História Love Paradoxe... Jeon Jungkook - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, CL (Chaelin Lee), Elizabeth Olsen, IU, Kim Nam-joon / Rap Monster, Red Velvet
Personagens Elizabeth Olsen, Irene, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lee Chaelin "CL", Lee Ji-eun "IU", Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé
Tags Bts, Drama, Hot, Jungkook, Romance
Visualizações 91
Palavras 2.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura! ♥

Capítulo 41 - Ofegante...


Fanfic / Fanfiction Love Paradoxe... Jeon Jungkook - Capítulo 41 - Ofegante...

                                          •[ Jeon ----- ]• On

Tudo que eu ouvia era o som de nossos passos pelos degraus da escada e nossas respirações descompensadas baterem contra os próprios rostos. Suas mãos, uma apoiada em minhas costas e a outra apertando minha coxa esquerda. Eu suspirava em meio aos seus beijos, não sabíamos como conseguiamos continuar sem que a falta de ar atrapalhasse. Era desejo, á um mês se não sermos tocados um pelo o outro, acabou nos deixando loucos de certo modo, era tortuoso, desgastante.

Seus toques, sua boca e língua quentes, mostravam que ele estava com saudades e não duvido que ele sente o meu em relação a mim. Por mais que estivéssemos com as roupas colantes e encharcadas, com os cabelos molhados, não diferente de nossa pele, o desejo e a saudade dominava nossa consciência, não nos permitindo se incomodar, apenas continuar com as carícias.

Ouço o ruído de porta, sinalizando que era de nosso quarto, por estar já gasta e por utilizarmos demais aquele cômodo. Aos poucos a luz do corredor desaparecera e a escuridão do quarto tomava conta do interior. Jeon caminha com pressa até a cama, me surpreendendo um pouco, porque desde que viemos de lá de fora, foram segundos que chegamos até aqui. Sinto um impulso dele, me fazendo roçar minha intimidade em seu peito e chegar em seu colo, tirando um gemido de minha boca, que não fazia questão de se calar agora e ignorando o fato de estarmos molhados pela chuva.

Minhas costas chegavam cautelosamente no colchão me causando um certo desconforto por estar com as vestes molhadas, suas mão tocavam minha cintura me correspondendo para que eu deitasse. Não conseguia enxergar direito, eu queria vê-lo. Sinto os lados da cama se afundarem e logo um calor sobre o meu corpo, com uma respiração descompençada, ofegante. 

Eu mantia meus olhos fechados e logo sinto os lábios de Jeon roçarem meu pescoço. Sua mão toca meu maxilar com um pouco de força, mas eu só conseguia manter os olhos fechados.

- Abre os olhos.

Jeon diz rente ao meu ouviodo e eu agarro seus ombros. Atendendo ao seu pedido, percebo que a luz do abajur estava acesa, mantia uma iluminação necessária, não tanto forte, mas necessária dando um ar sexy e erótico. Olho para Jeon que mordia os lábios inferior e me olhava com desejo e luxúria.

Jeon arrasta suas mãos da minha barriga até meus braços e por fim em minhas mãos, as prendendo em suas próprias. Seus lábios faziam movimentos em meu pescoço junto de sua língua, que deixava o local mais úmido. Sinto ele parar e a pressão aliviar nos meus pulsos. Abro os olhos e o pego olhando parao lado. Sigo seu olhar e paro na poltrona com suas roupas do trabalho jogadas, o que meu deixou um pouco confusa.

- O que foi?

Indago ao perceber um sorriso malicioso se formar naquele rosto angelical e logo ele me olha. Aquele olhar cheio de luxúria, com certeza mostrava algo á mais. Ele passa a língua entre seus lábios, os umidencendo da forma mais sexy possível, me fazendo sentir que me desfazeria ali mesmo, sem ao menos ele tentar me provocar, lá embaixo.

Sem dizer nada, ele se senta em meu quadril e eu gemo manhosa. Logo adentra com suas mãos na blusa de pano fino, branca, com botões de madeira na parte da frente e de manga longa. Jungkook tinha esse hábito de me massagear antes de me deixar nua por completo. Não gostava muito,porque demoravapara a parte mais interessante.

Ele inclina seu corpo, trazendo sua face para mais perto da minha. Ele encara meus lábios e depois meu colar de prata delicado. Sua mão direita brinca um pouco com o colar antes de abrir o primeiro botão e deixar um selar na região exposta por ele. Ele repete isso até abrir todos os botões, deixando selares por cada aérea nua, desenhando a lateral do meu corpo e por fim retirando minha blusa.

- Sem sutiã? - ele diz analisando meus seios - Assim facilita meu trabalho, boa menina.

Suas mãos agarram o cós da minha calça clara e a retira. Seu corpo pesa novamente sobre meu quadril e minhas mãos seguravam seus ombros. Logo sinto a pressão sobre o meu corpo aliviar e acompanho seu movimento até a poltrona ao lado da cama. Como impulso levanto meu tronco e observo Jeon pegar sua gravata vinho e me olhar mordendo os lábios. Suas mãos apóiam em meus ombros e forçam para que eu voltasse á deitar. Faço isso olhando em seus olhos, eles brilhavam, formava uma figura perfeita, junto de seus cabelos molhados e sua blusa social branca transparente, mostrando seu corpo definido por debaixo do pano fino.

- Temos que tomar banho antes, Jeon... Ah...

Digo com a voz vacilada e ouço ele rir baixo, enquanto o garoto puxa meus dois braços -

- Que se dane o banho. - sinto o tecido da gravata ser enrolado em meu pulso - Agora já é tarde.

Fecho minhas mãos quando sinto uma pressão nos meus pulsos e fecho meus olhos. Logo sua respiração bate contra meu rosto e seus lábios roçam nos meus. Nossas línguas dançavam, era quente, logo sinto meus braços sendo levantandos e ele separar sua boca da minha, enquanto amarrava o resto do pano na cabeceira da cama. Arfo e gemo quando sinto sua boca em meu seio e suas mãos apertarem meu quadril forçando para que eu voltasse para a cama.

Logo Jeon passa suas mãos em minha barriga e as desce enquanto deixava selares molhados até chegar em meu colo e apertar minha cintura, enquanto ele se ajoelha a minha frente e retira minha calcinha, arrastando seus dedos por toda a minha perna. Sua mão direita desliza dali até minha coxa esquerda e a agarra, a levantando e pondo sobre seu ombro. Ele beija toda a extensão interna da minha coxa e arrasta seus dentes, dando chupões até chegar em meu íntimo.

- Meu Deus...

Gemo apertando a gravata e olhando para cima, depois de arfar. Minha outra perna dobra e meu pé faz pressão contra a coxa de Jeon, tirando dele um gemido e logo percebo que o local em que fiz pressão estava próximo demais de seu membro. Sua língua adentrava meu íntimo brincando com o meus clitóris e eu gemia mais alto. Meus pulsos a essa altura já deveriam estar vermelhos de tanto que eu os apertava junto da gravata.

Meu primeiro orgasmo deste dia veio á tona e logo sinto seus lábios sugarem todo o líquido. Arfo mais uma vez como aprovação e sinto os lados da cama afundando e seus lábios tocarem os meus. Podia sentir alguns resquícios do meu líquido em sua boca, enquanto o beijava e sentia sua língua novamente.

Jeon cessa o beijo e desamarra a gravata dos meus pulsos e eu me alivio um pouco da pressão. Coço um pouco o meu pulso e percebo que estava realmente vermelho, mas nada que me preocupasse. Me sento na cama e me ajoelho a sua frente, que estava na mesma posição e apalpo as mãos em sua barriga, dentro de sua blusa. Jeon fecha os olhos e suspira aproveitando minhas carícias. Me sento em seu colo e o ouço manhar,minhas mãos correm até os botões da blusa e abre um por um, do mesmo modo que ele fizera em mim, depositando um beijo á cada parte deixada nua por mim, até chegar em seu colo e marcar o local com chupões.

Abro mais um pouco sua blusa e arranho todo seu peito até o cós de sua calça, tirando um gemido dele novamente. Volto com as minhas mãos para sua blusa e a retiro devagar. Nos encarávamos e o via morder os lábios e apertando o lençol da cama. Beijo seu pescoço dando chupões e suas mãos vão de encontro a minha cintura e apertando-a. 

- Ahr...

Me tira um gemindo quando sinto sua ereção roçar contra minha intimidade e afundo meu rosto em seu pescoço. Jogo minha cabeça para trás antes de começar á beijá-lo outra vez. Minha mão percorre de seus ombros definidos até os botões de sua calça, abrindo um por um, ele se levanta um pouco para que pudesse retirar sozinho. Paro o beijo e desço meu rosto até sua box. Minhas mãos apoiam em suas coxas e começo a retirar sua cueca com a boca. Ele afunda sua mão em meus cabelos e geme, por eu estar fazendo isso em um local tão sensível no momento. Sorrio e mordo sua virilha ainda coberta pelo tecido e ele geme alto chamando pelo meu nome.Termino de retirar a cueca e o vejo sorrir para mim, assim que me levanto, eu não pude deixar de perceber em seu membro inchado, pulsante e enorme, era como se fosse a primeira vez que o via.

- Isso foi sexy, mas... Você foi um pouco má.

- Eu? - digo incrédula e o sentindo aproximar de mim -

Ele me deita na cama e começa a dar atenção ao meu pescoço.

- Sim, você foi, mas se eu não estivesse com tanta saudade e lhe provocaria mais um pouco. - diz beijando meu maxilar e depois a parte superior dos meus seios -

- E-estava com saudades? - digo gemendo e acariciando sua nuca, enquanto ele chupava meus seios -

- Em todos os sentidos. - diz ofegante agora olhando em meus olhos -

- O que você acha de matar essa saudade logo de uma vez? - digo o puxando pelos ombros para mais perto do meu rosto -

- Acho uma ótima ideia... - diz me beijando -

- Então faça isso logo, Sr.Jeon. - digo parando o beijo o fazendo me olhar e encostar nossas testas -

- Sim, Sra.Jeon.

Jeon segura minhas coxas e penetra seu membro. Grito em forma de gemido e o vejo sorrir enquanto larga minhas coxas e sustenta seu corpo, pondo as mãos nos meus seios.

- Hm! 

Exclamo agarrando seus ombros e depois sinto a pressão contra meus seios aliviarem e logo o colchão em cada lado de minha cabeça afundar. Abro os olhos e vejo Jungkook pingando com os lábios criando uma fenda entre os próprios e com os olhos fechados. Apalpo minhas mãos em cada lado de seu rosto o fazendo me olhar.

- Eu te amo. 

Sussurro e logo recebo um beijo dele e um eu te amo soar contra meus lábios, me fazendo sentir seu hálito quente bater nos mesmos. Sorrio retirando minhas mãos de sua face e arranhando seus ombros e o agarrando. Jeon fecha os olhos com força quando eu afundo minhas unhas em seu ombro, mas ele parecia não estar se incomodando.

Jeon começa a dar estocadas mais longas e fortes, causando gemidos mais altos de ambos e fazendo minhas costas roçarem no colchão. Sinto minha intimidade contarir em seu membro e junto do meu corpo. Mordo os lábios por saber que estaria próxima de meu orgasmo e parece que Jeon entendeu e começou a estocar mais rápido e com precisão.

Seu líquido quente me preenche junto do meu e eu gemo não diferente dele, por nos satisfazermos do modo mais incrível e inesquecível. Jeon se retira e manho um pouco pela minha genital estar sensível e ele se deita de barriga para baixo ao meu lado.

Sua mão esquerda alcança minha cintura e me junta de seu corpo em um passe rápido. Ele volta com seu corpo por cima do meu e nos cobre. Jeon abraça meu corpo e gira na cama me pondo por cima dele. Nossas respirações descompensadas e nossos suores misturados com a água que a chuva nos molhara, trazia um ar de satisfação, por mais que soasse estranho era o que eu sentia ali com o meu corpo colado ao seu. Começo rir contra o seu pescoço e sinto que ele tentava me olhar.

- Do que está rindo, -----? - eles diz rindo junto e confuso me fazendo rir mais ainda -

- Eu não acredito que fizemos isso com as roupas molhadas e com os nossos corpos molhados.

- O que tem de errado nisso? - ele diz me pondo ao seu lado na cama e me olhando melhor -

- É estranho.

- Você é estranha... - diz tirando alguns cabelos que cobriam uma parte de meus olhos e eu sorrio junto dele -

- Eu te amo. - digo levando minhas mãos a sua bochecha e fazendo um carinho -

- Eu também te amo, minha jaigya. Muito.

Ele diz antes de juntar meu corpo do seu, me puxando pela cintura e selando nos lábios demoradamente. O vejo fechar seus olhinhos aproveitando o carinho que eu fazia em seu rosto. Sorrio com seu jeito fofo. Como ele podia ficar tão sexy alguns minutos atrás e depois estar fofo agora? Umas das coisas que eu adorava nele, com certeza era esse aspecto. Afinal, quem nunca o acharia fofo se o visse? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...