História Love or Fury - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 79
Palavras 1.840
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Mirror's


Fanfic / Fanfiction Love or Fury - Capítulo 1 - Mirror's

Não sei como, mas acabei de abrir os olhos essa manhã.

Ao que parece eu ainda estou vivo e no quarto do Matt e por incrível que pareça as janelas estão abertas e o quarto ( que antes de eu apagar na noite passada ) estava praticamente destruído, agora estava completamente arrumado e o espelho que ele quebrou já não estava mais lá.

Levanto da cama sentindo uma pontada na cabeça e um certo incomodo na barriga. Com certeza é por culpa do soco que levei dele ontem na saída da festa de aniversário do Ezra.


°Flashback 


- Matt, quem era aquela garota? – Pergunto quando chego próximo a ele e percebo os sorrisos que ele manda para a loira a nossa frente.

- Ah vai, para de ser chato e vai curti a festa gracinha... – Ele volta a beber a cerveja e continua com os olhos vidrados na garota.

- Você não deveria beber tanto já que nós vamos voltar de carro ainda hoje... – Tento chamar atenção dele com uma voz baixa e ele se irrita virando bruscamente e me fintando com fúria.

- Já entendi vadia, você está tentando me regular hoje não é? É atenção que você quer não é? – Ele me prensa no balcão atrás de mim.- Se está tão preocupado comigo bebendo eu tenho uma ótima ideia. – Põe uma mecha que estava sobre meus olhos para trás e finta meus olhos emanando raiva.- Você volta andando pra casa e para de me encher a porra do saco!

Tremi com medo do que ele poderia fazer comigo ali, na frente de todos, afinal ele não poderia se complicar por minha culpa. Jamais me perdoaria...

- Desculpa, eu não queri... – Ele me interrompe.

- Quer saber?! Vem aqui comigo... – Ele me puxa para fora da festa e vejo alguns olhares sobre nós. Mas a única coisa que me vem a mente é, como eu explicaria a marca vermelha no meu braço, já que ele apertava meu pulso.

Ele me joga bruscamente no carro e só ai percebo que estamos no estacionamento. Respiro fundo e percebo que ele estava furioso.

- Você é mesmo um idiota não é Nic? Eu estava prestes a comer algo diferente hoje e você inventa de dar um ataque de ciúmes... – Ele ri seco e me olha com desprezo. Nem percebo quando as lagrimas escorrem por minhas bochechas e seco algumas tentando me acalmar. – Para... PARA DE CHORAR SEU IDIOTA!! – Ele grita e me dar um soco no estomago. Me abaixo sentindo falta de ar e logo depois sou erguido pelo pescoço, forçado a olhar para ele. Engulo seco e junto todas as minhas forças para não desabar no choro.

- Desculpa...desculpa amor, eu não...não queria te irritar... – Digo entre soluços e vejo ele destravar o carro.

- Agora cala a porra da boca e entra. Cansei dessa droga de festa. – Ele entra no carro e seguimos para a casa dele.

Quando chegamos ele grita mais comigo e me joga contra o espelho. O Aaron estava bastante alterado, não me recordo de vê-lo ingerindo nada suspeito na festa, mas não duvido que tenha usado algo a mais do que o álcool.

Sorte que os meus tios não estavam em casa.


°


Termino meu banho e visto uma das camisas dele e uma cueca box. Me olho no espelho do banheiro e me observo dos pés a cabeça, checando se tinha algum hematoma a vista.

Desço as escadas e escuto a TV alta. Vejo o meu tio e o Matt assistindo a uma partida de Hoquei. Sorri com a imagem e eles me avistam.

- Oi princesa, a sua tia está na cozinha preparando suas panquecas prediletas... – Meu tio me manda um sorriso terno e eu retribuo.

- Bom dia boneca, dormiu bem?! Você parecia cansado ontem... – É a vez do meu namorado falar comigo e eu não consigo odiar aquele sorriso lindo.

- Si..sim baby. – Respondo e vejo ele levantar e me dar um selinho apertando em seguida a minha cintura com força, fazendo eu gemer de dor contra seus lábios.

- Shiiiu... – Ele diz baixo e eu o olho.

- Casalzinho, sinto muito interromper mas o café da manhã está na mesa! – Minha tia diz entusiasmada e eu sorri largamente, ignorando o fato das mãos grandes dele estarem me apertando e magoando os hematomas que me causou na noite passada.

Todos vamos a cozinha e comemos enquanto conversamos e meu tio conta piadas e faz graça enquanto a minha tia corresponde a elas. Eu os assisto e olho para o meu namorado, que tem os olhos meio fechadinhos e um enorme sorriso nos lábios. Vejo que, apesar dos apesares eu o amo, e não vai ser qualquer coisa que irá fazer eu abrir mão da minha felicidade com ele.


Mesmo que o preço dela seja algumas marcas no corpo.


°°°


  Terminamos o café da manhã e o Matt vai para a garagem com o meu tio.

  É sempre assim nos dias de domingo. Eu fico com a minha tia e ficamos falando sobre coisas aleatórias enquanto cozinhamos. Eu amo cozinhar com ela, me lembra do tempo em que éramos vizinhos e todos os domingos tinha almoço no jardim, um domingo de cada.


Minha mãe fazia questão que cozinha horrores de comida porque sempre achava que estava pouco e a minha tia fazia o mesmo.

  Eu e ele éramos pequenos, mas sempre brincávamos de 'pai e mãe' com meus ursos e bonecas. Por isso os nossos pais sempre apoiaram o nosso namoro, e quando descobrimos que nos gostávamos, no 9° Ano, não foi surpresa pra nenhuma das duas famílias, ou o bairro, ou a pequena cidade onde morávamos.


  Todos sempre diziam que éramos o casal perfeito.


  Não, na verdade todos sempre dizem que somos um casal perfeito e que nada nos separa.


  Eu também acho e não me vejo constituindo família com mais ninguém, não me imagino com outra pessoa a não ser o meu primeiro e único namorado.

  Dou um sorriso bobo enquanto olho para a janela imaginando essas coisas e não percebo que a minha tia me observa até a mesma rir nasalado da minha cara de apaixonada.


- Ah desculpe, o que disse titia? - Pergunto confuso.

- Eu falava sobre muitas coisas mas aposto que não ouviu absolutamente nada do que disse. Está com a cabeça onde? - Ela sorri me olhando.

- Meio longe tia, no futuro talvez... - Respondo vagamente enquanto vou olhar o molho da macarronada.

- Acho que nem tão longe, esse futuro se aplica a um certo rapaz que está na minha garagem neste exato momento? - Ela pergunta rindo e eu não deixo de acompanhar seu sorriso com um mais largo. Sinto minhas bochechas queimarem e um certo friozinho na barriga.

- É tão aparente assim? - Pergunto olhando para ela, que me faz um sinal de 'sim'. - Ah tia, eu estava imaginando como vai ser daqui pra frente sabe? Depois do colégio e tudo mais... - Divago um pouco olhando para a janela novamente.

- Vai ser como é agora. Os dois firmes e forte! - Ela se aproxima de mim sorrindo. - Forte é apelido na verdade... - Olho para ela sem entender o que ela quis dizer e a mesma me explica rapidamente. - Porque se depender de força quando se trata de vocês dois a casa de vocês não terá espelhos. - Ela ri alto e eu empalideço. - Ah sim querido, ele me contou o que houve quando chegaram da festa. Mas que casal cheio de fogo em?! Me recordo quando eu e o seu tio éramos assim, nos primeiros anos de casamento, tivemos que trocar quase toda a mobília pois nós...

Ela continua a falar e eu paro de ouvir por instantes quando meu olhar cruza com o corpo dele do lado de fora da casa.


Ah titia, com certeza ele não te contou o que houve naquele quarto depois da festa, não a verdade...


- Querido?! Princesa você está bem? Ficou pálido de repente... - Ela me olha em preocupação e eu sorriu para ela.

- Ahm sim... sim titia estou bem. Acho que minha pressão deve ter caído. - Sorri e puxo outra conversa com ela.


°°°

  Depois que almoçamos e assistimos um filme qualquer ( que eu particularmente não me interessei ) o Aaron me chama para ir para o quarto, diz que está com sono e que quase não dormiu a madrugada inteira. Eu subo com ele e o mesmo se joga na cama de bruços.


 

Me sento ao seu lado da cama e ele me olha. Me analisa por completo. Fico um pouco incomodado, meio sem jeito. Não gosto muito que me olhem demais.

 

Na verdade, eu tenho medo.


 Medo quando ele me olha demais.


- Aconteceu alguma coisa? - Pergunto para ele que permanece calado me olhando. - Matt, o que houve? Vejo ele se sentar de frente a mim e pegar na minha mão olhando para ela.

- É claro que aconteceu alguma coisa Boneca... - Ele me responde olhando para minha mão e brincando com os meus dedos. - Ontem...ontem eu sinto que me excedi com você. - Ele levanta os olhos e vejo que estão vermelhos, parece que ele...ele iria chorar?!

- Love, para por favor. Não precisa fala nada... - Sou interrompido com seus lábios tocando ternamente os meus. Fecho os olhos aproveitando o momento.

- Baby, eu sei que o que eu fiz foi um pouco ruim, mas você tem que entender que você me provocou...você viu a forma que falou comigo? Sabe que detesto ser chamado a atenção e você fez exatamente isso. - Diz calmo e olhando nos meus olhos enquanto seu polegar passeia no meu rosto fazendo um carinho quase divino.

- Eu sei, me desculpe é que...é que eu fiquei com medo e...e ciúmes?! Eu sinto muito love, eu sinto muito mesmo. Isso não vai mais se repetir... - Agora eu é que já estava chorando. Ele sorriu para mim e me abraçou.

  Ficamos ali na cama dele por um tempo até que eu me recuperei da minha 'crise de culpa' e percebi que ele ainda estava cansado da festa. Me ofereci para fazer a massagem que ele tanto ama. Me recordo de ter feito um mini curso de massagem online para agradar ele e relaxar depois dos jogos de hóquei que ele tinha. Ele sempre relaxava e dormia como um bebê e eu amava vê-lo descansado e dormindo serenamente, assim, como está agora.

  Eu sei que as vezes vejo coisa demais, afinal, quem não olharia para ele? Lindo, alto, másculo, com esses olhos e essa boca perfeita. Ele não é só de parar trânsito, mas sim de parar tudo ao redor. Ele não tem culpa daquela garota loira da festa ter flertado com ele, nem tem culpa de tantas outras, quem tem culpa são elas, e eles, que não respeitam ele nem a mim.


  E também tem mais, mesmo ele ficando com outras garotas ( no início do relacionamento depois de um quase termino ) ele sempre me diz que era meu e que eu sou dele.

  Então eu não devo me preocupar, aconteça o que acontecer vamos ficar juntos no final. Porque eu o amo e ele me ama.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~



Notas Finais


Perdoem meu jeito tão sem jeito e não desistam da historinha...


Então pessoas, venho por meio deste, compartilhar essa historia, um pouco (muito) forte.


Não joguem pedras ainda.


Não odeiem ninguém ainda e...ah é isso.. bjos

>PS: Capítulo minúsculo, apenas para mostrar mais ou menos o que a historia vai trazer...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...