1. Spirit Fanfics >
  2. Love Me Harder Deep >
  3. Desejo ou Paixão?

História Love Me Harder Deep - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Olá Swens.
Voltei com o capítulo mais esperado por todas!
Será que a Gina vai tirar o atraso? rs.
Aviso esse capítulo tem muito Hots,🔥 🔥🔥
Quem não gostar é só pular esse capítulo.
Obrigado à todos comentários.

Boa leitura.

Capítulo 14 - Desejo ou Paixão?


Fanfic / Fanfiction Love Me Harder Deep - Capítulo 14 - Desejo ou Paixão?

Eu sinto como se estivesse num elevador onde de repente o cabo se rompeu. A realidade cai na escuridão. Arrasto o laptop até meus joelhos e abro a janela do bate-papo.

-"Então Rainha da biblioteca, você tem algo para me contar?"

Ah, ela vai direto ao ponto hein? Nada de sutilezas ou gentilezas dessa vez. Nada de avançar com cautela. Meu coração bate forte no peito e começo a me tremer por antecipação. Minha mente se preenche com a imagem linda de Emma Swan com aquele sorriso cínico...

-"Sim, eu tenho muitas novidades." - disse orgulhosa.

Eu vejo um sorriso triunfante nela, tão tipicamente feminino. Sim, você só me ama on-line se eu compartilhar com você todos os detalhes sujos certo? Mesmo que você já esteja sabendo de tudo sua cretina, eu sei que sim. De repente, quero acabar com esse jogo todo, surpreendê-la, sair do campo do comum com algo que ela desconheça.

-"Esplêndido! Minha audaciosa Regina... Eu sabia que podia confiar em você. Me conte tudo, não me esconda nada! Você fez o que eu disse para fazer?"

Mas veja que insolente! Ela pensa que pode me controlar. Que ódio!

Eu sorrio e tento recuperar meu centro já trêmulo de excitação. Tento me acalmar e voltar para a realidade. Assim posso jogar meu próprio jogo. Não há nada a temer...Eu a conheço. Só pode ser Emma. Acho eu.

-"Eu me mostrei para alguém desconhecido, como você havia me ordenado."

-"Você se mostrou para alguém? Bravo, minha linda e corajosa Regina Mills. Eu sabia que você não iria me decepcionar."

Caio no travesseiro com alívio. Eu me sinto dando as cartas de novo. Me sinto sexy e poderosa. Ainda que com o coração batendo ainda depressa com o nervosismo, mas ao mesmo tempo relaxada, como se estivesse na companhia de uma velha amiga, sendo esta de natureza dupla, um grande campo minado.

-"Sim, claro que sim. Na biblioteca. Por pouco tempo.

-"Quem é essa pessoa de sorte? É digna de você essa pessoa? Será que ela soube apreciar o presente que lhe foi dado?"

Colocar o seu nome real em nosso bate-papo on-line torna o jogo arriscado. É chegar perto demais. E eu posso perder o jogo em segundos.

-"É somente uma pessoa aleatória. - um par de olhos verdes olham para mim. - Só isso.

Há um longo silêncio pontuado pelo cursor e pelo filme na televisão. Como a tensão aumenta, uso o controle remoto e coloco na função "mudo". Insanamente tenho medo de perder a resposta dela. 

-"Que sorte que essa pessoa teve! Que sorte de poder ver a sua beleza, seu sexo. E cada detalhe dele. Você permitiu que ela visse a bela visão da sua boceta...seus grandes lábios rosados... Seu clitóris intumescido...Ah como ela é feliz de poder ver tudo isso..."

Como eu gostaria de ouvir a sua voz. Ouvir suas palavras. Como ela sabe disso tudo, somente uma pessoa que já me tocou pode saber disso tudo. Sinto uma grande excitação crescendo dentro de meu corpo.

- " Não se preocupe, a pessoa só viu de relance. Você sabe tanto sobre minha boceta quanto ela." - menti.

Digitei as seguintes  palavras "Você é Emma?", mas deletei logo depois. É muito cedo para isso. Ela mesmo irá dizer quando chegar a hora certa.

-"Como você se sentiu? Será que isso excitou você?"

Se isso me excitou? Porra...Claro que sim! O sexo no meu casamento era tão sem graça Robin era muito tapado acho que não sabia dá prazer a uma mulher, nada de extravagante como agora com Emma e Nêmesis juntos.

-"Sim...Isso me exitou muito".

Ela quer que eu entre em detalhes, isso é óbvio, mas ela vai ter que pedir para que eu entre em detalhes. Posso até sentir como ela está sorrindo onde quer que esteja. Deus como isso é estranho. É como se Emma e Nêmesis estivessem se separando e um sussurro de dúvida começa a catucar meu cérebro.

- " E você não pediu para que essa pessoa aleatória trepasse com você e aliviasse a sua frustração? Ou foi cuidar disso sozinha?"

Ah, espertinha, nenhuma das opções. Eu até ia digitar isso, mas nesse momento estou tremendo de verdade. É uma estranha dança. Uma dança de gato e rato. Eu deveria exigir sua identidade. Mas sei que não vou fazer isso.

-"Regina, você ainda está aí?Será que você gostaria de está trepando comigo agora?"

Oh! Claro que sim Emma.

-" Sim...gostaria." - escrevi nervosa.

- "Se eu enviar um convite para você me encontrar em algum lugar, você iria?"

Se eu fizer isso o jogo estará terminado. Será que estou pronta para transar com duas pessoas ao mesmo tempo?

-"Nêmesis já está tarde. Eu preciso dormir cedo por que tenho que acordar cedo para trabalhar amanhã. Não que eu não queira. Mas temos que ser práticos."

Agora eu destruí tudo. Estraguei o que estava rolando. Eu posso sentir sua decepção. Sou a garota da covardia, isso sim.

-"Você está certa, minha rainha da biblioteca. Estou sendo meio ridículo. Deixei minha obsessão tomar conta de mim. É melhor eu deixar você dormir."

Caramba que sério. Tão razoável. Estou tocada por sua consideração, mas agora quem se sente ridícula sou eu. Eu quero a excitação de novo, o sentimento de entrar no plano cambaleante à beira da loucura.

-"Não estou dizendo que não quero mais conversar com você... Ainda não respondi a sua pergunta. Sobre o que aconteceu após eu me mostrar."

Ela volta a fazer uma pausa e me deixa em suspense.

-"Mas é claro que você não ficou na mão."

-"Eu nunca disse que não gozei".

Faça o que quiser comigo senhora. - ou devia dizer Emma executiva mac-gostosa! Devo escorregar minha mão para baixo do meu pijama e cuidar de mim mesma? Seria rouba um prazer bem debaixo do seu nariz. No entanto tenho a impressão que Emma me castigaria se soubesse que me toquei com um desconhecido on-line.

-"Meu Deus você é a mais tentadora e audaciosa mulher que já conversei. Você realmente parece se deliciar quando me provoca."

Tudo bem, culpada, culpada!

-"Eu espero franqueza total de sua parte e você me iludi e me engana a cada etapa do jogo. Eu deveria lhe punir. Ou deveríamos levar o jogo para outro nível?"

Meu coração quase sai pela boca. Será que ela pode ouvir as batidas fortes do meu coração?

-"O quê? Outro nível?"

- "No próximo nível vamos nos encontrar e eu realmente vou puní-la"

Oh! Meu Deus! É isso que eu queria realmente. Mas ao mesmo tempo acho que não quero. Eu tenho medo do novo jogo. Mas as fantasias de punição empurram ainda mais as minhas mãos em direção ao meio de minhas pernas. Eu vou ter o meu prazer agora, e dane-se Nêmesis e Emma! Eu gemo quando descubro toda minha umidade, minha inundação..

Mantenho Nêmesis esperando deliberadamente enquanto acaricio meu clitóris. As duas pessoas estão fundidas em minha mente agora independente da realidade. Nêmesis tem a linda face de Emma e seu belo rosto paira sobre mim como uma princesa  da sensualidade ameaçadora.

Meu clitóris está tão sensível que mal posso tocá-lo, mas mesmo assim continuo mexendo nele. -punindo a mim mesma- implacavelmente indo e vindo dando voltas. E fico esperando exigências: "Regina o que está fazendo?"

Especialmente quando pego o minúsculo pedaço de carne entre a ponta dos dedos e puxo delicadamente. Quando coloco dois dedos num frenético vai e vem. Os meus dedos brilhantes por causa da masturbação quando aplico o teclado.

Estou praticamente certa de que Nêmesis é Emma Swan e ainda mais aposto que ela sabe que sei. Eu posso fazer isso! Dane-se, eu quero isso Emma!

-"Eu tenho que ser franca com você. Para você eu posso contar.."

-" Assim é melhor. Conte-me com detalhes. Eu quero saber de tudo que você fez esse fim de semana."

Eu acho que isso irá excitá-la e diverti-la.

-"Quando eu me mostrei minha boceta para essa pessoa aleatória ela ficou dura, eu vi por cima do terno,  e eu me encontrei com ela depois. E fiz um belo de um oral nessa pessoa."

- "Onde que isso aconteceu,  foi na biblioteca?"

- "Não! Claro que não! Eu ainda não estou louca assim".

-"Onde foi então? Lembre-se de que eu quero detalhes. Você esqueceu da punição?"

Como eu poderia me esquecer? Há uma parte do meu cérebro que nunca vai parar de pensar nisso. Fico imaginando a punição que Emma irá me dá se for ela realmente. Essa humilhação simulada que me faz derreter de desejo pela executiva mac-gostosa.

-"Eu fui um lugar longe daqui da cidade. Um lugar perfeito para esse tipo de coisa."

-"Que tipo de coisa?"

Eu só quero me tocar novamente, mas ela está me forçando a digitar. Bastarda ela é a única que merece ser punida. Preciso voltar a me tocar e logo gozar até desfalecer. Mas Nêmesis não deixa. Vou terminar logo esse bate-papo que já não estou me aguentando mais.

- "Seu pau era grande e grosso e eu chupei ele. Eu pensei que não iria caber em minha boca de tão grande. Eu chupei até que ele gozou e eu engoli tudo. Estava muito gostoso."

Parece que estou sentindo o sabor de Emma novamente, que vem misturado com o aroma de excitação sexual e que entra pela rede de wi-fi.

-"Quantas vezes você realiza boquete nos homens por semana? Você os seleciona na biblioteca? Você está me saindo uma menina muito assanhada, uma prostituta.

Ela está certa. Meus apetite sexuais estão tão selvagens, mas foi ela quem os levou a essa intensidade. Eu me sinto diferente. Antes eu era quieta. Vivia em segurança. Era feliz mas de uma forma, sem grandes sobressaltos. Agora sinto prazer por todos os poros, e gosto disso. Não eu amo isso!

Começo a mexer novamente em mim mesma, entro cada vez mais profundamente em minha imaginação. Emma  agora está me segurando com seu braços forte, enquanto acaricia meus mamilos com sua mão livre. É o sexo mais sem-graça e desconfortável que eu já tive.

Ah, como eu quero você Executiva gostosa inteira dentro de mim. Ah, como eu quero você. Mexer em mim mesma desse jeito só pode me leva ao inevitável. Um desempenho como este não pode ser mantido por muito tempo. 

Meu corpo convulsiona e eu grito de prazer, gozando brutalmente. Minha respiração áspera raspa o ar como se eu tivesse acabado de correr uma maratona. Levanto vou ao banheiro lavar as mãos. A poucos metros de mim, a janela do chat pisca em espera.

Sentindo-me como se estivesse me virado do avesso por uma centrífuga, alcanço o laptop quase sem forças para puxá-lo. Meus braços estão moles como uma boneca de pano e eu só quero ficar sentada respirando por mais algum tempo.

-"Você se tocou enquanto falava comigo?"

- " Sim..".- digitei ainda trêmula.

-" Regina me prometa que semana que vem, você terá mais coisas para me contar que não seja um simples oral em alguém. Essa será a punição que irá pagar por ter se tocado enquanto falava comigo. Você está encrencada rainha da biblioteca."

Que gananciosa! Sempre lançando suas exigências e fazendo ameaças. Eu vejo que ela sorri enquanto brinca e me incita a fazer coisas explícitas. E eu sorrio de volta. Minha vontade é de continuar brincando a noite toda, mas estou exausta.

-"Estou exausta. Vocês me esgotaram. Me dê a punição".

Seu grito de triunfo parece ecoar ao longo dos quilômetros através do Wi-fi. Isso é exatamente o que ela queria. Agora ela será a única a fantasiar enquanto começa se masturbar. Imaginando que eu terei que fazer. Meu coração bate com energia, e apesar da letargia que tomou conta do meu corpo pós gozo, meu corpo começa a ficar excitado novamente.

-"Minha querida você terá agora que me contar uma transa completa e todos os detalhes que você sentir quando estiver com esse grande pau em seu útero!"

Nêmesis manda, e como  manda... Mas tudo que eu penso é que terei muito prazer em contar isso ...

 

                                                 -SQ-

 

A semana passou rápido por incrível que pareça, minha ansiedade estava à mil por hora acho que nem dormi direito a semana inteira. Mas finalmente chegamos à sexta-feira.

Emma me esperava em sua casa de campo quando cheguei em seu carro levada pelo seu motorista, naquela noite às seis em ponto. Ela serviu um prato de capelinni com molho de mexilhões maravilhoso.

- Como foi sua semana Gina? - perguntou ela quando engoli a primeira garfada.

- Longa, bem longa. - não precisava mentir sobre isso. - Como foi a  sua senhora?

Ela deu de ombros. É claro que ela não admitiria que ansiava como eu pelo fim de semana. Mas mesmo que dissesse, de maneira nenhuma teria tantas palpitações no estômago como eu.

Tenho que ter alguma coisa para contar para Nêmesis.

O que vamos fazer esta noite? Ela finalmente vai me tocar? Lembrei-me de como suas mãos tinham me percorrido meu corpo no domingo e estremeci.

- Ava matou um esquilo ontem. Minha cadela é uma caçadora mesmo.

Assenti. Era loucura nós duas sentadas e jantando como se fôssemos um casal normal de namoradas. Como se fosse uma noite normal de sexta-feira  e que  estávamos jantando em nossa casa de luxo. Como se ela não tivesse me acorrentando nua há menos de uma semana e me açoitado com seu chicote. E como se eu não tivesse gostado daquilo. Remexi começando a ficar excitada na cadeira. Droga esse meu fogo está demais!

- Minha amiga Ingrid, esposa de Jefferson trouxe seu vestido mais cedo. Eles estão ansiosos em conhecê-la.

Minha cabeça se virou de repente com essa nova surpresa.

- Seus amigos? Eles sabem sobre nós?

Emma torceu uma porção de macarrão no garfo e levou à boca. Aquela boca. Aqueles lábios rosados macios. Olhei enquanto ela mastigava e engolia tranquilamente. Ai! Estava ficando quente na cozinha.

- Eles sabem que você é minha nova acompanhante. Ninguém sabe de nosso acordo.

Acordo sim. Era uma maneira elegante de colocar a questão do contrato. Concentrei-me em cortar minha massa. Emma passava o dedo na borda de vinho. Ela sabia que estava me provocando a cretina. Brincando comigo como as cordas de um violino. E fazendo um trabalho primoroso me excitando com aquele olhar ardente e aqueles dedos finos que sabem fazer maravilhas.

- Então Emma vai me tocar neste fim de semana ou não? - soltei em uma frase.

Seus dedos parou e seus olhos se estreitaram me fuzilando.

- Faça as perguntas de maneira respeitosa sta. Mills. Só porque está na mesa de perguntas, não significa que pode falar comigo assim. - disse raivosa.

Voltamos a sta. Mills. Senti o rubor em meu rosto. Baixei a cabeça.

- A senhora vai me  tocar neste fim de semana, minha mestre?

- Fale olhando para mim sta. Mills. - disse séria.

Olhei e seus olhos verdes estavam em brasa.

- Não só pretendo tocar em você. - deu uma pausa elegante. - Como pretendo te foder com força. Com força e repetidamente. Quero te dar uma coisa para contar a seu amigo Nêmesis.

Suas palavras provocaram um choque elétrico em meu centro ansioso. Havia um motivo para ela ser minha mestre. Emma podia fazer mais com algumas palavras do que a maioria dos homens que conheci em minha vida toda.

De repente ela se levanta da mesa e diz na maior calmaria:

- Quero você nua em minha cama em meia hora.

 

                                                                                          - SQ-

Eu não sabia que feitiço Emma tinha sobre mim. Como podia me excitar só com um olhar ou uma simples frase? Isso só poderia ser loucura. Como essa loucura enquanto eu esperava em sua cama louca de desejos sem que ela estivesse no quarto.

O jantar foi uma sessão de preliminares. Vendo-a comer a massa, seus dedos se mexendo na taça de vinho e eu imaginando eles se mexendo em outro lugar. Eu já estava encharcada quase implorando por ela. E ela nem mesmo tocou ainda em mim.

Emma entrou em meu quarto com uma máscara de couro preta. Tipo da mulher gato seu corpo estava coberto com o mesmo couro. Em suas mãos o seu chicote.A luz das velas espalhadas pelo quarto iluminava seus olhos parecendo mais escuros. Em silêncio, foi até ao pé da cama e ergueu uma algema.

Minha parte racional cochichou que eu deveria ter medo, mas Nêmesis estaria dando pulos de alegria. Teria muita coisa para contar. Deveria sair daquela casa e fugir e não olhar para trás.

Em vez disso, olhei para ela com uma enorme excitação, enquanto ela me algemava esparramada nua na cama.

Emma falou comigo naquela voz fria mais sexy e sedutora.

- Eu não pretendia fazer isso esta noite, mas estou vendo que você não entendeu completamente quem é que manda aqui. Você é minha Sub e vai agir e se comportar como eu desejar. Da próxima vez terei que castigá-la por desrespeito. Entendeu?

Concordei e tentei não demonstrar o quanto a ideia de castigar me excitou.

- Minha última submissa podia me fazer gozar três vezes por noite. - disse ela e me perguntei se estava se referindo à Fiona. - Eu quero tentar com você quatro.

Gozar quatro vezes? Isso seria possível? Eu queria. Eu podia fazer tranquilamente isso, só não sei se ela conseguiria. Emma retirou uma venda preta do bolso.

- Quero que fique totalmente a minha merce Gina.

Respirei fundo. Olhei para seus olhos verdes ardentes de desejos e ela colocou a venda e não consegui mais enxergar mais nada. Ouvi um barulho do zíper. Eu sabia que ela estava tirando a calça. Estava ficando nua como eu. Meu coração disparou.

Duas mãos macias começaram em meus ombros e desceram delicadamente pela lateral do meu corpo em brasa. Sua mão passou lentamente pelos meus seios e contornou meu umbigo. Suas mão foram até minas pernas e ela colocou um dedão do meu pé em sua boca e começou a chupar como um pequeno pênis. Minhas terminação nervosas chegaram a minha boceta já pingava em excitação. 

Um dedo do meio subiu ao meu centro ansioso e roçou minha entrada. Gemi ao sentir seu dedo.

- Quanto tempo faz que você não fode, Gina? - perguntou Emma. - Responda.

Quanto tempo fazia que eu não transava com alguém?

- Mais de um ano.

Não queria pensar como meu ex marido e meus namorados do passado que foram poucos nunca conseguiram me satisfazer. Seu dedo mergulhou novamente. Senti a cama se mexer enquanto ela se aproximava mais de mim.

- Você ainda não está pronta. Precisa está pronta ou eu não conseguirei trepar com você com a força que quero.

Senti que ela se afastava e então sua boca estava em meu pescoço, descendo lentamente até chegar a meus seios. Rodou a língua por um mamilo, soprando delicadamente. depois sua boca se fechou nele e o chupou, rolando a língua em volta do bico do seio. Ofeguei quando ela raspou com os dentes.

Ela passou para o outro, começando lentamente, mas aos poucos aumentando a intensidade até se tornar demais. Ergui o peito para ela sem pudor. Se continuasse, eu gozaria apenas com sua boca. Emma continuou a investida contra meus mamilos enquanto abaixava a boca em direção  que eu mais queria. Abri minhas pernas, aguardando-a.

Sua boca quente chegou ao meu centro me levando quase a loucura, sua língua sagaz me fazia revirar os olhos se estivessem descoberta. Meu clitóris entumescido virou uma pequeno pênis devido a força que era chupado. Sua boca e seus dedos me deixaram e gemi quando o ar frio correu por meu corpo. A cama se mexeu novamente e senti que ela montava em mim.

Seu pau duro e grosso como pedra, tocou meu vale entre meus seios. Emma se impeliu contra mim num vai em vem delicioso.

- Acha que está pronta? Por que estou cansada de brincar. Você está pronta? - responda.

- Sim...sim mestre. Por favor. Sim senhora.

Parte de mim se rejubilava quando ela desceu por meu corpo e ergueu meus quadris com uma das mãos e não me importei com mais nada, apenas com que estava prestes a fazer. Cada terminação nervosa que eu tinha formigava.

Lentamente ela pressionou seu pau em mim e eu gemi em antecipação.

Isso!! Acho que ia morrer de tesão!

Devagar Emma empurrava mais e eu era esticada e preenchida. Mais do que nunca na vida. Ela era uma cavala! Ela empurrava devagar, entrando aos poucos até que ficou desconfortável. Ela não ia caber.

Há uma enorme diferença entre chupar um grande pau e tê-lo dentro de mim, e só agora na hora que está acontecendo, é que percebo realmente a diferença. Seu pau parece ser enorme em comprimento e grossura e de fato tira o meu fôlego. Engasgo em busca de ar, me sentindo Emma me expandir ainda para se acomodar dentro de mim.

- Droga. - disse Emma.

Senti que ela se movia para cima. Emma pegou meus quadris com as duas mãos e balançou para frente e para trás, tentando entrar mais fundo.

- Mexa-se comigo Gina.

Precisava de um momento para absorver esse fato tão esperado por mim e quem sabe por Emma. Eu respiro profundamente aproveitando a sensação de estar preenchida por ela. Levantei meus quadris e senti que ela deslizava mais um centímetro. Nós duas gememos. Emma deu outra arremetida rude e meteu completamente.

Sob a venda meus olhos reviram para trás. Ela tirou um pouco e meteu de volta. Testando. Provocando. Mas eu estava farta de provocações. Precisava de mais. Levantei os quadris quando ela empurrou novamente.

- Você acha que está pronta Gina? - perguntou. 

Antes que pudesse responder ela tirou seu pau de dentro, deixando-me vazia  e carente. Respirou fundo e meteu de novo, retirando imediatamente. Puxei as amarras frustradas quando ela não retornou. E então voltou. Novamente, mais uma vez sem parar. Empurrava-me fundo na cama em cada metida. Eu erguia os quadris querendo-a mais fundo dentro de mim, querendo-a ainda mais.

Senti que o climax se formava a cada golpe de seu corpo contra o meu. Emma se mexia acima de mim, sua mão segurando meu quadris me sub julgando.

- Goze quando quiser. - falou ela já ofegante, ela meteu mais umas veze e me disfiz em mil pedacinhos.

Emma entrou mais fundo e ficou parada, os músculos tremendo enquanto gozava dentro de mim. Mais algumas metidas rápidas e eu gozei de novo.

Lentamente nossa respirações voltaram ao normal.

Lentamente eu voltava à terra.

Mãos ansiosas subiram por meu corpo. Ela puxou meu cabelo de lado e disse sussurrando em meu ouvido.

- Uma.

Emma desamarrou minhas pernas para nossa segunda vez, mas deixou a venda no meus olhos. Emma falou que podia entrar mais fundo com minhas pernas em volta dela, embora eu soubesse que ela tinha mais experiência do que eu, achava que era impossível fisicamente.

Ainda bem que guardei isso para mim mesma, porque quando meteu em mim pela segunda vez e passei minhas pernas por sua cintura, ela foi mais fundo dentro de mim. Emma atingia pontos que eu nem sabia que existiam.

Eu estava sem fôlego quando Emma deixou a cama. Ela se remexeu ao meu lado. Eu ainda não conseguia enxergar nada, soltei a cabeça para o lado dela. Soltou meus braços e tirou meu lenço.

- Hoje você vai dormir em meu quarto esta noite, Gina. Vou te querer novamente em algum momento durante a noite e não quero ser perturbada por andanças noturna.

Reparei um colchonete ao lado. Mas será que ela estava louca? Ela queria que eu dormisse no chão com aquela cama enorme? Ergui uma sobrancelha para ela.

- Tem algum problema com isso?

Meneei a cabeça minutos depois, adormeci entre os lençóis que ela havia estendido ao lado da cama. Pode ter sido horas ou minutos depois. Eu não sabia. Ainda estava escuro e só havia uma vela acesa no quarto.

- Acorde, Gina rápido.

Apressei-me a subir na cama, ainda meio adormecida e Emma estava sentada  e me posicionei em cima dela. Já fazia muito tempo que não fazia essa posição por cima. Mas acho é como andar de bicicleta a gente nunca esquece. Finalmente agora eu estava sem algemas e sem venda. Seu pau já estava duro e em riste, se é que é possível. Minha boceta pulsa em antecipação.

E agora como vou fazer isso? Sempre tive vontade de está por cima. Eu precisava me impor. Abaixo de vagar e monto sobre ela. Minhas pernas parecem bambas, por causa das emoções. Então estico minha mão para baixo, agarro seu pau e começo a guiá-lo para dentro de mim.

A descida parece levar muito tempo. Seu pau assim parece ser maior e mais grosso que antes, quase perco o fôlego. Engasgo em busca de ar. Finalmente eu estou no comando. Com seu pau paralisado dentro de mim. Eu me curvo diante dela, respirando profundamente e aproveitando a sensação de me sentir preenchida com aquele pau enorme dentro de mim. O sentimento é intenso, quase solene, inesperadamente emocional quando a gente se beija tendo ela dentro de mim. 

Meus olhos se enchem de estranhas lágrimas emocionais. Apenas uma aventura? Ah, minha querida, estou com problemas. Descendo ainda mais, solto um suspiro e busco seus cabelos soltos. Emma agarra meu quadris me ajudando a subida e descida. Agora estava feliz totalmente entregue com aquele lindo cacete dentro de mim da mulher por quem suspeito estar apaixonada. Realmente estou com sérios problemas.

Emma está com os olhos fechados estou contente por isso. Pois felizmente ela não verá as lágrimas que estão em meus olho e tenho certeza que o amor sem esperança está em meu rosto.

As mãos dela estão depositadas sobre as curvas arredondadas de meus quadris e de minha bunda e a ternura desse toque é a mais desiludida do que nunca. Peço à Deus que tudo isso seja apenas paixão passageira e que seja só desejos, por que se  for paixão será o inferno dos infernos quando essa coisa de contrato acabar.

Seus dedos percorreram meu traseiro e correu em volta da minha bunda volumosa. Emma pressionou o dedo em meu ânus.

-Alguém já te comeu por aqui?

Ela sabia a resposta. Estava no questionário.

- Nunca fiz anal. - respondi.

- Eu vou. - prometeu.

Cada músculo do meu corpo retesou.

- Um dia. - disse ela baixinho.

- Shhhh! - ordeno, inclinando-me um pouco para frente de novo e cobrindo sua boca com a minha.

Então eu cavalgo mais nela literalmente, levantando e descendo repetidas vezes.

A ereção apertava dentro de mim enquanto ela me fazia subir e descer em seu cacete maravilhoso. A sensação era deliciosa dela me preenchendo, foi demasiada. Soltei um suspiro de prazer não me contendo. Assim eu conseguia sentir completamente cada centímetros dela, era surreal. Cada subida minha empurrava meus joelhos no colchão.

Em pucos segundos sinto que vou gozar. Já chega. Eu fico acocorada, me agacho nela e aperto meu sexo ardente ao redor seu pênis. Isso me faz ver estrelas, mas cerro o meus dentes  e aperto seu  pau com minha boceta. Sinto o clímax chegando eminente.

Mas isso é demais! Nada dela gozar. Essa mulher não existe!

Ainda apertada sobre ela, eu me levanto a abaixo com tudo de novo. Duas coisas acontecem simultaneamente. Não três coisas. Não na verdade quatro.

O formigamento familiar do orgasmo iminente cresceu e meu corpo gritava com sua intensidade. Ou talvez tenha sido eu mesma. Não sabia. Nada me importava nesse momento tão solene. Dei mais uma subida e descida e gritei com a potência de mais um orgasmo avassalador. Ela me acompanhou rapidamente, gozando dentro de mim com um rosnado de marinheira. Eu quase desmaio caio para frente por alguns minutos.

Ela goza, seus quadris se movendo loucamente para cima e para baixo. Eu gozo mais uma vez o prazer torcendo-me quase como se fosse dor. Sexo nunca foi assim antes. Talvez eu nunca tivesse mantido relação sexuais prazerosas antes.

Caí na cama ofegante. Posso ter cochilado por algum tempo não sei ao certo.

Acordei rapidamente quando ela me chamou e virou e empurrou o quadril na minha cara.

- Quarto round, Gina. Agora não reclame. - disse com um sorriso cínico.

Ela já estava meia dura. Isso não podia ser possível. Droga. Que horas seriam? Virei a cabeça para ver a hora.

- Olhe para mim Gina. - ela virou minha cabeça para seu pau já entumescido. - Eu sou sua única preocupação. Faça o que eu mandar. E agora quero que me sirva com a boca.

Abri minha boca mostrando minha disposição. E mais tarde quando ela gozou mais uma vez dentro de mim de quatro, ofegante eu sorri.

Sabia  que tinha servido Emma muito bem. E teria muita coisa para contar para Nêmesis...


Notas Finais


Então meninas o que acharam desse capítulo super hot? 🔥
Espero que tenham gostado.
Até pra semana.
Kisses.💋💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...