História Love is like a sweet poison (Vkook-Taekook) - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 102
Palavras 2.858
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde pexoinhas. Antes queria dá alguns avisinhos.

> A fanfic vai ter sexo explicito, muita violência, drogas, adultério, sadomasoquismo ,incesto, palavrões e Taehyung bottom. Caso você não goste disso, vá procurar o que goste.
> Vai ter menção Vhope e Jeongguk hétero, porém a estoria é focada em Vkook.
> Vai ter várias cenas de BDSM.
> A estoria vai também se forcar em alguns sufocos contemporâneos. Também vão ter algumas criticas sobre coisas que vem acontecendo ultimamente.
> A fanfic é feita só por mim, e talvez, demore para ser postada capítulos, mas vou tentar fazer eles ter em torno de 7 mil palavras. Porém esse só é a entrada.

Boa leitura:

Capítulo 1 - Infelizmente, somos primos.


Fanfic / Fanfiction Love is like a sweet poison (Vkook-Taekook) - Capítulo 1 - Infelizmente, somos primos.

 

       Taehyung dormia na aula de inglês, não terá uma noite boa, porque seu amado vizinho, brigou a noite toda com a sua esposa. Por isso, seus tão, amados sonhos, não se pode ocorrer. Fazendo-o ficar com um grande mau humor á manhã toda.

– Kim Taehyung! – A professora de inglês gritou-o. O dito cujo ganhara um susto e levantou a cabeça, revelando uma cara amassada.

– Sim senhora?

– Já que esta prestando sua devida atenção assim na minha aula. – A mulher disse com certa ironia. – Traduza para mim “O amor é um doce veneno”.

– Por que tal frase? – Perguntou confuso.

– Só traduza, Kim. – Ditou entre dentes.

Love is like a sweet poison.

– Muito bem, não perdeu um ponto. – A mulher com sua bunda grande e feia, virou-se para o quadro escrevendo mais sobre a aula de inglês.

Kim estranhou a frase.

Então o mesmo apenas deu de ombros, e antes de voltar a dormir, tentou achar uma posição confortável. – Eu em, velha maluca. – Falou lembrando-se do ocorrido e voltou á dormir.

 

...

 

           O sinal tocara, e todos os alunos estavam felizes por, finalmente, serem liberados daquele inferno, chamado escola. Kim pegara sua mochila e colocara nas costas, indo ate o final do corredor. Ele só queria poder chegar em casa e poder assistir Netflix no seu quarto enquanto comia pipoca.

          Seus amigos quase não falaram consigo hoje, e o mesmo não ligou, não é como se seu mundo acabasse só porque não ganhou atenção deles.

           Quando chegou ao portão de saída e entrada da escola, fora parado por Hoseok. Um dos seus amigos, este o abraçou e sorriu brilhante para Kim, que retribuiu o sorriso e ficou quieto.

– Como foi à aula hoje? – Perguntou. Hoseok e ele eram de salas diferentes.

– Hm... Chata.

– Me deixe ver... Pelo seu comportamento você dormiu na aula de química e Jimin faltou hoje.

– Sim, e não, eu não dormir na aula de química. Foi a de inglês. – O amigo deu um risinho e negou com a cabeça.

O Hoseok deu tchau para Kim, assim que sua carona chegou. O loiro acenou de volta e foi embora para casa em passos lentos. Como de uma tartaruga. Porque mesmo ele querendo chegar em casa logo, sua vontade de correr ate lá não era das grandes.

Ao chegar, subiu para o quarto e jogou sua mochila ali. E estranhou. Suas coisas estavam no quarto errado... Ou ele entrou no endereço errado?

Olhara para o lado diversas vezes e viu seu pai entrando com caixas que tinham objetos do seu escritório que ficava no porão. No quarto não havia nada dos seus pertences e, o Senhor Kim Taemin sorriu para si.

– Pai, cadê as minhas coisas?

– Ah, estão lá em cima, junto com as coisas do seu primo.

– Primo? – Franziu o cenho.

– Sim filho, seu primo vai vir morar com nós já que seus tios se divorciaram e ele não quer ficar com nenhum dos dois.

– Opa, eu nem sabia que meus tios tinham se divorciado.

– Sua mãe é uma cabeça de vento mesmo, eu havia mandado ela te avisar.

– Pai, que primo vai vir morar conosco?

– O Jeongguk filho.

E foi ai, que Taehyung teve um leve infarto.

Ele, literalmente desmaiou.

Não era novidade para seus pais que Kim tinha certo ranço por Jeon. Ambos se odiavam, não poderiam deixá-los no mesmo ambiente nem por 20 segundos que a casa pegava fogo. Odiavam-se tanto que nem olhar nos olhos um do outro, faziam questão.

Seus pais não sabem ao certo o porquê de tal rancor da parte de ambos, porém os dois guardavam segredos sobre si que eles não poderiam descobrir.

A amizade deles começou quando Jeon nasceu. O Kim havia apenas um ano na época e quando viu aquele bebê de cabelos negros e olhos jabuticabas se apaixonara rapidamente.

Dês de então eles não se desgrudavam mais, viviam brincando juntos, cuidando um do outro e dormindo de conchinha quando podiam. Todos os finais de semanas eles insistiam para ir à casa um do outro e, a relação dos dois, era realmente muito linda.

Ate que a adolescência chegou, seus corpos ficaram cheios de hormônios e a personalidade começou há mudar um pouco. Isso não os afetou, ate que Jeongguk inventou de namorar.

Inicialmente isso não mudou em nada, mas a namorada do mais novo era enxerida, chata, insuportável e vivia implicando com a cara de Kim, este que era/é estressado e quase a expulsou de sua casa uma vez.

A relação dos primos não ficou como antes por causa dela, mas esse não fora o pior.

No ano novo, Taehyung bebeu pela primeira vez e tentou beijar o mais novo. O garoto teve um colapso, o afastando, dizendo-o que eram primos e o mesmo era hétero e não podiam se beijar porque ele não era fã de incesto.

Aos 14 o Kim se revelou gay, sua família como de costume, compreendeu sua preferência e o apoiaram, os únicos que não gostaram foi o pai do garoto e Jeon. Esse alegou que seu primo foi enfeitiçado e que aquele não era Kim Taehyung.

Mas, estranhamente, aquele era sim o mesmo, e era sua melhor versão, porque não precisava mais fingir que gostava de buceta e dois pares de seios.

E mais e mais a amizade que os dois iam se acabando.

Porém acabou com toda a firmeza possível, quando Jeon ficou fazendo piadas dizendo-o que ele viraria aqueles passivos que saiam dando pra qualquer um.

De fato, ele virou passivo.

Porém sua parte puta só se revelava quando o mesmo estava á quatro paredes sendo estimulado por quem quer que seja.

A relação dos primos fora d’água abaixo quando Jeongguk o beijou e disse que ele era tão viado, que aceitara beijar o seu próprio primo.

Dês dai ambos tinham muito rancor um pelo outro, e seus pais diziam que era apenas uma fase, que eles voltariam á se falar.

E agora, sem Jeon na sua vida. Kim é um homem o mesmo de sempre, as únicas coisas que mudou realmente, fora os cabelos acastanhados que virara loiros, colocara alguns piercings na orelha e um no mamilo, e tem uma tatuagem de Saturno no quadril, e também usava algumas roupas um pouco... Diferente.

Taehyung tinha fetiche de se vestir com roupas femininas na hora do sexo.

Ele havia caixas cheia de lingerie, meias que vinham ate os joelhos, saias e blusas curtas. Também tinha coleiras e plugs, objetos referentes á BDSM e entre outros.

E tinha muito medo do seu pai abrir aquela caixa.

Sua mãe sabia daquilo, alias, ela que comprava para o filho. E vê-lo vestido com aquelas roupas que a mesma comprava, sabia que tinha bom gosto. Tanto para ter filhos, quanto para comprar roupas.

Já Jeon, vivera uma vida, digamos perdida. Ele ia á baladas, bebia ate esquecer-se do seu próprio nome, dormia com garotas que mau sequer fazia questão de saber quem era, ou se era bonita. Porém seu estilo era bem gótico, tinha uma tatuagem de trevo no pulso e outra de um Pégaso nas costas, também tinha piercings em quase todas as partes do seu corpo. Dos lugares mais normais, ate os mais vulgares.

Mas, mesmo sendo desse jeito, tinha notas boas, era jogador, trabalhava em uma tatuaria onde se empenhava e, agora, estava solteiro.

Porém seu mundo desmoronou quando descobrira que seus pais estavam em um divorcio.

Assim como o de Kim, que descobrira que o Jeon iria morar consigo, e ainda por cima, dormiria no mesmo quarto que si.

 

Agora por culpa de Jeon Jeongguk ele teria que dormir no porão, lá era o maior quarto da casa, era uma suíte. E dava para fazer dois quartos de tão grande.

Colocara sua mochila na sua cama e analisou onde iria dormir a partir de hoje.

Tinha dois guarda-roupas encostado á paredes, duas camas de solteiro em cantos diferentes, uma porta na parte do Jeon, na qual era o banheiro, e outra no canto de Kim que era a porta de entrava.

As duas camas tinham um criado-mudo com um abajur e duas gavetas, também tinha uma mesa de estudos do Kim que agora havia um computador em cima. Julgou ser do seu primo.

Abrira o seu guarda-roupa, suas coisas estavam no lugar, menos sua caixa, e Taehyung se sentiu desesperado.

Continuou analisando sua parte para ver se achava a caixa, ate ver uma silhueta indesejada á sua frente e tomou um susto.

Olhou para Jeongguk e seu queixo quase caiu. Agora o mais novo era maior que si, seus cabelos continuavam negros e seus olhos jabuticabas ficaram mais intensos. O mesmo estava com uma aura de superioridade e seu corpo era cheio de músculos.

Taehyung virou para sua barriga e viu uma pancinha. Sentiu-se humilhado.

Jeon fitara para os olhos de chocolate de Kim e os dois ficaram se alto analisando, o quarto estava com um clima tenso e, a qualquer o mais velho iria pular em cima do mais novo e arrancar aqueles fios negros do coro cabeludo do mesmo.

Era assim que os dois iriam viver ali e diante.

Sua mãe, senhora Kim Nayeon entrou pela porta e abraçou o maior.

– Meu amor, você por acaso comeu fermento? – Perguntou descontraída. – Esta tão alto... E tão... Musculoso. Ficou um chuchu. – Os três riram juntos.

– Mãe, quem usa esse termo hoje em dia? – Perguntou o loiro.

– Quieta a boca criatura, eu que te dou alimento. – Colocara uma caixa lacrada na cama de Kim e piscou pro mesmo. – Filho, eu tive que... Trazer essa caixa sua por ultimo, já que... Você sabe o porque. –  Deu um suspiro. Ter que subir aquelas escadas, cansava. – Bom, tenho mesa para fazer, tchau meus amores e desçam, o almoço já esta pronto. – Deu tchau para os dois e se saiu.

Taehyung então, pegou correndo a caixa e colocou em cima do guarda-roupa, quase caindo por ser pequeno, porém ele tentava.

Jeon ficou rindo atrás de si, irritando o mais velho, deu-lhe um dedo do meio e voltou á tentar fazer o que fazia outrora. O mais novo pegou-a da mão de Kim e colocou lá em cima sem nenhuma dificuldade se quer.

Kim se sentiu novamente humilhado.

Ambos desceram as escadas e sentaram-se á mesa junto aos mais velhos. A Kim começou a fazer de todos para comerem e mandou os dois lavarem ás mãos.

Agora com mãos limpas começaram a almoçar. Jeon comia muito, mesmo tendo um porte físico, seu corpo pedia por muita comida.

– Então meu amor, como esta a escola? Você e o TaeTae estudam juntos, certo? – Perguntou a mulher.

– Sim, sim... Somos da mesma sala.

– Entendo. E suas notas como vão?

– Ah, elas vão bem sim, eu tenho que ter pelo menos notas a cima da media, se caso eu reprovar posso me afastar do cargo de jogador.

– Você joga? – Taemin perguntou curioso.

– Sim, no time de futebol.

– Eu também jogava quando era mais novo.

– Taemin era capitão do time quando mais jovem, porém era na escola. Mas depois dela, ele mau sequer praticava esportes que a faculdade proporcionava. – Jeon riu alheio a tudo isso, havia esquecido como era a família Kim. – E você esta em que posição?

– Capitão.

– Nossa, que bom! – Sorriu para ele. – Bom, a comida esta boa?

– Sim. – Todos responderam.

– Taehyung filho, porque você não tenta entrar no time de futebol? – O loiro quase se engasgou com a comida.

Sua mãe mesmo sabendo da sua preferência sexual, achava que o corpo do seu filho era lindo, porém queria que o mesmo praticasse algum esporte.

– Não, obrigado. – Fora o que ele disse.

– Mas filho, não seria melhor não?

– Acho que as idas dele á biblioteca sejam melhores do que jogar, não é? – Tae quase se engasgou novamente com a comida. Pegou o guardanapo, limpou sua boca e olhara para Jeon com ódio.

– E acho que suas saídas após tem sido bem melhor do que a leitura, certo?

– Hm... Eu tenho casa para ir.

– Eu também, mas acho que nada que uma leitura matinal ajude no humor.

– Não era você que dormi nas aulas?

– E não é você que fica no fundão com um monte de idiotas? Ah, espere, acho que eu sei o porquê você fica com eles, é porque você é um dos deles.

– Não é você que fica toda hora com seu namoradinho Jimin?

– Ele não é meu namorado. – Jeon deu uma risada gostosa e negou com a cabeça.

– Então os dois só são amigos?

– Sim!

– Amigos que se comem, né?

– Cala a boca Jeongguk!

– Cadê o “Ggukie”?

– E cadê o “hyung”?

– JÁ CHEGA VOCÊS DOIS! – Gritou a Kim estressada. Ela logo se recompôs e deu um sorrisinho. – A comida esta muito boa para vocês deixá-la esfriar por criancices. Voltem a comer. – Disse em tom de ameaça, porém disfarçou com um sorriso retangular na qual Kim puxara.

 

...

 

            O corpo todo de Jeon estava suado, sua camisa colada no corpo fazendo quem assistia o treino cair de tão gostoso o mesmo era.

           Taehyung fora obrigado por Jimin para ver o mais novo jogar, já que o Park tinha uma queda – Lê-se abismo. ­– Pelo garoto. Mas Kim insistia em convencê-lo que ele não era Bi, muito menos gay. Porém o mais velho dizia que sua Heterossexualidade vinha com H de Homossexual e, que por os dois serem primos, poderia ajudá-lo a conquistar o coração juvenil dele.

           O loiro revirou os olhos quando viu Jeongguk olhar para si com um sorriso cafajeste, e sua vontade foi de mandá-lo um dedo do meio. Mas ficou quieto, ignorou-o.

          Park deu um gritinho ao ver Jeon olhar para si, fazendo mais uma vez, Kim revirar os olhos. Por que merda ele insistia em chamar a atenção daquele idiota? Pensou, e logo depois, foi à vez dele gritar por Hoseok se sentar com tudo no colo do mesmo.

Era comum ele fazer aquilo.

– Ai que susto desgraçado! – Gritou Jimin.

– Desculpe, não sabia que vocês sentiam as mesmas dores.

– Pois bem.

– Ahhhh! Eu vou ali comer algo, já volto.

E de fato ele foi comer. Comprou uma coxinha na tia que vendia na escola e depois voltou para arquibancada, quase caindo vendo o jogador sentado ali, conversando alheio com os seus amigos.

Não disse nada, apenas se sentou ali e ofereceu um pedaço para cada um. Só Jung aceitou, por ser mais esfomeado que si. Depois comeu sozinho e ficou ouvindo o que eles diziam.

– Como é ser jogador, Jeon? – Perguntou Park.

– Ah, é normal sabe? Fazer exercícios e ter que representar a escola. E também não precisa me chamar de Jeon, pode ser Jeongguk. – Falou atônito, olhou para o loiro a fim de provocá-lo. O mesmo só comeu mais um pedaço da sua coxinha e, novamente, lhe ignorou.

– Sei como é... Qual é seu signo?

– Virgem.

– O meu é Libra.

– O meu é Peixes.

– Capricórnio.

Jimin ficou fazendo os cálculos, o signo do mais novo não combinava consigo. E ele ficou em desespero, mas depois fez os do Jeon e Taehyung, e combinavam, e ele fez do Jung e Kim e combinavam também.

Park deu um sorrisinho diabólico e olhou para ruivo – Vulgo Hoseok. – e para o loiro. Jung ficou com medo, já o Kim, comera mais um pedaço da coxinha. Parecia que a comida nunca acabava.

– Os signos do meu casal combinam... Hm...

– Casal? – Perguntou o de cabelos negros.

– Sim, o Hobi e o TaeTae.

– Ah... – Jeon olhou atravessado para Jung, e o mesmo era tão lerdo, que mau sequer percebeu.

Não era novidade que o garoto tinha ciúmes de Kim. Mesmo os dois não tendo a amizade de antes eles ainda gostavam um do outro.

Jeongguk nada mais disse e deu tchau para eles

 

...

 

      Taehyung ao chegar em casa, fora direto para o banheiro, tomar um banho. Querendo ou não, estava sujo e seu corpo pedia por aquilo.

       Tirou a roupa e foi pro box, onde ligou o chuveiro e se enfiou de baixo da água. Estava bom, passou sabonete pelo corpo, e enxaguou, sentiu seus músculos relaxarem com aquela água morna no corpo. Ate que, do nada, a porta do banheiro abriu.

      Ele ficaria assustado, mas depois lembrou que o vidro do box era embaçado, e só dava para ver quem estava no lado de fora.

       Era Jeon. Ele foi a pia, escovou os dentes e saiu dali, como se nada tivesse acontecido. E deixando Taehyung confuso.

Que porra acabou de acontecer?

Negou com a cabeça e continuou seu banho.

 

...

 

        Agora com roupas limpas, Kim se deitou na cama, mas estranhou alguma coisa. Então andou ate o seu guarda-roupa e pegou em sua caixa, assim a levando para cama, onde checou suas coisas. Porém uma coisa ali faltava, a sua calcinha preta de renda, preferida.

Seu pai não sabia da existência daquilo, sua mãe não pegaria nada sem que avisasse. E ela não usava roupas que comprou para o filho.

E a ultima alternativa fora Jeon.

Fora ele que mexera em sua caixa

– O filho da puta mexeu nas minhas coisas!... – Disse o loiro tomado pela raiva. – Eu vou acabar com a raça dele!  – Disse entre dentes e colocou de novo onde a mesma se encontrava.

Não era preciso ser idoso e ter problemas de saúdes, para Jeongguk morrer.

 

 


Notas Finais


Taekook se odiando inicialmente SIM!

Espero que tenham gostado, e ate o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...