História Love still existis (Bubbline) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Beemo "BMO", Conde de Limãograb, Dona Tromba, Finn, Gunter, Hudson Abadder, Jake, Lady Íris, Litch, Marceline, Mordomo Menta, O Lich, Personagens Originais, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba, Rei Gelado, Sr. Porco
Tags Bubbline, Romance
Visualizações 161
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal, esse capítulo ficou bem grande. Por favor avisem nos comentários se preferem capítulos mais curtos ou mais compridos. S2

Capítulo 5 - Second first date


Fanfic / Fanfiction Love still existis (Bubbline) - Capítulo 5 - Second first date

Marceline POV:

Infelizmente a chuva passou ainda cedo e acompanhei Bonnie até seu castelo ontem.

Mesmo animada para o encontro de hoje a noite estou apreensiva. Ainda tenho muita coisa pra digerir.

"O que fez jujuba mudar de ideia assim do nada? Toda vez que eu tentava algo ela sempre fugia de mim. As responsabilidades dela não diminuíram, como sei que não vai acabar do mesmo jeito?"

Nesse exato momento há um conflito interno em minha mente. De um lado a Marceline retardada que acha que pode ter a Bonnie de novo e do outro a Marceline sensata me falando que vou me magoar novamente. Enfim não tenho tempo pra isso agora.

"Melhor eu começar a arrumar a casa e cozinhar, ela provavelmente vai gostar de um jantar romântico."

Agora a merda é: como vou cozinhar se não como comida normal há séculos?

Cheguei a conclusão que macarrão com molho era a coisa mais fácil de fazer e com menos chance de dar errado então corri para o mercado em busca dos ingredientes.

Quando cheguei em casa novamente, corri pra cozinha, organizei tudo na bancada e então busquei a receita na internet, colocando meu celular também ao lado para me guiar.

"Calma, a maior merda que pode acontecer é eu colocar fogo na casa."

Depois de mais ou menos uma hora eu concluí minha obra prima, o melhor macarrão já feito por mãos vampíricas.

Quando olhei no relógio já estava quase na hora de Bonnibel chegar, então corri para o banheiro e tomei um banho rápido.

Infelizmente a campainha tocou antes que eu pudesse terminar de fato o meu banho. Saí atrapalhada me enrolando na toalha e flutuando o mais rápido possível até a porta.

"Merda, porque ela sempre tem que ser tão pontual?"

Bonnibel POV:

Fiquei ansiosa para o encontro com Marcy, mesmo que fosse só pra assistir um filme com ela. Fazia tempo que não saíamos assim, sem nenhuma aventura ou encrenca, apenas para nos divertir.

Estou tão feliz que Marcy aceitou recomeçar do zero. Pensei que depois do dia em que terminamos ela nunca mais fosse olhar na minha cara, porém ela sempre esteve lá para me ajudar quando eu precisei, sempre.

Flashback on:

O dia estava frio e chuvoso. Marcy e eu combinamos de sair durante a noite, porém uma notícia inesperada me atingiu durante a tarde.

-Princesa, precisamos conversar. -Mentinha me retirou do laboratório, me levando até meu quarto.

-Aconteceu alguma coisa? -Indaguei curiosa.

-Sugiro que se sente princesa. -Ele puxou a cadeira e então fiz o que ele pediu.

-O que houve mordomo Menta? Desse jeito você me preocupa. 

Milhares de coisas começaram a passar em minha cabeça, porém tentei manter a calma.

-Princesa, eu sinto informar que seu amado pai, rei do reino doce faleceu.

Não pude acreditar no que ouvi. Meu mundo desmoronou,minha visão ficou turva e senti as lágrimas escorrendo pelas minhas bochechas.

Meu peito doía horrivelmente e tudo que queria fazer era me encolher e chorar como um bebê.

-Eu sinto muito princesa. -Mentinha tentou me consolar.

Ficamos abraçados chorando por muitos minutos.

-Aonde... Ele... Tá? -Perguntei entre soluços.

-O corpo está sendo velado princesa, o funeral ocorrerá amanhã de manhã.

-Qual foi a causa?

-Ele apenas passou mal princesa, ainda estão investigando. - Mentinha colocou a mão em meu ombro para me confortar.

Me levantei tonta e com a visão atrapalhada pelas lágrimas, caminhei até meu quarto e deitei em minha cama em posição fetal.

Não queria mais existir, queria apenas meu pai ali comigo, me abraçando e ensinando lições sobre governar. Como cuidarei do reino sem ele?

De repente ouvi um barulho na janela, era Marceline. Com o impacto da notícia nem me lembrei de desmarcar.

-Aí, jujuba, tá mó confusão lá fora né? Parece até que alguém morreu. -Ela falou apontando para o lado de fora enquanto se aproximava risonha.

Solucei mais ainda depois do que ela disse, mesmo não sendo de propósito, Marceline poderia ter sido mais delicada.

Ela percebeu o quanto eu estava chorando e então se deu conta do que houve.

-Ah não, Bonnie... Desculpa. -Ela falou enquanto me abraçava forte.

-Sua idiota! -Dei um tapa com raiva em seu braço, mas logo desisti de brigar e cedi ao abraço, me aconchegando no colo de Marceline e chorando como uma criança.

Mal sabia eu que seria o começo do fim de nossa relação.

Flashback off:

Me arrepiei ao lembrar desse dia. Foi um dos piores da minha vida. 

Acordei do meu devaneio e fui me arrumar. Coloquei um vestido tomara que caia rosa um pouco acima de meu joelho, que era apertado até minha cintura. Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo e saí de casa.

No caminho esbarrei com Finn e Jake. Aparentemente eles estavam em busca de uma criatura da noite que roubou o brinquedo de uma das crianças do Jake.

-Princesa, tem certeza que não quer vir com a gente? -Insistiu Finn.

-Não tá vendo que ela tá toda arrumada? -Jake cutucou o amigo com o cotuvelo, dando ênfase na última palavra. -Acho que ela tem outros planos. -Ele continuou zoando.

-É... Tá tarde né? Tenho que ir, tchau! -Falei tentando disfarçar minha vergonha e correndo para o lado oposto dos meninos.

-Até mais princesa, boa sorte com... Seja lá o que for fazer! -Se despediu Finn, com aquele tom amigável de sempre.

Corri até a casa de Marcy e para meu alívio, cheguei exatamente no horário combinado. Toquei a campainha e aguardei.

Quando a porta se abriu, Marceline estava só de toalha, com seus lindos cabelos negros molhados. Tentei disfarçar, mas não pude evitar de reparar em seus ombros, clavículas e coxas.

Senti meu rosto queimar na hora.

Mesmo depois de tantos anos a beleza de Marcy ainda fazia meu coração acelerar, e muito.

-Olha, foi mal por não estar pronta, eu acabei de fazer o... -Ela me olhou de cima abaixo. -Jantar. -Pude ver seu queixo caído.

-Não tem problema, pode terminar com calma. -Respondi ainda mais sem graça depois de ver como ela me observou.

Entrei na casa de Marceline e me sentei no sofá, aguardando até ela colocar sua roupa e secar o cabelo.

-Há, aqui tô eu Bon Bon. -Ela me abraçou e deu um leve beijinho em minha bochecha. -Agora fecha os olhos que vou ajeitar tudo pra você.

Marceline POV:

Bonnibel estava realmente deslumbrante, o vestido dela, o jeito como ela amarrou o cabelo, o cheiro que ela exalava quando eu a abracei. "Uau!" Foi a única coisa que consegui pensar, além é claro do meu coração que batia super rápido em meu peito.

Enquanto Bonnie esperava sentada no sofá de olhos fechados, arrumei tudo, hora ou outra me certificando que ela não estava espiando.

-Voilà! -Tirei as mãos dela de seu rosto. -Espero que goste. -Cocei minha nuca.

Apesar do atraso, fiquei bem orgulhosa com o quão aconchegante o ambiente ficou.

Nos sentamos à mesa, com a luz da vela iluminando nossos rostos. O macarrão e o vinho já estavam servidos.

Esperei ansiosamente até que Bonnie provasse o macarrão, já que eu não poderia experimentar.

-É... Até que pra quem só come vermelho, você cozinha bem. -Ela riu.

A risada dela soava como música pelo ambiente.

-Eu sempre sou ótima em tudo que faço. -Me gabei.

-Tudo? -Ela me provocou e se aproximou.

-Tudo. -Respondi chegando tão próximo que sentia sua respiração.

Bonnie me deu um selinho.

-Aposto que te venço no videogame. -Ela continuou me encarando e tentando me irritar.

-Você tá falando com a rainha dos videogames. Vê se não chora quando eu chutar seu traseiro no jogo. -Nós rimos. -Quem vencer leva o título de melhor jogadora do mundo.

-Fechado. -Ela afirmou confiante.

Comemos, conversamos e rimos muito. Fazia tempo que não me divertia tanto assim, principalmente com Bonnibel. Me senti como nos velhos tempos, a nostalgia invadindo meu peito assim como os sentimentos que tenho por ela.

Finalmente chegou a hora do tão esperado jogo. Nos sentamos no sofá, ela com as pernas por cima das minhas, deitada no braço do sofá e eu apoiada no encosto.

-Que vença a melhor. -Ela disse.

-Que bom que já admitiu sua derrota. -Ri de maneira maligna.

Após uma hora jogando,  na última rodada Bonnibel virou o jogo e me venceu.

-NÃO É POSSÍVEL, VOCÊ ROUBOU!! -Gritei acusando-a.

-Só aceita que você não chega no meu nível e que não é boa o suficiente pra me vencer. -Ela me zoou.

-Ah é, agora você vai ver. 

Pulei em cima dela no sofá e comecei a fazer cosquinha, até que ela implorasse para eu parar.

-Quem é a vencedora agora? -Perguntei brincando.

-Ainda sou eu e você vai ter que engolir essa até me ganhar novamente. -Ela continuou provocando.

-Cala a boca Bonnibel. -Revirei os olhos.

-Vem calar. -Ela se aproximou de meu rosto.

Uni nossas bocas e beijei calorosamente aqueles doces lábios macios, algo que esperei a noite toda para fazer.










Notas Finais


PS: Quem tá animado pro hot? 🙋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...