1. Spirit Fanfics >
  2. Love Me Harder >
  3. Cigarettes and sex

História Love Me Harder - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Vim aqui trazer uma pwp curtinha de jaeyong pra entreter um pouco vocês num domingo entediante.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Cigarettes and sex


Taeyong sabia que aquilo era errado, sabia que era imoral, que era cúmplice de um criminoso, um assassino. Mas como poderia resistir aos charmes de Jung Jaehyun? 


 Lee Taeyong era filho de um pai policial, pai esse que passava suas noites fora investigando inúmeros assassinatos sempre com a marca "JJ", nunca havia vestígio do assassino, uma arma, digital, ou um fio de cabelo sequer.


 Seu pai andava extremamente estressado com o caso sem saber que o culpado estava embaixo de seu nariz, fodendo com seu filho dentro de sua casa.


 E aquela noite não seria diferente para os dois.


 Assim que o policial saiu de casa Taeyong mandou uma mensagem avisando Jaehyun, correndo para o banheiro em seguida, retirando todas suas roupas e tomando um banho demorado, fazendo questão de hidratar e depilar toda sua pele.


 Vestiu apenas seu roupão de seda tão vermelho quanto seus fios de cabelo, saindo do banheiro e já sentindo o típico cheiro da nicotina que saia do cigarro de Jaehyun. Lá estava ele, encostado na janela de seu quarto, com um cigarro no meio de seus dedos, o olhando de cima a baixo com um sorriso de canto.


— Já disse para você não fumar aqui, o cheiro fica no meu quarto e tenho que lotar de perfume para meu pai não perceber. — Taeyong disse resmungando.


— Diga a ele que fuma, assim não vai desconfiar que você gosta de foder com caras como eu. — Jaehyun disse ainda com aquele sorrisinho cafajeste, apagando o cigarro no parapeito da janela, o deixando cair no chão em seguida. — Oh não, eu esqueci que você gosta de pagar de santinho na frente do papai, não é?


 Taeyong engoliu seco enquanto via o corpo forte se aproximar do seu, e o prender contra a parede. 


— Ah Taeyong...Você pode enganar seu pai, sua família e até seus amigos com essa carinha de santo, mas não a mim. — Jaehyun segurou o rosto de Taeyong, o obrigando a olhar pra cima e o encarar. — Eu sei muito bem que você não passa de uma putinha sedenta por pau. — Soltou o rosto de Taeyong e desferiu um tapa não muito forte sobre o mesmo, ouvindo um gemido sair pelos lábios do mais baixo. — Masoquista.


 Jaehyun não havia mentido, Taeyong era um grande masoquista, desde que conheceu o criminoso naquela madrugada num bar qualquer havia se viciado em toda aquela brutalidade do outro na hora do sexo, era tão prazeroso sentir as mãos grandes apertando e batendo na sua pele, as mordidas e chupões fortes que o deixavam todo marcado por dias, e as palavras sujas sendo sussuradas em seu ouvido, Taeyong amava aquilo.


— Teremos que ser rápidos hoje, tenho coisas a resolver. — Jaehyun ditou enquanto o olhava. 


 As mãos espertas do mais baixo entraram por debaixo da camisa do outro, passando por todo o abdômen definido do mais alto, sentindo seu queixo ser segurado enquanto as bocas se uniam de maneira afoita.


 A língua quente de Jaehyun invadia a boca do ruivo com pressa, unindo suas línguas com brutalidade, como se fosse uma batalha para ver quem dominava, mesmo já sendo bem óbvio quem mandava ali.


 Jaehyun não demorou para arrancar o roupão do mais baixo de forma rápida, o deixando cair no chão. Suas mãos espertas segurando na cintura dele, à apertando enquanto encerrava o beijo mordendo lábio inferior do mais velho e o puxando. 


 Separaram os corpos minimamente para arrancar as roupas de Jaehyun, às jogando num canto qualquer do quarto, já impacientes, desesperados pelo toque um do outro. 

 

 O mais alto segurou nos ombros do outro, o forçando para baixo e fazendo ele se ajoelhar em frente ao seu membro já duro.


— Chupa, como a boa cadelinha que você, quem sabe eu te deixe gozar?


 Não foi preciso dizer de novo, Taeyong já segurou na base do membro do mais novo, passando toda a sua língua na extensão rígida antes de o colocar na boca até onde conseguia. Jaehyun deixou Taeyong se divertir por alguns minutos, mas logo impôs seu ritmo, firmando as mãos nos fios vermelhos e começando a estocar na boquinha bonita sem dó, sentindo sua glande bater na garganta do outro, ouvindo Taeyong engasgar várias vezes em seu pau enquanto o olhava com aqueles olhinhos cheios de água, parecia tão inocente o olhando daquela forma. 


 Quando sentiu seu orgasmo próximo, voltou a puxar os cabelos do mais velho, o puxando para longe de seu membro.


— Eu amo sua boquinha bebê, mas não tô afim de gozar nela hoje. — Se agachou só para o pegar no colo e jogar na cama logo em seguida.


— Então para de enrolar e me fode de uma vez, Jaehyun. 


— Cale a boca, eu não te dei permissão pra falar, muito menos para ditar as ordens, vadia barata. — Jaehyun disse irritado, virando Taeyong de costas para si e lhe dando um tapa forte em uma de suas nádegas, fazendo Taeyong soltar um gemido alto e manhoso. — Só abra sua boca pra gemer a partir de agora.


 Taeyong gemeu frustrado e deitou seu rosto no travesseiro, deixando apenas seu quadril empinado, percebendo quando Jaehyun se esticou para abrir a gaveta da cômoda, pegando um pacote de camisinha e o tubo de lubrificante. 


— Sua pele é tão branquinha...Ainda está todo marcado da nossa última noite. — Soltou uma risada baixa enquanto passava sua mão pelas coxas ainda cheia de marcas de chupões que havia deixado.


 Jaehyun não enrolou mais, abriu o tubo de lubrificante e melou seus dedos com aquilo, passando um pouco na entradinha em sua frente. Em alguns segundos estocou dois de seus dedos de uma vez, fazendo Taeyong gemer de forma alta, agarrando os lençóis e se empinando ainda mais na direção do mais alto, o fazendo rir enquanto movia os dedos dentro dele de forma lenta, fazendo movimentos de tesoura, o alargando. 


— Tão desesperado...Vou lhe dar o que você quer de uma vez. 


 Jaehyun voltou a se afastar, rasgando o pacote da camisinha e a vestindo em seu próprio membro, derrubando mais um pouco de lubrificante em seu membro, o punhetando rapidamente apenas para espalhar o produto melhor por toda sua extensão. 


— Jae...Vem logo. — Taeyong pediu, o olhando por cima de seus ombros.


 Jaehyun não enrolou mais e entrou de uma vez no interior apertadinho do mais velho, fazendo ambos gemerem de forma alta. O interior de Taeyong era tão quente, tão apertado, mesmo depois de tantas foda conseguia sentir o cuzinho do outro se apertar contra seu membro.

 

 Começou a movimentar seus quadris de forma rápida e forte, não evitando deixar vários tapas fortes na bunda branca do mais baixo. Taeyong afundou seu rosto no travesseiro, abafando seus gemidos altos, sentindo sua pele já ardida de uma forma gostosa pela quantidade de tapas fortes.


— J-jae, eu vou gozar! — Avisou retirando seu rosto do travesseiro, fazendo com que Jaehyun acelerasse ainda mais seus movimentos, levando uma de suas mãos até o membro do menor, o masturbando no mesmo ritmo rápido das estocadas, enquanto a outra mão segurava seu quadril no lugar, o mantendo empinado para si.


 Em poucos minutos Taeyong se desfez nas mãos do moreno, gemendo seu nome de forma alta, contraindo ainda mais seu interior, fazendo Jaehyun gozar dentro da camisinha, soltando alguns palavrões enquanto apertava a pele da cintura do mais baixo, deixando marcas sobre sua pele.


— Porra Taeyong...Tão gostoso. — Suspirou se retirando do interior do ruivo, se deitando na cama junto com ele por alguns minutos, apenas para recuperar o fôlego, se levantando em seguida.


 Taeyong se cobriu com o lençol enquanto observava Jaehyun pegar suas roupas do chão e se vestir.


— Não pretende parar de matar? Sua situação está ficando feia, a polícia está louca pela sua cabeça.


— Claro que não pequeno Taeyong, eu não ligo para a polícia, se sente tão culpado de dormir com um assassino deveria parar de me procurar. — Disse enquanto pegava outro cigarro do bolso, se sentando na ponta da cama do mais velho, o ascendendo e levando até os lábios, tragando o mesmo e soltando a fumaça próximo do rosto dele, fazendo o ruivo tossir levemente antes de sorrir.


— Você sabe que não vou fazer isso, pelo menos não por enquanto.


— Eu sei que não, minha putinha masoquista. — Sorriu e se levantou da cama, indo até a janela, se preparando para pular pela mesma e ir embora antes que o policial voltasse para casa. — Até amanhã, pequeno.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até a próxima ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...