História Love Is Not Over - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung, Yoongi
Visualizações 9
Palavras 795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha que aqui novamente.
Espero que gostem do capítulo.
Essa da imagem é como eu imagino a Sun Hee.
Sim, ela é a principal.

Capítulo 2 - Problemas, sérios problemas


Fanfic / Fanfiction Love Is Not Over - Capítulo 2 - Problemas, sérios problemas

Kim Taehyung P.O.V.

- Você... Tem certeza? -Yu Ra assentiu e empurrou o copo de suco em minha direção.
Suco de maracujá. Ótimo!
- Pensei que você ia ficar feliz...
- Eu tô feliz, mas não é uma notícia que a gente espera receber assim.
- Olha, oppa, eu só contei pois achei que você tem o direito de saber, mas se você não quiser reconhecer esse filho... Eu prometo que saio da sua vida.
Ela tá falando sério?! Acha que eu sou um o que?!
- V-você tá brincando, né? -quase cuspi meu suco.
- Não...
- Lógico que eu não faria isso! Você sabe que meu maior sonho é ser pai. Lembra? Se tivermos tempo, quero cinco, sendo quatro meninos e uma menina...
- Se não tivermos tempo, três filhos, dois meninos e uma menina. -completou emocionada.
- Isso. Eu nunca ia te abandonar, jagiya. -levantei e abracei a garota que agora carrega uma parte de mim no ventre.
Acho que nunca senti isso. Essa felicidade tão grande. Esse sentimento de estar completo.

Kim Sun Hee P.O.V.

Se cansaço tem nome, esse nome é Sun Hee, no caso, eu. Desde que minha mãe piorou da... Enfim, meu pai deixou de trabalhar pra cuidar da minha irmã mais nova e eu tenho que sustentar tudo.
- Filha? Já chegou? -meu pai aparece na sala de nosso apartamento.
- Sim, appa. -me curvei em respeito- Tive que ficar até um pouco mais tarde, tinha muito movimento no Café.
Moramos em Daegu, nasci e fui criada aqui.
- E a mamãe? Quis comer algo? -deixei minha mochila no sofá e fui pra cozinha.
- Não. Eu levei, mas ela não quis nem olhar pra comida... -suspirou triste.
Eu tenho muito orgulho do meu pai e do amor que ele sente pela minha mãe. Outras pessoas , no lugar dele, talvez tivessem a abandonado. Ele não, ele ficou. Ele aguenta até hoje...
- Eu vou tentar fazer ela comer. -peguei uma bandeja e coloquei algumas coisas para minha mãe comer.
- Tomara que você tenha mais sorte que eu. -meu pai disse antes que eu entrasse no quarto.
- Omma? -coloquei metade do meu corpo pra dentro do cômodo, escuro, onde minha mãe está- Appa me disse que a senhora não comeu hoje, sabe que tem que se alimentar. -me aproximei e sentei na beira da cama colocando a bandeja em sua frente.
- Você demorou. -falou e sorriu fraco pra mim.
- Muito movimento. E a senhora, se sente melhor? -perguntei sabendo a resposta.
- Eu nunca vou me sentir melhor.
- Sem querer parecer desrespeitosa, mas, a senhora deveria tentar. Eu tento fingir que não vejo os cortes em seus pulsos, a senhora poderia fazer isso por mim?
- Eu sei que você tenta. Eu também finjo que não vejo os seus... -ela se interrompeu.
- C-como... A senhora viu os meus cortes? -indaguei baixo.
- Não vamos mais falar nisso, Sun Hee. Agora, me dê aquela torrada, parece bom. -ela sorriu largamente e piscou.
A abracei de surpresa e ela acariciou meus cabelos.
- Saranghae, omma. -a apertei contra mim sentindo um nó se formar em minha garganta.
- Eu que te amo. Sun Hee, não seja igual a mim. Não se odeie como eu me odeio.
- Não fale isso, a senhora vai melhorar. Eu sei. -deixei as lágrimas caírem.
- Eu... Tudo bem. Irei tentar, por vocês.
Tomara que ela cumpra com o que falou.

(...)

Não ficou tudo bem. Minha mãe não cumpriu com o que falou. Duas semanas depois ela tentou se matar novamente. Foi horrível, como todas as outras vezes.
Estive seriamente pensando em me mudar para Seoul. Lá eu poderia continuar meu curso na Universidade Nacional de Artes da Coreia. Sempre foi meu sonho.
Infelizmente, com o atual estado da minha mãe, eu não posso.
- Terra para Sun Hee. O que foi? Teve um sonho pervertido com o seu bias? -cobri o rosto com as mãos pelo comentário de Tae Shin, meu melhor amigo e namorado da minha melhor amiga.
Eles se completam. Ele é muito sensível e, quando a maioria das pessoas o conhece, pensam que ele é gay. Mas ele só é uma ótima pessoa. Sorte da Ra On ter encontrado ele.
- Não! Kim Taehyung nunca irá se encaixar em um sonho assim pra mim. Eu não consigo sonhar com isso, ainda bem!
- Inocente. -sentou do meu lado e me entregou um dos fones.
- Eu tava pensando na minha mãe. Ela piorou.
- Ela disse que já tentar. Dê uma chance pra ela e pra sua vida. Fique do lado dela e a apoie para sair disso. Vocês precisam sair disso.
Suspirei. É, ele tem razão. Eu preciso me libertar. Nós precisamos.


Notas Finais


Deixem suas teorias, amo teorias.
Espero que tenham gostado.
Desculpem qualquer erro. E eu tive um pequeno problema na hora de escrever, por isso o formato do capítulo ficou pro lado e não com margem... O próximo fica certo.
Bjs
Fui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...