1. Spirit Fanfics >
  2. .love talk - kunwin >
  3. Touch me, tease me, feel me up

História .love talk - kunwin - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Touch me, tease me, feel me up


Aquele era apenas mais um dia de merda na vida de Sicheng.

Havia passado horas e mais horas sentado em sua cadeira apenas fazendo os relatórios que o chefe deveria estar fazendo. Estava com uma dor desgraçada nas costas e nem ao menos conseguia resolver aquilo.

Seu primeiro pensamento ao sair do prédio era que encheria a cara naquela noite. E foi o que ele fez.

Em pouco tempo já estava sentado em um banquinho qualquer do bar enquanto observava todas aquelas pessoas dançando ao longe. O copo na mão estava cheio e a cabeça mais leve, bem do jeito que Sicheng queria.

Tudo parecia o melhor possível até um grupo de pessoas chegarem. O chinês não ligou no começo, mas ao olhar, sentiu a raiva lhe consumir.

Reconheceria aquele maldito terno e cabelo perfeitamente arrumado em qualquer lugar.

- Puta que pariu, só pode estar me zoando - resmungou antes de esfregar a mão no rosto cansado e bufar

Qian Kun seguia com mais dois homens para uma das poucas mesas vazias espalhadas pelo estabelecimento. A raiva de Sicheng foi transformando-se em indignação com o passar do tempo. Estava claro que o chefe ficaria ali por um bom tempo, mas felizmente não havia lhe visto. Não queria ser demitido por brigar com Kun em um bar.

Contrariado, Sicheng apenas suspirou e voltou a tomar o líquido de seu colo enquanto tentava esquecer a existência do chefe.

Finalmente a calma havia chego, mas ela não durou tanto quanto o chinês queria. Distraiu-se por minutos e Kun já estava ao seu lado pedindo bebidas.

O olhar raivoso focou ao homem ali e Sicheng quase riu. Seu chefe era um idiota do caralho. E parecendo ter ouvido o pensamento alheio, Kun virou seu rosto com desgosto e sorriu levemente para Sicheng.

- Dong, não esperava te ver aqui - o tom era de graça, mas a expressão de Kun era séria

Sicheng finalmente deixou-se rir e colocou o copo vazio sobre o balcão do bar enquanto observava Kun.

- O senhor não espera nada de mim - deu os ombros e viu o outro concordar com um aceno de cabeça - Nunca te vi por aqui, tá tentando finalmente ter uma parada cardíaca?

- Não, Dong. Estou apenas discutindo negócios com aqueles senhores. Não esqueça que amanhã precisa entregar as folhas de mais cedo - Kun sorriu e juntou as três garrafas de bebida, levando para a mesa em que antes estava sentado

Sicheng revirou seus olhos e pediu mais bebida antes de levantar, caminhando para a pista de dança. Qian tinha algo lhe deixava com raiva quase que instantaneamente, era chato para caralho.

O efeito da bebida parecia estar chegando, deixando até mesmo a música mais alta enquanto Sicheng balançava seu corpo em meio a todos aqueles outros desconhecidos. Amava dançar, seu estilo era mais sensual, um de seus pontos favoritos.

As mãos por seu corpo nem mesmo o incomodava ao voltar para o bar com um sorriso enorme. A bebida já lhe esperava, então o chinês apenas tomou um longo gole do copo e sentou em seu lugar. Os olhos teimosos direcionaram-se para Qian.

O paletó do chefe estava sobre seus ombros e ele tinha uma garrafa de cerveja na mão. Talvez Sicheng  estivesse observando o chefe por tempo demais, já que o outro apenas direcionou o olhar para si com a sobrancelha arqueada e um sorriso sugestivo.

A primeira ação de Sicheng foi revirar os olhos, a segunda foi mandar o dedo do meio para o chefe. Kun apenas riu e voltou para sua conversa.

Se não fosse por Hendery ao seu lado no trabalho, Sicheng provavelmente estaria na rua a muito tempo. Talvez fosse pra rua no dia seguinte por desrespeitar o chefe daquele jeito.

Estava ferrado de qualquer forma.

Sicheng suspirou preparando-se para ir embora, mas preferiu ir ao banheiro primeiro. Caminhava de forma calma até o local, felizmente não estava bêbado.

Lavou o rosto e esperou um pouco antes de sair, dando de cara com Qian no corredor. Sicheng resolveu ignorar, mas foi impossível quando o chefe lhe prendeu contra a parede de forma, estranhamente, gentil.

- Me deixa ir - Sicheng mandou e sentiu a mão alheia em seu maxilar, fazendo com que olhasse o sorriso imbecil do Qian - Quer tomar um soco, caralho?

- Você não teme pelo seu emprego, Cheng? Sei que está não bêbado, não pode tratar uma pessoa assim. Principalmente quando ela é superior - a voz sussurrada de Kun lhe fez arrepiar

- Superior? - Sicheng riu e enrolou a mão na gravata alheia, puxando - Você nunca vai ser superior a mim e sabe por quê? Porque você é só um filho da puta que brinca de ceo sério, mas na verdade tá doidinho pra deixar essa porra de lado e foder um funcionário mais novo enquanto seu secretário faz o seu trabalho

- Isso foi muito específico, não acha? - Qian arqueou sua sobrancelha e apertou a cintura de Sicheng com força, arrancando um suspiro do outro

- Não se faça de Santo, Kun. Da pra ouvir muita coisa mesmo na minha mesa - sussurrou no mesmo tom que o mais velho, encarando aquele sorriso cínico

Porém o Qian apenas aproximou seus lábios da orelha de Sicheng, sem soltar sua cintura.

- Acho que toda essa sua marra não passa de ciúmes. Quem diria... Meu secretário emburrado só queria estar sendo fodido na minha mesa durante todo esse tempo? Que feio, Sicheng... - Kun sussurrou e deixou uma mordida no lóbulo do mais novo, ainda sorrindo

Sicheng estava paralisado. Seus olhos estavam fixos no teto e os lábios foram fortemente mordidos quando sentiu outro aperto em sua cintura.

- Vai ficar calado, Cheng? Sempre tem uma resposta para tudo, estou esperando. Quantas vezes já sonhou com seu chefe te maltratando na sala dele? Agarrando seu cabelo como se fosse a puta favorita dele - e seguindo o que dizia, a mão de Kun subiu para os fios castanhos de Sicheng, puxando-os

O outro chinês foi agraciado com um gemido, mesmo que baixo. Sicheng tinha o rosto quente e seus olhos rapidamente procuraram os do chefe. Sabiam o que aconteceria e estavam ambos estranhamente ansiosos.

Quando Kun se afastou, apenas segurou sua mão e guiou Sicheng para fora do bar sem dar satisfações aos amigos.

O mais novo ali sentia-se incomodado. Tinha uma ereção formada entre as pernas e Kun nem havia lhe tocado direito. Aquilo lhe deixava com raiva de si, não era sensível daquele jeito.

Havia sido uma curta viagem de carro até a casa de Qian. Quando entraram, Sicheng teve o corpo empurrado quase que sem força contra a porta fechada e a mão de Kun apertando sua coxa.

- Acho que dirty talk é o seu ponto fraco, Cheng - Qian sorriu e não controlou a risada ao sentir a mão grande de Sicheng em seu cabelo

- Eu posso brincar assim também, senhor - o mais novo murmurou e fez um pequeno bico ao retirar a gravata alheia - Eu estou com tanta vontade de sentar em você, Kunnie. Você iria gostar de me sentir rebolando, implorando pra ir mais fundo

Foi suficiente para Sicheng ser pego no colo e levado para o quarto de Kun. Foi jogado de forma violenta na cama e logo sentiu os lábios afoitos do chefe contra os seus.

Era quase uma briga por espaço. As línguas juntas, sem se importar de havia saliva escorrendo ou se mordiam os lábios alheios. Quando Kun se afastou fez questão de fazer lentamente para poder ver o fio se saliva que conectava suas bocas.

- Tira as roupas, Sicheng - Kun sorriu e se afastou para sentar na cabeceira da cama, tirando do bolso um cigarro e um isqueiro

Sicheng mordeu os lábios e despiu-se rapidamente, engatinhando até o colo do mesmo e sentando sobre o volume da calça alheia. O suspiro dado pelo chefe foi a ordem para que o mais novo começasse a rebolar, a mão em sua cintura apenas confirmou.

O mais alto movia o quadril com calma, apertando os ombros de Kun no processo. O mais velho apenas tragava o cigarro de forma lenta e vez ou outra assoprava a fumaça no rosto de Sicheng, que fechava os olhos com os lábios entre os dentes.

Quando terminou o cigarro, Qian empurrou o outro na cama e passou a tirar as roupas com um sorriso.

- Essa é a noite pra mostrar o quanto me odeia, Dong. Pode começar gritando para os vizinhos, o que acha? - sugeriu esticando-se para tirar da cômoda um preservativo e lubrificante, mas apenas deixou-os na cama

Os lábios de Kun direcionaram-se para o pescoço livre de marcas de Sicheng. Chupões e mordidas eram espalhados por todos os lugares possíveis do corpo maior, que tremia com os toques.

Sicheng resolveu então inverter as posições, sentando no colo alheio. O quadril ia para trás e para frente enquanto os lábios do mais novo eram maltratados. Kun apertava sua cintura cada vez mais forte e era possível senti-lo endurecer cada vez mais abaixo de si. Então Sicheng foi jogado novamente na cama.

Era como uma luta pela dominância. As mãos pesadas de Kun passeando pelo corpo de Sicheng, este que gemia para que o chefe lhe desse logo o que queria.

Já vestido com o preservativo, Qian espalhou o lubrificante sobre seu membro e abriu as pernas de Sicheng, colocando uma delas em seu ombro. Penetrou o mais novo sem avisos, apenas esperando o sinal para que pudesse se mover.

Sicheng apertava os lençóis da cama, tentando manter os olhos abertos e focados em Qian. Seu corpo pegava fogo diante daquele maldito olhar debochado.

Com a mão lubrificada, Kun passou a massagear a glande de Sicheng, que mordeu os lábios com ainda mais força.

- Cadê toda aquela marra, Sicheng? Não quer me xingar? - Qian riu, esfregando seu polegar na fenda da glande enquanto se movia se forma lenta dentro do maior

- Vai à merda e me fode logo, filho da puta - Sicheng pediu com a voz falhada e logo um gemido alto foi deixado escapar

Kun entrava e saía do mais novo com um sorriso escondido por trás das mordidas que deixava na panturrilha de Sicheng. O último citado tentava a todo custo manter os olhos focados em Qian, mas estava sendo uma missão difícil.

Quando o outro começou a se mover de forma lenta novamente, Sicheng empurrou-o na cama e sentou em seu colo, encaixando o membro alheio em si com um gemido arrastado.

As mãos arranhavam o peito do chefe enquanto Sicheng rebolava, quicava e contraía-se ao redor do chefe. Não soube quando o quadril alheio passou a mover-se contra o seu, mas Sicheng agradeceu mentalmente.

Segurava-se ao máximo para prolongar aquilo, seria um desperdício acabar tão rápido.

A mão de Kun agarrou seu cabelo de forma violenta e Sicheng novamente foi deitado. O Qian levantava sua coxa até que estivesse em seu peito, sussurrando para si como estava sendo fode-lo.

Daquela forma Sicheng teve seu orgasmo, gemendo ainda mais alto enquanto arranhava as costas de seu chefe. Não demorou pouco mais que cinco estocadas para que Kun também tivesse seu orgasmo.

O mais velho tirou o preservativo e jogou no lixo, voltando pra cama já com um maço de cigarro aceso.

Foi uma noite nada tranquila, mesmo que tivessem que acordar cedo no dia seguinte.


Enquanto caminhava pelos corredores da empresa Sicheng apenas pensava no quanto odiava Kun. Novamente estava cheio de papéis e ainda havia sido chamado para a sala do maldito imbecil. Não aguentava mais aquele emprego, a única coisa boa era o salário. Podia viver bem e com poucas preocupações além de não ser demitido.

Entrou sem bater e soltou a papelada na mesa, cruzando seus braços ao notar o sorriso do Qian. Havia ficado ainda pior após a noite dos dois. Sicheng queria bater nele a todo momento de tanta raiva.

- Tranque a porta, Cheng. Tá na hora de descontar minha raiva diária - disse sem pudor enquanto tirava a gravata, sentando-se em sua cadeira


Notas Finais


Eu realmente me animei fazendo esse. Não é um shipp que eu já fiz mas espero que adotem meu bebê novo 🥺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...