História Love is Never Blind - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Bobby Singer, Dean Winchester, John Winchester, Sam Winchester
Tags Wincest
Visualizações 210
Palavras 1.575
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Incesto
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura
💛

Capítulo 13 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction Love is Never Blind - Capítulo 13 - Capítulo 12


PARTE 12 - EFEITO POSTERIOR

“Quer uma carona?” Jim perguntou parando o carro e se inclinando no banco. “Tô indo pra sua casa.”

“Valeu,” Sam diz tirando a mochila das costas e entrando no carro.

“Dean me convidou para jantar,” Jim explicou. “Ele disse que ia fazer chilli e se não me engano, ele me falou algo sobre uma torta de maçã.” Ele disse olhando de lado e percebendo que Sam só olhava para o lado de fora da janela. “Espero que não tenha problemas.”

“Jim, você sempre é bem-vindo em nossa casa.” Sam disse sorrindo para o amigo. “E Dean faz um chilli e tanto.”

Jim ficou estudando o comportamento de Sam enquanto dirigia. O jovem estava mordendo o lábio inferior ainda olhando para a janela. “Você está bem, Sam? Está tão quieto?” Jim finalmente perguntou.

“Tô...” Sam respondeu sem tirar a vista da paisagem. Ele mordeu novamente o lábio e então falou. “Eu tô preocupado com Dean,” ele falou de uma vez.

“Desconfiei que fosse isso... O que ele fez dessa vez?”

“Nada. Ele... eu... só... ah, não sei....” Sam disse suspirando frustrado.

“Não precisa se apressar.” Jim disse rindo e dando um tapinha no joelho de Sam.

“Acho que ele está se esforçando demais, não está dormindo bem. Fica tendo pesadelos horríveis e eu... tô preocupado. Quando tento conversar ele só diz pra não me preocupar, só que ele já teve 3 crises de enxaqueca nas duas últimas semanas. Então... eu tô preocupado.” Ele termina teimoso.

“Ele pareceu um pouco pálido quando o vi essa manhã.” Jim concordou. “Mas ele me disse que estava bem quando perguntei como estava.”

“Ele sempre diz isso, mesmo quando não está. Idiota teimoso.” Sam disse chateado.

Jim soltou um risinho. “Acho que deve ser um inferno viver na sua casa.” E riu de novo quando Sam fez cara de confuso. “Dois idiotas teimosos debaixo do mesmo teto.” Ele explicou.

Sam então riu. “Bem, com certeza faz a vida interessante.” Ele admitiu sem graça.

“Talvez você devesse falar com o médico de Dean sobre as enxaquecas, leve-o pra um check-up. Talvez ele tenha que mudar a medicação.” O Pastor sugeriu.

“Não acho que os remédios para as convulsões sejam o problema. Acho que o problema é Dean e sua cabeça dura.” Sam disse sussurrando.

“Aí é muito complicado de se resolver.” Jim concordou rindo. “E eu acho que pra isso não há cura.”

“Não, o pior é que não.” Sam disse assentindo com a cabeça.

Jim riu. “Posso levar vocês no hospital, se quiserem.”

“A gente tem uma consulta marcada pra semana que vem, achei melhor esperar até lá, mas obrigado de todo jeito.”

“Acha melhor?” Jim perguntou preocupado.

“As enxaquecas não são lá essas coisas, e ele as tem quando está muito cansado.” Sam assegurou. “Acho que dá pra esperar até semana que vem sim. E eu vou com ele então ele não vai poder esconder nada ou dizer a verdade-Dean.” Ele diz sorrindo um pouco.

“Se for ajudar, posso diminuir o tempo que Dean passa me ajudando.”

A oferta era tentadora, mas Sam sabia que Dean iria odiar a idéia. “Não... Dean adora te ajudar. E eu sei que pode parecer bobo mas... fazer essas coisas o dá um motivo pra acordar todas as manhãs. E ele precisa disso agora.” Sam suspirou de novo. “Eu só espero que ele vá com calma nas coisas. É como se ele tivesse que provar algo.”

“Talvez Dean se sinta assim. Dean pode estar cego, mas ele quer ser independente. Ele era um caçador e no fundo ele sempre vai ser, mas ele é esperto o suficiente para saber que não tem mais como.” Jim parou um pouco para saber se o amigo o escutava e o viu assentir com a cabeça. “E ele não quer ser um fardo pra ninguém. Esse é o jeito dele de provar que está bem pra todo mundo. E eu suspeito que ele esteja tentando provar isso especialmente pra você.”

“Ele não tem que provar nada pra mim, eu não ligo pra isso! Só quero que ele seja feliz.” Sam protestou.

“Eu sei, Sam e concordo que se permitir ficar doente não é o caminho certo pra isso. Mas é o jeito dele, e acho que a gente vai ter que se esforçar mais pra ajudá-lo.”

“Ah posso fazer isso. Eu usarei o que Dean chama de olhar de cachorro abandonado nele. Mesmo ele não me vendo, ele de alguma forma sabe quando eu o uso. Sempre dá certo.” Sam diz rindo.

“Então está combinado. Você usa o seu olhar de cão abandonado e eu dou um jeito de convencê-lo a fazer tudo que eu quero. E não se preocupe, ele nunca vai saber. Será nosso segredo.” Jim sorriu.

“Obrigado Jim.” Sam suspirou em alívio. Ele se sentia melhor agora que pôde conversar com alguém sobre suas preocupações e agradeceu a quem quer que fosse lá em cima por ter mandado Jim. Ele era seu salvador e melhor amigo.

“Com Dean tem que ser ataque duplo,” Jim falou dando um sorriso maroto. “E acho que somos as pessoas certas para isso. Mas o que mais te preocupa?”

“Odeio quando faz isso.” Sam fez bico e olhou para Jim. “Acho que eles te ajudam lá de cima.” Sam disse apontando para cima com a cabeça.

“Com vocês dois eu tenho toda ajuda possível.” O Pastor riu. “Agora me diga o que mais te preocupa. Se for te fazer se sentir melhor...” ele encorajou.

Sam suspirou. “Acho que Dean está lembrando do que aconteceu com ele e o pai.” Ele confessou. “Isso tá me assustando. Mesmo que ele odeie o que o pai fez com ele no hospital, ele ainda venera o homem. Vai acabar com ele quando ele descobrir que o pai nem tentou ajudá-lo.”

“Entendo.” Jim murmurou. Sam contou já havia contado a história e Bobby também contou antes dos meninos chegarem na cidade. Ele entendia porque o jovem estava tão amedrontado. “Sam,” ele disse. “Ei sei que vai ser difícil, mas você tem que contar tudo à Dean antes que ele lembre por si só.”

“O quê? Eu não posso!” Sam gritou.

“Você tem que fazer isso,” Jim insistiu. “Se você não o fizer e Dean se lembrar... e pelo visto vai ser logo... talvez ele nunca te perdoe. E eu sei que vocês não iam conseguir viver com isso. Vocês precisam um do outro.” Ele disse dando outro tapinha na perna de Sam. “O que deixa vocês fortes é que vocês enfrentam tudo juntos. E isso não é diferente. Converse com ele.”

“Vou tentar...” Sam sussurrou relutante. Jim estava certo como sempre. Ele precisava conversar com Dean e contar tudo. Ele sorriu um pouco pro amigo e voltou sua atenção para a janela. Sam se perguntava se Jim desconfiava dos dois. Eles tentavam ser prudentes na presença do amigo e Sam suspeitava que eles não estavam fazendo isso muito bem, mas se Jim desconfiasse de algo, tinha escolhido ficar calado, coisa que Sam estava grato.

“E faça logo.” Jim precaveu. “Chegamos.” Ele disse estacionando o carro. “Vai indo ver se Dean já tá com esse chilli pronto. Tô morrendo de fome!”

“Eu também.” Sam sorriu e abriu a porta. Colocou a mochila no ombro e foi subindo as escadas da entrada.

Jim ficou vendo aquele garoto de 1,95cm andando todo alegre até em casa, tinha decidido dar um tempo à sós pra Sam e Dean antes de se juntar à eles no jantar. Ele já desconfiava do relacionamento dos dois, eles sempre foram muito próximos, mas algo no jeito que eles estão tocando um no outro ultimamente o alertou disso fora que estava escrito na cara dos dois pra quem quisesse ler. Eles estavam confortáveis perto dele e às vezes Jim via um pouco dessa demonstração de amor dos dois e também percebeu que só um dos quartos estava sendo usado, fato que eles pareciam não se preocupar em esconder. Jim estava grato pelo fato dos dois irmãos serem discretos fora de casa, já que a cidade sabia que os dois eram irmãos muito próximos e protetores. Então, decidiu ignorar. Seu lado de caçador disse para seu lado pastor ficar quieto e deixar os dois em paz. Jim amava os garotos como se fossem seus próprios filhos e não os magoaria por nada no mundo. Ele gostava de tê-los na sua vida e se sentia menos solitário e esperava que os dois sentissem o mesmo. Jim apenas esperava que John Winchester, onde quer que esteja, percebesse o quão estúpido tem sido por deixar seus dois filhos assim, como se fossem nada. Ele suspirou e saiu do carro andando até à casa.

Dentro de casa Sam abriu a porta e deixou a mochila cair no chão. Ele viu a figura familiar de costas para ele. Ele se perguntou o que seu pai estaria fazendo dentro da casa deles e onde Dean estaria. Ele tentou controlar sua raiva enquanto seu pai virava para ele. “Que diabos faz aqui??” Sam perguntou tirando o pai da frente do seu caminho. Seu coração gelou e se sentiu mal quando viu seu irmão no chão sofrendo espasmos do que ele já sabia por experiência que era uma das piores. “Dean!” Sam correu na direção do irmão rezando pra que não precisasse usar a medicação de emergência.

Sam pôde ver que Dean estava no meio de uma convulsão, todo o seu corpo estava debatendo violentamente. Seus braços batiam Sam viu a saliva ensangüentada saindo da boca de Dean. Sam ajoelhou-se e com prática naquilo segurou os braços do irmão e o tentou virar de lado enquanto assistia sem poder fazer nada o corpo que ele tanto amava e venerava convulsar incontrolavelmente.


Notas Finais


Vou fazer essa pergunta mais uma vez, espero que alguém me responda rápido pq não vou postar o próximo até q isso aconteça...
A capa desse capítulo é um gif, infelizmente eu não consigo saber se tá tudo ok ou se a imagem fica parada!!
Isso é muito importante pro próximo capítulo então por favor me falem se o gif funciona!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...