1. Spirit Fanfics >
  2. Love story >
  3. Dois.

História Love story - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Dois.


Depois da curta conversa na varanda, Talia chamou por mim de forma desesperadora, achei que alguém poderia até tido engasgado com a comida. Me despedi de Declan, com a certeza que o encontraria mais tarde em qualquer canto do Palácio para que pudessemos conversar mais.

Adentrei para dentro atrás de Talia que me levou até meu pai e eu ja sabia o que viria, era a família de Declan ali, engoli seco, me aproximei com passos lentos e não demorou para que eu visse Declan se aproximar também de sua família. Parei ao lado de meu pai e aquilo foi interessante de se ver, ele parecia empolgado juntamente com o outro rei e aquilo não me deixava bem.

— Quero que conheça sua futura esposa! — as palavras que veio de encontro a mim, foi um baque pois aquilo realmente estava acontecendo logo comigo. não consegui esboçar nenhum sentimento bom naquele momento, olhei para meus pais incrédulos, olhei para Talia que fazia um beleza com os dedos e finalmente olhei para Declan que balançou a cabeça, indicando para que eu fugisse da saia justa, que eu mesmo havia criado.

respirei fundo e olhei para a garota, que por sua vez, se mostrava tranquila e como se tivesse totalmente preparada para aquele momento. eu ja devia estar, ja que Talia me ensinou tudo, mas aquele momento era o mais temido por mim. Sai portas a fora, de forma rápida, eu sequer dei atenção para os chamados por mim ou até mesmo os olhares.

apoiei minhas mãos sob meus joelhos até chegar a parte mais afastada do Jardim e controlei minha respiração, como que diabos eu iria explicar o motivo que sai correndo? apenas deixei aqueles pensamentos de lado e me sentei em um dos bancos ali, ja estava escuro naquela parte mesmo, então não teria porque me preocupar, ninguém iria me achar ali. Bem, era o que pensava ao ouvir barulhos de galhos sendo quebrados, quando alguém pisava, esperei Talia vir e me xingar por aquilo e me dizer como sentir ou agir em situações assim, mas não era Talia, era Declan.

— É agora que eu morro ou amanhã pela manhã já acordo casado? — deixei que um murmuro saísse acompanhado de um suspiro triste. Declan não disse nada, apenas deixou que um riso saísse entre seus lábios e aquilo me fez rir também.

Vi ele se sentar do meu lado e me virei o olhando, observei e gravei cada detalhe de seu rosto, cada traço ali com toda certeza ficaria em minha memória e eu fazia questão de lembrar de cada um desses traços. fui desperto de meus pensamentos assim que senti o toque sobre minha bochecha.

— por mais que amanhã seja sábado, você ainda não vai se casar com ela! — Declan disse e soltou um riso em seguida, sem que a carícia no rosto de Mason cessasse. o moreno sorriu com aquilo e podia notar a proximidade que seus rostos iam ficando, ele conseguia sentir as respirações se entrelaçando uma com a outra e logo seus lábios se tocando pela primeira vez.

alguém poderia achar eles e aquilo ser um escândalo, mas ali naquele momento, nada mais importava. a não ser a medida que o beijo ia se intensificando, as mãos de Mason iam ao encontro do rosto e logo deslizavam para os ombros largos do maior. Mason podia sentir seu coração bater mais rápido e tudo dentro dele ficar mais leve. mas ele tinha a total certeza que Declan também se sentia daquela forma.

o beijo foi interrompido quando os pulmões de ambos imploraram por ar. Ele se afastou de Declan minimamente e o olhou, tomando conta do que tinham feito, Mason queria correr por medo, mas também queria continua ali olhando Declan e implorar por mais um beijo, por mais um momento como aquele ou até mesmo por mais que aquilo e foi o que ele fez.

Ele tomou os lábios de Declan mais um vez e o de olhos claros retribuiu de forma necessitada, sua mão passeou pelo corpo coberto de Mason, apertando sua cintura, enquanto ele sentia seus curtos fios de cabelo serem puxados por mason, eles precisavam de mais, o beijo não era o suficiente para dois garotos que se escondiam o tempo todo de julgamentos e por medo. Declan quebrou o beijo e fez com que Mason se sentisse confuso, mas Declan queria o olhar por mais uma vez antes de pedir para que eles se encontrassem novamente.

Mason por sua vez disse para Declan o encontrar as duas da manhã, em seu quarto, antes de puxa-lo para mais um beijo, mas dessa vez mais calmo, tendo a confiança que o encontraria em seu quarto logo.


[...]


Mason ficou mais um tempo com Declan ali, naquela parte escondida do jardim, onde ninguém os encontraria, trocando carícias juntamente com promessas, que talvez aos olhos humanos seriam coisas passageiras e totalmente impossíveis de realizar. mas aos olhos de ambos, eles poderiam ter e fazer tudo que sonharam durante anos.


Ele seguiu para dentro do palácio momentos depois, muitas pessoas ja haviam indo embora da festa, ali ainda tinha uns gatos pingados conversando, mas ja seguindo seus rumos, mason não viu seus pais, Talia ou a familia de Declan. Ele se sentiu aliviado por aquilo e voltou a seguir o caminho para seu quarto de forma apressada. Ele estava um tanto curioso para saber o que aconteceria ali, ele nunca teve alguém no seu quarto antes. Diferente de Declan, que ja havia se deitado tanto com garotas e garotos, mas ele desejava que aquela vez com Mason não fosse a última.


Declan bateu na porta uma vez como mason o disse e adentrou ao quarto, fechando a porta em seguida e a trancando, Mason por sua vez, estava ansioso a espera do mais velho, ele respirou fundo ao notar que Declan havia finalmente chegado, por mais que tivera se atrasado uns minutos.


Mason caminhou até Declan, que vinha ainda em sua direção e o olhou, parando em sua frente.


— eu achei que não iria vir mais! — Mason disse como um sussurro, tinha medo que alguém pudesse ouvir qualquer coisa. Declan apenas envolveu sua mão na cintura de mason sussurrando de volta. — eu demoraria o tempo preciso, mas não deixaria de te encontrar.


foi a última coisa que Declan disse antes de iniciar um beijo, dessa vez era diferente dos outros, esse calmo, mas ao mesmo tempo, necessitado e com desejos, que eles sabiam muito bem.


ele caminhou devagar até a cama de mason, se sentando sobre a mesma, sem sequer quebrar o beijo, deixando o garoto sobre seu colo, que colocou suas pernas uma de cada lado do quadril de declan. sua línguas se entrelaçaram e Mason rebolava seu quadril contra o colo de declan, ambos suspiravam pesado entre o beijo.


mason podia sentir Declan ficar semiereto por baixo dele. aos poucos o beijo foi separado e os lábios de Declan desceram pelo pescoço de mason, marcando tudo o que tinha direito sem ao menos se importar se ficariam marcas no dia seguinte.


o corpo de mason se arrepiava mais, ele sentia formigamentos em seu ventre enquanto apertava seus dedos sobre os ombros do de olhos claros e fechava seus olhos dando espaço para que os lábios do mesmo, continuassem o marcando, os gemidos saiam baixos de sua boca, quando sentia os apertos e o passear da mão de Declan passar por seu corpo, ele o tocava tão bem que Mason sequer sabia como ainda respirava.


Mason tomou Declan novamente para um beijo, ja sentindo o outro desabotoando sua camisa e não perdeu tempo, fazendo o mesmo, dedilhou todo peitoral de Declan, que era iluminado pelo curto fio de luz, que adentrava pelas janelas e porta da varanda, da sacada. ele se afastou minimamente para conseguir ver todo corpo de Declan. só se ouviam suspiros e nada mais que isso.


Mason tomou a iniciativa de descer seus lábios pelo peitoral do outro e logo saiu de seu colo, se ajoelhando em sua frente no chão e desabotou a calça do maior, retirando o restante do que impedia de ver Declan nú. sua mão deslizou ali e logo podia se ouvir gemidos do mais velho por todo aquele cômodo, seu peito subia e descia de forma rapida e necessitada, seus dedos apertavam os lençóis brancos da cama de Mason e seus olhos foram fechados por curtos segundos e sua cabeça tombada para trás. Declan desejava que aquele momento nunca se acabasse, ele ja podia sentir, todo estremecer percorrer por seu corpo, Mason, somente Mason sabia como fazer aquilo, só Mason conseguiu fazer com que Declan o desejasse mais.


Declan puxou mason novamente para cama e o deitou ali, mason ainda se encontrava com vestimentas, em poucos segundos ja não tinha tecido nenhum que impedisse que seus lábios trilhasse todo o corpo do moreno, que sequer quebrava o contato com olhos claros de Declan. Mason apenas deixassem que saisse gemidos entre seus lábios e arrepios por todo seu corpo.


Mason ja se encontrava abraçado novamente a Declan, na cama, uma de suas mãos iam ao encontro dos cabelos lisos do outro e envolveu seus dedos ali, os puxando para si, enquanto sua outra mão deslizou pelas costas nuas.
mason se estremecia ali e xingava o outro. suspiros foram tomados por todo quarto, quando suas pernas apertaram na cintura do mais velho. suas mãos sairam do corpo de Declan e apertavam os lençóis, assim que declan se afastou, momentaneamente para se apoiar melhor.


uma onda de calor o tomava por completo, ele podia sentir declan cada vez mais, gemidos roucos e apertos saiam de Declan para seu corpo eram muitos. seus olhos permaneceram fixos um no outro, seus lábios entreabertos, suas peles ja brilhavam pelo suor em seus corpos que era iluminado ainda.


Mason sentia seu corpo se estremecer mais uma vez. ele xingou, de tão bom era aquilo. Declan sequer perdia um movimento prazeroso de Mason embaixo de si, ele sentia que podia fazer aquilo todos os dias, só para ver todo corpo de mason implorar por mais um toque.


seus lábios se juntaram ao de mason, mais uma vez naquela madrugada, antes de deitar ao lado do mesmo, respirando ofegante e feliz ao senti-lo se aninhar ali em seu peito. as respirações cansadas e ofegantes logo se tranquilizaram e Mason já podia sentir todo seu corpo se cansar ali, mas ele sabia que Declan não poderia ficar até o amanhecer em seu quarto por isso, aproveitou mais uma vez antes que aquela fosse última vez.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...