1. Spirit Fanfics >
  2. Love of my life (Tawum) >
  3. Acorde, adormecido

História Love of my life (Tawum) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Quem chora leva soco

Vocês ficam me culpando pelos cap triste

NÃO CHOREM AF

Capítulo 18 - Acorde, adormecido


Um mês se passou.

Tawan já estava ficando preocupado com a saúde de seu parceiro, André vivia pouco em casa depois que tudo aconteceu, não comia direito, seu sono estava desregulado, mas Anci entendia que aquilo estava acontecendo por amor, o cantor sabia que Felipe amava muito seus amigos e daria todo o apoio.

Felipe sentou no sofá, Tawan parecia muito distante dele e então foi até o mesmo, abraçando o rapaz e lhe dando um selar calmo nos lábios. Por falta de tempo deixou o seu namorado de lado das situações, não queria machucá-lo ou envolver nisso, seria desgastante para ele. Anci sorriu singelo, prometeu a si mesmo que depois que tudo isso ficasse bem contaria que terminou de gravar o algum e partia para o clipe, estava bem animado com tudo isso.

— Desculpe por estar muito distante. — Felipe disse. — Eu ainda tô tentando resolver as coisas com Ycaro, deixar tudo bem, ainda é difícil.

— Só não se esforce tanto. — Deu um beijinho rápido na testa alheia e sentou no sofá. — Saiko vai ficar bem, confia no pai.

— Eu espero meu amor. — André respirou fundo, não queria que mais desgraças acontecessem, tudo estava sendo resolvido e esprava que a paz pelo menos se tornasse bem vinda entre eles.

O louro, Ycaro, passava seus dias indo visitar o ex namorado no hospital, desejava que ele melhorasse e que finalmente acordasse do estado de coma, queria falar logo para ele o que sentia, que ainda se esforçava pata combater a depressão, que desejava que Saiko tivesse na sua vida mais uma vez. O cabelo dele havia crescido mais um pouco, Carlos sorriu porque lembra da impaciência do rapaz por esperar seus fios atingirem um tamanho legal, até porque queria tingir os cabelos de uma cor diferente pois estava cansado do preto natural, Ximenes sentia uma invejinha por Ycaro ter os cabelos naturais louros, poderia pintar a hora que fosse que ficaria belo.

Ajeitava seus fios escuros, virou rotina ele acariciar Saiko na cama durante esse um mês, sentia falta de ouvir a voz dele, a risada, olhar seu sorriso, desejava muito que ele saísse desse enfermo que o causava só mais problemas. Suspirou, deixou um beijinho delicado na pele clara do rapaz, abriu a porta e saiu.

— Y-ycaro..

A voz baixinha do doente soou, depois que o visitante saiu uma das suas enfermeiras entrou no quarto para poder lhe dar medicações, seus olhos se arregalaram e ela logo sorriu.

— Boa tarde, adormecido. — A bela moça saiu e chamou o médico, que analisou o estado do moço, disse que era estranho ele ter saído de uma condição dessas assim do nada, explicou para a enfermeira novata que a situação era muito crítica, provavelmente iria fazer exames.

--

Era já na manhã do outro dia, André e Ycaro correram para o hospital depois da notícia.

Quando abriram a porta o viram ainda deitado, Saiko estava fraco e não tinha paz com os médicos vindo ao local onde estava para entender o que raios tinha acontecido. Os olhos do rapaz se dirigiram rápido para Carlos, que ficou paralisado olhando aquela cena tão difícil de digerir, Felipe olhou para os dois e pegou na mão de Ycaro o aproximando da cama, Ximenes sorriu ao ver o loiro, suas mãos encostaram na do moço que sentiu uma lágrima cair de seu olho.

— O-oi.. — Disse, Saiko logo se ajeitou na cama se sentando com um pouco de dificuldade.

Ficaram ali até a hora dos visitantes acabar, André ainda em choque estava com a cabeça meio confusa, Ycaro por outro lado sentia um quentinho no coração que tanto desejava a meses. Cada um foi para sua respetiva casa, trocaram um abraço caloroso e prometeram que as coisas iriam mudar, esperançoso, Felipe vagou sobre as ruas se lembrando das coisas que fizeram a muito tempo atrás, umas loucuras aqui e ali, ainda mais por Ximenes ser o cara que topava qualquer coisa.

Agradeceu muito a qualquer divindade por ter eles em sua vida, sempre foram seu apoio - mesmo descobrindo que Saiko era ex de Matheus - sempre seu porto. Se não tivesse os conhecido teria sim se afundado de novo em narcóticos e praticado tráfico, era uma maneira fácil de sustentar seu vício e ganhar grana quando não se tem nada, além de desespero e medo no coração. Lembra do dia que Ycaro por algum motivo começou a fazer aulas de dança, Saiko só reclamava porque o loiro não parava de falar os nomes dos passos, era engraçado ver os dois brigando tanto, no final sempre se resolviam agradando um ao outro com alguma coisa que gostavam.

Chegou em casa, cansado apenas abriu a porta e se deparou com seu jazz favorito tocando na caixa de som, riu, depois que Tawan começou a frequentar sua casa tais sons divinos dos anos 60 não paravam de tocar na sala, cozinha e quartos. Acompanhou a letra da música na mente e foi até seus aposentos, olhando velas pelo chão, o aroma calmo de flores e pétalas espalhadas pelo seu tapete claro em tom neve, sorriu e procurou Anci, não estava em nenhum lugar até que o mesmo o da um susto fazendo André falar alto.

— Oi meu amor. — Anci o puxou para o quarto. — Você esteve muito fora e eu resolvi te dar um presente.

— Um presente? — Seus pés batiam no chão junto com a melodia da música. — Você sempre faz isso e eu nunca te dou nada.

— Você me dá amor, isso já está bom. — Voltou com uma caixa em tom carmin, era brilhante, bem bonita. — Espero que goste meu amor.

Meiaum abriu a caixa se deparando com uma camiseta rosada, era bonita, logo um cd, sua capa era preta com desenhos brancos de fundo e no meio escrito "61", o maldito álbum dedicado para seu namorado. O menor sorriu e abriu a camiseta que estava dobrada, olhou para Tawan que estava na porta olhando a reação do rapaz.

— Obrigado. — Tirou o cd da caixinha e colocou na cama indo em direção ao rapaz dos cabelos cacheados. — Eu te amo muito.

— Também te amo..

Deram um beijo caloroso um no outro, seu relacionamento era cheio de surpresas e muito amor, os dois gostavam disso porque passaram tanto tempo "se guardando" e agora era hora de brilhar.

Tawan guardava em si todo um agradecimento, se não fosse pelo rapaz ansioso que queria ver seu amigo na música nunca teria conseguido o que conseguiu, era lindo de ver Anci querendo fazer as coisas perfeitamente porque seu maior propósito era o companheiro. Daqui dias lançaria seu clipe, ah, o cantor estava tão bobo que nem nas atrás das câmeras parava de sorrir que nem um maluco apaixonado, só de pensar que André ficaria sorrindo bobo quando assistisse, um calor no peito o desmanchava completamente em amor.

— Promete que vai escutar?

— Preciso prometer Tawan? Óbvio né.

— Fofo.


Notas Finais


Chorones


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...