez no meu quarto ou vasculhando qualquer coisa do meu marido ou minha, eu te expulso daqui. E trate de arrumar logo um muquifo para você morar porque a minha paciência está esgotando. Agora fora!

Bianca dá mais um pulo pelo meu grito antes de sair porta a fora.

Jogo a camisa de Cebola que ela segurava no lixo. Nada tiraria o cheiro que aquela vadia tinha deixado ali.

Pego o pacote de presente e dou uma arrumada em meu vestido, saindo do quarto e trancando a porta com a chave para não correr o risco daquela lá entrar no quarto de novo.

Coloco o presente idiota junto com os outros e pego uma taça de champanhe. 

- Oi Mônica.

Levanto os olhos encontrando Alex.

- Ah... Oi Alex. - sorrio simpática - Como vai?

- Bem. Ainda lembrando daquele almoço que não deu certo. - ele ri - Mas qualquer dia nós o marcamos de novo

Pois é. Alex teve que ligar depois cancelando o nosso almoço já que Josh não deixou Carmem sair de casa. O que me deixou feliz foi em ver a vadia da Briana ter que se desarrumar toda.

- Claro. - respondo

- E assim você vai provar a minha deliciosa lasanha, querida. 

Me engasgo um pouco com o champanhe, sentindo um arrepio até a minha alma.

- D-Do que v-você me chamou?

Eu tinha ouvido certo?

- De querida. Algum problema? - ele parece preocupado

- N-Não é que... - preciso de um tempo para recuperar o folego - Toni me chamava assim.

- Sério? - ele parece surpreso - Nossa, me desculpa. Tenho costume de chamar as mulheres assim. Nunca poderia imaginar que o Toni dizia a mesma coisa.

- Tudo bem. Você não sabia. - forço um sorriso no rosto - Você e o Toni tem mais em comum do que parece. Além da aparência é claro.

Ambos cozinhavam e tinham sua especialidade na lasanha e agora esse... Querida. Era como se Toni estivesse na minha frente de novo.

Ao longe, vejo Cebola olhando fixamente para mim e Alex o que quase me causa um pequeno ataque de risos. Ele deveria estar com ciúmes novamente.

- Mas... E como você e a Carmem estão?

Mudo de assunto, sorrindo mais que o normal querendo parecer que eu estava tendo uma conversa muito boa com Alex.

- Estamos nos conhecendo ainda. Ela é meio maluca mas é legal.

- Bota maluca nisso. - murmuro 

- Por que você não para de sorrir? 

Alex me olha curioso.

- É que eu tive uma briga com o meu marido e ele sente ciúmes de você então...

- Você está tentando fazer ciúmes nele. - completa rindo

- Exato. - também riu

- Bom, estou a sua disposição sempre que quiser. 

Alex se aproxima mais de mim me deixando ainda mais nervosa ao ver Carmem chegar com Josh e Penha.

- Se abaixa!

O puxo para debaixo de uma mesa. 

Se Carmem me visse com Alex ela com certeza me mataria. Poderia estar me idolatrando agora mas tenho certeza que isso mudaria rapidinho ao me ver com a cópia do Toni, que ela é obcecada.

- O que foi? - Alex pergunta confuso

- A Carmem chegou e se ela me ver com você é capaz de fazer alguma loucura que a mandará de volta para o manicômio.

Explico me levantando um pouco para ver se já podíamos passar sem sermos vistos por ela.

Onde eu estava com a cabeça querendo fazer ciúme em Cebola usando Alex?

Escuto Alex rir.

- Por que está rindo? - volto para debaixo da mesa

- Nada, é que... Você fica linda preocupada desse jeito. 

Estranho aquele comentário e resolvo sair dali.

- Er... Acho que eu posso sair e dar um jeito de distrair a Carmem para que ela não te veja saindo daqui.

Tento me levantar mas sou impedida pelo seu braço.

- Espera. - ele diz - Pensei que estivesse rolando alguma coisa entre a gente.

Como? Ele era maluco?

- Alex, nós mal nos conhecemos e eu sou casada.

- Eu sei mas pelo jeito que você falava comigo eu pensei que estava interessada.

- Mas não estou. Alex, você está tendo algo com a Carmem e ela está confiando em mim de novo e eu não quero acabar com isso de novo. Acho melhor nós nos afastarmos.

- Sim, er... Desculpa. Eu não sei o que me deu. Prometo não tentar nada com você outra vez.

Assento, querendo sair de perto dele o mais rápido possível. Acho que era melhor eu não me aproximar muito mais de Alex. Ele era realmente idêntico a Toni e eu não o queria de volta a minha vida.

- Eu vou... Distrair a Carmem para você poder sair. - falo

- Tudo bem.

E então me levanto, arrumando meu vestido antes de andar em direção a Carmem quando tenho o braço puxado por alguém muito conhecido e ser levada para um canto escuro.

- O que você estava fazendo com o Alex debaixo daquela mesa, Mônica?

Cebola parecia furioso ao largar meu braço.

- Me escondendo da Carmem mas isso não te interessa!

- Eu não quero mais você com aquele cara.

Cruzo os braços.

- Quem você acha que é para me dizer o que fazer? - riu sem humor

- O seu marido!

- E acha que isso vai me fazer te obedecer?

Ele bufa, espalhando seus cabelos num gesto típico de quando estava irritado.

- Você está me deixando maluco, Mônica.

- E isso ainda é pouco pelas coisas que me disse!

- Então é isso? Ainda está irritada comigo e por isso está me fazendo ciúmes?

- Se é isso? Você me chamou de princesinha mimada! - agora eu era quem estava furiosa

- Me desculpa Mônica. Eu falei aquilo sem pensar porque estava nervoso. 

- Só porque eu queria que a sua amiguinha Briana dormisse na rua.

- Mas não foi exatamente isso que me deixou nervoso.

- Então me diga o que foi. 

O olho com desafio.

- A minha mãe já morou na rua quando era jovem.

- O que?

- Meu avô a expulsou de casa porque descobriu que ela namorava escondido e ela ficou um tempo morando na rua até conseguir alguém que a ajudasse e saísse de lá. - Cebola dá uma pausa - Foi por isso que fiquei tão nervoso sobre a Bianca. Não suporto ver ninguém passando por necessidade na rua. Por isso acabei dizendo coisas sem pensar para a mulher que eu amo.

- Ah, love...

Nem preciso dizer que me derreti toda com isso né?

- Promete que a gente não vai mais brigar? - peço o abraçando

- Isso eu não posso prometer muito. Sabe, tenho uma esposa bem complicada.

Brinca me fazendo o bater de leve antes de o beijar.


Notas Finais


E então, gostaram?
O que acharam da Irene e o Kristof? Não esperavam por essa né? kkkk
Eu resolvi dar um final decente para os dois que acabaram se dando mal. Principalmente para o Kristof que não aparecia mais desde que a Penha terminou com ele.
E sobre a Maria? O que vocês acham que ela está escondendo?
Será que ela está a fim do Thomas mesmo ou esconde algo por trás?
E o Alex chamando a Mônica de querida? 😂😮
Perdoaram o Cebola agora que sabem porque ele disse aquelas coisas pra Mônica?
São muitas perguntas em um só capítulo! kkkk
Mas quero falar que muita gente está escondendo algo nessa temporada e resta para vocês fazerem suas teorias até descobrirem tudo.
Comentem muito e até logo!

Beijinhos ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...