História LOVE or WAR - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Batman, Justiça Jovem, Liga da Justiça
Personagens Alfred Pennyworth, Barry Allen (Flash), Billy Batson (Capitão Marvel / Shazam), Bruce Wayne (Batman), Clark Kent (Superman), Diana Prince (Mulher Maravilha), J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte)
Tags Alfred, Batman, Batwonder, Bruce, Caçador De Marte, Clark, Diana, Familia Marvel, Jovens Titãs, Justiça Jovem, Liga Da Justiça, Mulher Maravilha, Superman
Visualizações 43
Palavras 2.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente!

É a primeira fanfic que eu escrevi em toda minha vida. Eu postei um tempo atrás em outro site de fanfic que veio a sair do ar. Depois de muito tempo, eu resolvi trazer de volta em uma versão melhorada e mais encorpada pra cá e depois pra um outro site. Pretendo terminar essa e colocar as próximas que estarão ligadas a ela aqui também.

Capítulo 1 - Prelúdio do Prelúdio


Fanfic / Fanfiction LOVE or WAR - Capítulo 1 - Prelúdio do Prelúdio

 

"...Every man wants to be a macho man. To have the kind of body always in demand. Joggin' in the mornings, go man go, work up to the hill's top, muscles grow..."

— Argh! Por favor, abaixem a música! 

— Droga! Não grite na gravação! Que desgraça de Menino-Prodígio! Parem!

É o terceiro take que Robin estraga. E Grossman, um cara careca que parece ter parado nos anos 70's, com uma barba encaracolada ruiva em seu rosto e vista em seu peitoral com sua blusa decotada branca, aneis, relógios, cordão de ouro e seu óculos maior que seu rosto, combinando ironicamente com suas calças de couro vinho e cinto com uma fivela maior que de toureiro, já estava impaciente. Até agora não conseguiu gravar nem o primeiro beijo da primeira cena de seu filme pornô. As estrelas do filme serão, é claro muito bem selecionados, os heróis adolescentes Superboy e Kid Flash. O problema é que eles não sabem que estão fazendo um filme. Na verdade, não era um problema pra ele. Eles estão sendo mentalmente controlados pela magia de Klarion, então para facilitar o processo de tudo, os jovens não precisam concordar com o trabalho que lhes foi dado, eles obedeciam sem nenhum questionamento. Robin não podia fazer nada além de assistir às filmagens e tentar atrapalhá-las, pois ainda não conseguiu se desamarrar da cadeira em que o prenderam.

— Tire-o daqui, Klarion. Não vai dar certo com esse moleque chato assistindo.

— Tudo bem. Venha, pirralho.  - O menino-bruxo disse sem tentar esconder a raiva aparente. Não era isso que ele planejava e não era pra isso que seus poderes ilimitados serviriam. Ele usando sua magia, começou a puxar a cadeira em que estava Robin enquanto resmungava um pouco por dentro. 

Eles estavam em algum galpão abandonado, Robin não tinha tanta certeza, não se lembrava como tinham parado lá, ate nisso, o bruxo fez o favor de controlar, apagando até suas lembranças, caso conseguíssem contatar ajuda ou algo do gênero.

— Ótimo! Vamos recomeçar! - Grossman sorriu, quando percebeu que Robin e seu bruxo estavam longe, com aquele sorriso de velho tarado cansado e mas ainda sim aterrorizante. "Cadê a Liga da Justiça ou o Capitão?", pensa Mary Marvel que está presente na sala de gravação, mas que por sorte, não está hipnotizada, ao contrário do que pensam os vilões. Ela fazia o possível para não desiludir os inimigos, mas se Superboy e Kid Flash ficarem próximos demais, ela colocará o plano a perder. Ela teria que fazer alguma coisa, qualquer coisa. Não aguentaria vê-los assim. — Muito bem! Beijem! — Eles começaram a se aproximar, de um jeito robótico, sem nenhum tipo de emoção ou reação para o horror de Mary que assistia a tudo, pronta para dar alguma partida, seus braços já solto das amarras. Porém antes que ela fizesse algo, a parede do prédio começou a se rachar, um estrondo foi ouvido e ecoado por todo o lugar, logo formou-se um buraco quebrando quase toda uma das paredes do lugar e dando surgimento no meio dos escombros, o Capitão Marvel, com sua roupa vermelha impecável e capa esvoaçante.

— O quê? Essa não! O fraldinha! Socorro, Klarion! - Grossman gritou, ainda ironicamente assustado, se afastando do tumulto gerado pela chegada do Capitão, praticamente fugindo de tudo e correndo para os braços do bruxo que sabia que iria acudi-lo. Ele era só um cara retardado e doente, mas Klarion? Ele era o problema por ali.

— Capitão Marvel, que bom que chegou! - Mary Marvel disse, finalmente correndo para os braços do seu irmão, respirando aliviada de ver um rosto aliado que pudesse acabar com aquela insanidade mental. Ela realmente pensou que estavam perdidos, na verdade, era o que todos pensariam se não estivessem sendo controlados mentalmente por pura magia.

— Oi, Mary! Vamos acabar com essa baba... argh! - Capitão disse, olhando para os nossos heróis que ainda estavam sobre o ultimo comando de Grossman, sem fingir qualquer reação de horror do seu rosto - Pelo trovão, Mary, eles estão se beijando... e nus! Porque não parou com isso antes que eu chegasse? Por Zeus, Superboy vai aniquilar o Kid Flash, se você me entende. - Capitão virou-se mais uma vez para Mary incrédulo do que estava acontecendo e provavelmente se perguntando qual seria a finalidade daquela emboscada.

— O plano não era esse! Se eu fizesse algo fora da hora, eu colocaria tudo em risco! - Mary defendeu-se rapidamente.

— Mas isso é doentio, eles estão sendo controlados por magia? É praticamente um incesto!

— Acontece que isso não vai afetar em nada a saúde deles, enquanto não houver pene...

— Ei, Capitão Marvel! - Uma voz conhecida disse, em um tom familiarizadamente ameaçador atrás do Capitão, interrompendo Mary Marvel que se virou junto com o Capitão para encarar qualquer inimigo que ousasse pará-lo. — Eu sou Klarion. E você será Klarionzado agora! - O menino-bruxo disse rindo da sua própria piada pessoal.

— Não vai colar. Sua magia pode se provar inútil contra mim. - Capitão revirou os olhos, pronto para atacá-lo e terminar tudo ali de uma vez. 

O bruxo se limitou a começar  movimentar suas mãos lentamente. Seus olhos não se mexiam, não piscavam, repetindo palavras silenciosas para ele mesmo, usando uma força invisível e fora de nossa compreensão. Havia escuridão em sua alma, dava pra sentir como algo maciço. Ele se concentra no Capitão e não mudava o alvo. Era perceptível o ar mais leve, como se não houvesse mais nada no universo, só eles dois. Mary Marvel passou a se afastar deles dois, não acreditando no que estava acontecendo, sentindo suas pernas enfraquecerem e seu coração disparar. Ela sabia que nesses poucos segundos que se passavam, não havia muito o que se fazer ou reagir. Ela se concentrou o suficiente para gritar pelo seu irmão. O Capitão que antes possuía uma expressão bruta, foi aliviando até que não demonstrava mais nenhum tipo de feição. Apenas tinha se tornado, mais uma marionete nas mãos de Klarion. Mary ficou perplexa a ponto de ficar imóvel, encostada em um pilar com a mão na boca observando a cena. 

Talvez, ela tivesse rezado em seu coração. 

— Pronto! Ele está sobre o meu controle. Um soco na Mary Marvel será sua primeira missão, Capitãozinho. - Klarion disse com um sorriso infernal, com um tom brincalhão virando para Mary que ainda os olhava sem acreditar no que estava vendo. Ele estava realmente se divertindo com isso tudo.

— Sim, senhor. - Capitão ouviu sua ordem e caminhou até a Mary que não possuía mais esperança em seus olhos. Não iria revidar, não machucaria seu próprio sangue. Ela tentou se afastar dele, esticando suas mãos e braços, podia até se ouvir pedidos de clemencia, misericórdia e uns "pare" em cada passo que ele dava. Havia medo, era aparente no rosto pálido de Mary e Klarion gostava de se alimentar disso. De medo. Um banquete.

— Irmão, você não vai me... - Mary foi interrompida com um soco do Capitão em seu rosto que de tão forte, deixa desacordada a pequena no chão com destroços de dois pilares que seu corpo atravessou com a força do impacto enquanto Grossman em um riso maléfico e longo se unia ao bruxo. 

— Está difícil manter o controle sobre o capitãozinho. Vou deixar Superboy e Kid Flash livres em três minutos. - Klarion disse com certeza. Havia uma decisão na voz. Grossman virou-se rapidamente para Klarion injuriado com o que ele havia dito.

— Mas... meu filme! Não podemos parar agora! Vamos ficar ricos! - Grossman disse quase impulsivo, seus olhos arregalaram como se tivesse ouvido algo mais absurdo em toda sua vida. Klarion olhou em volta e revirou seus olhos em total desprezo, porém continuou sereno em sua fala, manso como sempre havia sido.

— Podemos ganhar muito mais tendo o Capitão Marvel sob nosso controle.

— Não! Não! O plano era fazer o filme! - Grossman disse quase rugindo de ódio para o bruxo que não mudou sua expressão.

Klarion olhou para Grossman. Ele tinha seus punhos cerrados o que fez o bruxo soltar uma risada longa e brincalhona como um garoto mimado que havia conseguido mais alguma coisa. Sem nenhum gesto, já que seu rival humano e pervertido não era digno, quebrou seu pescoço com uma força invisível. Um sorriso satisfeito ao sentir a morte do corpo em sua frente. 

— Pois bem. Hora de irmos, fraldinha. - O herói hipnotizado segurou Klarion, colocando-o em um dos seus ombros. Sem nenhum sinal ou fala, desapareceram em um clarão negro, deixando nada apenas o corpo morto. 

Mary se levantou, desnorteada. Ela viu o clarão e sabia que tinham partido mas ainda sim, correu em direção da luz negra somente para ver Grossman sem vida no chão. Sangue escorria dos seus olhos que se unia ao que tinha saído de suas narinas e ouvidos. Não sabia como foi, mas claramente foi doloroso. Pervertido, não merecia apesar de tudo. Ninguém nunca merece.

Ela colocou as mãos no bolso da calça do falecido, sabia que as chaves da cela improvisada estava por ali. Precisava de algum juízo, precisava do Robin. Encontrou sem muito esforçou e voou para ajudar seu companheiro que fazia barulho como podia.

— Obrigado, Mary Marvel. - Robin disse, acabando de alisar seus punhos machucados das amarras.

— Mary! Mary Batson! - Ela disse, virando-se para ele, abrindo-lhe um sorriso simpático.

— Sim, desculpe... ei, que barulho foi aquele? - Robin perguntou, lembrando do estrondo de uns momentos mais cedo.

— Meu irmão... Ele tentou me salvar, mas agora está sendo controlado por Klarion.

— O Billy? Putz! Estamos ferrados! - Robin disse preocupado, procurando algo em seu aparelho, que Mary não sabia qual era a funcionalidade.

— Tentei contatar alguém da liga por sinal, mas não aparece mais. Muito estranho. - Ela interrompeu seus pensamentos, fazendo uma careta e encarando Robin novamente - Ei... que negócio é esse de "o Billy?"

— Bom, eu e Batman sabemos. Mas eu não te conheço. Nem sabia que ele tinha uma irmã. Você é da idade dele ou algo parecido? - Robin perguntou, disfarçadamente e evitando qualquer olhar trocado.

— Quase. Mas não estou interessada em vigilantes noturnos! - Mary disse sorrindo ironicamente pra Robin que logo fica desconcertado com o comentário.

— Hã... e o nosso casal gay incestuoso e super poderoso? 

— Putz! Esqueci! Vamos ver como estão! — Os dois voltaram correndo para o estúdio/galpão podre e abandonado e o casal ainda está se beijando, porém como zumbis sobre um colchão improvisado com uns lençóis novos para disfarçar todo o resto. Não se notava qualquer emoção na cena. Não que os telespectadores de um filme desta categoria realmente estejam preocupados com esse tipo de atuação.

— Argh! Eles estão... Argh! - Robin disse cruzando seus braços e tentando esconder seu rosto com uma das mãos.

— Ei, será que eles param para respirar? - Mary disse olhando curiosamente para o casal que nem reparava a presença deles, apenas seguindo ordem.

— Grossman só deve ter mandado eles se beijarem. Sem nenhum outro comando, eles não irão parar nunca. Temos que tirá-los do transe! Agora! - Robin disse mais desesperado do que preocupado, olhando em volta como se houvesse qualquer coisa a ser feita. Porém, quando eles menos esperavam, os três minutos que Klarion dera a Kid Flash e a Superboy haviam chegado ao fim. Eles pararam lentamente, sem ter a consciência do que estavam fazendo. Acordaram aos poucos, piscando algumas vezes, e um deles, Kid Flash, colocou a mão sobre a cabeça, provavelmente dolorida. Quando eles se entreolharam, perceberam que estavam nus, suas bocas estavam úmidas como um beijo recém terminado, próximos demais pra qualquer desculpa que pudessem usar. Robin e Mary sabiam que tinham percebido ou talvez lembrado do que estava acontecendo, a terrível situação em que se encontravam. Kid Flash simplesmente desmaiou enquanto Superboy enlouqueceu.

— Arrghhh! Quem fez isso comigo? Que nojo! Que mente doentia é essa? Por favor, digam que isso é um sonho! — Mary Marvel deu um olhar fraternal para o Menino de Aço e se aproximou para poder confortá-lo. Robin apenas encarava sem saber o que estava acontecendo, mas quando Superboy percebeu, saiu tão depressa do seu "semi-abraço" que talvez só o próprio Kid Flash teria percebido seu gesto desesperado, completamente envergonhado da bizarra situação em que se meteu. — Não fiquem tão perto de mim! Eu preciso de um espaço!

— Superboy! Volte aqui! Temos que deter os vilões! - Robin gritou desesperado tentando controlar a situação que não era nada acolhedora, observando Superboy que voava para longe deles.

— Deixe comigo, Robin, vou encontrá-lo. Cuide do Kid Flash enquanto isso. - Ele respondeu, voando para longe e atravessando uma das vidraças.


Notas Finais


Espero que não desistam de mim!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...