1. Spirit Fanfics >
  2. Love Letter >
  3. VI - The After

História Love Letter - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo não betado.

Capítulo 6 - VI - The After


THE AFTER


— Hyung, não precisa ficar assim. – Jimin disse enquanto dava um copo de água fresca ao amigo.


Jin estava chorando e soluçando alto, seu rosto estava completamente molhado e vermelho, seus olhos da mesma forma. Não conseguia parar, pois sua mente sempre retornava ao momento em que havia entrado naquela sala de aula e visto sua carta ali.


Correra atrás de Taehyung e gritara com ele. Mas no fundo, Seokjin sabia que não devia ter feito aquilo, deveria ter esfriado a cabeça e chamado o Kim em particular. Fez um escândalo, acabando por ter se exposto ainda mais.


Jimin o alcançou quando ele descia o último lance de escadas do colégio. Viu o seu rosto num tom escarlate incomum e seus ombros tremiam. Preocupado, o levou até a enfermaria, pedindo para que Minhyuk – que havia machucado a perna – os deixasse a sós por um momento.


— Ele estragou tudo, Jimin. Tudo. – soluçou outra vez, cobrindo o rosto com o braço.


Jimin estalou a língua e fechou a cara ao lembrar da existência de Taehyung. Ele era tão irritante que jurava que poderia jogá-lo debaixo se um trem sem remorsos. 


— Jin hyung! – Yugyeom abriu a porta de uma vez, assustando os outros dois.


Caminhou rápido até o primo e segurou seu rosto com as duas mãos, preocupado. Soube do acontecido por Momo, que ainda estava atordoada com tudo aquilo. A Hirai fora empurrada por Jin quando este saiu da sala correndo atrás de Taehyung.


— Momo me contou o que houve, ela estava preocupada. – Yug disse e se sentou sobre a cama da enfermaria ao lado do outro Kim.


— Ele me expôs, Yug... – Jin disse, mas dessa vez havia raiva em sua voz.


Yugyeom lhe olhou apreensivo. Sabia como era raro ver o primo com raiva, e aquilo não lhe cheirava bem. Seokjin poderia fazer algo da qual se arrependeria e ele precisava pensar direito em como lidar com tudo aquilo.


— Hyung... Tente conversar com ele, sim? Talvez ele te peça desculpas... – ele tentou amenizar, acariciando as costas do moreno.


Seokjin respirou fundo e asssentiu com os olhos fechados. Jimin olhava pela janela, o sol batendo contra o seu rosto. Suspirou enquanto via pétalas se desprenderem graciosamente da enorme árvore em frente a janela.


— Eu preciso ir pra casa, o dia mal começou e já está uma merda. – o mais velho dos três se lamentou, levantando-se da cama.


Jimin se levantou e Yugyeom também. Jin olhou para os dois e sentiu vontade de chorar outra vez. Eles eram tão unidos que sentia-se sortudo demais ao tê-los por perto. Em um ato impulsivo abraçou os dois, que o abraçou de volta. Sem precisar explicar em palavras o motivo daquele ato. Por que eles já haviam entendido.


[•••]


— Uau... – foi a única coisa que Jungkook conseguiu dizer assim que Seokjin deixou a sala do primeiro ano.


Yoongi olhava para Taehyung que tinha o rosto contorcido num misto de raiva e confusão. Não sabia como a carta havia sumido de sua mochila e não fazia ideia de quem poderia ter sido o culpado. 


— Vamos pro centro. – o Min disse, pegando sua mochila e saindo para fora.


Os outros dois nada disseram, apenas seguiram o mais velho. Andaram pelos corredores vazios, ouvindo apenas o som de seus tênis contra o piso. Jungkook já se sentia agoniado com aquilo e queria poder se teletransportar para algum lugar bem longe daquele colégio.


— Hyung... Tá doendo? – Jeon perguntou.


O olhar fuzilante que recebeu do Kim fora o suficiente para que ele se encolhece e ficasse quieto. Min seguia na frente, sem se importar sobre como Taehyung estava. Não queria saber, na verdade.


— O garotinho te deu um belo tapa. A quanto tempo não levava um assim? – Yoongi finalmente se pronunciou, fazendo o Kim estalar a língua.


— Vai a merda, Yoongi! – Taehyung praticamente rosnou e recebeu um sorriso atrevido.


Andaram por mais algumas quadras até que chegassem de fato no centro de Seul. Entraram na mesma haburgueria de sempre e se acomodaram. Jungkook lia o cardápio como se não conhecesse nenhum daqueles lanches de cor. 


Foram atendidos por um garçom novo, que sorriu para o mais novo que retribuiu, mas sem muito interesse, estava ansioso.


— Ele é louco. Não sei como aquela merda sumiu, mas se eu achar o culpado vou fazer questão de esfregar na cara dele que não fui eu. – bateu com o punho na mesa assustando o Jeon.


Yoongi riu do amigo e negou com a cabeça, sabendo que ele era mesmo capaz de se vingar de Seokjin. Procurou pelo celular em sua mochila, começando a se entreter com redes sociais e esperando pelos pedidos.


— Mas não é estranho, hyung? – Jungkook chamou a atenção dos dois — Como sabiam que você estava com aquela carta? Além de eu e o Yoongi...


— Qualquer um saberia. — Yoongi o cortou — Bambam sabia, os amigos dele, muitas pessoas tinham o conhecimento sobre aquela carta. 


Taehyung concordou e Jungkook se calou. 


— Eu ouvi que ele e Park Jimin já tiveram um interesse pela mesma pessoa. Talvez seja aquele cara grandalhão do time de basquete? – o Kim se perguntou.


Jungkook fazia a típica cara de confusão da Nazaré Tedesco tentando raciocinar com as informações que teve. Não eram muitos que sabiam, mas o Jeon adorava investigar as coisas que aconteciam no colégio — lê-se fofocar. 


Sempre acabava ouvindo uma história e outra, pelos corredores, ou de alguma aluna com quem saiu. Ele era quieto, popular e confiável. Não era surpresa para os outros dois que Jungkook soubesse da vida de cada pessoa na DHS.


— Então, supondo que Park Jimin quisesse tirar Kim Seokjin de seu caminho, ele furtaria a carta de dentro da mochila do Tae-hyung e iria expô-la pro colégio todo saber? 


Yoongi e Tae assentiram, fazendo o mais novo soltar um "ah". Antes que o assunto carta-furtada-exposta voltasse com tudo, o garçom finalmente chegou com os pedidos, fazendo com que os três se animassem.


— Vamos pro cinema hoje noite? – Taehyung propôs, mordendo um pedaço do hambúrguer.


— Não vou poder, to ocupado essa noite. – o Min respondeu.


— Eu também não vou poder hyung... Omma volta pra casa hoje. – Jungkook sorriu.


O Kim trocou um olhar fraternal com o mais novo e sorriu. Sabia como Sunmi era uma mulher ocupada e por isso acabava viajando e deixando Jungkook aos cuidados da avó. 


— Tia Sunmi foi para Paris dessa vez, quantos presentes ela vai trazer pro bebezinho dela? – Yoongi provocou e o Jeon o chutou por debaixo da mesa.


— Quando ela foi pra Tóquio trouxe uma action figure enorme do Iron Man, quem sabe ela não traga o homem-aranha dessa vez. – Taehyung entrou na brincadeira. 


Jungkook revirou os olhos, pegando um sachê de maionese e abrindo-o com os dentes. Despejou o molho branco sobre o sanduíche e mordeu. 


Taehyung e Yoongi entraram numa conversa sobre bebidas destiladas e o Jeon apenas comia calmamente enquanto trocava algumas mensagens com o seu "97club". 


Estaria tudo calmo e tranquilo como de costume, se não fosse por um cliente que começou a gritar com um dos garçons do estacionamento.


— Eu disse para trazer esse hambúrguer rápido e já tem mais de quinze minutos que não chega e a mesa ao lado já está comendo! – o homem apontava para a mesa dos três.


O pobre garoto que o atendia estava confuso, os olhos espalancados percorriam por todo o local, mas não se fixavam nos do cliente. 


Jungkook olhou para a discussão, assim como os outros dois. Ele parecia curioso e inquieto enquanto Taehyung e Yoongi continuavam a comer. Não era problema deles afinal.


— Me desculpe, senhor. Eu posso ver o que...


— Isso! Vá lá e me traga o meu pedido. – o homem o cortou, arrancando uma cópia do pedido que ficava com os clientes da mão do garoto e que naquele momento era conferido pelo mesmo.


Quando este se virou, seus olhos angustiados miraram na mesa 3, e ele desviou rapidamente, indo em direção a cozinha. Jungkook o observou ir até sumir de sua vista. Virou-se novamente para seus hyungs, que voltaram a falar sobre bebidas.


Tinha a impressão de já havê-lo visto em algum lugar.


[•••]


Já era fim de tarde quando Hoseok chegou em casa. Um pouco cansado e com certeza com muito, muito sono. Não havia dormido bem desde que presenciou  a violência perto da soverteria e aquilo vinha o assombrando a noite.


Um garoto classe média alta não tinha contato com essas coisas. Pelo menos não ele. 


Entrou no quarto e jogou a mochila em qualquer canto, logo se jogando sobre a cama. Suspirou em alívio ao sentir o colchão macio contra as costas e fechou brevemente os olhos. Poderia dormir ali assim mesmo, mas sabia que sua mãe iria lhe dar uma bronca por dormir sujo. 


Se levantou e foi até o banheiro, tirando o uniforme no processo. As roupas que usara ainda pela manhã estavam lá, dobradas sobre uma cômoda pequena próxima ao box.


Deixou que a água morna lhe banhasse o corpo exausto, quase gemendo em deleite ao ter a sensação gostosa de seus músculos tensos se relaxando. Despejou o shampoo em uma das mãos e massageou os fios negros, jongando-os para trás.


Como de costume, sua pequena caixinha de som conectada via bluetooth ao celular tocava uma música do BEAST e Hoseok a cantarolava enquanto terminava o banho.


Vestido e com o cabelo úmido, desceu até a cozinha, sentindo o cheiro maravilhoso de tteobokki, soltando sons animados assim que viu a mãe cozinhando.


— Nem pense! – Min-Ah disse ao ver a mão atrevida do filho querendo pescar um dos bolinhos de arroz.


— Mãezinha... – ele choramingou e fez bico.


— Mãezinha nada, vai esperar como todo mundo. – ela disse e mostrou a língua.


Hoseok bufou e foi até a mesa, sentando-se. Jiwoo desceu as escadas como um raio, quase caindo ao tropeçar no tapete da sala. Hoseok segurou a risada quando a viu escalar a cadeira para se sentar. 


Notou que havia marcas de tinta em seus braços, mãos e rosto. E seu cabelo brilhava, entregando que a garotinha havia brincado bastante com tintas e glitters.


— Ji-ah, como foi a escola hoje? 


Ela demorou um pouco para olhar para o irmão mais velho, concentrada em arrancar um fio que havia solto em seu vestido de moranguinhos.


— Legal! A professora fez a gente bincar de pintar! – ela disse aninamda.


Hoseok sorriu e acariciou seus cabelos. Teve a atenção tomada pelo suspiro longo do pai, que se juntou aos dois. 


Viu o mais velho fitar preocupado a tela do iPad e ficou curioso. Eram raros os momentos em que Gong-Yoo parecia tão exausto. 


— Pai? Aconteceu algo? – perguntou.


— Alguns alunos estão com notas péssimas... Terei que chamar os responsáveis. – ele disse e deixou o aparelho sobre a cômoda perto da mesa. 


Min-Ah pôs o tteobokki sobre a mesa, arrancando sons animados da família. Hansung já dormia de barriga cheia no andar de cima.


— Ah, Hobi. Yeri-ah disse que irá trazer o filho dela amanhã, ok? 


Hoseok franziu o cenho, mas logo concordou com a cabeça, lembrando de que havia que dar aulas suplementares ao pequeno garoto.


Não sabia exatamente como ele era, mas ouviu da mãe que se parecia muito com o irmão mais velho, que ele também não sabia quem era. 


Hoseok se serviu com o tteobokki e um pouco se kimchi, servindo também Jiwoo que estava ao seu lado. O patriarca não parecia com tanta fome, pegando pouco e dispensando as outras coisas dispostas sobre a mesa bem arrumada.


Min-Ah murmurou uma bronca ao marido enquanto colocava mais bolinhos em seu prato e um pouco de kimchi. Yoo apenas agradeceu, sabendo que não adiantaria lutar contra a esposa.


{•••}


A manhã seguinte com certeza era a pior para alguém que havia sido exposto diante todo o colégio. Por isso, Seokjin relutou muito para sair de casa. Mas Jimin e Yugyeom insistiram conseguindo fazer com que o Kim se arrumasse e fosse junto com eles.


Jin sabia que Jimin soltava fogo pelas narinas, e por isso tinha receio do que ele faria caso encontrasse Kim Taehyung pelos corredores. Yugyeom estava maia tranquilo, cantarolava qualquer música popular enquanto fazia pequenos movimentos de dança. 


As cerejeiras começavam a perder algumas flores e todo o chão estava pintado de rosa. Os alunos tiravam fotos, outros ignoravam completamente.


O sinal característico soou assim que os três amigos passaram pelo portão. E Seokjin sabia que alguns olhares estavam voltados para si.


Fingiu não ter visto nenhum deles e entrou. O pátio estava cheio de alunos sentados em qualquer canto sem a mínima vontade de entrar. 


— Hyung, hoje vai ter uma festa  quer vir? - Yugyeom perguntou, puxando Jimin e Jin para a sala.


— Festa? Qual festa ? -  Jimin perguntou, sentando-se em seu lugar.


Yugyeom pegou seu celular e vasculhou pela galeria a foto do banner da festa que aconteceria naquela noite. Por incrível que pareça, numa segunda-feira. Mostrou aos dois amigos que aproximaram o rosto da tela de poucas polegadas.


— No Jaebum? Aquele Jaebum? - Park arqueou uma sobrancelha e olhou pro Kim mais novo.


Yeom comprimiu os lábios e afirmou com a cabeça olhando para o chão  a mesma hora que Jimin abria a boca estupefato. Jin, alheio a aqueles reações apenas continuou a ler oq tinha na imagem com cores néons e letras enormes.


— Como assim? Vocês ainda se vêem? 


— Ah... é que o Youngjae-


— Youngjae? - foi a vez de Jin perguntar — Choi Youngjae? De Gangnam? 


Yugyeom novamente afirmou com a cabeça. 


— A avó dele é minha vizinha hyung, não se lembra? 


Jin negou e se pôs a pensar. Jimin começou um enorme questionamento sobre os motivos que levaram o "pequeno" Yeom a se encontrar novamente com seu ex-namorado universitário.


— Então, nos vemos às nove e mais na estação de Mapo-gu? - Yugyeom perguntou aos dois.


— Tudo bem. - Jin disse e abriu seu livro.


Jimin assentiu e avisou ao Kim mais novo que se visse ele com Jaebum, rasparia suas sobrancelhas.


{•••}


— Passe essa bola direito! -  treinador gritou. 


Jinyoung estalou a língua e jogou a bola de basquete com força na direção de Mark. A mais de alguns minutos que os dois fizeram daquele treino uma partida mano a mano como se o resto do time não existisse. 


Bambam estava irritado, Soobin machucado e Namjoon estressado. Faltavam alguns poucos dias até o início das partidas amistosas para o campeonato intercolegial. O time estava em completa desordem desde que Mark e Jinyoung começaram – sem motivos aparentes – a disputarem entre si.


Não era surpresa para ninguém a rivalidade e inimizade de ambos, mas nunca havia chegado a pontos críticos onde todo o time sofria as consequências das atitudes estúpidas do Park e do Tuan.


O treinador, irritado, estalou a língua e pediu para que Soobin recolhesse as bolas caídas pelo ginásio. Mesmo com o braço engessado, não era algo dificultoso. 


Os alunos se reuniram em forma de meia lua ao redor do homem mais velho. O manager não estava presente, o que dava ao treinador total atenção e responsabilidade.


— Escutem bem. Somos mais de dois nesse time e vocês estão conseguindo deixar todo mundo nervoso por causa dessa briga estúpida entre vocês. – começou — Jinyoung e Mark, se não melhoraram o trabalho em equipe, vão pro banco. 


Ambos olharam para o mais velho com incredulidade. Eram os melhores em suas posições, não havia alma na DHS que se comparava a eles em questões técnicas.


— Treinador! Não pode fazer isso! Jinyoung está a semanas de mal humor e agressivo,  eu apenas revidei. – Tuan exclamou atordoado.


Jinyoung revirou os olhos e cruzou os braços. A típica pode arrogante nunca o deixava. Lambeu os lábios ressecados e observou cada rosto ali presente.


— O senhor seria louco se o fizesse. Sabe que somos os melhores e sem nós o time sofreria uma baixa. Tem tentado a anos a recuperar o maldito troféu das mãos daqueles de Gangnam e se realmente quiser nos tirar da jogada, não passará de mais um ano fracassado.


Minhyuk o olhou surpreso. Não esperava que Park dissesse ao treinador tudo o que pensava de forma curta e direta. Entretanto, ele era Park Jinyoung, o arrogante camisa 22 da Daegu High School.


Donghae, o treinador, revirou os olhos porque ele tinha razão. Já haviam sofrido um desfalque com a saídade Sangwoo e não poderia se arriscar mais. Contudo, ele ainda era o responsável e por isso, não podia deixar que os dois continuassem a sobrecarregar o time com questões pessoais.


— O meu foco é a vitória, mas não vamos conseguí-la de jeito nenhum se vocês dois continuarem a brigar por motivos pessoais. Ponham a cabeça no lugar ou não vou pensar duas vezes antes de cortar os dois. 


A expressão séria do Lee afirmava que ele não estava brincando. Ele cortaria ambos se não resolvessem as desavenças antes do jogo.


Quando deu as costas para o ginásio indo embora, sabia que havia deixado boa parte dos outros garotos tensos, mas não  podia fazer muito, Jinyoung e Mark deveriam aprender a colaborar. De um jeito ou de outro.


Duas horas depois, Bambam e Namjoon voltavam para casa a pé, aproveitando a brisa fresca da primavera. O sol estava se pondo um pouco mais tarde então ainda parecia cedo.


— O que vai fazer? – perguntou o menor —Sobre aquilo? – especificou.


Namjoon suspirou, olhando para os pés atentos a não pisarem sobre as linhas da calçada. Uma mania sua. Olhou para o céu banhado em celeste, sem saber o que exatamente responder. Mas o fez mesmo assim.


— Preciso falar com ele. Não posso deixar um clima estranho entre nós e ele nem veio ao treino hoje. E também... –fez uma pausa, pensando se devia mesmo dizer aquilo —Eu não acho que seja uma coisa ruim.


Bambam sorriu, mas logo estava suspirando.


— Você e Mark? – perguntou.


— Não nos falanos direito a uns dias, depois daquilo na lanchonete ficamos afastados. Mas nem éramos próximos antes tudo então...


Kim afirmou com a cabeça,  entendo o amigo. Ele estava fora naquele dia e tinha certeza que se estivesse lá,  toda aquela confusão sem motivo não teria acontecido. 


Ele nunca simpatizou com os alunos de Gangnam, mas também nunca foi adepto à disputa infantil de seus colegas.


— Acha que devo ligar para ele? – virou-se para Bambam, em busca da resposta.


O platinado confirmou, dizendo que era melhor que ele deixasse Seokjin a par de tudo antes que aquilo se tornasse uma bagunça. 


Notas Finais


VAMOS A ALGUMAS EXPLICAÇÕES/AVISOS:
- Todas as minhas contas fora do SS têm o mesmo @ que é @/hxpejung
- A história tem uma nova tag pro twitter: #LLTAEJIN
- Comentem sobre o que acharam do capítulo, isso me ajuda a saber se a fic está sendo apreciada e se vale a pena continuar com ela nessa plataforma
- Me siga no Twitter caso quiser perguntar algo.

Eh isto, até a próxima 💌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...