História Love shot ( TAEKOOK - VKOOK ) - Capítulo 6


Escrita por: e Snow_Kim

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, TWICE
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Dahyun, Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Jeon Jungkook (Jungkook), Jihyo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Jong-in (Kai), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mina, Nayeon, Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Tzuyu, Wu Yifan (Kris Wu), Zhang Yixing (Lay)
Tags ¡tae Bottom! ¿guk Top?, Bangtan Boys (BTS), Chanbaek, Kaisoo, Taegguk
Visualizações 263
Palavras 8.538
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong Haseyo!🐇🦊💜

Somos +100 cupcakes, ebaaa!

Gente é sério eu caprichei nesse capítulo e então apreciem com amor;
Obrigada de coração por todos os favoritos, comentários e carinho de vocês; sempre darei o meu melhor apenas para ver todos felizes e agradecidos.

Preparem bem as calcinhas e cuecas, talvez chorem no meio da situação!🌚🥃

Boa leitura cupcakes;🤭🌷

Capítulo 6 - Hormônios;


Fanfic / Fanfiction Love shot ( TAEKOOK - VKOOK ) - Capítulo 6 - Hormônios;


— Droga, eu sabia que os Falcões estavam no meio dessa confusão. —falou Yoongi ao se jogar no sofá de qualquer maneira.

— Querendo ou não eles tem envolvimento com algo e a polícia não iria aparecer assim em meio a uma missão nossa tão de repente.—comentou Hoseok se sentando sobre o tapete no chão da sala.

— Acho que devemos ficar mais atentos sobre isso e quase que a polícia nos pega de jeito.—disse Chanyeol bufando irado. — Juro por Deus que foi por um fio e eu vi a minha vida passar diante dos meus olhos.

Tirei meus coturnos dos pés, deixando esses encostado em um canto ao lado da porta e andei em direção a cozinha totalmente em silêncio. Hoje eu realmente não estou para papo, muito menos estou disposto a dialogar sobre alguma coisa e dar atenção que esses caras precisam.

Mesmo que seja um assunto sério sobre o clube, as coisas que veio acontecer ultimamente preocupa qualquer um e eu literalmente quero poder descansar devidamente, pois nem isso na noite passada tive o privilégio.

Depois que Taehyung saiu com o Namjoon, havia tomado um banho, ficando por esperar ele na sala de estar. Eu realmente estava esperando ele chegar em casa, mas em meio ao cansaço e pensamentos, acabei me rendendo ao sono e nessa os pesadelos veio dar o ar da graça.

Confesso que não esperava ter pesadelos com o garoto de cabelos longos castanhos, sorriso infante e aura pura, esperava obviamente tudo, menos tê-lo em meu pesadelo como alvo de um futuro atormentado. Suspirei pesaroso, tentando esquecer um pouco da noite passada, do sonho perturbado e de como fiquei desesperado por um dia pensar em perder o Kim de uma forma horrenda.

A verdade é que algo em Taehyung me desperta a vontade de me arriscar, mesmo que minha profissão requer ações, percebi que sou capaz de me entregar para a polícia até mesmo para salvá-lo dessa vida suja que tenho. É engraçado eu pensar por esse lado, ainda mais com um adolescente, já que tenho trinta e três anos de experiência nessa vida e mesmo assim o que sei não chega aos pés do que os sábios alertam.

Peguei uma garrafa de whisky no armário, andando para fora da cozinha, indo em direção as escadas e ao ouvir a voz que anda me irritando e desafiando ultimamente, só me faz ver que minha vontade de socar alguém somente aumenta.

— Devemos esperar a ordem do Jungkook para isso, mesmo que sejamos presentes na vida do nosso líder, devemos lembrar que ele quem dita as regras.—falou Namjoon a voz da desgraça.

— Nam está certo, vamos esperar o JK se acalmar para sabermos o que fazer e mesmo eu sendo vice presidente da liderança não vou tomar a frente.—disse Hoseok suspirando alto.

Dei de ombros para essa situação perturbadora, subindo aos degraus enquanto abria a garrafa de whisky, levando o gargalo até a boca e virando uma boa quantidade do líquido amargo sobre a garganta. Cheguei nos últimos degraus acima, vendo Taehyung encolhido no canto com a cabeça abaixada e fungando várias vezes seguidas.

Arqueei a sombrancelha em meio a situação, me sentando ao lado dele e sim, minha teoria está certa e ele está chorando encolhido em um canto como se fosse uma criança que acabou de levar um "não" da mãe.

— Taehyung?—chamei em um tom baixo, tocando seu ombro com a mão esquerda e tentando ver o rosto dele.

Fiquei acariciando o local em que minha mão está repousada, ouvindo o choro baixo e cheio de fungadas do mais novo, isso de algum modo mexeu comigo e parece que algo está incomodando ele de alguma forma.

Ao não obter uma resposta, puxei o corpo dele para mim, deixando a garrafa no começo do corredor e o abraçando como se fosse um bicho de pelúcia bem macio e confortável. Mas a verdade é que eu o vejo como um pelúcia e até mesmo como um anjo já que sua aura me encanta.

— Ei Tae o que aconteceu?—perguntei acariciando as madeixas castanhas com ternura, algo que nunca fiz e nunca senti antes na vida.

— N-Nada. Se a-afaste.—respondeu limpando os olhos carregados de lágrimas com as mangas do casaquinho rosa bebê que ele está vestido.

— Como irei te ajudar se você não me conta? Deixa eu saber para tentar resolver por favor?—pedi deslizando minha mão até a nuca do mais novo.

E novamente o silêncio pairou sobre nós, suspirei cansado com a situação, puxando o Kim para o meu colo, me levantando com ele e o carregando no estilo noiva até o seu quarto.

Olhei o rosto inchado, nariz vermelho e os olhos carregados de lágrimas me fazendo se sentir péssimo com essa situação da qual eu nem sei o que aconteceu. Adentrei o cômodo dele com calma, encostando a porta com cuidado e andando em direção a cama.

Me acomodei sobre o colchão com ele  ainda no meu colo e deixando um afago em suas costa. Direcionei meu olhar para as coxas torneadas expostas desse jeito, me fazendo ficar tentado a tocar essa pele e como se fosse no automático, desci minha destra até a lateral próxima da bunda do garoto, tocando a parte de sua coxa, ousando deixar um carinho no local.

— J-Jungkook eu n-não quero m-mais ir para a faculdade.—falou com certa dificuldade por estar fungando.

— Porque Tae? O que aconteceu com você para não querer ir estudar? Como os bichinhos irão se sentir sem ter a sua presença?—questionei afundando meu rosto na curvatura do pescoço dele, inalando esse cheiro gostoso do sabonete de frutas vermelhas e apreciando a pele quentinha sobre a ponta do meu nariz gelado.

— E-Eles ficam mexendo c-comigo. E-Eu não quero m-mais isso p-por favor.—falou voltando a se encolher no meu colo e chorar silenciosamente.

— Mas Taehyung, o que eles fizeram com você? Quem foi que fez isso?—falei preocupado com a situação e o jeito dele agir.

— F-Foi…f-foi o Yifan, junto do Zitao e o Yixing, eles sempre fazem isso.—respondeu se agarrando na minha jaqueta de couro preta.

— Você não vai parar de estudar por causa de babacas ok? Ninguém vai mexer com você, nunca mais e se mexer irão ver o que é mexer comigo.—ditei em um tom sério.

— E-Eu apanhei hoje, minha roupa estava suja e jogaram tinta em mim.—contou secando as lágrimas nos cantos dos olhos.

— Porque esses fodidos fazem isso com você? Taehyung se isso te acontecer de novo não irei ficar quieto na minha, olha só para você e como você se sente.—falei irritadiço com a situação que estou vivenciando.

Esse garoto já foi muito machucado na vida para ter de lidar com um bando de adolescentes marmanjos e filhos da puta para fazer uma atrocidade dessa. 

— Olha só, amanhã eu estarei de pé e levarei você para a faculdade.—avisei vendo ele me encarar finalmente e pude ver melhor o estado da situação.

Taehyung está com um arroxeado no canto abaixo do olho esquerdo, ele não apanhou, foi violentado e pude constatar ao olhar o canto da boca dele cortado. 

Fechei meus olhos por breves segundos, tentando me manter calmo e não perder a consciência sabendo que o garoto precisa de mim e apenas respirei fundo várias vezes, inspirando e buscando acalmar a sensação do meu sangue fervendo sobre as veias. Porque se dependesse de mim, já estaria com Taehyung na garupa da minha moto e indo atrás desses imbecis.

— Jungkook está tudo bem com você? Você está ficando vermelho.—disse tocando meu rosto com a sua palma macia e quentinha, me fazendo recuperar os sentidos por alguns segundos.

— Taehyung amanhã eu irei na sua faculdade com você, irei atrás desses idiotas e dar uma lição em cada um deles como realmente estão merecendo.—rosnei olhando nos olhos castanhos do Kim e ter de ver esse maldito hematoma nesse rosto tão lindo.

— Você vai se machucar, eles vão me machucar se você fizer alguma coisa e por favor não faça nada.—implorou agarrando minha jaqueta novamente. — Me prometa que não irá fazer nada e que só irá lá para conversarmos com o diretor.

— Nem fodendo Taehyung, estarei lá equipado o suficiente para esses marginais não tentarem algo com você e darei um fim nisso.—retruquei tirando minha mão da coxa dele, abraçando a cintura fina e deixando ele bem colado ao meu corpo. — Não posso te ver dessa forma e saber que não terá um fim concreto caso ninguém tome a decisão providenciada e isso pode piorar.

— Pelo amor dos anjos, você não sabe na onde está se metendo, eles não são lá flores que se cheiram e você está se arriscando atoa por um adolescente infantil o suficiente para não se defender e nem mesmo saber lidar com uma ofensa.—falou me estapeando o peitoral irritado.

— Você não é um adolescente infantil e jamais será alguém como eles Kim Taehyung. Não venha com esse papo de ser infantil só porque é quieto na sua.—mandei segurando os pulsos dele e o puxando para mim.

Ouvi os resmungos e xingos vindo da boca do mais novo pelo meu ato, tendo o rosto corado do Kim próximo do meu, com as nossas respirações se mesclando e desci meu olhar para os lábios tentadores que ele possuí.

— Jungkook…—chamou-me respirando entrecortado e levei minha atenção aos olhos dele, esses que estão fechados e com as pálpebras trêmulas.

Ousei levar a minha destra para o rosto de pele bronzeada do mais novo, deixando uma carícia com o polegar e vendo os lábios tão chamativos se entreabrindo levemente.  Deslizei minha mão até a nuca do Kim, deixando um leve aperto e sentindo as mãos dele agarrando o couro da minha jaqueta.

Lentamente me aproximei, deixando meu nariz tocando o dele, sentindo o ar quente escapando dos vãos desses lábios tão saborosos e convidativos, me fazendo ficar tentado para beijá-lo, mas me surpreendi ao sentir as mãos dele se apoiando sobre meu peitoral, me empurrando para trás calmamente e fazendo minhas costas repousar sobre o colchão de sua cama.

— O que você está fazendo?—sussurei olhando os orbes castanhos sobre mim.

— Você está muito perto.—respondeu também aos sussuros.

— Mas você também está.—retruquei ao tê-lo sentando corretamente sobre o meu colo e apenas levei minhas mãos para a cintura fina que ele possuí.

— Só que eu estava sendo consolado por você.—resmungou voltando a ficar há centímetros dos meus lábios.

Perigoso…

Muito perto…

Mais perto…

E quando menos esperei senti os lábios dele sobre os meus, foi apenas um selinho lento e demorado, mas foi o suficiente para me acender e quando notei que Taehyung iria se afastar, segurei na nuca dele buscando aprofundar o contato.

Me surpreendi mais ainda quando senti ele retribuindo, mesmo que desajeitado, Taehyung movimentou os lábios sobre os meus em um ritmo que se sentia confortável e ao ter os dedos dele sobre meus fios de cabelo da nuca, apenas deixei um leve aperto em sua cintura e sentindo ele suspirar contra meus lábios.

Notei ele se afastando brevemente, soltando um resmungo baixo e quando abri os olhos para poder encará-lo, vi um sorriso mínimo brotar nos lábios vermelhos pelo recente beijo e quando menos esperei, o Kim voltou a me beijar, dessa vez ousando a chupar o meu lábio e causar um estalo com esse ato repentino.

Agarrei a cintura dele com certa pressão, ousando a serpentear minha língua sobre os lábios gostosos do mais novo, tendo o meu desejo concedido tão facilmente e ao sentir as pernas torneadas em volta da minha cintura, inverti nossas posições ficando por cima do corpo magricela e me encaixando corretamente ao enfiar minha língua dentro dessa boca deliciosa.

Levei minhas mãos para as coxas expostas, deixando algumas carícias, sentindo a língua de Taehyung buscando pela minha e para provocar um pouco, entrelacei nossos músculos molhados lentamente e causando sons eróticos. Senti as mãos atrevidas do mais novo sobre meus fios negros, dando leves puxões em meu couro cabeludo e quando percebi estar avançando muito o sinal que nem deveria de ter sido ultrapassado, deixei um chupada na língua dele e me afastei rapidamente.

Foi um modo tão ágil ao me afastar, que me levantei em um pulo da cama, pronto para sair daqui se não tivesse as mãos dele me impedindo ao segurar o meu pulso e quando ousei olhar para trás quase tive um surto psicológico. Taehyung estava com o cabelo bagunçado, os lábios inchados e ofegante literalmente pelo recente acontecimento. 

Me aproximei dele brevemente, deixando um último selar sobre a testa suada do Kim, sentindo ele afrouxar o aperto em meu pulso e aproveitei da deixa para me afastar completamente, andando em direção a porta as pressas.

— Jungkook não fuja.—pediu com a voz suplicante, que até me fez se arrepiar com esse jeito dele.

— Taehyung eu não posso.—falei tentando manter o pingo da minha sanidade mental.

— Você disse que estava tudo bem entre nós, até pediu desculpas para mim ontem a noite e agora você vai voltar a agir como antes não é mesmo?—falou tudo de uma vez me fazendo respirar fundo.

— Eu não vou agir estranho com você, só não quero ultrapassar os meus limites e principalmente ousar infligir um dos seus. Então por favor me deixe ir embora.—pedi em um tom sério para ver se ele desiste de uma vez.

— Você não está infligindo os meus limites e muito menos estará quebrando os meus princípios.—avisou com a voz neutra.

— Não é não. E eu não irei tocar nesse assunto novamente.—retruquei voltando a andar em direção a porta.

— Porque você está me evitando? Porque ainda insiste em fazer uma coisa dessas consigo mesmo? Foi por causa do sonho da noite passada? Ou é porque você se diz não ser bom o suficiente para mim? Qual é a razão de me fazer de tonto?—questionou se levantando da cama em um pulo e vindo até mim. — Isso machuca sabia? Dói mais ainda porque você que deveria ser tachado como o meu herói, está fazendo de tudo para se afastar de mim e me machuca muito ter de suportar isso. Dói pelo fato de que eu suportaria isso vindo de qualquer um dentro dessa casa, mas não esperava estar vindo de você e por esse motivo me faz se sentir um trouxa necessitado de atenção.—confessou me fazendo soltar o ar que nem havia notado estar segurando.

Abri e fechei a boca várias vezes, buscando algum modo de responder a essa situação, vendo Taehyung suspirar pesadamente e eu apenas abri a porta saindo do quarto dele. Não quero ter que falar sobre o porquê de estar fazendo isso. Não agora pelo menos já que não me sinto bem quanto esse assunto. Mesmo que talvez ele tenha notado, não serei capaz de contar toda a verdade e deixá-lo pior do que já se sente com as minhas atitudes babacas.

— Acabou, não irá se repetir e eu não irei mais tocar nesse assunto. Só pare de me pressionar com isso e vá viver a sua vida, pare de se preocupar com alguém como eu, porque eu não mereço nem mesmo lágrimas e muito menos sentimentos.—ditei totalmente rígido.

Tocar nesse assunto sempre foi meu ponto fraco e ver que esse garoto se machuca pelas minhas atitudes só me deixa pior e fazendo jus ao ser esse monstro.

— Por favor Jungkook.—choramingou me seguindo e assim que entrei no meu quarto prestes a fechar a porta, ele empurrou essa e adentrou me fazendo bufar.

— Sai agora Taehyung.—mandei em um tom irritado para ver se ele vai embora.

— Me obrigue a sair daqui.—respondeu me fazendo esconder o sorriso por ver esse jeito birrento dele novamente.

Às vezes Taehyung se parece com uma criança, se você diz "não" já é motivo para chorar, bater os pés no chão e fazer uma birra absurda, mas mesmo assim ele me excita e a vontade de agarrar ele só aumenta.

— Se você não sair eu te expulso, simples assim.—falei tirando minha jaqueta.

— Você vai me ouvir e eu não quero saber, me tire daqui e eu irei fazer um escândalo Jeon Jungkook.—rosnou analisando minhas ações ao tirar a camiseta regata do corpo.

— Não tenho nada para ouvir Taehyung, acho que isso não lhe diz respeito e você deve parar de agir como uma criança birrenta que não ganhou o doce.—dei de ombros brevemente e encarei o rosto corado dele.

— Porque você está fugindo de mim? O que eu te fiz para fazer isso?—perguntou voltando sua atenção para os meus olhos com o semblante sério. — Se foi por causa daquele dia em que você estava batendo uma punheta para mim no sofá, saiba que eu nem ligo mais para isso e que você…

— D-Do que…v-você viu mesmo eu fazendo isso?—perguntei engolindo a seco pelo que ele disse.

Eu realmente ouvi isso sair da boca dele? Kim Taehyung estava vendo eu me masturbar por ele na sala de estar naquela madrugada? Tem como a vida ficar pior?

Eu acho que não somente tem, como também consegue foder com tudo e principalmente com a minha situação que deve estar hilária com a minha cara de tacho.

— Você me viu batendo punheta na sala naquela noite?—ousei perguntar vendo as bochechas dele ganharem um tom rosado e a cabeça se abaixando.

— Talvez eu deva ter falado demais porque estou com raiva e você está me deixando desconcentrado.—falou juntando as mãos na frente do corpo de um jeito fofo.

Porra se fosse com qualquer um eu iria expulsar a pessoa nos socos, mas eu estou falando do Taehyung e ele não é qualquer um na minha vida. Não para mim obviamente.

Olhei para o jeito tímido dele me fazendo sorrir de canto e apenas andei em sua direção, fazendo com que ele recuasse alguns passos para trás. Quando vi que o mais novo estava ficando sem saída, apenas me inclinei sobre o corpo magricela do Kim, deixando ele prensado na parede e meu sorriso se alargou mais ao vê-lo fechar os olhos.

— O q-que e-está fazendo?—perguntou em um fio de voz.

— Te admirando de perto ou apenas sentindo o seu cheiro.—sussurrei apoiando as mãos sobre a parede atrás dele.

— P-Pode se a-afastar?—pediu engolindo a seco.

— Agora quem não quer sou eu baby, aguente enquanto pode.—ditei levando meus lábios para o pescoço de pele leitosa.

Passei a deixar selares molhados nessa pele bronzeada, ouvindo os suspiros que escapavam dos lábios desejosos de Taehyung e aproveitei do momento para enfiar minha perna direita no meio das dele.

Senti as mãos do mais novo tocando meu peitoral com a tatuagem de Fênix, sentindo os dedos quentes deslizando pela minha pele e me arrepiando com a sensação, me fazendo fechar os olhos para sentir mais desses toques, torcendo internamente para não eretar e acabar com tudo.

— Jeon isso é errado.—sussurrou soltando um arfar quando ousei dar um leve chupão na deliciosa pele que ele possuí.

— Sim, é muito errado.—concordei ousando a levar minhas mãos para a cintura dele, deixando esse corpo bem próximo do meu e sorrindo de canto.

 — Nós estamos errados.—disse subindo suas mãos para a minha nuca e entrelaçando os dedos no meu cabelo.

— Nunca falei que eu era o certo da situação e muito menos te coloquei como vítima.—comentei voltando a distribuir beijos molhados pelo pescoço de pele alva.

— Você é gostoso.—confessou me fazendo rir nasalado pelo que ouvi. — E também me excita com esse corpo e tatuagens.—sussurrou soltando um arfar baixo dentre os lábios entreabertos.

— Já que você me excita e eu te excito, podemos continuar com isso ou você quer parar?—ousei a dizer enquanto deslizava as mãos pelo corpo desse garoto.

Deixei minhas mãos tocarem cada pedaço desse maravilhoso corpo cheio de curvas nos lugares certos, com um pouco de atrevimento, ousei repousar minhas palmas na bunda farta desse menino e dando um leve aperto apenas para sentir a deliciosa sensação de tê-lo.

— N-Não me toca assim.—pediu com essa voz manhosa.

— Então pare de se render desse jeito e de usar esse tom manhoso.—avisei dando um aperto mais forte e ouvindo-o ofegar.

Soltei um baixo suspiro ao sentir os dedos nervosinhos de Taehyung puxando meu cabelo com certa força, me atiçando a continuar com esses toques mais ousados e de apreciar esse momento. Eu quero ir além, mas o medo de estar ultrapassando ou violando ele me preocupa, até porque eu sei que o Kim é virgem e não desejará passar dos limites.

Me afastei dele novamente, voltando ao meu estado mais controlado e ouvindo o resmungo frustrado de Taehyung por eu ter feito isso. Virei as costas para o mais novo, tentando me controlar ao máximo para não fazer nada e ele com essa roupa rosa bebê, blusinha branca e shorts curto não me ajuda em nada.

Andei em direção ao meu closet, ouvindo os passos dele atrás de mim totalmente em silêncio e isso não é bom, até porque quando Taehyung fica desse jeito, ou ele está pensando ou apenas está chateado com algo que eu fiz. Suspirei pesaroso, me virando na direção dele ao tê-lo bem próximo e toquei o rosto de pele macia com ternura.

— Nós não podemos.—sussurrei deixando um breve selar nesses belos lábios que ele tem. — Eu não posso fazer isso ou avançar o sinal, não quero você decepcionado com o que sou e o que quero.

— Jungkook o que você esconde de mim? Porque você me deixa tão entregue e depois foge? Você não me quer porque eu sou inexperiente?—perguntou tudo de uma vez me fazendo se sentir a pior pessoa do mundo por fazê-lo passar por isso.

— Não é nada dessas hipóteses e tire essas idéias da cabeça baby, mas sim o problema sou eu e você não irá desejar algo desse tipo na sua vida.—comentei suspirando pesaroso por ter de tocar nesse assunto que me deixa desagradável.

— Porque quando eu sempre penso que estamos nos entendendo e que tudo irá ficar bem, você se afasta? Irá voltar a me evitar? Deixará eu me trancar no quarto?—disse com os olhos marejados.

Olhei para a situação dele, engolindo a seco com isso e mordendo o interior das bochechas. Fiquei de frente com Taehyung novamente, tendo o olhar dele sobre o meu e apenas o envolvi em meus braços.

— Fica quieto ok? Isso é algo meu, um momento do qual não quero ter de confessar tão cedo e muito menos ter de explicar tão breve.—confessei sentindo os braços dele em volta da minha cintura e o rosto na curvatura do meu pescoço.

— Independente do que for me conte quando se sentir seguro o suficiente e eu estarei aqui para te dar apoio.—sussurrou levando as mãos ao meu cabelo e deixando um afago.

— Não me leve a mal, até porque eu tenho um puta tesão em você e a minha maior vontade agora é de te fazer gemer o meu nome em cima daquela cama, mas por favor não force a barra.—falei deixando um beijo no ombro dele e uma carícia em suas costas.

— Eu preciso voltar a estudar, mas por favor não fique remoendo as coisas e venha desabafar comigo. Posso não ser o suficiente, até porque sou um adolescente infantil e inseguro, mas por favor venha até mim.—pediu enquanto enrolava algumas mechas do meu cabelo na ponta dos dedos.

— Só se você vir me procurar também e se alguém mexer com você me avise por favor.—alertei-o com um sorriso mínimo nos lábios.

— Tudo bem, portanto que não te coloque em problemas piores do que você já passa e lida durante o dia.—comentou rindo nasalado.

— Certo, estarei prometendo.—afirmei me afastando do abraço e vendo o sorriso geométrico tão lindo em seus lábios. 

— Agora eu vou voltar a estudar e você por favor tome cuidado.—ditou apontando o dedo no meio da minha testa me fazendo rir baixo. — Não quero te ver irado por aí e me deixando sem dormir durante a noite.

— Eu te deixo acordado com a minha raiva?—perguntei segurando o pulso dele para parar de me cutucar.

— As vezes, mas parece que estou me acostumando.—brincou dando de ombros e sorrindo. — Até mais tarde Gukkie e se cuida.

— Gukkie?—questionei de cenho franzido.

— Sim, um apelido carinhoso para não ficar te chamando de Jeon ou pelo seu nome o tempo todo.—respondeu enquanto andava em direção a porta e apenas o segui.

— Gostei do apelido!—exclamei ao vê-lo abrir a porta. — Você poderia me chamar assim mais vezes, quem sabe quando estiver manhoso ou desejando mais toques.—ousei provocar ao abrir um sorriso de canto.

— Não se preocupe.—falou parando na minha frente novamente e deixando um breve selar no canto dos meus lábios. — Vou pensar no seu caso Gukkie.—disse em um tom de voz baixo me fazendo suspirar.

Vi ele entrando novamente no seu quarto, me fazendo negar com a cabeça várias vezes e fechar a porta do meu cômodo.

Olhei na direção da parede em que eu havia o prensado minutos atrás, abrindo o meu melhor sorriso sacana com a situação e suspirando audível.

— Esse garoto ainda vai me fazer ir para o hospício, isso se eu não acabar virando um maníaco por ele.—falei para mim mesmo e andando em direção ao banheiro afim de tomar um banho.


[•∆•]

{ Duas semanas depois }


Eu estava em meu escritório trabalhando, enquanto os meninos estão no porto de Incheon para buscar uma carga importante que chegaria hoje, meu novo armamento e algumas jóias estavam a caminho em um jato particular e eu não posso me sentir mais do que ansioso para poder saber quais são as peças preciosas que os japoneses fornecedores haviam dito estar em alta no mercado e em leilões.

Me mantinha concentrado no que fazia, tendo em mente alguns novos contratos a serem fechados e encarei um ponto aleatório do escritório meio pensativo. Desde aquele dia em que Taehyung havia me deixado tocá-lo, me permitido sentir seus lábios, me pego sempre desejando por mais e mesmo que o desejo seja grande, não posso ousar ultrapassar a linha de limite que ele possuí em sua vida.

Suspirei audível, me levantando da minha cadeira, tirando o ponto da minha orelha e andando para fora do escritório afim de tomar um ar já que estou aqui desde as sete da manhã.

Caminhei pelos corredores silenciosos, tendo em falta a agitação da casa e os xingos do Yoongi com o Hoseok. Me sentei no sofá da sala de estar, tirando minha blusa preta, ficando apenas com a calça e a bandana vermelha na minha cabeça, podendo relaxar os músculos tensos e respirar fundo.

Fechei os olhos por alguns minutos apenas apreciando esse silêncio estranho dentro da casa, buscando pelo menos me acalmar e até teria dado certo se não tivesse a porta principal sendo aberta, me fazendo abrir os olhos para ver quem era e sorri mínimo por ver Taehyung em mais um de seus casacos de frio como um costume. Descobri recentemente que ele se esconde com essas roupas quentes até em dias ensolarados e mesmo que me preocupa, acho fofo pois ele parece uma criança escondida em roupas de adultos.

— Chegou cedo hoje.—comentei ao olhar o relógio na parede e vendo ser meio dia e meia, horário que jamais pensei que veria o Kim pela casa.

— Oi Gukkie, está aqui desde que horas? Já almoçou?—falou largando a mochila no canto ao lado do sofá, tirando o casaco preto e vindo até a minha direção.

— Perdoe baby, não fiz o almoço hoje porque estava trabalhando até agora e só sai para arejar um pouco.—confessei ao vê-lo se sentar ao meu lado e me analisar.

— Eu comi um lanche na praça com o meu colega, não se preocupe tanto com isso e se quiser posso comprar algo para você também.—disse colocando algumas mechas do cabelo atrás da orelha.

— Já que você chegou, eu tive uma idéia e quero que pelo menos me ajude.—sorri na direção do mais novo que me olhou sério.

— O que você vai aprontar Jeon Jungkook? E esse sorriso aí?—questionou de sombrancelha arqueada.

— Estou estressado, sua presença por incrível que pareça me acalma e eu gosto da sua companhia apenas.—respondi dando de ombros. — Mas eu estava pensando, porque não me faz se sentir melhor?

— O que você quer? Massagem? Carinho? Piadas bobas?—falou enumerando as coisas nos dedos.

— Para mim te ver sorrir já me deixa em paz pois sei que está bem!—exclamei vendo ele formar um bico nos lábios e apenas beijei essa fofura. 

Uma coisa que reparei desde aquele dia em que nos beijamos foi que agora isso vem acontecendo com mais frequência, seja um selinho, bitocas e até mesmo beijos lentos do jeito que Taehyung costuma comandar.

Às vezes até me sinto um adolescente perto dele já que meus hormônios ficam agitados e isso me faz se sentir eufórico o suficiente para fazê-lo meu como desejo.

— Gukkie está me ouvindo?—perguntou supostamente emburrado ao estalar os dedos na minha frente..

— Não, me perdoe.—falei sincero vendo ele bufar impaciente e apenas segurei o riso com a fofura. — Poderia repetir anjo?—pedi sorrindo abertamente.

— Eu falei que você tem que descansar um pouco e que novamente você estava dormindo no sofá na noite passada.—repetiu me encarando nos olhos. — Isso acaba com você e a sua saúde, poxa vida olha só o cansaço em seu rosto, sua alimentação está péssima e seu ânimo é nulo.—falou tocando meu rosto com ternura.

— A vida não para baby, infelizmente a minha não somente não para como também corre riscos e você deveria de se acostumar, até porque todos somos desse jeito.—falei puxando ele para perto de mim e o abraçando pela cintura.

— Poxa vida, desse jeito você me faz ficar chateado e mesmo que me esconda algo, eu não quero te ver mal.—comentou Taehyung se encolhendo nos meus braços.

— Vamos parar de falar sobre mim que não sou importante e falar de você.—mandei ganhando a carinha de feição confusa do mais novo. — Como foi as suas aulas? Aqueles babacas mexeram com você de novo? Está tudo bem?—perguntei vendo ele suspirar.

— Minhas aulas foram normais, consegui entregar meu trabalho a tempo, coisa que me deixou feliz e  consegui concluir a prova surpresa que tivemos tão de repente, já que  professora só deu aula para isso obviamente.—respondeu dando de ombros levemente. — Mas sobre o grupo do Yifan, eles ficam me olhando de longe e na onde eu estou, eles também estão e isso me preocupa.—confessou começando a brincar com os dedos.

Uma mania da qual notei no Kim é que quando está temeroso de que algo possa acontecer, ele começa a brincar os dedos totalmente distraído e alheio na vida.

— Mas eles estão mexendo com você? Provocando ou algo do tipo?—questionei puxando Taehyung para se sentar sobre o meu colo.

— Eles não fazem nada, mas manda alguns alunos mexer comigo ou fazer piadinhas idiotas.—disse em um tom baixo.

— Se isso continuar eu vou dar um basta neles.—ditei em um tom sério. — Porra eu não quero te ver chateado com um bando de babacas e os cachorrinhos deles.

— Jungkook cala a boca.—mandou de repente, olhando para mim e suspirando.

— O que? Porque?—falei meio confuso.

Observei as ações do mais novo ao me puxar pela nuca, tomando meus lábios para ele em um beijo lento, me fazendo retribuir esse contato e segurar a cintura fina que o Kim possui.

Senti as pernas dele se entrelaçando ao meu quadril, me induzindo a continuar com o contato quando senti meu lábio inferior ser mordido pelos dentes de Taehyung e quando ele pensou em se afastar o segurei pelo pescoço e aprofundando o nosso contato. Era apenas um beijo lento, sem língua e com nossos lábios em sincronia, mas esse garoto abusa do meu psicológico e isso começou quando Taehyung passou a causar estalinhos entre o ósculo.

Taehyung sabe como abusar da sorte, assim como sabe o que faz e mesmo que ainda seja virgem, santo esse garoto não está sendo ultimamente e isso vem me excitando cada vez mais.


°• Pov Taehyung •°


Dizer que eu não gostei de aproveitar dos lábios do Jungkook eu estaria mentindo, até porque o moreno sabe muito bem como comandar o beijo e sabe muito mais quais são os meus pontos sensíveis sobre o corpo. Na verdade todo o meu corpo reage ao Jeon de alguma forma e agora não está sendo diferente.

Ousei levar minhas mãos até o peitoral tatuado do Jeon, dedilhando meus dedos lentamente por essa pele quente e sem cortar o contato do nosso ósculo. Ousei arranhar lentamente o abdômen do mais velho enfiei minhas mãos nos bolsos traseiros da calça dele ao levar as mãos para as costas, alisando próximo do cós, subindo as mãos para o abdômen definido que ele possuí e para os ombros onde arranhei mais forte que antes.

— Tae eu não vou me desculpar depois pelo que você está fazendo.—sussurrou contra os meus lábios e apenas soltei um riso.

— Eu mandei você calar a boca, fica tão lindo apenas quando me beija e me toca que nem parece o mesmo rabugento.—retruquei voltando a beijar esses lábios convidativos dele.

— Filho da puta.—xingou agarrando minhas coxas com firmeza, voltando a atacar meus lábios e apertar minha pele por cima da calça.

Sorri contra os lábios do mais velho, agarrando nas suas madeixas negras e dando fortes puxões ao sentir meu lábio inferior sendo maltratado pelos dentes do moreno. Suspirei contra a boca de Jungkook, apertando minhas pernas ao redor da cintura dele, me ajeitando devidamente e arfando surpreso ao ter as mãos dele agarrando minha bunda me colocando sentado sobre o seu membro rijo que pude sentir nesse momento.

Mordi o lábio superior de Jungkook, causando um estalo ao me afastar da boca alheia pela falta de ar, mas continuando de olhos fechados para apreciar os selares molhados que o moreno passou a distribuir pelo meu pescoço, me fazendo tombar a cabeça para o lado afim de dar mais acesso e para que ele continuasse.

Eu não somente o sinto, como também o desejo, mas o medo de estar fazendo tudo rápido demais me assombra e ainda mais com Jungkook que tem várias cismas com as coisas. Eu acho que por mais que desejamos dar um passo a frente, a insegurança e o medo de algo vir a tona anda por entre nossas sombras e perturba as nossas mentes.

Às vezes eu fico tão necessitado dos toques de Jungkook, das suas ações ousadas sobre o meu corpo e dessas mãos firmes me apertando como estão fazendo agora. Eu gosto dessas coisas que ele faz. Gosto de como ele deixa os meus hormônios queimando pelo meu corpo e me faz entrar em chamas em questão de segundos.

— Vamos parar por aqui porque se não isso vai acabar de outra forma.—sussurrou puxando minha camiseta para baixo e dando um chupão forte na minha clavícula.

— Gukkie não faz isso que vai ficar a marca.—choraminguei manhoso pois eu sei que o excita mais ainda.

— Puta que pariu Taehyung não fala desse jeito não.—disse dando um tapa na minha bunda e me fazendo empinar com o impacto.

— Então pare de me deixar marcas, não aguento mais ter que inventar desculpas para os olhares dos meninos e as piadinhas durante as refeições.—falei me ajeitando sobre o pênis rijo do mais velho.

— Se você continuar se mexendo desse jeito eu vou te foder aqui mesmo.—ditou em um tom sério e apenas dei de ombros.

— Não quero.—neguei voltando a me mexer e sorrindo de canto.

— Kim Taehyung.—rosnou agarrando as minhas nádegas e com um impulso se levantou do sofá. — Você está fodido moleque travesso.

— Gukkie o que você vai fazer comigo? Eu não fiz nada.—falei manhoso e sorrindo de canto ao ver a cara séria dele.

Envolvi meus braços no pescoço de Jungkook, deixando que ele me carregasse em direção a cozinha, me colocando sentado em cima da mesa e quando eu ia ousar perguntar o porquê disso, senti os lábios dele atacando os meus de uma forma desejosa. Retribui ao contato, deixando meus dedos emaranhados nos fios negros dele e sentindo a textura desses lábios que veio se tornando uma necessidade de tê-los.

Soltei um arfar surpreso ao sentir ele se enfiar no meio das minhas pernas, movimentando o quadril sobre o meu e deixando sua ereção evidente tocando minhas nádegas. 

Com um pouquinho de coragem pelo momento, entrelacei as pernas na cintura dele novamente, deixando o corpo musculoso do Jeon sobre o meu e provocando ele com estalinhos molhados e gostosos entre o nosso ósculo. Senti as mãos dele levantando a minha camiseta, tocando diretamente na minha pele e me fazendo suspirar com os dedos gélidos me estimulando. Arfei baixinho ao sentir os polegares dele sobre meus mamilos, me atiçando por ser um ponto fraco meu e apenas puxei os fios negros do mais velho com precisão e urgência sabendo que ele gosta disso.

Ousei a colar mais os nossos corpos, tendo o meu deitado sobre a mesa, com Jungkook em cima de mim e voltando a insinuar estocadas com os movimentos do quadril sobre o meu, me fazendo gemer manhoso com esse tupor e apenas arranhei a nuca do moreno, descendo até as costas para descontar o tesão e vontade de me entregar.

— G-Gukkie.—chamei pelo mais velho ao sentir minha camiseta ser retirada do meu corpo.

— Não podemos.—sussurrou com o tom de voz rouco, se afastando de mim e encarando meu tronco desnudo.

— Me desculpe.—pedi mordendo o lábio inferior e ouvindo o riso dele.

Eu sei o quanto é difícil estar assim, sabendo que tem algo que o incômoda, mas irei esperar o tempo dele e até essa hora chegar, estarei sendo paciente e compreensível a todo momento.

— Não se desculpe, porra isso daqui está excitante e esse jogo de provocações somente aumenta o desejo e tesão que sentimos.—falou devolvendo a minha camiseta.

— Eu quero, você também quer e mesmo assim nunca concluímos.—disse soltando um muxoxo abalado. — Eu vou esperar por você e terei paciência com tudo que te compõe.

— Vamos com calma sim? Um passo de cada vez, até porque você está se descobrindo e aprendendo.—aconselhou vestindo a minha camiseta em meu corpo e beijando meu pescoço. — Você é muito gostoso e me excita, mas mesmo assim não quero te assustar.

— Se eu dissesse sim, você faria sexo comigo? Transaria com um virgem?—ousei a perguntar porque ando me questionando sobre jsso ultimamente.

— Não somente faria como te assumiria, mas por agora me contento com as punhetas e seu sorriso.—disse deixando um breve selar em meus lábios.

— Posso te ajudar a se aliviar com alguma coisa?—perguntei sorrindo mínimo ao ver a ereção marcada na calça do moreno.

— Você está ficando abusado, eu não quero isso e muito menos desejo vê-lo me assistindo bater uma para você.—brincou me fazendo rir nasalado com a situação. — É sério, cadê a minha privacidade na hora de bater punheta Kim Taehyung?—perguntou com o seu tom brincalhão.

— Como eu sei que a punheta é dedicada para mim, tenho o direito de ver e provocar.—retruquei vendo a cara pasma que ele fez me fazendo rir alto. — Vamos subir? Se os meninos chegar e te ver assim vão desconfiar. A não ser que deseja bater uma exclusiva para mim aqui na cozinha e quem sabe gozar na minha boca?—provoquei limpando os cantos dos olhos com lágrimas.

— Vá se foder Taehyung, pelo amor de Deus eu não estou ouvindo isso sair de sua boca e não passa de um pesadelo.—falou andando para fora da cozinha e apenas o segui calmamente.

— Ooh Taehyung.—gemi para provocar um pouco em meio a situação.

— Calado. Nem mais um pio ou provocações garoto.—mandou enquanto subia as escadas e apenas me sentei no sofá rindo. — Se você estiver na porta do meu quarto eu vou te expulsar nos chutes mocinho.

— Vai logo Gukkie e para de ser um hyung chato.—falei me deitando no sofá e sorrindo de canto. — Aproveita e me imagina totalmente nu na sua cama ou melhor rebolando no seu colo.—brinquei ouvindo os passos dele se cessar.

— Puta que pariu garoto.—xingou parado no meio das escadas e se virando para mim.

Olhei atentamente cada uma das ações de Jungkook ao abrir o zíper da calça junto do botão, tirando seu pênis ereto de dentro da box e começando a se masturbar para mim.

Como uma lâmpada, uma idéia surgiu na minha cabeça e em um pulo me levantei do sofá, andando até a escada e subindo os degraus lentamente para torturar um pouco o moreno. Assim que parei na frente dele, analisando os movimentos lentos que Jungkook está fazendo em volta da sua base, apenas soltei um riso fraco e empurrei o corpo dele para trás deixando ele cair sentado sobre um dos degraus.

Me sentei sobre o colo do mais velho, tendo o olhar intenso sobre mim e sorri de canto ao vê-lo de sombrancelha arqueada.

— Você uma vez me disse que não deseja que eu perca a minha inocência, mas a verdade é que de inocente eu só tenho meu jeito infantil e dessa vez você está nas minhas mãos.—ditei em um tom sério e mordendo o lábio inferior.

— O que você está fazendo?—perguntou Jungkook me analisando.

— Você vai me deixar fazer? Essa é a pergunta.—falei arqueando a sombrancelha.

— Depende do que deseja e de como quer.—respondeu levando as suas mãos para a minha bunda e dando fortes apertos.

— Então deixe eu te sentir.—sussurrei próximo dos lábios inchados do mais velho e sorrindo mínimo. — Deixe eu ouvir meu nome sendo proferido de sua boca Gukkie.—falei em um tom de voz manhoso.

Vi Jungkook fechar os olhos brevemente, voltando a se masturbar e para incentivar um pouco a estimulação, levei meus lábios de encontro ao pescoço dele, deixando beijos molhados e leves chupões. Levei minha destra até o peitoral com a tatuagem de Fênix, dando leves arranhões e descendo de encontro até a mão que ele estava se estimulando, passando a movimentar junto dele.

Escutei os arfares baixos que os lábios do Jeon passou a proferir quando juntei minha mão na dele, me fazendo sorrir abertamente ao passar o polegar na glande dele e literalmente dando as costas para os meus princípios de estar pecando. Nunca digam que dessa água não irá beber, porque além de beber, é capaz de se afogar. Ouvi o gemido de Jungkook soar em meu ouvido, me chamando de um jeito tentador e me fazendo se mexer no colo dele pelo arrepio que tomou a minha espinha.

Mordi o lábio inferior, vendo os orbes negrumes na minha direção, olhando para mim cheios de luxúrias, me fazendo arfar somente na situação em que estamos e em como queremos concluir tudo isso. Dei um sobressalto do colo do moreno ao ouvir a porta principal sendo aberta, arregalando os olhos assutado com a situação e vendo Jungkook subir a calça em um pulo, pedindo silêncio com o indicador nos lábios.

— O que vamos fazer?—perguntei baixinho.

— Vamos para o banheiro e não faz barulho.—sussurrou se levantando da escada e segurando na minha mão.

— P-Porque no banheiro Gukkie?—falei confuso.

— Você vai mamar bebê.—respondeu assim que entramos dentro do banheiro, com ele trancando a porta e me deixando envergonhado.

— C-Como que é o negócio?—sussurrei em um fio de voz.

— Eu vou me masturbar e você vai chupar a cabeça da minha pica bebê, assim vai ganhar leite na boquinha.—falou voltando a descer as calças e notei o tamanho dele.

É grande, tentador e consequentemente me bateu a vontade de experimentar. Às vezes minha curiosidade me atiça e eu acabo fazendo as coisas.

— 'Tá bom.—concordei me ajoelhando na frente do mais velho e olhando rapidamente para ele que sorria sacana.

Pisquei algumas vezes para assimilar o que eu estou prestes a fazer, me deixando ansioso e apenas coloquei minha língua para fora, vendo Jungkook se masturbando na minha cara e quando menos esperei, senti a glande dele dentro da minha boca aberta, me deixando surpreso com a agilidade.

Fechei a boca em torno da cabeça do pênis alheio, vendo atentamente os movimentos dele em sua base, arfando baixo para não chamar atenção de quem está do lado de fora e com um pouco de coragem, passei a lamber a fenda que expelia o pré gozo. É um pouco estranho estar desse jeito com o mais velho, comigo de joelhos dentro de um banheiro, com o pênis dele na boca e vendo ela se masturbar para me "suja", isso é meio confuso.

Apoiei minhas mãos no chão, vendo os movimentos dele se acelerando e os gemidos soando um pouco altos, me fazendo levar a destra para a coxa dele e deixar um leve belisco ouvindo o resmungo que ele emitiu pela força usada. Olhei para ele reprovador, tentando passar a mensagem de que não é para gemer alto e apenas vi ele concordar com a cabeça, me fazendo engolir um pouco mais o seu pênis.

— Q-Que boca baby.—elogiou quando comecei a me movimentar, deixando que ele masturbasse uma parte de sua base e me fazendo sentir o gosto de seu líquido pré seminal.

Olhei para Jungkook de um modo meigo, piscando os olhinhos de um jeitinho fofo que eu descobri recentemente que o enlouquece e notei ele sorrir sacana pelo meu modo de agir enquanto o chupava. Espalmei minhas palmas na porta atrás dele, acelerando mais o ritmo da cabeça, fazendo o membro dele entrar e sair da minha boca de uma forma rápida, ouvindo as lamúrias de prazer que ele emitia toda vez que eu lambia sua glande sensível.

Senti o quadril dele vindo para frente de um modo lento, sentindo seu pênis entrar bem fundo e sair, tendo ele repetindo esses movimentos mais cinco vezes, me fazendo se engasgar um pouco e voltar a beliscar a coxa dele, ouvindo o riso nasalado do mais velho por isso.

— Chupa bebê e brinca bem gostosinho no meu pau.—falou com a voz rouca me causando efeitos que jamais pensei que teria antes na vida. — T-Taehyung que b-boquinha deliciosa ooh.—gemeu meu nome voltando a movimentar o quadril dessa vez de um modo rápido.

Voltei a me apoiar sobre a porta, me engasgando com o pênis do mais velho, vendo ele jogar a cabeça para trás em ouro êxtase e me fazendo pensar que estou indo bem, mesmo que minha saliva esteja escorrendo pelos cantos dos meus lábios e molhando a base dele.

Eu não sei por quanto tempo ficamos assim, muito menos de quantas vezes senti a glande de Jungkook vindo de encontro a minha garganta de uma forma bruta, fazendo lágrimas caírem dos meus olhos com a força usada e pelos meus cabelos estarem sendo puxados com pressão. Jungkook está literalmente fodendo a minha boca, mesmo que seja torturante eu estou gostando e principalmente por estar dando prazer para ele de uma forma que não envolva penetração por enquanto.

— T-Taehyung ooh d-delícia.—gemeu grave ao estocar minha boca novamente e assim gozando. — Engole baby, sinta minha porra sobre seu paladar e lembre o quanto essa boquinha me enlouqueceu toda vez que ousar olhar para os seus lábios.—falou tirando o pênis da minha boca e bombeando ele tendo mais jatos de seu sêmen sujando meu rosto.

— J-Jungkook.—chamei pelo mais velho totalmente com a voz falha.

— Você tem uma boca gostosa demais meu amor, abrigou tão bem meu pau e foi tão obediente.—disse tocando meu rosto e secando minhas lágrimas com os polegares. 

— Ei JK você está no banheiro?—ouvi a voz de Yoongi perguntar. — Porra sai daí que eu quero usar e o Hoseok está tomando banho lá na minha suíte.—mandou dando chutes na porta.

— Mas que porra deixe eu dar descarga e me vestir fodido.—ralhou Jungkook irado e pedindo silêncio para mim.

— Anda logo caralho.—ralhou dando um último chute e assim tudo ficou em silêncio no lado de fora.

— Gukkie e agora?—sussurrei para o mais velho.

— Fomos pegos no flagra, vamos ter que sair e agora não tem mais volta baby, mas não se preocupe que ninguém vai ficar falando de você.—comentou vestindo suas calças novamente e fechando o zíper junto do botão.

— Aigoo foi uma péssima idéia vir ao banheiro.—resmunguei frustrado, lavando meu rosto rapidamente e tirando qualquer resquícios de sêmen.

— Mas se não fosse com adrenalina e riscos, eu nem te colocava para mamar amor. Então valeu a pena.—provocou me roubando um selinho e secando meu rosto com a toalha.

— Vamos logo Jungkook, já estou envergonhado o suficiente para lidar com mais uma das suposições suspeitas de Min Yoongi e companhia.—reclamei vendo ele abrir a porta, saindo do banheiro e apenas o segui.

Olhei para frente, vendo Yoongi encostado na parede com um sorriso sacana nos lábios e antes que ele pudesse falar algo sobre estarmos juntos no banheiro, abaixei a cabeça e ouvi a voz do Jeon presente.

— A nossa vida pessoal não lhe diz respeito e não desejo ver comentários sobre Taehyung nessa casa.—ditou o moreno em um tom sério, pegando na minha mão e me puxando para o quarto dele.

— Não irei comentar nada com os meninos e a propósito, fico feliz que estejam se entendendo.—disse o de madeixas verdes menta.

— Sempre pude contar com você Suga, mas não o perturbe com isso.—avisou Jungkook em um tom de advertência.

— Jamais líder e até mais tarde na reunião.—falou o baixinho adentrando o banheiro e trancando a porta.

Em silêncio seguimos até o final do corredor, enquanto eu encarava nossas mãos entrelaçadas e o calor da palma de Jungkook sobre a minha me deixou eufórico de alguma forma e flashes do que acabamos de fazer ficou se repassando como filme na minha cabeça, me fazendo engolir a seco.

Eu só sei de uma coisa e que posso afirmar de um modo convicto...




A minha vida está virando um caso perdido e meu coração um babaca.





Notas Finais


Olha eu aqui kkkkk

O que vocês estão achando? Gostaram do capítulo? Querem mais?

Quem quiser comentar fiquem a vontade, eu não mordo e sou bem de boa ok cupcakes?

Por hoje é somente isso, esperam que tenham aproveitado e surtado junto comigo hehehe;🌚🥃

Até o próximo capítulo!🌷💜

Beijos e se cuidem sempre bebês;🤭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...