História Love is On The Radio 2 - Edição Shawn Mendes - Capítulo 2


Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Snowbarry
Visualizações 229
Palavras 2.720
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - "In my dreams you're with me" por Quillotz


DIA 1

Barry não tinha palavras para descrever o quão linda Caitlin ficava a luz do luar, para ser sincero ele não conseguia descrever o quão linda Caitlin ficava fazendo qualquer coisa, por mais brega que fosse haviam dias em que ele duvidava que ela fosse real. Respirou fundo quando a mulher deu mais um passo, a distância entre eles era minúscula, suas respirações se misturavam, era agora, ele finalmente iria beijá-la... Iria se não fossem interrompidos por Cisco.

O que diabos Cisco estava fazendo ali?

— Cara já está na hora de levantar. – Cisco disse. – Ok, esse foi o seu último aviso.


  Barry praticamente pulou da cama assim que sentiu a água em seu rosto, não era a primeira vez que Cisco o acordava com um copo de água na cara, assim como não era a primeira vez que ele sonhava com Caitlin, na verdade isso se tornava cada vez mais frequente, ele sempre acordava assustado e se perguntando qual era seu problema, sempre que fechava os olhos, se imaginava ao lado da mulher.

— Olha só, você levantou! – O melhor amigo e colega de quarto de Barry, Cisco, disse ironicamente.


— Vai me acordar todo dia assim agora? – Arqueou as sobrancelhas ao perguntar.


— Só se você cair nesse sono profundo todo dia. – Deu de ombros. – A propósito, bom dia bro.

  Assim que Cisco saiu do quarto, Barry olhou para o relógio na parede... Estava atrasado, para variar, correu para o banheiro escovar os dentes e depois se vestiu o mais rápido que pode, quando passou pela cozinha só acenou para o amigo e já saiu do apartamento. Fazia um ano que eles dividiam o apartamento, ele ficava perto da faculdade, então Barry achou que nunca mais se atrasaria, ilusão dele, Barry Allen era quase um sinônimo da palavra "atrasado".


  Ao sair do apartamento a primeira coisa que ele viu foi ela, Caitlin Snow, ela era a vizinha da frente deles, morava sozinha em seu apartamento e fazia faculdade de medicina, desde o momento em que Barry a viu pela primeira vez já desenvolveu um "crush", em todas as breves conversas que tiverem ele podia ver como ela era incrível. O problema é que ele sempre congelava perto dela, as palavras sumiam, parecia um idiota, então suas conversas eram sempre muito curtas e ele achava que nunca teria coragem de chamá-la para sair.


  Naquele momento ele se lembrou, aquele era o primeiro dia do seu plano de 31 dias, se deu um mês mentalmente para chamar Caitlin para sair, se ele não conseguisse havia decidido consigo mesmo que deixaria essa paixão de lado e seguiria em frente. Respirou fundo, precisava começar o primeiro dia bem.

— Barry, bom dia. – Caitlin disse e exibiu um sorriso de canto. – Achei que eu fosse a única atrasada.


— Você nunca vai ser a única atrasada, por que eu sempre vou estar atrasado. – Ele brincou. – Bom dia para você também Caitlin.


— Você já chegou cedo na faculdade alguma vez esse ano? – Ela brincou indo até o elevador, Barry fez o mesmo caminho.


— Hmm.. Não. – Sorriu. – Tem alguns professores que me odeiam por isso, você já chegou atrasada na faculdade alguma vez esse ano?


— Não, tudo tem sua primeira vez. – Ela deu de ombros. – Parece que minha primeira vez vai ser hoje, justo quando tenho aula com o Dr.Wells.


— Boa sorte, a primeira vez que os professores se decepcionam com seus atrasos é difícil, mas eu garanto que depois fica mais fácil.

 Caitlin riu do comentário de Barry e ele não pode deixar de notar como a risada dela era divertida, contagiante e fofa, por mais clichê e adolescente que parecesse, ele poderia escutar aquele som o resto do dia e não enjoaria. Assim que entraram no elevador, Caitlin clicou no botão para o térreo.

— Acho que terei que pegar conselhos com você sobre como lidar com atrasos e olhares de reprovação dos professores. – Ela disse.


— Conte comigo, vai ser ótimo oferecer auxílio, apoio e ajuda para alguém que acabou de entrar nessa área, quando eu comecei ninguém esteve lá para me apoiar. – Ele respondeu em um tom brincalhão.


— Obrigada, sua ajuda vai ser muito útil. – Riu.

 Era estranho como ele se sentia confortável na presença dela naquele momento, geralmente em seus sonhos os dois pareciam muito próximos, ele se sentia extremamente confortável para dizer o que quisesse, as palavras simplesmente saíam.


 Antes que ele pudesse cogitar a possibilidade de chamá-la para sair, o elevador abriu suas portas.

— Eu vou indo, nos vemos por aí vizinho da frente. – Ela sorriu e acenou.


— Nos vemos por aí vizinha da frente.

DIA 4

Eles passeavam de mãos dadas pela beira do mar, era noite mas a praia estava completamente iluminada pelas luzes da cidade, Caitlin sorria de maneira radiante, ele sentia que pertencia àquele momento, nunca pensou que poderia pertencer a algo tão lindo.

— Eu não sou fã da praia de dia. – Ela disse enquanto ia em direção à água. – Mas eu amo a praia de noite, não tem ninguém, a água e o céu parecem querer sussurrar algum segredo, é lindo.


— Tem razão, é lindo. – Ele disse, mas não estava observando a praia e sim a garota. Ela notou e sorriu.


— Por que esta me olhando assim? – Ela arqueou as sobrancelhas.


— Nada, eu só não consigo parar de olhar para você, é magnético. – Explicou e ela chutou a água, um pouco caiu nele.


— Você vai me deixar sem graça. – Caitlin estava visivelmente envergonhada. – Vem para cá!

Assim que ele pisou o pé na água, tudo começou a desaparecer, era só ele e sua imaginação de novo
.

Barry abriu os olhos, não tinha a mínima ideia de que momento ele havia cochilado, e ainda por cima estava no Jitters, "cochilando em público, mais uma para o livro de vezes que passei vergonha" ele pensou. Ainda meio atordoado pelo sono, ele viu Caitlin se aproximar, ela segurava um copo de café, seu cabelo estava solto, a única maquiagem que usava era um batom vermelho e vestia um vestido simples, ela conseguia ficar bem de qualquer jeito.


Se sentiu envergonhado por um momento, era embaraçoso como ele sonhava com Caitlin o tempo todo mas na vida real só ficava na vontade, ela não sabia, mas era verdade, não conseguia fazer sua boca dizer as palavras que ele queria dizer para ela.

— De longe eu tenho quase certeza que vi você dormindo. – Sorriu. – Posso me sentar aqui?


— Claro, a vontade. – Barry apontou para a cadeira. – Eu não estava dormindo.


— Não? – Ela arqueou as sobrancelhas.


— Talvez. – Deu de ombros. – É, eu estava. Pare de me olhar assim, você é muito intimidadora.


— Eu sou intimidadora?


— Sim, intimidadora como uma diretora de escola. – Ela colocou a mão em seu peito se fingindo de ofendida.


— Isso é por causa das minhas roupas? Eu não me visto sempre como uma diretora de escola. – Ela se defendeu e ele riu.


— As roupas fazem parte do pacote intimidadora. – Brincou. – As crianças na escola deviam ter medo.


— Acredite se quiser, mas eu era muito divertida na época da escola.


— Sério? – Barry se fingiu de surpreso. – Era uma daquelas alunas que joga bolinhas de papel no professor?


— Claro. – Sorriu. – Na verdade não, no ensino médio eu fiquei conhecida como "Rainha do gelo", digamos que eu não era lá muito calorosa.


— Não combina muito com você, qual é, seu sorriso poderia derreter um iceberg. – Ele falou mas logo em seguida se arrependeu e riu. – Tudo bem, essa foi péssima.


— Um pouco. – Riu. – Mas eu gostei, obrigada.


— Mas você está falando sério sobre nunca ter jogado uma bolinha de papel em um professor? – Ele perguntou e Caitlin assentiu. – Vamos ter que mudar isso.


— Quer que eu jogue uma bolinha de papel em alguém? – Arqueou as sobrancelhas, Barry achava aquilo fofo quando ela fazia.


— É exatamente isso.


— Não, sem chance! – Exclamou e ele riu. – Você é um péssimo exemplo Barry Allen.


— E você é medrosa Caitlin Snow, é só jogar e disfarçar, ninguém vai perceber que foi você.

  Barry pegou um dos guardanapos que estavam em cima da mesa e o amassou em uma bolinha, entregando para Caitlin, ela negou com a cabeça mas aceitou a bolinha.


Olhou para os lados e então jogou a bolinha na pessoa que estava atrás de Barry, uma mulher loira de cabelos longos, Caitlin arregalou os olhos após fazer isso, o que fez com que Allen gargalhasse, ela o encarou por alguns segundos mas acabou rindo junto.

— É assim que se faz, eu estou muito orgulhoso.


— Obrigada. – Riu.


— Quem acertou essa porcaria em mim? – A mulher loira comentou fazendo Caitlin e Barry rirem ainda mais.

DIA 15

A festa de Cisco estava mais animada do que Barry imaginou que estaria, todos pareciam estar se divertindo, especialmente Cisco que dançava animadamente na pista de dança com sua namorada, Cindy. Barry estava perdido no meio de uma conversa com Iris e Ralph quando ele viu Caitlin de longe, ela estava encostada na parede bebendo alguma coisa, aparentemente entediada, é claro que ele não perderia a chance de ir até ela.

— Cait, eu achei que você não fosse vir, não tinha uma prova importante? – Ele perguntou se aproximando.


— Eu ainda tenho, mas Felicity me arrastou para cá e agora eu não a encontro, provavelmente está com Oliver. – Ela explicou.


— Vi os dois entrando em um armário e acho que não vão sair tão cedo. – Disse e deu um gole em sua bebida.


— Desde que eles começaram a sair é assim, minha melhor amiga deve me odiar, só me deixa de vela.


— Eu compartilho da sua dor. – Se encostou na parede também. – Cisco me deixa de vela o tempo todo, eu sou uma vela ambulante a três anos, com o tempo você se acostuma.


— Por que todas as vezes que nos encontramos você me dá uma lição sobre algo que você é experiente e eu sou novata? – Ela perguntou o fazendo rir.


— Você já pode dizer "Obrigada Barry, você é meu herói" – Brincou, afinando a voz.


— Não. – Ela negou com a cabeça. – Eu não falo assim, minha voz não é tão chata, você precisa melhorar a interpretação, talvez eu devesse te dar aulas.

Ele sorriu, os dois haviam ficado muito mais próximos desde o dia 4, passavam o dia e a noite trocando mensagens, por terem o mesmo círculo de amigos sempre se encontravam, mas ele ainda não tinha a chamado para sair, quanto mais o tempo passava, mais difícil ficava, parecia que ela estava começando a o ver como um amigo, só como um amigo e ele tinha medo de estragar aquela amizade, gostava da amizade que tinham, gostava de rir com ela, quanto mais o tempo passava mais ele concluía o quanto Caitlin Snow era incrível e o quanto ele gostava dela.


  Todas as manhãs era a mesma coisa, ele a via passar na frente de seu apartamento para ir para faculdade e ele queria dizer a ela o quão linda ela era, queria chamá-la para sair, talvez ele fosse ser para sempre um medroso.

— Eu amo essa música! – Ela exclamou quando a música começou a tocar.


— Você quer dançar? – Perguntou e Caitlin corou.


— Barry eu não vou dançar em público, eu morro de vergonha.

– Disse. – Sou uma daquelas pessoas que serve para ficar sentada em festas e comendo.


— Vai ficar ai se corroendo por dentro, parada, enquanto a música que você gosta toca?


— Sim. – Assentiu com a cabeça. – É exatamente isso que eu vou fazer.


— Isso eu não vou permitir. – Sorriu. – Eu sou um desastre dançando, você sabe, mas eu vou até aquela pista de dança se você for também.


— Não pode me chantagear.


— Não estou te chantageando, estou te fazendo uma oferta, o que vai ser? – Estendeu a mão.


— Vamos nessa. – Ela disse depois de alguns segundos e pegou na mão do mesmo. – Que belo par nós somos, Sr.Allen.


— Sim, nós somos, Dra.Snow. – Ele sorriu.

Os dois foram em direção à pista de dança e ambos poderiam afirmar no fim da festa que aquela havia sido uma das melhores noites de suas vidas.

DIA 31

— Sua cara está um horror. – Cisco disse. – Tem certeza que não quer que eu fique? Porque se você quiser, eu vou ter uma desculpa para não ir pra aula hoje.


— Eu estou bem e você vai para aula. – Barry respondeu e espirrou logo em seguida.


— Tudo bem, mas quando eu voltar para casa não quero encontrar meu melhor amigo morto.

Após isso ele pegou sua bolsa e saiu do apartamento, Barry se ajeitou no sofá mudando o canal da televisão, algo em seu subconsciente o lembrou que aquele era o dia 31, mesmo que ele já tivesse parado de contar a alguns dias, afinal Caitlin havia começado a sair com um tal de Ronnie, ele era aparentemente perfeito para ela e quando Barry saiu com os dois, teve vontade de vomitar, eles pareciam tão felizes e realizados, ele tinha perdido a garota.


Se culpava por ser tão lerdo, teve muito tempo para dizer para ela, em um mês Caitlin Snow tinha passado de sua crush para uma de suas melhores amigas, para alguém importante em sua vida, ele podia afirmar que a amava mas tinha sido deixado na friendzone. Para melhorar a situação, estava gripado, uma gripe forte que tinha impedido que ele fosse para a faculdade nos últimos dois dias, além de ter deixado seu celular cair no triturador de comida e o triturado.
Continuou passando os canais da televisão, até pegar no sono, dormiu por alguns minutos, durante aquele tempo não sonhou com Caitlin, o que era estranho mas de certa forma um alívio, só acordou com o barulho de alguém batendo na porta.

— Eu já vou! – Exclamou ainda sonolento.

Tossindo foi em direção à porta e quando a abriu, lá estava Caitlin, ela sorriu ao vê-lo, aquele sorriso que podia iluminar a cidade toda e como ele mesmo disse "derreter um iceberg", em resposta a isso ele tossiu.

— Você está bem? – Ela perguntou. – Que pergunta boba, é claro que você não está.


— É só uma gripe. – Deu de ombros. – O que faz aqui? Deveria estar na faculdade.


— Eu me atrasei, então quando sai e não vi você estranhei, pensei "talvez ele tenha ido no horário" mas você é o Barry, nunca iria no horário, você já não foi ontem e não responde minhas mensagens, então precisei ver se você estava bem.


— Eu derrubei meu celular no triturador de comida, por isso não respondi, foi mal – Tossiu.


— Anda, entra ai, eu vou ser obrigada a ficar e cuidar de você. – Ela disse o empurrando para dentro.


— Obrigada. – Ele disse e sorriu. Se controlou para não fazer a pergunta que o incomodava, mas mesmo assim fez – Como estão as coisas com o Ronnie?


— Mal, na verdade eu terminei com ele. – Deu de ombros enquanto caminhava em direção à cozinha.


— O quê? Por quê? Vocês dois pareciam tão felizes juntos.


— É, mas eu estava afim de outra pessoa. – Ela comentou se virando para Barry.

Ele não sabia dizer como se sentia no momento, uma mistura de esperança, e se fosse ele? Mas também um certo medo, podia não ser ele, mesmo assim resolveu continuar nesse assunto.

— Sério? Você já disse isso para a outra pessoa? – Perguntou e ela riu.


— Não. – negou com a cabeça. – Acho que ele só me vê como uma amiga, não acho que ele queira algo comigo, nunca me disse nada.


— Às vezes ele só não tem coragem de te dizer, quem sabe não queira estragar a amizade de vocês.


— Às vezes é melhor arriscar e tentar descobrir o que pode acontecer, do que ficar com medo e se arrepender depois. – Caitlin foi se aproximando dele enquanto falava. – Então, Barry quando você vai me chamar para sair?


— O quê? – Ele tossiu quase se engasgando. – Como você sabia?


— Você deixou na cara algumas vezes, no começo pelo menos, eu estava ansiosa para você me chamar para sair, mas depois achei que só me queria como uma amiga. – Deu de ombros.


— Antes tarde do que nunca, então.. Caitlin, você aceita sair comigo?


— Sim, achei que nunca fosse pedir. – Riu.


— Eu poderia te beijar agora, mas não quero te passar gripe.


— Então você fica me devendo essa, agora eu vou pegar um remédio para você, onde vocês guardam essas coisas?


O resto da manhã foi sossegada e Barry ainda não conseguia acreditar no que havia acontecido, no fim não era só ele e sua imaginação.


Notas Finais


Olá xuxus!
Já fazia um tempo que eu estava afastada do mundo das fics, especialmente as de Snowbarry e me sinto honrada por voltar fazendo parte desse projeto incrível. Realmente espero que tenham gostado da one, por que pessoalmente apesar de ser completamente clichê acho que passei o que eu queria passar, obrigada por lerem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...