História Love Pain - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Seokjin (Jin), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Imagine, Imagine Bts, Imagine Jimin, Imagine Jin, Imagine Park Jimin, Imagine Seokjin, Jimin, Jin, Leitora, Park Jimin, Romance, Seokjin, Triângulo Amoroso, Você
Visualizações 139
Palavras 1.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oee pessoinhas ❤

Desculpem n responder os comentários anteriores, mas eu li tudinho tá? Obg ♡♡

Capítulo 9 - Capítulo IX - Flashbacks



Capítulo 09 – Flashbacks


Desde que Jimin saiu, fiquei alguns minutos repensando tudo que aconteceu. Respirei fundo decidindo ir falar com ele e me desculpar, não sei se ele irá me ouvir, mas eu não sou como ele, eu me importo com os sentimentos dos outros.


Sai do quarto e fitei a porta em frente a minha, eu estava um pouco hesitante. Dei duas batidas fracas, mas não fui respondida. Decidi entrar mesmo, abri a porta e quando entrei não tinha ninguém, ele não estava no quarto.


Observei mais uma vez aquele porta retrato de moldura vintage dourado, em cima da sua cômoda. O que havia me chamou atenção quando vim aqui pela primeira vez, a mulher que me lembrava Jimin... só podia ser a mãe dele, e só tem foto dela aqui, nenhuma do pai. A mãe dele era muito importante ao mesmo, e o jeito que eu falei com ele sobre a morte... eu sou uma estúpida.


Deixei o porta retrato na cômoda e sai. Fui para sala principal e Yang estava lá ela ia em direção a algum lugar.


— Yang! — A chamei e a mesma parou, virando em minha direção. — Sabe onde está o Jimin?


— Acho que no escritório... Ele parece pra baixo, talvez tenha tido outra... — Parou de falar me olhando preocupada. — Por favor, sei que não se dá bem com meu menino, mas pode falar com ele? E não deixar ele beber? — Suplicou, ela parecia aflita.


— Ok, eu vou lá! — Falei, e me dirigi até o escritório de Jimin. Yang estava tão preocupada que me afligiu, de certa forma acho que a culpa é minha. Assim que entrei no escritório, o vi em sua mesa, segurando um copo de bebida em uma das mãos e algo que não identifiquei na outra. A sala estava escura apenas um pouco iluminada pela luz da lua que entrava pela janela atrás dele. — Jimin? — O chamei baixinho, o mesmo que não havia notado minha presença antes, me encarou. — Eu posso falar com você?


— Saia daqui. — Falou rude voltando a olhar o que tinha em mãos. Fiquei parada. — JÁ DISSE PRA SAIR! — Gritou, me fazendo estremecer. Quando viu que eu não me movia, ele se levantou e veio até mim, apertando meu braço. — Você é surda? — Me sacudiu, encarando-me parecendo furioso, ele parecia tão magoado.


— Me escuta! — Pedi. — Talvez o que eu tenha dito te deixou...


— Magoado? — Levantou uma sobrancelha e riu sem humor. — Vai ter que se esforçar muito pra isso. — Falou seco, agora sua feição era indecifrável, não parecia está triste tampouco com raiva. Mas, mesmo não demonstrando, eu sentia que ele estava sofrendo.


— De qualquer forma eu queria pe...


— Eu não quero mais você aqui, sai. — Me interrompeu, se mostrando apático. Ele abriu a porta e me jogou para o lado de fora, batendo a porta logo em seguida.


Eu não queria deixá-lo sozinho, mas eu não sou ninguém na vida dele, como eu poderia consola-lo? Ainda mais depois do que eu disse a ele.


— O que você tá fazendo aí?— Mia apareceu, suspirei cansada não estava afim de provocações hoje. — Ah... Aconteceu né? Nossa que rápido! — Ela sorriu satisfeita, como se algo que ela quisesse muito tivesse acontecido.


— Você sabe o que aconteceu? — Questionei desconfiada.


— Sim, e agora é minha vez de agir! — Se aproximou da porta tão alegre que faltava saltitar. — Você foi tão bobinha... — Ela sorriu cínica e entrou no escritório de Jimin. Agora ela conseguiu me deixar confusa. O que essa garota quis insinuar? Será que ela me contou tudo aquilo, sabendo que eu poderia jogar na cara de Jimin? É claro, e eu caí como uma idiota! É claro que tudo isso magoa Jimin, e ela aproveita que é mais próxima dele e vai consola-lo. Como eu pude deixar ela me fazer de burra?


[...]


Me levantei cedo, ultimamente tenho acordado muito antes da hora que eu sou acostumada, talvez ainda fosse o fuso horário, que não me acostumei. Havia sonhado com Seokjin, e acordei feliz. No meu sonho, toda a minha realidade de agora era apenas um sonho e eu acordava nos braços de Seokjin, ele me consolava me dizendo coisas doces e declarando todo seu amor por mim, e eu me sentia tão feliz por está em seus braços novamente.


Acabei me pegando pensando em vários momentos felizes que tive ao lado dele, e como ele me faz falta, como eu queria está nos braços do meu amado Seokjin.


[Flashbacks]


— Vem amor! A água está gelada, mas se você entrar eu vou te aquecer. — Jin me chamou, ele sorria tão doce, e eu não conseguia resistir aquele sorriso.


— Isso é loucura Jin! Está de noite. E se alguém nos ver? — Eu estava com medo, eu pertenço a uma das famílias mais importantes da cidade, não posso ser pega nadando no lago a noite igual a uma arruaceira.


— Isso mesmo, é noite! Ninguém vem aqui... — Insistiu. Encarei bem aquele ser angelical em minha frente, como ele ficava ainda mais bonito molhado... mordi o lábio inferior sendo vencida por aquele sorriso traiçoeiro. Tirei minha blusa e saia, ficando apenas de peças íntimas e entrei na água. Estava muito gelada.


— Amor! Está muito gelada! — Abracei meus ombros. Seokjin se aproximou e me abraçou forte.


— Melhorou? — Perguntou com o rosto bem próximo ao meu, sua respiração quente me causava mais arrepios do que a água gelada.


— Um pouco.— Sorri. Logo Seokjin juntou nossos, em um beijo que aqueceu não só o meu coração como todo meu corpo. — Bem melhor! — Falei, ao nos separamos. Abracei ele forte, e deitei minha cabeça em seu peito. Ficamos em silêncio apenas aproveitando a companhia um do outro, já que não tínhamos muito tempo.


[...]


— Já posso abrir os olhos? — Perguntei curiosa. Desde que saímos de seu carro, Jin me disse para fechar os olhos e andar apenas guiada por ele, eu sou uma pessoa curiosa, já não estava aguentando.


— Espera! Só mais um pouquinho... — Falou, ele me puxava para sei lá onde, eu estava muito ansiosa. — Chegamos! Pode abrir. — Na mesma hora eu abri meus olhos e me deparei com uma das vistas mais belas que já presenciei. Estávamos em um campo aberto e todo florido com diferentes tipos de flores, rosa, azul, brancas, etc; havia uma toalha estendida em meio as flores com um cestinho de palha em cima. Seokjin sabia meu amor por flores, e o quanto eu gostava do seu jeito romântico e carinhoso.


— Meu amor isso é lindo! — Falei com os olhos marejados. Eu nunca havia vindo a esse lugar, eu estava tão feliz de está ali.


— É tudo pra você! Tive que esperar a primavera chegar pra te trazer. — Ele riu.— Você sabe que gosto de ser romântico, então... — Ele me guiou até a toalha. — Um piquenique com o amor da sua vida! O que achou?


— Você é o melhor! — Abracei ele.— Isso significa muito para mim, Jin. Eu te amo muito! — Coloquei minhas mãos envolta de sua nuca e ele entrelaçou as suas em minha cintura. Deixei um selar em seus lábios.


— Eu te amo mais! — Sorriu me dando outro selar, que foi intensificado pelo mesmo, me deixando totalmente imersa a ele e aquele beijo, me fazendo até esquecer que precisava de ar para sobreviver. Tanto quanto eu precisava de seus beijos para sobreviver também.


Me sentei de costas para ele e o mesmo me puxou para seus braços. A brisa estava fresca, o dia ensolarado e naquele lugar o vento ameno soprava constantemente o que deixava mais agradável. Eu amava a primavera, pois o clima era sempre assim, prazeroso. E está aqui com a pessoa mais importante da minha vida não tinha comparação. Eu queria que todos os dias da minha vida fossem assim, com esse amor e essa felicidade que enchia meu peito, quando eu estava com ele.


[...]


O céu estava estrelado e a noite fria, estava aquecida nos braços de Seokjin desejando que aquele momento nunca acabasse. Deitados naquela toalha, após o nosso piquenique, ficamos conversando sobre nosso futuro e nossas vidas juntos. A noite estava tão linda, mas Jin dizia que tínhamos que ir em bora, pois meus pais iriam me matar se eu não aparecesse logo. Estamos aqui desde o começo da tarde. Eu não estava nem aí com o que meu pai poderia fazer, só queria ficar mais um tempo na companhia dele.


— Princesa, você tem que ir. Não quero que arrume problemas com seu pai por minha causa.— Falou enquanto afagava meus cabelos. Apertei ainda mais seu troco resmungando que não queria ir. — Princesa, por favor... — Pediu manhoso. Suspirei e me inclinei para ficar sentada.


— Por que o tempo tem que passar tão rápido quando estou com você? — Resmunguei fazendo um bico.


— Ele deve ter inveja do nosso amor e quer nos ver separados. — Seokjin brinca e beija o meu bico emburrado. — Não fica assim... — Colocou sua mão em meu rosto e começo a fazer carinho em minha bochecha com o polegar, me fazendo fechar os olhos automaticamente, aproveitando sua carícia. — Quando sua família aceitar nosso namoro, prometo ficar com você até enjoar de mim! — Brincou, balancei a cabeça negativamente.


— Isso nunca vai acontecer. — Pousei minhas mãos na lateral de seu rosto retribuindo o carinho.— Eu nunca vou enjoar de você. — Ele sorriu fazendo aparecer aqueles risquinho que amo. Ele segurou minha mão que estava em seu rosto, e beijou a mesma. — Príncipe, e se meus pais não concordarem? — Perguntei incerta. Meus pais eram bastante rígidos e se descobrissem que namoro um cara muito mais velho que eu eles certamente desaprovariam e me manteriam longe do meu amor.


— Isso não me importa, eu vou fazer de tudo para ficar com você, nada vai me fazer me afastar de você! Apenas a morte vai me tira-la de mim.— Olhou no fundo dos meus olhos. — Se for preciso atravessar céus, mares e desertos eu irei atravessar, pois meu amor por você é maior que isso, maior que tudo! — Declarou, me fazendo sorrir boba. Eu nunca me senti tão especial ao lado de alguém como me sinto com meu príncipe. É certo que ele é meu primeiro amor, mas não preciso ter experiências com outros para ter a certeza que meu lugar é ao lado de Seokjin e é com ele com quem eu quero ficar pelo resto de nossas vidas.


[Flashbacks off]


Ouvi batidas na porta interrompendo minhas lembranças. Limpei minhas lágrimas e fui abrir. Era Yang.


— Ainda não está pronta para o café? — Perguntou Yang confusa, por eu está ainda de camisola.


— Não vou tomar café lá embaixo, pode trazer aqui no quarto para mim?— Pedi, eu estava um pouco indisposta.


— Não vai tomar café com Jimin? Vocês não conversaram ontem? — Questionava ainda confusa. Eu não queria contar nada, estava muito mal com tudo que aconteceu.


— Não Yang. Estou sem vontade. — Falei, ela assentiu e logo saiu. Fechei a porta e voltei para a cama.


Com certeza Jimin não quer me ver, e não o culpo, eu fui muito insensível com todo o seu trauma. Agora o que me preocupa também é Mia que deve está se aproveitando disso. Eu nunca liguei para as intenções dela com Jimin, mas agora, depois do que ela fez eu quero impedi-la de seja lá o que ela estiver planejando.


Notas Finais


Perdão pelo capítulo pequeno, queria colocar um pouco da relação de vocês com o Jin já que até agora só tivemos com Jimin.

Até o próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...