1. Spirit Fanfics >
  2. Love Marks: Jeno, Jaemin e Renjun >
  3. Marcando Território.

História Love Marks: Jeno, Jaemin e Renjun - Capítulo 2


Escrita por: jaempearl

Notas do Autor


╰┈➤ Devo dizer que essa parte é a última e todinha repleta de smut, do começo ao fim. Não sei se ficou bom o suficiente mas espero que gostem anjinhos.
— Boa Leitura¡! ❞

Capítulo 2 - Marcando Território.


Fanfic / Fanfiction Love Marks: Jeno, Jaemin e Renjun - Capítulo 2 - Marcando Território.

— Você deveria ter uma coleira. 

O ar em seus pulmões esvaiu-se, mal conseguia puxar o ar, os toques incessantes dos seus gatinhos sobre seu corpo, reunidos com a força animalesca em beijos grotescos a deixou tonta por segundos. À sua frente, Huang Renjun permanecia, com as mãos em sua cintura. Beijos em sua nuca eram dados com devoção por Jeno — você se arrepiava da cabeça aos pés — com a língua ligeiramente áspera e respiração quente. Antes que pudesse beijar os lábios macios do Huang, seu queixo foi levantado, os dedos marcariam sua face, soube tratar-se de Na Jaemin devido a urgência e falta de cuidado. 

— Não, ela não vai precisar de uma, vamos fodê-la tanto que nosso cheiro vai ser o suficiente — existiu uma possessividade, uma crueldade na forma que Jaemin dissera, totalmente enciumado, tomou seus lábios aos dele. Você sentiu sua intimidade úmida quando foi jogada no chão, o seu mimadinho fez questão de fazer com que se ajoelhasse, raspando os joelhos no chão. Levantou a cabeça, fitando os três homens que a simples aura era simples para a deixar completamente devota. — Não é, gatinha?

Você semicerrou o olhar, ainda sentindo-se atiçada pelo modo tão desbocado de Na Jaemin. Quis fazê-lo arfar tanto que perderia o ar, que se engasgasse com o próprio prazer, que tivesse uma maldita overdose, sufocando-se com o orgulho inesgotável. Em um ato abrupto, que fizera Renjun sorrir com maldade, os dentes branquinhos e pontudos reconheciam sua impaciência característica ao aproximar-se de ambos, tocando o membro de Na Jaemin sem mais nem menos, concentrada no quão rijo já estava. Ao mesmo tempo, virou seu olhar para o Huang — o chinês sabia que você provocava todos ali —, sem fitar Jaemin, como se a única pessoa a existir fosse o primeiro felino a chegar. 

Você formigou-se, uma pequena corrente de ar soprava sobre suas pernas, atingidas por uma pequena ventania. Jeno fitava-a por trás, um súbito desejo de o ter novamente beijando suas costas atingiu-lhe, mas ele foi cruel — feito uma maldita fera — ao encara-lá em completo silêncio, como se esperasse a própria vez, vidrado na cena depravada em sua frente. Assim, você resolveu agir tão maldosa quanto seus gatinhos, existia certamente, um motivo pelo qual agiram daquele modo: você era pior.

Injunnie, você aguentou muita coisa até agora, não foi? — sua voz ressoou arrastada, o falo do maior estava próximo de seu rosto, sua destra movimentava o membro de Jaemin que incomodava-se pela ausência de atenção. 

Jeno molhou os lábios, sentado sobre a ponta da cama, observando a cena. Trocou um breve olhar com Renjun, cientes de que você — uma verdadeira besta sem coleira — faria o pior dos pecados naquele exato momento. E, Huang, como um bom felino, a obedeceria de bom agrado, seria tão astuto quanto Jaemin imaginaria. 

— Vai me deixar me desfazer na sua boca, meu bem? — manhoso, Ren Jun perguntou. Um suspiro arrastado ressoou. Bastou a pergunta para você colocar o membro do rapaz na sua boca, lambendo com vontade, sentia-o em sua garganta, uma ação que a fez diminuir a dedicação na sua destra, somente para sua boca aguar, sentindo os cabelos serem segurados com cuidado. — Fui seu primeiro de qualquer modo, você sempre gostou mais de mim, não é?

Jaemin irritou-se, grunhiu abafado. Percebendo Jeno vidrado na sua bunda coberta pelo tecido fino, com um problema em meio das pernas (totalmente submisso às suas vontades) esperava pacientemente a vez em que poderia agir. O Na, pelo contrário, detestou ter que aguardar, esperar e ainda por cima escutar a merda de um diálogo que abalava seu ego inflado. 

Chega, você está fazendo de propósito — prestes a interromper o mimo que cedia à Renjun, iria responder, até você soltar o ar de sua garganta para o falo do chinês que a fitou com maior tesão. O modo com o qual mordia os lábios, os tornando avermelhados fez com que você se tornasse cara vez mais molhada, mais sedenta. Imaginou como seria ser estocada pelo maior. Por impulso, acelerou os movimentos de Jaemin, interrompendo um possível protesto. Tudo que o Na pode fazer foi fechar os olhos, com força e fraquejar ao sentir seus dedos o masturbarem tão hábil que suspirou, jogando a cabeça para trás. — Hm…suas mãos são macias. 

Renjun seria seu cúmplice. 

Você sabia. 

E, sinceramente, pouco se importava de agir como uma vadia má.

— Você é tão gostoso, Injunnie — massageou o membro, retirando-o da boca, somente para encarar as orbes felinas que atiçavam o senso de caos em seu interior. Tocou o membro, distribuindo vários beijos e lambidas, como se fosse uma gatinha manhosa. Somente para olhar, rapidamente para Jaemin que a encarava, incrédulo pela sua ignorância, mesmo que estivesse (literalmente) arfando em suas mãos. Você destruía o ego de Jaemin. Para completar, Renjun riu maldoso, somente para a ver adicionar: — Seu pau também, não vejo a hora de estar dentro de mim,  pode ir bem fundo

Ele enfiou o membro em sua garganta de modo tão cuidadoso que nem pareceu a sufocar enquanto largou o membro de Jaemin — sendo o verdadeiro estopim para o enfurecer —, somente para dar toda atenção, acariciando os testículos, pode ver a expressão de satisfação de Renjun. Iria querer o que queria: se desfazer com toda atenção de sua garota, de você.

Meu bem….— manhoso, estava quase em seu limite quando você o largou, tudo por ter sido bruscamente puxada por Na Jaemin. Renjun permitiu um gemido de frustração esvair de sua garganta ao perceber que o moreno te puxou pelos cabelos, em um ato violento e, que ressoou tão excitante para você ao sentir o membro de Jaemin em sua boca, de forma que não pode controlar. — Porra.

— Não tem noção do quanto me irrita, uma mentirosa com uma boca suja, não aguento você falando, falando e falando — você quase caiu sozinha, sentindo sendo puxada com agressividade, o membro em sua goela, foi capaz de causar lágrimas devido a fúria dotada de egoísmo de Jaemin. Engasgou-se com o ar, travando contato visual com o moreno que  se desfez, fazendo-a engolir de uma vez, um tanto trêmulo, pode a ver cair para trás, as pernas entreabertas: — Melhor assim, bobinha do jeito que gosto.

Inerte. 

Era assim que você encontrava-se. Jaemin permaneceu a encarar você. Por mais excitado e revirando-se de vontade de a foder por inteira, Renjun aproximou-se, percebendo suas mãos trêmulas e boca seca, seu interior apertava-se, em desejo. Começou a latejar por vontade de ser preenchida, movimentar-se discretamente foi sua principal iniciativa. 

— Parece que não foi uma boa ideia — o Huang abaixou-se, próximo de seu corpo, somente para semicerrar os olhos. Cheirou seu pescoço, o que a arrepiou, pois o maior rasgou sua camisa de uma vez, a deixando exposta: — Está com cheiro diferente, ahm? Por que isso?

A respiração quente do maior bateu sobre sua pele, lhe fazendo estremecer. Os dedos desceram sobre seu corpo, tão gelados que você engoliu em seco ao sentir Renjun passear próximo de sua virilha, adentrando a calcinha, brincando com o indicador em sua entrada, tão encharcada que você só pode vocalizar um gemido manhoso quando ele enfiou os dedos de uma vez ali, gostando tanto de a ver tremer, com suas paredes sensíveis a cada toque, apertando-se em busca de mais, de alívio — deles

— Se dedicou tanto a nós que está necessitada, precisa de alguma ajuda? — suas respirações misturaram-se, você aproximou-se dele, puxou-o para mais perto, os dedos rondando sua intimidade, não atrevendo-se a aprofundar, fez com que você colocasse a cabeça no pescoço ligeiramente suado, próximo do ouvido do chinês. .

— Preciso, de muita — sua voz saiu arrastada, fechou os olhos quando ele tocou seu clitóris, em movimentos circulares, enquanto você rebolava sobre os dedos. Movimentando-se por estar molhado, escorregadio e a respiração quente do felino sobre seu rosto, tomando-a em beijos molhados que a fizeram deixar os lábios entreabertos: — Quero que vá fundo e forte, como o gatinho agressivo que sei que você é. .

— Você terá isso, vou me certificar de a maltratar tanto que eles irão ficar com inveja — mas, feito um verdadeiro crime, retirou os dedos de sua intimidade, confundindo-a por completo. Levantou-se, mas pode ver que Renjun cedeu o controle para Lee Jeno. Oh…seu gatinho meigo estava completamente sedento, bastou você levantar a cabeça para deparar-se com ele a encarando como se fosse uma fera sedenta, um verdadeiro predador. 

— Querido.

Você sussurrou, de forma ligeiramente manhosa. Aos pés do maior, engatinharia caso Jeno não fosse rápido o suficiente para a tomar pelas coxas, a surpreendendo devido a força, devido a firmeza que a tomou, jogando-a na cama, com as costas suadas, rasgando impaciente seu short de pijama — ficaria enfurecida caso fosse outro caso —, levantou suas pernas, beijando-as de modo devoto, os pelos arrepiaram-se, com a visão tão encantadora de Lee Jeno totalmente bagunçado, descendo seus beijos, excitando-a em um nível que achou ser impossível. Chupões eram distribuídos sobre suas coxas, ele apertava, maltratava como se fosse o doce predileto, o brinquedinho que explorava com tanto ardor. 

— Você é tão gostosa, como eu imaginei, tão cheirosa, tão bela, tão quente…— existia um carinho mesclado com a vontade de a devorar por completo. Você ficou pasma, em confusão: Jeno era diferente deles. Demonstrava uma devoção por seu corpo inexplicável, de modo que seus prazeres eram prioridades, como se sua satisfação fosse o sinônimo de sua perdição. Ali, de repente, pode sentir as mãos grandes do maior desceram para sua intimidade, dessa vez, não como Jaemin faria em uma provocação tentadora ou Renjun ao lhe enganar. Jeno introduzir o indicador e médio de uma vez, com a devida força, somente para ver como você tremeu, como sua intimidade sentiu-se invadida, como o movimento ardia e latejava, efervescendo seu interior, — Toda espera valeu a pena, você merece muito mais que qualquer um para te amar, querida. 

Ele disse isso, antes de foder os dedos com força no seu interior, antes de ir tão ágil que você pensou que iria gozar nas mãos de Jeno, mesmo que fosse com pouco. Pois, você estava completamente molhada e os beijos incessantes, as palavras amáveis e gentis a faziam revirar-se pois aquele felino deveria ser o amante perfeito. Foi quando você virou o olhar, fechando os olhos para aproveitar o toque em seu clitóris, totalmente habilidoso que deparou-se com Renjun masturbando-se para que você o encarasse, insinuativa. Jaemin permanecia sério, mesmo que estivesse começando a ceder aos instintos após você o bagunçar por inteiro, a cena de você sendo aprofundada com ardor, pingando de prazer sem nem mesmo ser fodida pelo pau de um deles, foi o bastante. 

Descobriu que amava ter aquela atenção.

Exibida — era isso que você era. 

Era óbvio que Na Jaemin percebeu. 

No final das contas, eles também ficavam vidrados em só olhar: não seria a primeira vez que lhe fitaram em situações indecentes. 

— Eu o amo tanto, Neno — você usou o apelido em um arfar, suas unhas cravaram na carne de Jeno, mais forte do que deveriam, fazendo-o grunhir. Perdeu a noção, mas recebeu os dedos ainda mais agressivos, o que a fez gritar de excitação, almejando mais e mais, suas mãos iriam nas do Lee. Foi quando aconteceu o impensável, em uma evidente irritação por estar sendo interrompido, Jeno mordeu-lhe: sua coxa, descendo beijos perigosos próximos de sua intimidade. Você não conseguia controlar a inquietação, erguendo o quadril, impaciente e exigente, somente para receber um aperto na coxa, choramingando, foi quando você encarou as orbes de seu felino mais atencioso, em busca de alívio, prestes ao arranhar novamente que surpreendeu-se. 

O Lee a ergueu, puxando-a pelas pernas, de ponta a cabeça você poderia sentir o ar bater em seus seios, a janela permitia a ventania adentrar e o choque térmico a fez arrepiar-se. A língua quente e ligeiramente áspera de Jeno adentrou sua intimidade, a fazendo o apertar, com as pernas no pescoço do maior, totalmente dependente dos braços fortes de Jeno, ele lambeu sua intimidade, feito o verdadeiro felino que era: sem misericórdia alguma. A língua adentrou seu interior, sugando e revirando-a, enquanto a segurava com o braço esquerdo, usava a outra mão para aprofundar os dedos em sua intimidade, tão bruto que a fez tremer, sendo socada de modo incessante.

— Você realmente gosta de quando sua bucetinha tem atenção, não é? — Renjun aproximou-se, mesmo que a você estivesse de ponta-a-cabeça, totalmente em delírio pela língua de Jeno socando em seu interior junto aos dedos, não perdeu tempo, preenchendo sua boca com seu membro, foi uma das sensações mais extraordinárias que pode sentir. 

Sua respiração descontrolada, seu corpo erguido, sua intimidade latejando, seu ponto sendo atingido e a língua com o membro de seu felino em sua goela, os arfares manhosos de Jeno e ronronar do Huang quando se desfez, causou uma reação imediata em você, estremecendo, esguichando, sendo segurada com força pelo Lee, antes que pudesse cair. Suas pernas fracas, sua intimidade dormente, mas com certeza de que queria uma coisa — essa da qual Lee Jeno estava mais do que disposto a te dar —, você caiu feito uma ovelha próxima de predadores. 

Foi colocada na cama, com a respiração ofegante. Não pode tirar os olhos de Jeno nem por um segundo sequer. Embora Jaemin se aproximasse de modo tão meticuloso que você não poderia processar. O Lee, porém, inclinou-se, roçando o membro em sua intimidade, tão melada que o receber era seu maior desejo, os dois estavam pulsando. Você o encarou, completamente vermelhos e desejosos, fez isso repetidas vezes somente para a ver lacrimejar. 

— Posso ser o primeiro? — pediu permissão, para você.

— Claro, você é meu garotinho paciente e dedicado — assim, sentiu-o adentrar, não de uma vez, o que arrancou-lhe um arfar. Jeno era grande, grosso e sem dúvidas a beijar para abafar o gemido a fez sentir o ar preso em seus pulmões ao fechar os olhos com força. Nem mesmo entrou totalmente, o que a fez puxá-lo, em um abraço enquanto ele decidiu entrar de uma vez, a fazendo choramingar. 

Você é tão quentinha, tão apertada — sussurrou, em seu ouvido. Como se não pudesse melhorar, o choque elétrico e prazer, ele levou uma das mãos para seu clitóris, estocando-a mais vezes: em um ritmo profundo e lento. Cada vez que adentrava, sua intimidade esmagava o membro, suas paredes vibravam, em colapso pelo quão grande, pelo quão forte o membro quente aprofundava-se no seu interior, formigava e você sentia calafrios por todo corpo. Jeno mordiscou seu seio direito, subindo os beijos molhados para seu pescoço, fazendo-a revirar os olhos.  — Chega a doer, o quanto você é….

Você riu, admirada com o quão apaixonado Jeno parecia. 

Sh..— pediu, levando suas mãos para a nuca do moreno, somente para lágrimas surgirem em seus olhos com o quão forte Jeno entrou, e o quanto gostou, de modo que cada vez mais, parecia que seu limite estava prestes a chegar. — Quero que continue desse jeitinho. 

Jeno continuou, a enlouquecendo ainda mais. Sua cabeça vazia, sentiu-se a mais tola do mundo, só pensando em como você poderia ser mais preenchida pelo maior, o quão gostoso era o ter socando em seu interior. Remexendo-se, grunhinho feito um animal próximo aos seus lábios, pressionando-a sobre as cobertas e o quão molhados vocês dois ficavam, o quão preenchida sentiu-se, como se o ar fosse explodir sua cabeça e coração transbordar. Foi, ao fitar os lábios avermelhados daquele felino que a vontade de tomar o controle apossou-se de você: sabia muito bem ser submissa, mas a vontade de acabar com aquilo de uma vez ruiu em seu interior, ao tocar o abdômen do moreno que foi tingido de confusão. 

Mamãe vai cuidar de tudo agora — o quão depravada a palavra ressoou de seus lábios, mas ele confiou. Jeno somente a deixou inverter as posições, o que a fez engasgar-se com a própria saliva, acomodando-se com o membro do maior, sua extremidade desacostumada com o membro do moreno.

 Rebolou sobre o colo do maior, seus cabelos escorrendo pelas costas, um sorrisinho tão inocente que contrastou com aquilo o fez subir as mãos, para sua cintura, forçando-a contra o membro, que a fez arfar de uma vez. Você movimentou-se sorrateiramente, de forma rápida, tanto que seu corpo cansou-se, de modo que pode encarar Na Jaemin a sua frente, estimulando-se, a ausência de Renjun a confundiu. Ou, foi isso que achou. Mas, ver o sorriso ligeiro em Jaemin lhe fez semicerrar o olhar, mesmo que estivesse tentando não se desfazer, segurou nos pulsos de Jeno, dessa vez, roçando seus seios no peitoral do maior, com o membro movimentando-se em seu interior, tão quente que você achou que arderia, que aquele fosse um inferno da luxúria. 

Ela cairia, cairia caso seu corpo não fosse empurrado para frente, empinando a bunda, somente para sentir outro membro roçar em sua intimidade, o que a fez notar que era ninguém menos que Huang Renjun. Sentiu beijos em seu ombro, em seu pescoço, você teve calafrios, sentindo seu corpo ser acariciado, ciente das intenções do maior, um sorriso pervertido assumiu seus lábios, ciente de que cedo ou tarde isso aconteceria. Gostou de se exibir para Na Jaemin, esse que a encarava o deixar de lado — mais uma vez —, propositalmente. 

— Dividir é mais complicado do que achei, especialmente quando se trata de você — sussurrou, fazendo-a sorrir sozinha. Virou seu rosto, vendo-o pelo ombro, somente para molhar os lábios, cedendo uma autorização silenciosa: ele queria entrar em você. E, do modo mais surpreendente, entrou junto de Jeno, fazendo-a soltar um gemido sôfrego, a sensação de os ter esmagando-a foi arrebatadora. Renjun e Jeno também excitaram-se, de modo estrondoso, a fricção dos membros dentro de sua intimidade molhada tornou-se uma verdadeira tentação. Porém, não moveu-se. — É realmente apertada demais. 

Jeno choramingou, com o coração batendo forte em seu peito, a respiração acelerada. 

 — Nós podemos nos mover? — foi manhoso, em um tom que a derreteu por completo. 

Concordou, sentindo seu corpo ser puxado, estocado por Renjun. Você jogou-se por completo no peitoral de Jeno, esparramando-se, dando o controle de seu corpo para aqueles dois, ciente de que estava exausta e a hiper estimulação só a fazia querer desfazer-se, tremer e as estocadas tornavam-se ritmadas. O Huang era mais rápido, não tão forte, mas a sensação de os ter, os dois, a preenchendo a fez revirar os olhos. Pouco a poupando, Jeno mordiscou seus seios, você beijou-o, tão intensamente que sentiu uma mordida em seu lábio, ofegantes as respirações misturavam-se. Pensou estar prestes a ver estrelas, quando as pernas vibraram, levantando o corpo, em um impulso, deparando-se com Jaemin ali, encarando a cena: do jeitinho que a tornava mais louca que o normal, o modo que ele parecia prestes a lhe punir pela negligência, parecia saber que você estava descontando — o deixando de lado por pura raiva. 

Iria o chamar, o estimular novamente, mas ele negou, a deixando confusa. Pouco poderia raciocinar, já que Renjun e Jeno deixaram-na sem ar ao estocarem tão forte que gritou sentindo a intimidade apertar-se. 

— Parece que consegue cuidar de dois, mas você consegue cuidar de três? — a pergunta deixou-a confusa, quando o rapaz saiu de seu campo de visão, somente para arregalar os olhos ao sentir um acariciar em seu orifício, junto a saliva, lubrificando o local.

— O que você….— calou-se, ao sentir Jaemin adentrar, pareceu o suficiente, os três a preenchendo foi o suficiente para que seu corpo colapsasse de uma vez, apertou-se, de uma vez, incapaz de processar uma mísera palavra. Se a intenção do Na era ter te deixado uma vadia burra…porra, ele conseguiu.

Puta merda, é muito apertado — Renjun ronronou, segurando em sua cintura, forçando-se junto a Jeno que grunhiu. Nem mesmo movia seu corpo, sentindo Jaemin puxar seus cabelos, a estocando de modo tão profundo que tudo que poderia fazer era fechar os olhos, sentindo os puxões, estocadas e onda de prazer que a invadiu. 

E-Eu…— você gaguejou, em busca de falar algo, mas nada raciocinou, somente podendo sentir o líquido de Renjun sobre sua intimidade, indicando que ele havia se desfeito.

Pareceu a deixar em um nível de tesão ainda maior com o quão escorregadio pareceu, Jeno aprofundou-se em um ritmo mais rápido, tão agressivo como Jaemin que a fez gritar, desfazendo-se de uma vez, tendo um orgasmo tão intenso que lágrimas escorreram, seguidas do Lee desfazendo-se, em suas pernas. O Na saiu de seu corpo assim que a viu daquele modo, parecia prestes a se saciar, mas você o impediu. Sabia que, diferente de Jeno e Renjun — que tiveram todo seu cuidado —, o pobrezinho do seu garoto mimado devido a pirraça permaneceu à mercê de migalhas. 

Jeno estava ofegante, cabelos bagunçados, exausto. Estaria prestes a puxar você para perto, não tão diferente de Renjun, acabado e a admirando cada detalhe do seu corpo: cada marca feita que indicava que você era deles. 

Só que, não, não era o bastante. 

— Nana….venha cá 

Você estava frágil, sensível e com os lábios inchados, de tantos beijos, a pele marcada, totalmente bagunçada. Na Jaemin encarou-a, em um misto de dúvida, querendo reter um sorriso dotado de deboche: havia vencido novamente, era seu garotinho que ganhava mimos, conseguia tudo que queria, arrancava seu orgulho fora e a fazia perder no final das contas com o charme desbocado. Jaemin, no entanto, mesmo que estivesse prestes a se desfazer, ali mesmo, somente com a cena de você sem conseguir ficar em pé, rastejando por ele, molhou os lábios. 

— Senta aqui...— ele disse, em um tom calmo, caso sua feição séria não estivesse com o maxilar travado, encarando-a como se estivesse prestes a partir no meio, diria que Jaemin estaria sendo carinhoso. Você mordeu a parte interna de sua boca, duvidosa, roçando as pernas uma na outra, sabia que o Na queria uma espécie de humilhação ao vê-la rastejar. — Não vou falar de novo. 

Soou grosseiro, do jeito que fez com que você engolisse em seco. De joelhos, movimentando-se sobre os lençóis revirados, engatinhou do jeitinho que eles jamais a viram fazer, tão manhosa que Jaemin teve pena ao se aproximar. 

— Você nem mesmo se aguenta — ele riu, ao sentir você deslizar sobre o membro do maior, somente para o encarar, com lascívia. Cada parte de seu corpo exausto e ardente ansiava ser destruída por Na Jaemin. Fechou os olhos com força ao o sentir em seu interior, Jaemin apertou-lhe contra ele. Estavam sentados juntos, com um detalhe: você em cima de seu colo, um de frente para o outro, seus braços envoltos no pescoço dele. 

Você me aguenta — foi o suficiente. Jaemin beijou-a, de forma tão visceral que machucou-lhe os lábios, uma dor ardente que você gostou. Os movimentos eram em conjunto, o quadril do maior movimentava-se como o seu, reunidos, de forma que um abraço apertado a causou tantos choramingos que totalmente molhados, com porra e os pingos de excitação. Você estava tão sensível que em poucas investidas, tão fundas foram capazes de a fazer desfazer-se junto do seu felino mimado.

Exausta, com marcas de amor por todo corpo, Jaemin pôs seu corpo sobre a cama, ofegante e ao lado de seus amados gatinhos que — agora — permaneceriam como homens, os seus homens ferais. Você virou o rosto, somente para ver Jeno fitando seu rosto, igualmente a Jaemin de relance, como um Renjun silencioso. Uma ligeira vergonha a fez sorrir, mesmo que não conseguisse dizer ao certo sequer uma palavra. Por isso, não imaginava que um deles, o mais mimado de todos, resolvesse dizer, com maior naturalidade, ao beijar seu ombro:

— Nós conseguimos sua atenção — você sorriu, sabendo que era verdade. Inclusive, quando ele fitou seu corpo, de cima a baixo, somente para vangloriar-se. — E você, suas marcas de amor.


Notas Finais


╭┈◦•◦❥•◦ Espero que tenham gostado, eu curti bastante explorar o conceito de híbrido com os meninos, caso queiram, posso ver de fazer algo a mais. Me digam o que acharam. Enquanto isso, vou aproveitar para divulgar minha fanfic: nomin x oc, aqui em baixo caso estejam buscando ler alguma coisa:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/entre-o-pecado-e-a-inocencia-na-jaemin-e-lee-jeno-23820068


*ೃ༄ Nos vemos na próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...