História Love Me Or Leave Me - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Encrenqueira
Você é uma encrenqueira
Você é uma encrenqueira
Você não passa de uma menina encrenqueira

{Troublemaker - Olly Murs}

Capítulo 3 - Capítulo II - Troublemaker Girl.


Garota Encrenqueira.

 

Sábado, 10:35 AM.

A semana passou-se em um piscar de olhos, quando fui perceber já havia chegado o tão esperado dia de Ryan receber o troco que ele tanto estava merecendo. Amélia e a irmã dela, Gabrielle, iriam vir aqui em casa às duas da tarde, as duas me ajudariam a me arrumar.

Nunca mais falei com Ryan ou ao menos visualizei a última mensagem que ele havia me mandado. Estava tentando ao menos criar uma coragem desconhecida por mim para realizar esse ato.

Ouvi minha mãe gritando-me no andar de baixo, falando algo sobre eu ir tomar café e levar Marley para passear antes que ele fizesse suas necessidades dentro de casa. Resmunguei, levantando-me da cama e indo até o banheiro, numa preguiça desconhecida até por mim mesma. Suspirei enquanto tirava meu pijama e entrava dentro do box, abri a água que caiu como um jato gelado em cima de mim. 

Merda! Luke havia gastado toda a água quente da casa novamente, qual era o problema dele? Parecia que ele precisava dessa água e se esqueça que, por incrível que pareça, existia uma outra pessoa que também gostaria de tomar banho quente nas manhãs de sábado.

Terminei meu banho, praticamente pulando dentro do chuveiro para aquecer meu corpo até o mesmo se acostumar com a temperatura fria da água. Me enrolei em uma toalha e sai do banheiro, andando descalça pelo quarto até chegar no guarda roupa.

Escolhi uma calça jeans preta e uma blusa azul sem detalhes. Coloquei o all star e desci as escadas, indo diretamente para a cozinha.

— O cabeção do Luke já saiu de novo? – perguntei enquanto pegava uma maçã e lavava a mesma na pia.

— Já, e as únicas informações dele era que ele estava indo para a pista de skate. – respondeu minha mãe, enquanto procurava alguma coisa no armário.

Luke era um tanto quanto rebelde, amava andar de skate, jogar basquete e sair com os amigos todas as noites de sexta-feira, para ir aí bar karaokê.

Terminei de comer a minha maçã em silêncio e peguei a guia de Marley, para prender no mesmo e sair de casa. Assim que fiz isso, sai de casa sendo puxada pelo labrador preto, afobado para sair correndo.

Consegui conectar meus fones no celular e coloquei os fones dando play na música, começando a correr devagar com Marley, de um jeito ou de outro, aquelas corridinhas com Marley me ajudava a praticar algum exercício, já que se não fosse por ele, eu seria, praticamente, sedentária.

Segurei a guia mais firmemente e continuei a corridinha, enquanto tentava não trombar com Marley ou em algum poste no caminho. Esse cachorro era tão louco quanto a dona dele. 

Eu balançava levemente a cabeça conforme a música ia tocando, estava tentando controlar minha vontade de dançar loucamente. De repente, meus pensamentos foram para um certo  garoto que era uma mistura de nerd, rebelde e cafajeste que eu insistia em gostar, por que? Dentre todos os garotos do colégio, por que ele?

Suspirei e afastei aqueles pensamentos da minha cabeça, mas foi tarde demais, foi aí que eu esbarrei justamente naquele que eu não queria encarar depois daquela cena do corredor. 

— Olha por onde anda, Alexandra – resmungou, em seu estado de mau humor habitual.

Respirei fundo, levantando-me da calçada, sorte a minha que não havia soltado a guia quando cai de bunda no chão. Ryan estava lindo, com a sua jaqueta preta de couro, sua camiseta azul escura, sua calça preta e seus all star, surrados, da cor preta. 

Era, realmente, difícil ver Ryan com outras cores sem ser preto. Mas sempre era uma surpresa quando isso acontecia, não que eu ficasse observando ele todos os dias que ele passava no corredor, pronto para esmagar meu coração outra vez. Talvez eu esteja sendo trouxa. 

— Que eu saiba, você também não estava prestando muito atenção. – retruquei, enquanto ajeitava os fones que haviam caído dos meus ouvidos.

— Estava muito ocupado prestando atenção na beldade que está em minha frente. – ele deu um sorriso de lado, enquanto cruzava os braços.

— Me esquece, Willians. – passei por ele, voltando a caminhar.

Senti ele segurando meu braço e me virando para si, enquanto me encarava.

— Você é realmente uma garota encrenqueira, Alexandra. Uma doce encrenca na minha vida. – ele riu e soltou meu braço, voltando a caminhar com as suas mãos nos bolsos de sua calça.

Depois desse pequeno incidente, resolvi voltar para casa. Eu era um problema? Eu? Ele que colocava minha vida de pernas para o ar e eu era o problema?

Soltei Marley dentro de casa e passei a mão no rosto, me jogando no sofá e encarando o teto. Não sei quando tempo eu havia ficado ali, mas quando fui perceber que horas eram, a campainha já estava tocando loucamente.

Abri a porta, dando de cara com duas garotas sorridentes, Amélia e Gabrielle. Dei espaço para elas entrarem e fomos para o meu quarto.

— Okay... Aconteceu alguma coisa que está mexendo com essa sua cabecinha oca? – perguntou Amélia, colocando sua maleta de maquiagens em cima de cômoda.

— Esbarrei com Ryan na minha caminhada com Marley e ele disse que eu era uma garota encrenqueira. – falei indignada.

— E o que tem demais nisso? – Amélia havia perguntado isso como se fosse um dos menores problemas dela naquele momento, eu ficava indignada.

— Ela só está frustrada por não saber o que isso significa, Meli. Não é como se fosse um problema gigante, mas é uma bela confusão nessa sua cabecinha, hein Alex? Talvez ele só falou por falar — Gabrielle começou a dar risada da minha cara, okay, talvez ela estivesse certa. Não é uma certeza, é um talvez. 

Talvez não significasse nada, ou significava?  


Notas Finais


Até a próxima ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...