História Love Of My Live - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Marian, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Personagens Originais, Princesa Aurora, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Vovó (Granny), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Visualizações 38
Palavras 1.320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie amores! Tudo bom com vocês?

Capítulo 6 - VI


- Você estava me deixando louco sabia?!

- Bom saber que eu não era a única enlouquecendo...

Beijo ele novamente e vou deitando com ele por cima de mim, paramos o beijo e Robin deita do meu lado e me abraça.

Espero minha respiração voltar ao normal e digo:

- O que nós fizemos?

Me sento na cama e olho séria pra Robin.

-Robin, eu não... Você... A gente não podia... - disse e meus olhos se encheram d'água. - Por que fizemos isso?

-Eii Regina, calma. Está chorando? Foi tão ruim assim?

- Claro que não! Isso foi... Você foi... Ótimo a anos não tinha isso, mas nós não podíamos...

- Mas você disse que...

- Eu sei o que eu disse, Robin! - o interrompi. - Por favor, finge que não aconteceu! Não é por você. Você foi tão... Diferente! Mas, por mim, eu não podia! Por favor! Não conta pra ninguém! - eu falava rápido pra ele não achar que o problema estava nele.

- Eii Regina...

- Gina, pode me chamar de Gina.

- Por quê?

- É meu apelido Robin, pode me chamar assim se quiser.

-Okay, Gina... Mas por que está assim? Está com dor ou alguma coisa?

-Robin, eu... É o meu passado complicado. Eu só lembrei de algo que não queria...

- Se você está dizendo. - ele me abraça a faz carinho nas minhas costas nuas. - Sobre não contar à ninguém...

-Por favor! - o interrompo de novo.

- Com uma condição.

- Você só veio aqui pra me usar, né? Você sabia que eu estava mal agora sua condição vai ser: "Me dá todo dia que eu não conto!" - levanto e vou para o banheiro soluçando.

ROBIN

- Regina você tá doida!? - corro atrás dela e por sorte consigo segurar seu braço. - O que você está falando? Lembrou de alguma coisa? - a puxo para um abraço de amigos... pelados, mas amigos. - Eu ia pedir só uma tarde juntos, uma tarde na qual eu pudesse te beijar sem medo. Só isso. Mas eu nunca contaria. Nem se sua resposta for: "Não!"

- Por que se importa?

- Porque desde que te vi quis ser teu amigo, escutava boatos sobre uma má pessoa. - peguei-a no colo e levei para o quarto e joguei minha camisa social pra que ela vestisse. - Sou se amigo, não sou? É isso que amigos fazem. Se importam.

Peguei minha roupa e fui colocar no banheiro enquanto Regina descia para nos almoçarmos.

Quando desci, Regina estava de costas encostada no balcão da cozinha, sem sutiã e com uma calcinha tão pequena e com minha blusa social branca que ia até metade de suas coxas.

- Está bonita majestade!

-A reputação de Rainha Má vem de longe, né?

- Sim... Uma pena! Você é tão gente boa, linda, cuidadosa e protetora! Você é incrível.

- Por que pensa assim? Eu sou tão grossa, fria, só penso em mim...

- Regina isso pode ser quem você era, ou simplesmente a pessoa que pensam que você é ou até mesmo que você pensa ser... Você pode ser grossa e fria as vezes, mas todos somos alguma hora... Isso não te torna uma pessoa má.

- Robin... - ela começou a chorar novamente e me abraçou apertado, num gesto desesperado.

- Gina, não teve um dia sequer que você foi... "Má" comigo. O dia em que vim pedir emprego você conversou comigo como se aquilo fosse normal, esqueci meu casaco quando voltei você se preocupou. No meu primeiro dia levou café pra mim. Hoje, com esses poucos e carinhosos gestos, eu não consegui  fingir que você estava bem, você conseguiu fazer eu ficar preocupado contigo. O que aconteceu no quarto aconteceu. Não vai mais se repetir, vamos esquecer, okay?

Ela fez que sim com a cabeça.

- Eu estarei aqui quando precisar, tá bom?

-É porque você é diferente... - ela disse baixinho.

- Que?

- Tu és diferente! Mesmo com tudo o que escutou, não hesitou em vir aqui, esqueceu seu casaco e voltou, tem gente que ficaria sem o casaco até eu devolver. Me trata bem, tu és diferente comigo Robin.

Estava sem palavras no momento.

- Gina... Eu... Eu fiz tudo isso, porque eu não posso me guiar pelo o que me dizem, eu tenho que fazer o que manda o coração. Eu tenho honra Gina, não poderia desistir de tentar.

Ela desabou no choro, chorou sem falar nada por uns quarenta minutos e pegou no sono, ali mesmo no sofá.

Fiquei observando cada detalhe, cada curva, cada desenho do corpo daquele anjo adormecido com a cabeça em meu colo.

Acabei adormecendo ali mesmo sentado no sofá.

REGINA

Acordei eram exatamente três da tarde.

Robin estava sentado dormindo, provavelmente morrendo de dor...

-Eii... Robin?!

- Hm... - falou ainda com os olhos fechados.

-Se quiser continuar dormindo, vá para o meu quarto.

-São que horas?

-Três.

-Estamos dormindo a horas! - Ele disse espantado! - Eu quero dormir a noite, preciso ficar acordado.

- Tá com fome?

-Sim! O temos para comer?

- Tem... Torta. Só. Preciso fazer a janta...

- Vamos comer, depois te ajudo a cozinhar!

Comi o resto da Torta de Maçã que tinha com o Robin e depois ele foi tomar banho e eu fazer comida...

Enquanto cozinhava, eu coloquei as músicas do meu Pen-drive para tocar e começou a tocar Closer _ The Chainsmokers, comecei a cantar alto!

ROBIN

Desci as escadas e Regina estava cantando Closer, lindamente, então comecei a cantar o refrão com ela:

So, baby, pull me closer in the backseat of your Rover

(Então amor, me puxe para mais perto no banco de trás do seu Rover)

That I know you can't afford

(Que eu sei que você não pode pagar)

Bite that tattoo on your shoulder

(Mordo essa tatuagem em seu ombro)

Pull the sheets right off the corner

(Agarre os lençóis bem no canto)

Of that mattress that you stole

(Do colchão que você roubou)

From your roommate back in Boulder

(Da sua colega de quarto lá em Boulder)

We ain't ever getting older

(Nós nunca vamos envelhecer)

-Não sabia que gostava de cantar, Majestade!

-Sou uma pessoa peculiar, Ladrão. Acostume-se se quiser ser meu amigo...

- Hum... Bom saber...

REGINA

- Bom antes de você chegar... - parei de falar e comecei a cantar o refrão da música Smile_ Avril Lavigne:

And that's why I smile

(E é por isso que eu sorrio)

It's been a while

(Já faz um tempo)

Since everyday and everything has felt this right

(Que todos os dias e tudo

Parecem tão certo)

And now you turn it all around

(E agora você dá a volta por cima)

And suddenly you're all I need

(E, de repente você é tudo que eu preciso)

The reason why I smile

(A razão pela qual eu sorrio)


- Sorry Robin, mas essa música é... digamos nostálgica!

- Kkkk, okay! Mas você dizia...

- Ah sim! Eu tava aqui pensando na nossa conversa mais cedo, obrigada...

- De nada, Gina!

- Ah! Quem diria que ladrões tem honra...

- Quem diria que a Rainha Má tem uma queda por crianças!

Mostrei a língua pro Robin e depositei um "leve" tapa no braço dele!

-Ai!

-Nem foi tão forte!

-Não foi forte?! Estou com cinco dados tatuados! 

-Exagero!

-Olha o estrago que você fez! Kkkk

- Cadê? -olhei e bom...- Deus! Robin bota um gelo! Kkkkkkkk

- Viu?

- Doeu muito?

- Não. Na verdade nem doeu!

- Palhaço! - dei mais um tapa!

- Cruzes Regina! Kkk Para de me bater!

Terminei de cozinhar e fui me arrumar para pegar o Henry, quando Robin disse:

-Posso esperar vocês aqui? 

- Pode...

- Faz uma coisa com teu filho hoje!

- Oi?

- Ah Regina! Leva ele no parque, compra sorvete, sei lá! Inventa uma coisa diferente...

- Eu não sei... Vou ver o que eu posso fazer!

Fui andando em direção ao meu carro, até que Robin me chama, novamente:

- Regina!

- Diga Robin!

Ele me deu um beijo calmo e apaixonado. Eu retribui. É impressionante como só um beijo dele me deixa. Eu já estava sentindo falta da sua boca na minha, mas nós nem deveríamos ter feito nada.

Assim que o beijo termina ele diz:

- Te espero aqui, tudo bem?

Fiz que sim com a cabeça e saí pelas ruas daquela cidade, que pela primeira vez depois de anos, parecia finalmente ter uma cor alegre em cada esquina.


Notas Finais


O que acharam do capítulo? Será que Robin trouxe de volta, tudo o que Regina precisava? Comentei aí o que acharam ou então algo que vocês querem que aconteça! Beijos pessoal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...