1. Spirit Fanfics >
  2. Love on top - Fadie >
  3. Festa do Noah

História Love on top - Fadie - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii gente tudo bem?? Bem espero que sim, vamos lá para mais um capítulo?? Espero que gostem...

Capítulo 12 - Festa do Noah


Por Finn.

Algumas semanas depois...

Bem desde aquele dia se passaram três semanas, que pra mim foram bem longas, Sadie me contou tudo o que havia acontecido segundo a visão dela e pra mim... Isso ainda continuou confuso, porém no dia em que ela me contou o que havia acontecido eu tive ainda mais certeza que tinha um buraco nessa história... Tinha algo que estavam escondendo de Sadie... Talvez até da mãe dela.

Outra coisa interessante que aconteceu foi que eu pedi a Sadie em namoro, agora estamos em um relacionamento sério e pra ser bem sincero eu estou amando isso... Porque eu ajudo ela com a lição de casa, ajudo ela com as coisas mais bestas, ainda tem coisas que eu não faço, mas eu já faço bastante coisa... E ela também me ajuda muito, ela sempre me ajuda a fazer as coisas e ajuda a minha mãe também.

Agora eu estou no quarto com a Sadie assistindo "As apimentadas" pela quarta vez essa semana, hoje era Sábado... Teria uma festa e Sads e Gaten insistiram muito até que eu acabei aceitando ir... Por falar nela, essa festa é daqui a duas horas, mas eu estou torcendo para que Sadie se esqueça dessa festa e nós fiquemos aqui em casa, comendo besteiras até tarde.

- Amor a festa é daqui a duas horas, eu vou pra casa me arrumar, te encontro na frente de casa daqui a uma hora e meia - Sadie fala se levantando.

- A gente tem que ir mesmo ? - eu pergunto vendo ela pegar a bolsa que estava no chão.

- Sim, vai ser legal amor... E a gente não precisa ficar muito tempo, basta a gente ficar lá um pouco, curtir, dançar e depois voltamos para casa - ela fala.

- Tá bom - eu digo.

Ela deixa um selinho em .rua lábios e depois sai, me deixando sozinho naquele quarto, eu coloquei o meu celular pra carregar porque eu odeio sair para os lugares sem bateria. Depois desci e fui ver a minha mãe que estava acariciando a barriga e conversando com o bebê.

- É pequeno... Seu irmão ele é incrível, eu tenho muito orgulho do seu irmão, ele foi meu primeiro filho, e quando eu pensei que não podia mais engravidar você apareceu bebê - ela diz - Seu papai ele está muito nervoso, mas está lidando bem com isso.

- Eu te amo mamãe - eu falo.

Eu vou até ela e a abraço... Ela sinceramente era a melhor mãe só mundo, eu a amo muito... E nunca vou permitir que alguém faça algo com a minha mãe.

- E esse pequeno hm? Se mexendo demais ? Ele já chuta ? Já sabe se é menino ou menina ? - eu pergunto de uma vez ao me soltar do abraço.

- Calma são muitas perguntas... - minha mãe fala. - Bem... Sim. Não. Ainda não ele não vira pra cima.

- Que pena, queria saber se era um garotinho... Ou se era uma princesinha - eu falo.

- Você está tão interessado nisso ultimamente, posso saber por quê ? - minha mãe pergunta.

- Ahh mãe, eu sempre fui muito sozinho nessa casa, eu sempre quis alguém, com que eu pudesse brincar, pudesse proteger, alguém que eu pudesse irritar as vezes - eu falo listando. - E eu estou aprendendo sobre isso na escola...

- Humm, mas e você e a Sadie ? Como vão ? - ela pergunta.

- Bem, eu e ela estamos muito bem, vamos a quela festa que eu lhe disse na terça - eu falo.

- Entendi - ela diz - Não beba Finn, você é muito novo pra isso.

- Eu sei, eu só tenho dezessete - eu digo.- Esses dias eu vi a senhora e o pai bebendo vinho... Isso não faz mal para o bebê?

- Não... Na sua gravidez véu bebi bastante vinho pra poder controlar as emoções - ela disse.

- Pelo menos vinho eu posso beber ? - eu pergunto.

- Comigo e com o seu pai, sozinho não! -minha mãe fala.

- Beleza - eu falo.

- Eu estava pensando em ir ver algumas coisas para o bebê, o que acha de ir comigo? - minha mãe propõe.

- Eu gosto da ideia, só me falar quando - eu digo. - Eu acho que vou me arrumar, porque a Sadie está ansiosa para essa festa.

- Então vai lá e cuida dela na festa - minha mãe diz.

- Tá bom - eu falo e depois deixo um beijo na sua testa e na barriga dela.

Eu subo para o meu quarto e começo a .e arrumar para aquele tal festa, sinceramente eu não estava com a mínima vontade de ir, mas eu havia prometido... E eu nunca quebro uma promessa.

Por Sadie.

Eu e Finn estamos maravilhosamente bem nessas últimas semanas, eu estou amando estar com ele, ele é um príncipe que sempre está aqui pra me ajudar... Eu literalmente não conheço ninguém igual a ele.

Agora eu estou me arrumando para ir para a festa que o Gaten me chamou... Nem sei de quem é a festa, só sei que vou me divertir bastante nela. Dentro do meu closet eu pego um vestido azul brilhante de alsas,  que ficava colado ao meu corpo e era um tanto curto, um cardigã preto e uma bota cano longo que ia até o meio de minhas coxas. Me visto de forma rápida, mantenho os meus cabelos presos em um rabo de cavalo simples. Faço uma maquiagem, digamos, pesada... Com os olhos esfumados em um tom de  preto e um batom vermelho sangue que dava destaque a minha boca.

Depois que termino eu pego a minha bolsa e o celular e desço... Dessa vez eu fui até a casa do Finn, não o contrário.

Bato na porta por educação e então a senhora Mary vem abrir a mesma, eu me senti um tanto constrangida perante a situação, mas ao ver um sorriso brotar nos lábios da minha sogra eu logo tratei de sorrir também.

- Nossa Sadie você está linda! - ela diz.

- Obrigado senhora Mary - eu falo.

- Que isso, entre! O Finn está terminando de se arrumar - ela fala.

- Corrigindo eu já terminei - Finn fala descendo as escadas.

- Nossa, que lindo esse meu namorado - eu falo.

- Minha namorada então está incrivel, nunca te vi tão linda desse jeito - ele fala vindo até mim.

Finnie me deixa um beijo e então nós olhamos, de fato ele estava deslumbrante, eu amei ver ele vestido desse jeito e pra minha surpresa sem os óculos redondos que os deixavam fofos.

- Olha você não está usando óculos - eu digo.

- Não, gostou ? - ele pergunta.

- Sim - eu falo.

- Então vamos ? Temos que pegar o Gaten ainda - ele fala.

- Vamos - eu digo.

- Tchau mãe, antes das duas eu estou de volta tá ? - ele diz.

- Tá bom filho se cuida - a dona Mary diz. 

- Pode deixar - ele fala.

- Tchau dona Mary - eu falo.

- Tchau Sadie - ela fala.

Finn passa a sua mão pela minha cintura e me guia até o carro dele... Não tinha contado né ?! Ele ganhou um carro do pai... É muito bonito por sinal, como eu não entendo nada de carros eu não faço a mínima ideia de que carro é esse. A gente entra no carro e então ele dirige até a casa do Gaten, que não era muito longe dali e era uma casa linda por sinal.

- Liga pra ele por favor Sads - Finn pede parando na frente da casa do Gaten.

Assim eu faço, pego o meu celular e ligo para o cacheado... Ele logo atende e fala que está a caminho, então eu desligo e fico ali com Finnie esperando o garoto.

- Ele já está vindo - eu falo para o Finn.

- Tá bom. - ele fala.

Por Millie.

Eu e Noah já estamos na festa, já que a festa é dele, a casa está bem cheia e pra ser sincera eu sinceramente não estou gostando nada disso... A festa está sendo na casa dos pais do Noah que permitiram tal ato vindo do filho.

- Noah era necessário tudo isso de gente ? - eu pergunto.

- Calma, não vieram nem metade das pessoas ainda - ele fala.

- Amor, eu acho que vou pra casa... Não quero mais ficar aqui não - eu falo. 

- Fica Mills, vai ser legal... Eu prometo pra você que você vai se divertir pra caramba - ele diz.

- Não Noah, eu vou pra casa... Isso aqui ainda vai dar merda! E quando a bomba estourar eu quero estar bem longa daqui - eu falo.

- Então tá... Mas vai para o apartamento tá bom ?! Se acontecer alguma coisa por lá você me liga tá ? - ele pergunta.

- Tá bom - eu digo.

Eu saio de todo aquele alvoroço e vou para o apartamento meu e do Noah, eu não gosto daquela festa, talvez porque isso não combine nem um pouco comigo... Ou talvez porque eu tenha uma péssima impressão sobre essa ideia.

Por Finn.

Finalmente chegamos na tal festa, ao ver que era na casa do Schanapp, minha vontade foi recuar daquele lugar, mas antes que eu perceba fui arrastado lá pra dentro por Sadie e Gaten.

- Gente eu não vou ficar, me liguem e eu venho pegar vocês mais tarde - eu falo.

- Não.... Você me prometeu amor, você falou que ia ficar na festa - Sadie pediu.

- Amor é o Schanapp, eu não quero ficar aqui com ele... - eu digo.

- Finnie - ela pede.

- Dessa vez não Sadie - eu falo. - Me liga quando vocês quiserem ir Gaten.

- Tá bom - ele fala.

Logo eu me solto das mãos de Sadie e entro no carro novamente, eu entro no mesmo e depois começo a dirigir em direção ao um lugar que era só meu, nem mesmo Sadie sabia da existência dele... Eu gostava de ir lá para ver uma pessoa, falando assim até parece que é uma pessoa adulta... Mas eu gostava de ir lá ver esse serzinho, que me animava tanto.

Ele era um bebezinho que morava em um orfanato, que eu gostava bastante de ajudar, já que não tinha quase nenhum adulto para o tanto de crianças que havia lá, então sempre que eu tinha um tempo livre eu vinha ajudar a senhora que trabalhava no orfanato.

 Alguns minutos depois...

Eu finalmente cheguei ao local que era a poucas quadras da casa do Schanapp.... O orfanato da senhorita Morgan.... Ela sempre foi uma boa pessoa comigo, lembro de quando eu digo de casa, por conta da minha rebeldia e ela me encontrou... Eu estava com frio, fui muito burro em vez de colocar roupas quentes, coloquei roupas quaisquer dentro da bolsa, mas ela me acolheu me deu um lugar pra ficar naquela noite e depois ligou para os meus pais.

Agora ela já está de idade e cuida de muitas crianças, então eu sempre apareço para dar uma ajudinha pra ela.... Bato na porta do orfanato e então uma das crianças logo vem me atender.

- Tio Finn ! - a Elisa diz.

Elisa estava no auge dos seus seus anos, mas já era muito esperta... Eu amava demais aquela menininha ela era incrível.

- Oi gatinha, tudo bem? - eu pergunto me abaixando para ficar da altura da menina.

- Tudo sim tio, entra aí - ela fala e eu faço... Entro dentro do orfanato e logo vem as outras crianças todas me cumprimentar.

- Oi pessoal... Vocês estão bem ? - eu pergunto de forma geral.

- Sim ! - todos dizem em uníssono.

- Mais u menos - Charlotte fala.

Charlotte era uma das mais novas, tinha três anos... Era um amorzinho, eu conheço ela desde que era um bebê e agora está tão grandinha desse jeito. Eu vou até a menina que estava escondida atrás de Jonathan, que tinha o dobro da sua idade e a protegia em qualquer lugar que a garota estivesse.

- O que aconteceu pequena ?  - eu pergunto.

- Tem um menino que fica impicando comigo tio - ela fala toda enrolada.

- Sério pequena ? - eu indago.

- Sim - ela diz.

- Mas hoje não vamos ligar pra ele não, vamos brincar hoje - eu falo pegando a menina no colo.

- Tô sono tio - ela fala coçando os olhinhos.

- Quer dormir ? - eu questiono.

- Sim - ela diz.

- Quem mais quer dormir ? - eu indago.

- Eu! - mais umas cinco crianças dizem.

- Então vamos com o tio Finn pra caminha, vamos! - eu falo.

Uma das crianças pega em minha mão que estava desocupada e as outras simplesmente me seguem... Tinha naquele casarão quartos paras as meninas pequenas e depois para as maiores um outro quarto. Já para os meninos tinha dois outros quartos dos mesmo jeito.

- Os meninos para os quartos e as meninas venham com o tio Finn - eu falo. - Cadê a tia Margo? 

- A tia Mago ? - a pequena em meus braços pergunta.

- Sim gatinha - eu falo.

- Ela saiu faz uns dois dias - ela fala.

- Ela deixou vocês sozinhos ? - eu pergunto.

- Sim - ela diz. 

Eu coloco a menina na cama, e depois conto uma historinha de princesa para elas, com todas dormindo eu cubro cada uma e depois ligo o abajur e encosto a porta, a deixando entreaberta.... Depois vou para o quarto dos meninos, conto uma outra história de aventura para os restavam acordados e então fiz o mesmo que havia feito com as meninas.

- Prontinho, agora eu sou todo de vocês... Mas antes da gente brincar vamos arrumar a bagunça que está essa casa ? - eu pergunto aos mais velhos que restaram acordados.

- Tem que mesmo ? - Christine pergunta.

- Sim - eu falo.

Todos ali me ajudam a arrumar a casa e ao final de tudo, todos estavam com sono, então foram para os seus respectivos quartos e dormiram... Eu passei no quarto de cada um para confirmar que estavam bem e então depois de confirmado.... O chorinho do bebê começou... Eu fui até o quarto do único bebê que tinha aqui, ele tinha por vomta de três meses, era muito pequenininho.

- Ei carinha, calma aí... Não precisa chorar desse jeito - eu falo acalmando o bebê em meus braços.

O choro do bebê não cessava em momento algum, logo, ele iria acabar acordando as outras crianças... Tentei trocar a frauda dele, que por sinal estava bem suja, dei a mamadeira e logo ele parou de chorar... Eu agradeci de forma silenciosa aos céus por terem inventado uma coisa que cala a boca das crianças.

Depois de finalmente ter o feito arrotar eu o coloquei para dormir também... Eu estava com sono.... Estava quase dormindo ali mesmo, mas eu sabia que se dormisse ali eu não ia prestar atenção no celular quando ele tocassse, então fiquei assistindo algo que estava passando na televisão.

Continua....


Notas Finais


Oiii genteeeee tudo bem??? Bem espero que sim... Sei que estou meio sumida por aqui, mas minhas aulas voltaram semana passada, está meio complicado postar pra vocês, mas eu vou me esforçar.... Prometo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...