1. Spirit Fanfics >
  2. Love next door (Woozi) >
  3. Extra parte 2

História Love next door (Woozi) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei mais voltei.
Essa seria a última parte do extra, MAS eu acabei me empolgando.
Teremos uma terceira parte em breve.
Espero que gostem!
Boa leitura!!

Capítulo 13 - Extra parte 2


Fanfic / Fanfiction Love next door (Woozi) - Capítulo 13 - Extra parte 2

Os irmãos do Woozi buscaram a Dahyun e o Mingyu para passear um pouco e deixar o casal com um pouco de privacidade pela primeira vez desde que se conheceram naquela segunda feira no elevador do prédio. Os irmãos não tinham nenhuma habilidade com crianças, mas era visível o quanto eles amavam os seus sobrinhos. E isso era suficiente para o casal deixar as crianças sob cuidado deles por algumas horas.


A saída teve como destino principal o parque de diversão da cidade. Eles meio que fizeram todo um cronograma para que fosse possível aproveitar todos os brinquedos dentro do tempo designado pelos pais. O caminho até o parque foi recheado pela voz do Mingyu, que não parava quieto nem por um minuto.


-Tio Boo, você namora com o tio Vernon? -Ele parecia extremamente nervoso com a pergunta, mas não podia negar até porque o Mingyu era uma criança muito inteligente descubriria a mentira rápido.

-Sim Mingyu.

-Legal. -Ele respondeu animado. - Vocês vão ter filhos?

-Filhos? - O Vernon estava perplexo com a pergunta.

-Eu não sei. - O Boo respondeu surpreso.

-Como você não sabe tio? 

-Eu não sei.

-Mas é simples tio. Você quer ou não um filhinho para brincar com você?

-Eu acho que quero, mas não agora.

-Mas tio, eu queria um priminho. A Dahyun é menina e não sabe brincar comigo.

-Mimi, não é assim que funciona. Tenho que conversar com o Vernon, e além do mais a adoção leva tempo.

-Ah que pena. Mas meu pai conseguiu rapidinho. Será que era porque eu estava morrendo?

-Meu amor, você não estava morrendo. 

-Ah tio Dino eu ouvi o pai dizer uma vez que eu tava muito dodói.

-O importante que você está bem agora né?!

-É sim.

-Titio fome! - A Dahyun disse cortando a conversa deles.

-Tá meu bem?! Já estamos chegando e vamos comer.


Eles chegando no parque e já correram para a área de alimentação. Nem preciso dizer que a Dahyun era o clone do pai quando o quesito era comer. Mas ela comia muito e assim como o Woozi ela amava arroz, nem tinha como dizer que eles não eram pai e filha.


Todos comeram muito e acabaram sentados largados depois de comer para descansar a comelança. O Dino parecia ligeiramente incomodado com um cara que não parava de olhar para a mesa deles, como ele não o conhecia achou que seria um cara louco qualquer mas não deixou de comentar com os demais.


-Ei, vocês já perceberam que aquele cara ali atrás de mim não para de olhar aqui para a mesa?

-Tu tá afim do cara?

-Não babaca. Ele está muito interessado na nossa mesa e está me incomodando.

-Titio... Palavão... Feio.- A Dahyun o repreendeu.

-Desculpa minha princesa. - todos tiram da bronca da menor.



Os meninos não deram muita atenção ao que o mais novo havia relatado. Ele por outro lado manteve a vigilância naquele rapaz estranho que encarava a mesa. Depois de um tempo para deixar a comida descer para a barriga, ele decidiram começar a se divertir.


A primeira parada foi um barraquinha com caça peixinhos, eles tinham que pegar peixes de mentira com uma vara de pesca. Vamos  dizer que aquilo foi um desastre, como era possível homens adultos serem tão ruins em algo tão simples.


Passaram por um carrosel em formato de xícaras que era a coisa mais sem graça do mundo para pessoas adultas, mas eles estavam ali para alegrar as crianças não a eles mesmos. Carrinhos de bate bate, minhoquinhas e barraquinhas com jogos de pontaria e força foram as atrações do dia. 


Quase no fim da tarde o Mingyu convenceu os meninos a levarem ele em uma casa assombrada. O Mingyu não tinha tamanho nem idade mas queria ir do mesmo jeito. Isso foi difícil demais para escolher, mas sabiam o quanto o Mingyu era insistente e que logo logo ele ganharia essa briga. No fim deixar ele ir seria a melhor escolha no momento. 


Estavam a ponto de entrar na casa assombrada quando o Dino viu de relance aquele mesmo rapaz que estava encarando eles no restaurante e também o mesmo cara que esbarrou no Boo quando estavam em uma barraquinha de jogos no parque. Aquele cara estava  deixando o Dino muito nervoso. O que ele queria com a eles?

Ele pensou em ir atrás não cara e questionar ele mais logo foi puxado por um Mingyu ansioso para entrar na casa.


O Vernon e o Dino entraram com o Mingyu na casa assombrada, deixando o Seungkwan e a Dahyun esperando no lado de fora. A Dahyun por ser muito pequena e o Boo por ser muito frouxo para entrar em um lugar daquele.


Dino segurava a mãozinha do Mingyu todo o tempo, as vezes até mais forte do que devia. Sempre que isso acontecia o pequeno reclamava com o tio que afrouxava o aperto, mas não soltava a sua mão. Na metade do circuito por um momento de deslize ele sentiu o Mingyu ser puxado de sua mão. 


Ele gritou pelo nome do pequeno que resmungou por um momento mas não houve mais barulho. Ele correu por todos os lados daquele pequeno labirinto macabro, o medo mudou de foco. Não eram mais os monstros de mentira e sim a realidade do sumiço do pequeno Mingyu.


O Dino e o Vernon saíram da casa assombrada correndo e gritando pelo Mingyu por todo o caminho. Dino correu até a cabine de controle do brinquedo enquanto o Vernon correu ao encontro do Seungkwan para que ele pudesse ajudar a procurar. Quando o Vernon se aproximou do local onde eles estavam anteriormente se assustou a não encontrar ninguém lá. Seus olhos começaram a percorrer o perímetro atrás de algum sinal do Boo.


Sem demora ele viu apenas pés em um cantinho, como se houvesse alguém caído no pequeno beco. Ele esqueceu do seu namorado por um instante e caminhou até o indivíduo caído naquele local. Se aproximou do "corpo" e suas pernas cederam quando ele reconheceu o Seungkwan caído no chão com o rosto sangrando. Tentou por algumas vezes acordar o rapaz que demorou alguns segundos para se recompor. Vernon olhou em volta e não viu a pequena Dahyun.


-Amor o que aconteceu? Cadê a Dahyun? Quem fez isso com você?

-Eu não sei. Ele me atacou, pegou a Dahyun e foi embora.

-Como assim pegou ela?

-Ele disse que queria somente a menina, e quando eu me recusei a entregar ele me acertou.

-Meu Deus o que está acontecendo?!!

-O que aconteceu com você? Cadê os meninos?

-Alguém também levou o Mingyu.

-Como é?

-Ele sumiu de repente.

-Vamos na polícia agora.


Enquanto os dois se levantaram, o Dino corria com os funcionários da casa assombrada pelo local que agora estava com a luz ligada não transmitindo mais nenhum medo. A procura levou alguns minutos e nada de localizar o pequeno Mingyu no local.


Os três se encontraram e correram para a delegacia para abrir a queixa de sequestro de menores. Eles evitaram chamar o casal com medo do que podia acontecer, eles não estavam preparados para isso.


Enquanto isso o casal estava sendo acordado pelo telefone do Woozi que tocava incessantemente. No visor apareceu um número desconhecido que o Woozi estava receoso em atender, mais o fez. 


-Alô amor?

-Quem tá falando?

-Já esqueceu a voz do seu tigrão?

-Hoshi? Como?

-Você não vê Tv?

-Como você pode estar me ligando? Você está preso?

-Então não estou mais. Era muito chato.

- Você foi foi condenado a anos e com certeza ninguém mudaria a sua sentença.

-Mas eu mudei a minha sentença e sai de lá.

-Você fugiu?

-Pode se dizer que sim. E advinha só, eu peguei nossos filhos para brincar?

-Como assim nossos filhos? - Nesse momento ele gritava desesperado no telefone. A Bia entendeu o que estava acontecendo e ligou na mesma hora para os meninos e para sua tristeza era verdade o fato de ter perdido as crianças.


O Woozi pedia desesperadamente que ele liberasse os seus filhos, tentava amolecer o coração do Hoshi mas não estava dando certo. Ele tentou a última vez.


-Hoshi por favor devolva os meus filhos. Eu farei o que você quiser.

-Qualquer coisa?

-Sim. Eles são apenas crianças.


A vozinha do Mingyu pedindo ajuda para o pai foi de partir o coração. Ele estava em Pânico e aceitaria a fazer qualquer coisa no mundo para reaver os seus filhos.


-Me encontre na nossa antiga casa SOZINHO! - Ele foi bem enfático. - Se aparecer aqui com alguém ou até com a polícia eu mato eles.

-Não por favor, eu vou sozinho. 


E foi exatamente isso que ele fez terminou de se arrumar, contou onde seria o encontro e saiu de casa com toda a coragem que tinha para buscar seus filhos.

A Bia estava totalmente em choque com a situação. O lado forte dela queria chamar a polícia, ir atrás do marido mas infelizmente o lado fraco dela a estava dominando.


O telefone da casa tocou e a Bia correu para atender.


-Alô!

-Oi Bia é o Lee Chan.

-Oi Chan. - Ela parecia triste.

-Cadê o Woozi?

-Ele foi atrás do canalha que sequestrou nossos filhos. O que aconteceu?

-A culpa é minha. Eu percebi que tinha um cara nós olhando muito e não fiz nada. Me desculpa, tenha algo que podemos fazer?!

-Eu não sei.

-Vamos fazer qualquer coisa para reaver as crianças.

-Eu estou em pânico.

-Bia se acalme, estamos indo para aí.




Notas Finais


Logo logo eu postarei o capítulo final da fanfic.
Espero que aproveitem o capítulo durante essa quarentena terrível.

Enquanto o último capítulo não sai vocês podem aproveitar minhas outras histórias:


Kyungsoo Exo:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-dia-inesquecivel-kyungsoo-15639212

Woozi Seventeen:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-querido-inquilino--woozi-18390714

Baekho Nu'est:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/adormecer-com-voce-baekho-17157394

Namjoon BTS
https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-amor-de-professor-kim-namjoon-17438483

Vernon Seventeen e Jeongyeon Twice:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/trapped-in-my-mind-vernon-e-jeongyeon-17723582

Liskook Lisa Blackpink e Jungkook BTS
https://www.spiritfanfiction.com/historia/adote-um-namoradocom-liskook-18080637


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...