História Love of Blood - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Drama, Harem, Romance, Vampiros
Visualizações 46
Palavras 1.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Reencounter


Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.

Meus olhos encaravam as paisagem que passava rapidamente por minha vista, o gosto de menta se formava cada fez mais sobre meu paladar enquanto mudava o lado do pirulito, meus braços estavam cruzados sobre meu peito enquanto a carranca desagradável era visível em meu rosto ao ponto de nem o próprio motorista tivesse a coragem de me encarar. Afinal não era para menos, eu poderia pular no pescoço de qualquer nesse momento.

Meus olhos desviaram a atenção da janela no momento que algo gelado encostou minha bochecha. Vanilla me encarava com seus grandes olhos verdes enquanto ronronos encapavam de suas gargantas. As patas brancas se encontrava apoiadas em meus ombros enquanto seu focinho gélido perto de minha bochecha, desviei novamente o olhar ignorando completamente a presença da felina. Porem minha mão acabou indo automaticamente em direção de sua orelha acariciando a mesma e logo em seguida indo em direção de seu pescoço, olhando de relance percebi que a mesma inclinava levemente sua cabeça para o lado aproveitando o carinho e os ronronos aumentava ainda mais.

Porem a expressão desagradável ainda se encontrava em meus rosto. Afinal não é todos os dias que voltamos no local onde supostamente deveríamos estar morta.

O gosto amargo se formou em minha boca e com tão gosto meus olhos se fecharam fortemente. Eu desejava profundamente arrancar o coração daqueles que eu considerava meus irmãos, daqueles que tornaram meus dias mais animados, daqueles que me mataram sem ao mesmo sentir piedade. Porem não iria acontecer, afinal eu estava indo para protege-los...irônico não é? Proteger aqueles que te "mataram".

Mas isso não seria a pior parte, além de tudo acabei sendo enviada como "noiva de sangue", algo que eu nunca ouvi falar antes à não ser depois de ser citada por Karlheinz durante umas das poucas cartas que ele me mandava. Porem ele não havia me contato o significado, disse que eu descobriria com o tempo...as vezes penso seriamente que ao passar dos séculos algo acabou danificando o seu cérebro. Mas isso é apenas um pequeno e insignificante palpite meu.

Acho que a pior parte de tudo isso, foi ter que ir embora da Inglaterra, afinal tinha me acostumado com o clima nublado e os sangues diferenciados que poderiam ser encontrado. Não nego que com o tempo o sangue britânico se tornou meu favorito durante o passar do tempo.  

***

Sai de meus pensamentos no momento que a limousine parou perto da grande entrada do portão, o motorista me encarava com certo receio. Afinal eu era uma Sakamaki, esse sobrenome me causava fortes náuseas, porem me mantive inexpressiva, pegando a única mala negra ao meu lado, abri a porta do veículo vendo Vanilla pular do mesmo e me esperando, um pequeno sorriso debochado nasceu em lábios ao lembrar de como Reiji odiava gatos. Com um aceno de cabeça agradeci o velho motorista que pareceu surpreso e acenou de volta antes de sair dirigido rapidamente até sumir de minha vista completamente.

Dei de ombros e caminhei em direção do portão novamente senti o gosto de sangue formar em meu paladar, a mesma sensação que tive naquele dia, o vento frio passava sobre meu rosto e logo em seguida levava meus cabelos para trás, Vanilla acabou se aproximando rapidamente, o ar do ambiente sombrio e tenso pareceu mexer com a pequena norueguês da floresta que agora tinha seus pelos brancos e cinzas arrepiando. Com um suspiro, parei de andar e abaixei levemente meu tronco pegando a peluda felina que se acomodou rapidamente sobre meu pescoço, um abito que havia ganhado deis de filhote, passei a mão sobre seus pelos macios antes de voltar a arrastar a mala preta.

Enquanto caminhava meus olhos foram em direção do grande jardim de rosas brancas, as lindas rosas ainda se encontravam impecável assim como na minha infância, meu peito apertou levemente ao me lembrar de Cristina mas esse pensamento acabou indo embora rapidamente no momento que eu desviei meu olhar em direção da grande porta de madeira que se encontrava a minha frente. Minhas mãos foram em direção da maçaneta a abrindo no mesmo estante, afinal aquela casa ainda me pertencia e não faria sentindo eu pedir permissão para entrar.

Vanilla pulou de meu colo no momento que coloquei meus pés dentro do halll, seus olhos curiosos encararam ao redor antes de sair correndo pelos corredores. Ato que acabou fazendo meus se olhos arregalasse levemente e abandonar completamente minha mala antes de correr em direção da mesma que em poucos segundos se encontrava novamente em meus braços. Meu olhar frio fez que a mesma abaixasse sua cabeça porem logo em seguida acabei afagando seus pelos.

A presença deles se encontravam próxima, porem tinha mais 5 que eu não conhecia. Obviamente uma era da sortuda que foi mandada para esse inferno, porem que era as outras presenças? 

Abandonando a minha mala, caminhei em direção onde encontravam as desagradáveis presenças, coloquei Vanille sobre uma pequena cadeira decorativa onde a mesma rapidamente me encarou curiosa, apenas passei a mão sobre sua cabeça e caminhei em direção da sala conhecida por mim. Não queria proclamar guerra agora, e levar a felina seria o mesmo que assinar para que  isso acontecesse.

As vozes se tornavam cada vez mais alta, eles pareciam estar discutido sobre algum assunto que não me interessa realmente, quatro vozes masculinas acabaram sendo presente do ambiente e uma de minhas sobrancelhas se arquearem. Que diabos está acontecendo aqui?

Revirei meus olhos ignorando os sentimentos de receio que sentia naquele momento e abri rapidamente a porta grande de madeira, no mesmo momento as vozes cessaram e as atenção deles foram em minha direção. Vi os olhos arregalados e aterrorizado dos Sakamaki's, e isso apenas aumentou meu sorriso debochado, desviei meus olhares deles indo em direção das presenças desconhecidas por mim. Quatro garotos também me encaravam com suspeita e duvida e por último meus olhos foram em direção da pequena garota encolhida de cabelos loiros, porem seus olhos não me encaravam, e sim encaravam os pequenos cifres vermelhos sobre minha cabeça.

Caminhei em direção da sétima poltrona que se encontrava levemente empoeira, meus irmãos me encaravam paralisados enquanto eu me acabava de sentar sobre a poltrona negra, minhas pernas cruzadas e minha cabeça apoiada sobre a costa de minha mão. O sorriso debochado desenhava em meus lábios e a expressão inexpressiva continuava em meu rosto, porem sabia que meus olhos me entregavam naquele momento.

Entregava a grande vontade que eu tinha de rasgar o pescoço de cada um deles.

- A quanto tempo, onii-chan's -eu não escondia o tom debochado e amargurado, pois eu sabia que apenas assim eu conseguiram pelo menos lascar um pedaço daqueles corações- Sentiram minha falta? -as palavras saíram com falsa curiosidade e o sorriso debochado crescia em meus lábios.

***

A sala se encontravam em completo silencio, porem eu percebia os olhares arregalados e surpresos daqueles garotos e da noiva de sacrifício, eu ainda continuava a sorrir debochadamente enquanto os via os Sakamaki's paralisados. Soltei uma pequena risada debochada e abaixei minha cabeça por alguns segundos e logo em seguida levei meu olhar em direção dos meninos desconhecidos por mim.

- Oh, eu ainda não me apresentei -falei chamando a atenção de todos- Me chamo Lilith Sakamaki, filha de Karlheinz, e irmã mais novas dos Sakamaki's -vi seus olhos se arregalaram ainda mais, principalmente da noiva de sacrifício- Eu realmente não me importo  quem vocês realmente são, mais estou aqui para protege-los. Então espero que nos demos bem e eu não terei que arrancar suas cabeças -falei sinceramente antes de abrir mais um sorriso debochado.

Isso tudo é um jogo onde no final eu ganharei.


Notas Finais


Bye bye ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...