História Love is Not Over (Kim Taehyung) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Kim Taehyung
Visualizações 12
Palavras 934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Meet me.


Fanfic / Fanfiction Love is Not Over (Kim Taehyung) - Capítulo 2 - Meet me.

Lembranças rodeavam a mente da garota de cabelos castanhos, mas lembranças ruins, lembranças de quando perdeu as pessoas que mais amava.

Balançou rapidamente a cabeça, pegando sua mochila e saindo da casa, que agora só ela morava. Passava o dia inteiro na rua, não gostava nada de ficar sozinha naquela casa, lhe trazia sensações ruins.

Sohyun se encontrava andando para qualquer direção naquele momento. Apertando a alça da mochila em seu ombro, ela observava cada canto daquela rua que já havia decorado todos os pedaços daquele lugar.

Há meses ela fazia isso, passava dias e dias, às vezes noites andando pelas ruas frias de Seul. Ela gostava da sensação de liberdade, sentir o vento bater contra seus cabelos até um pouco abaixo dos ombros e bagunçando sua franjinha.

Meses que sofria pelo mesmo motivos, a garota já tinha seus dezenove anos mas por dentro, era uma criança de doze anos. Tentava se manter forte diante todas as situações da vida, tentava aparentar que estava tudo bem, colocando um pequeno sorriso em seu rosto.

A mesma, que tinha um pequeno sorriso em seus lábios por lembrar do tempo que era criança, no mesmo instante sentiu que havia alguém lhe seguindo. Olhou para trás, se certificando e apressou seus passos, quando ouviu sua barriga reclamar de fome.

Assim que sentiu um cheiro de café no ar, procurou de onde vinha e logo se dirigiu à cafeteria no outro lado da rua, ainda meio desconfiada.

Adentrou o pequeno ambiente, fechando seus olhos por alguns instantes sentindo o ar fresco e aroma de café feito na hora entrar em seu nariz, fazendo sua barriga reclamar novamente.

Se direcionou até o balcão de madeira clara, pediu seu café com leite e alguns biscoitos para a moça que estava atrás do balcão. Fez uma pequena reverência e procurou uma mesa livre para sentar, observando os detalhes da cafeteria.

Tinha as parede pintadas em tons de azul bebê e verde água, com quadros de bandas antigas como The Beatles, Queen. A pequena Lee sorriu ao ver os quadros, amava aquelas bandas. Observou também uma pequena estante no canto com livros caso as pessoas quisessem ler enquanto tomavam um café.

Achou aconchegante o lugar, como se fosse sua casa nova. Colocou sua mochila ao seu lado, pegou seu celular e esperou seu pedido chegar. Passou longos minutos observando seu papel de parede. Era uma foto dela com seus pais antes de tudo acontecer. Negou com a cabeça antes que coisas ruins resolvessem sair e guardou o pequeno aparelho.

Estava meio frio aquela manhã, Sohyun estava vestindo suas calças jeans, camisa branca e um casaco preto com detalhes rosa. Muitos que tentaram se meter com ela por estar sozinha, não tiveram um final bom, podemos assim dizer.

Ela não matava, claro que não. Mas resolvia as coisas do jeito que seu coração era, frio. Já desistiu do amor, quanto mais procurava, mais se decepcionava. Não estava mais surpresa com a vida monótona dela, procurar respostas, e pensar.

Fugiu do seu turbilhão de pensamentos quando seu café chegou, agradeceu à moça com um sorriso sem mostrar os dentes. Uma coisa que não fazia mais, sorrir. A garota não sabia mais o significado de sorrir, então apenas ignorava.

Deu seu primeiro gole, sentindo o café quente queimar sua garganta e fechando seus olhinhos. Logo após, sentiu olhares sobre si, a fazendo olhar para o lado encontrando um garoto loiro com capuz preto desviar o olhar. Quem era ele? Por que estava a olhando?

Sohyun apenas ignorou e voltou sua atenção para o café à sua frente. Mas fora interrompida quando ouviu um pigarreio perto dela. Olhou em direção onde vinha e viu novamente o de cabelos loiros com o olhar em cima dela. O que ele queria?

Em um ato rápido, terminou seu café, pagou e se dirigiu até a porta com sua mochila roxa sobre os ombros. O medo começou a se expandir dentro de si, fazendo a mesma ir em direção à algum lugar com movimentação, já que aquele café se encontrava longe do centro.

Encontrou uma rua movimentada, assim seria vista caso acontecesse algo. Caminhou com passos rápidos em direção à sua casa. Seu coração estava batendo forte dentro de seu peito, pelo medo de ser perseguida como da última vez.

Sim, isso já aconteceu uma vez, assim que seus pais se foram. Um garoto lhe seguiu até um beco perigoso da cidade, mas foi mais ágil que o imbecíl e conseguiu escapar.

Andou mais um pouco, até encontrar sua casa - ou a antiga casa dos seus pais - não gostava muito de ficar sozinha todos os dias, por isso saía sempre. Abriu a porta, adentrando a mesma e logo trancando, como de costume.

Deixou suas coisas do hall de entrada e foi para seu quarto que tinha as paredes lilás desde seus nove anos. Simplesmente ama essa cor e nunca iria querer trocar.

Se dirigiu ao banheiro, colocou um pijama de bolinhas rosas e voltou para o quarto. Abriu sua mochila preta com desenhos roxos e procurava seu celular. Até que suas mãos encontraram um papel no fundo da mesma, pegou o pequeno papel e o levou à altura de seus olhos para poder ler.

"Me encontre amanhã às 10:00h na mesma cafeteria que estava hoje, tenho as respostas que pode precisar, Lee Sohyun.

~ kth."

As batidas de seu coração começaram a se acelerar. Quem teria as informações que tanto queria, que tanto procurava? E por que tão de repende? Quem era "kth" e como a conhecia?

Sua mente estava uma bagunça, sua cabeça doía assim como todos os seus músculos. Alguém mexeu em sua mochila, mas quando? Não saiu de perto da mesma em nenhum segundo.

Deveria ir?


Notas Finais


oi rs espero que estejam gostando! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...