História Love Or Not? - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pucca
Tags Pucca
Visualizações 120
Palavras 1.197
Terminada Sim
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nhahhh, acabou! Vocês sabem que não sou boas com fins, mas eu tentei T~T Mas espero que gostem mesmo assim.
E agora, vou me dedicar à fics de outros gêneros. Quero escrever mais Teen Titans e PPG.
Boa leitura a todos e até a próxima!

Capítulo 11 - Felizes Para Sempre?


Os dias passaram rapidamente até o último dia de Garu, Pucca e Ring Ring no Japão. Eles haviam se divertido tanto que não queriam deixar aquele lindo país e também Hiroshi.

- Podem vir me visitar quando quiserem. – Disse Hiroshi, falando em chinês, para facilitar aos visitantes.

- Claro! – Falaram todos.

Garu ainda estava hesitante para entregar algo para Pucca, mas o momento já estava quase chegando.

- Então... Hoje vamos mesmo embora, né? Queria ficar mais... – Comentou a garota de cabelos negros.

- É... Eu também. – Concordou Ring.

- Verdade... – Disse Garu, todo disfarçado.       

Eles já tinham trocado endereços eletrônicos e redes sociais com Hiroshi, assim poderiam sempre manter-se em contato.

Era chegada a hora de ir para casa. Todos estavam na estação, querendo ficar mais naquele país. Hiroshi estava triste por eles estarem indo embora.

- Voltem logo, amigos! – Disse Hiroshi, acenando.

- Espera... Eu... Eu... Tenho uma confissão a fazer, ainda antes de ir! – Declarou Garu, não aguentando mais tempo.

Todos se viraram para ele, até mesmo os outros passageiros.

- Eu... Estou apaixonado por uma garota faz algum tempo... Mas só agora que fui perceber o que sinto de verdade. Devo dizer que ela é uma parte de mim e é muito especial... – Ele fez uma pausa. Pucca estava olhando assustada para o ninja. – Agora eu percebi como ela faz falta. Mas eu quero ela de volta e tenho uma proposta.

Ele se aproximou de Pucca, deixando todos aglomerados para ver a cena. A menina chinesa ficou corada ao ver que tudo aquilo era para ela.

Garu se ajoelhou na sua frente, beijando sua mão, sorrindo e dizendo:

- Pucca, me perdoe por ser um idiota. Eu te amo. Quer namorar comigo?

Pucca cobriu a boca com as duas mãos e seus olhos brilharam.

Alguns que entendiam chinês gritaram e outros ficaram apenas ali, observando.

- G-Garu... Isso... É tudo que eu sempre quis! – Disse ela, com lágrimas nos olhos. – Aceito sim!! Também amo você!

Garu sorriu e tirou do bolso uma caixinha e quando Pucca abriu, havia um anel dentro. Na verdade, um anel para ele e outro para ela.

- Um anel? – Ela ainda estava pasma com tantas surpresas.

- Vamos ter um compromisso, que tal? – Garu piscou, coçando a nuca, envergonhado.

Pucca estava com as bochechas rosadas, mas assentiu com a cabeça.

Garu delicadamente colocou o anel no dedo dela. Depois, foi a vez dela de colocar o anel nele.

- Pronto. Estamos casados. – Brincou o garoto de marias-chiquinhas.

- O QUE?

- Brincadeira. – Disse ele, rindo da cara de espanto de Pucca. – Iremos no casar, mas no futuro, certo?

- Claro. – As bochechas de Pucca voltaram a ficar rosadas.

- Ahhh, que coisa linda! Eu acho que borrei minha maquiagem! – Exclamou Ring, às lágrimas.

- Omedetou, minna! – Hiroshi fez reverência aos amigos e depois apertou a mão deles. (Trad.: Parabéns, pessoal)

Pucca e Garu, que entendiam um pouco de japonês, agradeceram a gentileza do amigo.

- Pena que já está na hora de vocês irem... – Hiroshi disse, meio triste.

- Nós voltaremos! Eu acho que nosso casamento será aqui! – Garu piscou.

- Tô esperando. E quero ser padrinho, hein? – Riu Hiroshi.

- E eu sou a madrinha, dá licença. – Ring Ring disse.

- Foi mal, Ring, mas a Ching será a madrinha... – Pucca disse, meio com medo da reação da azulada.

- E o Abyo o padrinho... – Completou Garu.

- Não me olhe mais na cara! – Ring disse, mas estava rindo.

- Nem eu! – Hiroshi entrou na brincadeira.

E assim, eles se despediram do japonês e logo voltaram para casa, onde anunciaram que Pucca e Garu estavam namorando. A Villa Sooga toda ficou abismada.

10 anos depois...

Japão, Tóquio. Foi ali que o pedido de namoro acontecera, Pucca lembrava muito bem. Tinha até plateia. Ela se sentiu muito especial.

E naquele dia seria especial também, afinal, ela estava se casando.

Praticamente toda Sooga estava presente. Uns choravam, outros jogavam arroz, davam vivas, etc... Os tios estavam muito orgulhosos dela. Ela não poderia estar mais feliz. Tanto sonhou com esse momento, casar com a pessoa que tanto amava. Sabia que seus pais estavam a vendo, seja de onde fosse. Garu sabia também que seu amado pai estava vendo tudo de camarote.

O mestre de cerimônias era Mestre Soo. E Hiroshi estava presente, claro. E com uma novidade. Estava namorando com Ring Ring. Eles seriam os próximos a se casarem.

Pucca entrou na Igreja (no Japão, não há catolicismo, porém vamos dizer que é uma igreja de estrangeiros) com os seus tios. Ela estava linda, com uma maquiagem delicada e leve. Seu vestido de noiva era lindo também.

No altar, o noivo estava ansioso. Garu batia nas próprias pernas, tentando fingir estar calmo. Mas estava suando por dentro.

Nenhum dos presentes imaginava que aquilo um dia seria real. Pucca até achava que era mais algum de seus sonhos. Mas esse era real e ela estava muito feliz.

Abyo e Ching casaram em Sooga um mês antes, o que apressou ainda mais Pucca. Garu disse que queria que fosse no Japão, pois falara isso a Hiroshi.

Quando Pucca ficou frente a frente com ele, uns centímetros mais baixa que ele, este lhe beijou a cabeça e sussurrou:

- Você está linda.

Ela corou de leve e sussurrou de volta:

- Você também.

E assim, Soo começou com a cerimônia. Os dois disseram “aceito” sem hesitar. Se fosse em outros tempos, Garu negaria até a morte e ainda sairia correndo. Mas naquele dia, ele queria estar ali, queria estar para sempre ao lado de Pucca.

- Então... Pode beijar a noiva! – Anunciou Soo e a Igreja toda ficou em pé.

Garu sorriu para Pucca, que sorriu de volta.

Eles se aproximaram e se beijaram. Nada inapropriado para um local sagrado.

Todos bateram palmas, Abyo assobiou, Ching gritou, uns choravam, etc... E assim que os recém-casados foram lá fora, uma limusine os esperava. Claro, não antes deles levarem um banho de arroz.

- Parabéns, queridos! – Disse Ring Ring, enganchada com Hiroshi.

- Vocês também. Estão noivos também, né? – Perguntou Garu.

- Vamos nos casar aqui também. – Hiroshi disse, sorrindo.

Garu e Pucca sorriram e olharam um para o outro.

- É loucura tudo o que passamos até chegar aqui... – Disse Garu.

- Mas derrubamos as barreiras, quebramos obstáculos... – Pucca continuou.

- Porque ninguém brinca com o destino, que sempre dá um jeito de unir quem está destinado...

- E esse foi nosso caso... Com tantos encontros e desencontros...

- Dúvidas, certezas, sentimentos...

- E aqui estamos nós...

- Casados e felizes.

- Eu te amo, Garu.

- Eu também te amo, Pucca.

Os dois se aproximaram até seus lábios se encontarem novamente. Eles estavam na frente da Igreja, no pátio. Todos bateram palmas. E assim, flores de cerejeira caíram sobre eles Os convidados, tornando tudo ainda mais lindo. Foram tiradas diversas fotos deles também.

Enquanto se beijavam, os dois pensavam em como se conheceram, nos flashbacks, em tudo que passaram... Realmente... É tudo uma loucura, nada de certezas.

A única certeza é que o destino não falha. Ele pode tardar, mas nunca falhará. Outra certeza agora era os sentimentos que tinham um pelo outro.

 

 


Notas Finais


Pucca <3 Garu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...