História Love, Sex & Drugs - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camila G!p, Camren, Camren G!p
Visualizações 785
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Capítulo 34


Camila remexia-se na cama inquieta. Lucy havia lhe dado o cigarro e deixou a latina sozinha indo para o seu próprio quarto enquanto Lauren também ia para o dela. Soltou um lufada de ar sentando-se na cama e olhou pela janela.

Levantou-se da sua cama saindo do quarto e caminhou pelo corredor escuro até a última porta dando leves batidas na madeira.

- Aconteceu algo? - Lauren perguntou baixo ao ver a maior na porta do seu quarto - Camila...

- E-eu... ah, m-me desculpe. - pediu envergonhada - P-posso entrar?

- Claro. - deu espaço para que a mais velha entrasse e fechou a porta indo para a cama - Está tudo bem?

- E-eu... - suspirou - Não sei.

A latina sentou-se numa poltrona um pouco mais afastada da cama enquanto olhava um ponto fixo no quarto. Queria se desculpar com Lauren, mas não sabia ao certo como fazê-lo.

- Seus pais sabem que está aqui?

- Acho que não. - encolheu os ombros - Na verdade eu meio que saí de casa.

- C-como?

- Tivemos uma discussão, então eu fui para a casa da Dinah. - mordeu o lábio.

- Me desculpe. - Camila murmurou se afundando na poltrona - Por tudo. Por te tratar com indiferença hoje, pelo que fiz.... - sentiu o corpo tremer - Está tudo fora do lugar. Estou me sentindo tão quebrada.

- Camz... - se aproximou sentando-se no colo da maior.

- Tudo parecia real. Ver você e ele lá, mas mesmo assim continuava doendo. - murmurou - N-não consigo me lembrar de muita coisa, eu só... Queria fazer parar.

- Você tentou...

- Eu n-não sei. - suspirou jogando a cabeça para trás e sentindo os tremores em seu corpo aumentar.

Camila passou a língua sobre os lábios ressecados e viu tudo ao seu redor girar. Colocou as mãos na cintura da menor apertando-a e fazendo com que ela segurasse seu rosto entre as mãos.

- Camz... - chamou - Amor....

- E-eu p-preciso.... - respirou fundo - P-por favor, Lo.

- Boo, você sabe que não posso. - respondeu quase chorando ao ver o estado que a mais velha se encontrava. - E-eu não sei o que fazer.

- B-banho frio. - gaguejou sentindo os tremores ainda mais fortes.

Lauren levantou-se do colo da maior puxando-a para si e caminharam juntas até o banheiro. Abraçando o tronco de Camila, a morena dos olhos verdes ligou o chuveiro fazendo com que o jato de água fria as atingisse. Observeu a ex namorada encostar a testa na parede e chorar.

Doía. A falta que Camila sentia da droga correndo por suas veias doía. Sentia seu peito doer e ela só queria fazer parar. Doía para Lauren também, ver a pessoa que ela ama implorar por algo chorando era... Difícil.

A dona dos olhos verdes soltou o corpo da latina saindo do box e foi até o armário pegar algumas toalhas. Retirou toda sua roupa antes de entrar no box novamente e desligou o chuveiro observando a maior ainda com a testa encostada na parede.

- Eu sei que estou doente e que preciso me tratar.... - murmurou baixo - Lucy já tentou fazer com que eu me internasse algumas vezes e eu nunca quis. - suspirou fechando as mãos em punho na parede - Sinto que vou machucar alguém em uma dessas crises. - passou a lingua sobre os lábios sentindo sua boca seca - E-eu não quero te machucar. - sentiu a voz falhar - E-estou pensando em ficar algumas semanas em uma clínica para me tratar, você poderia me... esperar?

- Ei, claro que irei te esperar, Camila. - falou tocando seu rosto fazendo-a virar. - Vem, você vai adoecer assim.


 

- Droga. - murmurou ao abrir a porta do quarto de Camila e encontrar apenas a cama revirada.

- Ei, o que houve? - Verônica perguntou ao sair do quarto e encontrar a esposa parada no meio do corredor.

- Ela não está aqui. - disse em um fio de voz.

- Como não? Você trancou tudo ontem a noite e ainda escondeu as chaves, amor.

- Eu sei, só... - encolheu os ombros ouvindo a última porta abrir.

- Bom dia. - Lauren saudou.

- Bom dia. - Lucy respondeu dando um sorriso sem mostrar os dentes.

- Está tudo bem?

- Ela sumiu. - declarou.

- Camila está dormindo no meu quarto. - disse envergonhada fazendo as duas mulheres a sua frente respirarem aliviadas.

As três mulheres desceram para a cozinha e foram preparar o café da manhã juntas. Lucy fazia ovos com bacon, Lauren picava algumas frutas e Verônica se encarregava em arrumar a mesa. Todas estavam em silêncio concentrada em seus afazeres até escutarem a voz de Lauren.

- Ela vai se internar.

- Como? - a mais velha virou o rosto em sua direção.

- Ela disse que está com medo de me machucar fisicamente por causa das crises. - confessou - Doeu tanto vê-la ontem a noite. A forma como ela entrou no quarto, ela na cozinha... Eu não soube como agir.

- No começo eu também não sabia. - desligou o fogão colocando a frigideira em cima do balcão - Era tudo novo. O tio Alê tinha ficado bravo por ela ter passado duas noites fora sem avisar, entrou no quarto dela e tirou tudo, além de deixá-la de castigo. - parou de falar enquanto olhava para o balcão - Ela tremia muito e ficou bastante agressiva, eu não sabia o que fazer.

- Ela...

- Não, nunca. - apressou em dizer - Quase, mas o tio Alê a pegou.

- Ela não se lembra. - a dona dos olhos verdes disse - Ela não sabe se tentou se matar ou só perdeu a noção do tempo.

- Fico feliz em saber que ela vai para a clínica. Quero que ela fique bem. - suspirou - São muitos medos e inseguranças ali.


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...