História Love is in another country - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Cho Chang, Dino Thomas, Gina Weasley, Harry Potter, Lílian Evans, Luna Lovegood, Molly Weasley, Rolf Scamander, Tiago Potter, Tiago S. Potter
Tags Hinny
Visualizações 189
Palavras 1.136
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee...
Demorei??? Espero que não!! Estava um pouco sem criatividade, mas já consegui escrever o capítulo vinte e seis. Então, aqui está o de hoje...
LEIA AS NOTAS FINAIS!!

Capítulo 16 - Uma Surpresa Para os Amigos


P.O.V. GINNY

Acordei sozinha na cama e sem nenhum enjoo, o que  já me deixou de bom humor, logo de manhã. Eu sabia que nesse exato momento, Harry estaria avaliando as casas e tentando achar uma que eu gostasse tanto quanto ele.

Já era quase meio-dia e como não tinha comido nada, decidi fazer o almoço. Fiz meu prato preferido que era peixe com alguns acompanhamentos e quando estava colocando a comida no meu prato, Harry abriu a porta da sala com um sorriso enorme.

- Comprei uma casa que eu tenho certeza que você vai amar. – anunciou deixando algumas pastas na estante.

Eu sorri e o beijei calmamente. Ele se separou de mim e, como sempre, beijou minha barriga falando coisinhas fofas.

- Estou morrendo de fome. – ele reclamou. – Sai daqui antes das seis horas e nem tomei café.

- Estava indo comer minha comida, mas você me interrompeu. – fingi aborrecimento e me virei para a cozinha.

- Vejo uma nova vantagem de casar com você. Por falar nisso, você já contou para sua mãe que vamos nos casar?

- Não. Quero contar pessoalmente, mas não sei se vou conseguir.

- Quer ir pra Holanda? – perguntou e eu parei o que estava fazendo para o fitar com os olhos arregalados.

- Quero! – respondi rápido demais e ele sorriu. – Quando?

- Não sei. Depois a gente resolve isso. – respondeu se sentando na cadeira e pegando um pouco de cada coisa. – Você cozinha muito bem. Outro ótimo motivo para eu te amar.

Eu tive que rir e dizer que aprendi com a minha mãe.

Quase duas horas depois, os amigos do Harry começaram a chegar e eu me senti um pouco envergonhada. Primeiro porque eu não deveria estar aqui e segundo, eu ia contar uma coisa que me fazia feliz, mas eles ia ficar chocados. Eu sabia disso. Essa era a reação que todo mundo tinha e que eu não queria ver.

Enquanto eles estavam na sala ou na cozinha, eu estava na suíte do quarto do Harry, tomando um banho quente e relaxante e com minha cabeça trabalhando a mil pensando em como eles iriam reagir. Coloquei um vestido azul bem clarinho e uma sapatilha da mesma cor. Alisei minha barriga que ainda não aparecia, mas que eu já havia sentido várias mudanças no meu corpo.

- Todo mundo já chegou. Só falta você lá. – Harry falou da porta.

- Eu não quero ir. – disse num tom quase desesperado e ele arqueou as sobrancelhas. – Como eles vão reagir?

- Por que você está tão preocupada com isso? Que se dane o que eles pensarem. Nós nos amamos, não? – eu assenti. – Então, pronto! Vamos?

Ele entrelaçou nossas mãos e nós subimos para a sala do segundo andar. Não foi preciso falar nada e todos já estavam olhando para mim ou talvez para nossas mãos unidas com cara de interrogação. Eu corei na mesma hora e olhei para baixo evitando o olhar e o sorriso irônico de John. Eu não sabia quanto tempo ficamos naquele silêncio constrangedor, mas eu não ia falar nada e parecia que Harry também não, já que parecia que se estava se divertindo com o que estava acontecendo. Apertei sua mão e ele percebeu que eu já estava vermelha demais.

- Temos duas novidades. – Harry anunciou.

- Uma delas é que vocês estão namorando! – John falou com convicção.

- Não! – Harry negou rindo. – Estamos noivos e Ginny está grávida.

O silêncio que estava constrangedor se tornou insuportável para mim. Harry continuava com um sorriso no rosto, mas eu não conseguia fazer o mesmo. Meu estômago revirou e eu sabia o que estava por vir. Desci os degraus correndo e não olhei para trás quando Harry me chamou.

Abri e tranquei a porta do banheiro com pressa e fiquei lá por um tempo. Eu sabia que Harry estava me esperando, mas eu não queria sair dali e encarar o seu rosto preocupado. Era óbvio que quanto mais tempo eu passasse ali, mais angustiado ele ficaria, mas eu não me importava com isso. Eu não sabia o porque de eu ter ficado assim. Nunca me importei com que os outros pensavam, mas ver todos os olhares virados para mim com cara de que estávamos errados, me fez ter essas reações e pensamentos.

Harry abriu a porta com uma chave e ficou me olhando. Eu sabia que ela queria perguntar se eu estava bem, mas tinha medo que eu me estressasse.

- Está tudo bem. – respondi olhando rapidamente para ele. – Só mais um mal -estar.

- Nosso filhinho está dando trabalho para a mamãe? – se ajoelhou e fez uma voz fofa, acariciando minha barriga.

- Como está lá em cima? – perguntei depois que ele me deu um selinho.

- Eles estavam preocupados, mas estavam felizes por nós.

- Não pareciam assim quando sai.

- Eles estavam igual a mim quando recebi a notícia: em choque. Acho que eles nunca pensaram que, um dia, eu seria pai e iria me casar. Ou talvez ficaram pensando em como esse pequeno foi feito. – explicou divertido e eu gargalhei.

- Já falou pro John que ele e a Jane são os padrinhos? – perguntei mais calma.

- Ainda não. Quero você comigo.

- Eu só queria ir pro seu quarto. – olhei com a melhor cara de cansada que consegui, mas não adiantou.

- Vamos, rapidinho! Depois eu falo que você está cansada e você vai pro meu quarto.

- Vamos logo então! – me dei por vencida e ele passou o braço pelos meus ombros indo, novamente, para o segundo andar.

- Eu odeio essas escadas. – reclamei e ele riu.

- Se acostume porque na nossa casa tem. – disse despreocupado e eu revirei os olhos.

Ninguém reparou muito na gente e eu agradeci mentalmente por isso. Ele chamou John e Jane para um canto e eu os acompanhei.

- Queríamos que vocês fossem os padrinhos. – meu noivo anunciou. – Do nosso bebê.

Pela primeira vez, vi John abrir um sorriso sem ironia, o que me fez pensar que ele estivesse feliz. Jane correu nos abraçar dando um gritinho histérico. Os dois confirmaram que seriam com o maior prazer e que ficaram super felizes.

- Quem vão ser seus padrinhos e madrinhas de casamento? – ele me perguntou quando os dois se afastavam.

- Luna e Rolf. – falei sem pensar duas vezes.

- Estou pensando em convidar o Neville e a Anna. Eles são bem próximos a mim.

- Acho uma boa escolha, mesmo não os conhecendo. – ele sorriu. – Eu preciso realmente dormir.

- Quer que eu te leve? – perguntou já me conduzindo.

- Não. – falei me apoiando nele.

- Que pena. Vou te levar assim mesmo. – eu ainda murmurei “por que perguntou?”, mas ele não me deu atenção e me levou até seu quarto, me deitando delicadamente, me cobrindo e dando um beijo demorado na minha testa.


Notas Finais


Vamos as novidades...
Vou mudar a classificação indicativa para +18 e tenho certeza de que vocês sabem o porquê...
Segundo, talvez eu passe um tempinho (Não tão grande porque eu não consigo) porque tenho muita coisa planejada pra essa fic e colocar tudo em palvras fica difícil...
Espero que tenham gostado e comentem!!💚💚💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...