1. Spirit Fanfics >
  2. Love That Life Denied me. >
  3. Você e eu, unidos

História Love That Life Denied me. - Capítulo 38


Escrita por:


Capítulo 38 - Você e eu, unidos


Fanfic / Fanfiction Love That Life Denied me. - Capítulo 38 - Você e eu, unidos

Quando vejo Lindah entrando com seu pai vestida de noiva com um vestido sereia com sua barriga em destaque, de alcinha de renda no ombro de decote coração. Com um véu sobre o rosto de cabelo preço com alguns fios de cabelo na frente. Estava expendida e com buquê de rosa branca em mão. Vendo ela linda em minha direção ao sou de instrumento a música "Bright lights" com seu sorriso largo para mim e abro também um sorriso ultrapassou o tamanho da minha felicidade. Ela mexe os lábios diz em um sussurro que pude ler.

Eu te amo.

Parecia que não passava de um sonho, eu aqui olhando para a mulher da minha vida, vindo em minha direção vestida de noiva e com meu filho em seu ventre. Era como um sonho sendo realizado, eu tento uma família e uma felicidade que não é pra mim. Superou.

Lindah se aproximava de mim e vou buscá-la, senhor Thompson sussurra.

--- Agora deixo em suas mãos, cuide dela, sejam felizes. --- fala, da um toque em meu ombro e abro um sorriso.

--- Pode deixar, obrigado. --- falo, ele se afasta e estendo a mão pra lindah que a segura.

--- Eu te amo. --- sussurro --- está maravilhosa. --- falo, caminhando com ela até o altar.

--- Também te amo e você também tá lindo meu noivo. --- fala, chegamos no altar.

O padre começa a cerimônia, começa falar e eu ficamos trocando olhares, enquanto o padre fazia cerimônia, e Lindah que também me encarava com seu sorriso largo. O padre começa.

--- Lindah, você aceita Jared como seu esposo, promete respeitá-lo, amá-lo, na saúde, na doença até que a morte os separem e sendo sempre fiel a ele. Você aceita? --- fala o padre. Ela pega aliança.

--- Sim. --- responde, abre um sorriso largo e põe aliança em meu dedo.

--- Jared, você aceita Lindah como sua esposa, promete respeitá-la, amá-la, na saúde, na doença até que a morte os separem e sendo sempre fiel a ela. Você aceita? --- fala o padre pra mim, viro encarä-la pegando aliança.

--- Sim, aceito! --- falo, coloco aliança em seu dedo.

--- Alguém aqui nesta igreja é contra esta união, se tiver se apresente ou se cale para sempre. --- fala o padre olhando para todos da igreja.

Quando de repente à porta se abre fazendo um barulhão, viramos olhar pra trás ver o que estava acontecendo.

Quando olho pra trás, vejo ninguém ali na porta e era somente um vento que havia aberto. Quando vejo Brooklyn aproximando a fechando.

--- Continuem --- grita encostada na porta e viramos olhar para o padre.

--- Então declaro marido e mulher, pode beijar a noiva. --- fala, viro erguendo seu véu e me aproximo lhe dou um beijo.

Todos na igreja aplaude. Levamos e caminhamos no meio da igreja até a porta, estavam jogando arroz e rosa branca.

Saiamos até a porta todos em nosso lado e caminhamos até o carro. Paramos na frente; a beijo todos fazem alvoroço. Abro a porta e ela entra vou logo na sequência.

--- Hoje é o dia mais feliz da minha vida, te amo Jay --- fala Lindah, beijo seu lábios.

--- Nosso dia mais feliz. --- digo entre o beijo e aliso sua barriga.

Enquanto o motorista levava a gente até a festa, Lindah fica com sua cabeça encostado no meu ombro alisando sua barriga.

[...]

Chegamos em casa, aonde seria nossa festa de casamento. já haviam alguns convidados na festa, logo chegou o pessoal.

Eu com Lindah ficamos sentados na mesas dos noivos esperando o pessoal.

Depois de todos já na festa, todos contente. Fiquei olhando tudo ainda não acreditando que não era um sonho.

Quando Brooklyn levanta batendo na taça.

--- Sua atenção por favor. Quero fazer um brinde aos noivos. --- todos encaram --- hoje estou aqui para brindar para estes casal que faz a gente pensar no amor verdadeiro ou alma gêmea. Então, eu presenciei uma história linda de amor, que não teve barreira que impediu que este dois corações se amassem. Eu brindo ao casal inspirador. Brinde aos noivos. --- fala Brooklyn e todos levantam a taça brindamos. Beijo Lindah após bebermos um gole.

[...]

Já estava ficando tarde, já era 21hr e já tinham pessoal indo embora, os íntimos ainda na festa. Sentou sentado com Lindah no nosso lugar, beijo sua mão.

--- Amor, que tal a gente sair daqui e ir pra nossa noite de núpcias? --- falo, ela me olha surpresa.

--- Vamos sim, aonde vamos? A gente não pensou sobre aonde iríamos na noite de núpcias. --- fala, faço cara de pensativo.

--- Não mesmo. --- confirmo.

--- Aonde você quer ir? --- pergunta, olho pra frente vendo o pouco pessoal que tinha.

--- Não sei. --- respondo. Ela me olha cruzando o braço não me entendendo.

--- Então, porque tá me pedindo pra sair pra ir na noite de núpcias se nem sabe aonde quer ir. --- fala séria e seguro seu rosto beijo seu lábios com um selinho.

--- Pega sua bolsa e passaporte. --- falo, ela me olha surpresa.

--- Aonde vamos? --- pergunta, abro um sorriso.

--- Não sei. --- respondo, ela me olha confusa.

--- Como assim jared, não sabe? Então porque quer que eu pegue, se nem sabe aonde vamos. --- fala intrigada, beijo seu lábios.

--- Amor, pega sua bolsa e passaporte, tá bom! --- falo, ela me olha confusa.

--- Mais nem arrumei as coisas. --- fala, beijo seu lábios.

--- Amor, só pega sua bolsa e passaporte nada mais, vamos. --- falo me levantando e estendo a mão pra ela que segura e levanta.

--- Galera, agora o casal vão se retirar e aproveite a festa, nossa hora de festa. --- falo puxando a mão de Lindah.

--- O casal já querem ir pra núpcias, hum! --- fala kevin todo maliciosos.

--- Nossa hora de festa. --- falo com tom malicioso, todos ficam zuando.

Saio andando com Lindah... ela faz o que pedi, ela queria trocar de roupa, mas não deixei e chamo táxi enquanto isso. Ele nem demorou chegar. Já dentro do táxi.

--- No aeroporto, por favor! --- digo, ele sai

--- Amor, porque não deixou tirar o vestido? --- pergunta dentro do táxi.

--- Tem que tirar aonde vamos ter a noite de núpcias. --- respondo. Ela me olha curiosa.

--- Aonde vamos amor, me fala?

--- Não sei amor, logo saberemos. --- respondo, ela fica toda agitada querendo saber o que tô pretendendo.

Na verdade não sei, quero fazer algo diferente e inusitado. Eu não quero fazer igual todos casais fazem enquanto vão casar. Não quero planejar nada e sim pegar, ir em algum lugar que meu bolso pode pagar. Não quero fazer igual todos, quero algo diferente. Hoje é meu dia e minhas regras.

Chegamos, O taxista deixa a gente no aeroporto. Desço e Lindah também. Ela fica do meu lado e pego ela no colo que, assusta por fazer de repente.

--- Amor, o que tá fazendo? --- pergunta sem graça.

--- Pegando no colo. --- respondo, ela bate na minha cabeça.

--- Eu sei, der! O que você tá pretendendo? --- pergunta comigo entrando com ela no colo e todos nós olhando aplaudindo.

--- Algo inusitado, inesquecível. --- respondo, ela abre um sorriso pra mim e para o pessoal.

--- Adorei a ideia. --- fala, com ela no colo. Mas já estava cansado, ela tá pesada por conta da gravidez e não quero dizer isso pra ela. Aguentei até a caixa.

Chego, o cara me encara.

--- Parabéns pra vocês, passagem por favor. --- fala cobrador.

--- Então cara, nós não temos passagem e queria que você visse um lugar pra nós, que acha bom lugar para recém casados. --- falo, ele me olha surpreso.

--- Primeira vez uma casal vem aqui sem ter noção aonde querem ir em lua de mel. --- fala, abro um sorriso pra ele.

--- Saindo um pouco dos padrões, pode nos ajudar? --- pergunto, ele abre um sorriso.

--- Entendi, bom fazer algo as vezes diferente, achei interessante isso. Deixa eu ver algo especial pra vocês, tem um limite de preço?

--- Não muito caro, por favor. --- respondo, ele balança a cabeça concordando.

--- Olha senhor, nunca foi feito isso aqui. Mas como hoje é o dia do inusitado. Aqui tem um pacote com uma agência de viagem encomendo pra vocês, acho bom. Tem 10 dias com hospedagem em uns dos melhores hotéis com melhor preço. Pode ser? --- pergunta.

--- Excelente, aceito. Vamos ao inusitado. --- falo, beijo Lindah me olhava curiosa.

--- Ok, a viagem será para o México Cancún o preço... Pode ser? --- pergunta, pego a carteira e retiro o cartão.

--- Excelente. --- falo, ele pega o cartão e faz o pagamento.

--- Boa viagem a vocês, seu vôo sairá em 20 minutos. Excelente lua de mel pra vocês e felicidades. --- fala o cobrar.

--- Obrigado. --- agradecemos em coletivo.

Pego as passagem e pego Lindah novamente no colo, ela ri e caminho com ela até o bloco.

[...]

Depois algumas hora de viagem. O taxista do hotel estava esperando a gente no aeroporto e caminhamos até ele nos levou até o hotel.

Quando chegamos, o lugar era ate que bonito. O hotel Sensee Riviera Maya by Artisan, era um lugar bonito aconchegante até e nos levaram até o quarto. Pra minha sorte Lindah sabe um pouco espanhol, ela fala português. Eu sou americano e não sei merda nenhuma em outra língua.

Ele nos deixa no quarto, Lindah anda até a varanda.

--- Eu nunca na minha vida pensei em fazer algo sem planejar antes. --- fala olhando o local e abre a varanda.

--- Nem eu, queria fazer algo diferente. Queria ter algo especial e aqui estamos, em algo diferente. Gostou? --- falo, abraço ela por detrás olhando a lua e ouvindo o sol do mar.

--- Adorei, eu te amo tanto amor. Obrigada por me fazer a mulher mais feliz e hoje está sendo o dia mas feliz pra mim. Casado e ter lua de mel em Cancún, tem como não ser feliz. --- fala, a viro e seguro em seu rosto.

--- Concordo, eu te amo Lindah Almeida Leto --- digo, a beijo.

A pego no colo, caminho dentro do quarto e a beijo novamente, aproximo até a cama. Paro, sem parar o beijo e aí sim quebro o beijo por falta de fôlego. A coloco no chão e fico de frente a ela, beijo seu ombro de fora. Enquanto desabotoou os botões do seu vestido; termino e ele cai sobre o chão. Lindah fica só de calcinha e abaixo um pouco beijo seus seios e também o acaricio. Ela solta uns gemidos abaixo... Eu paro o que fazia volto ficar de frente para ela.

Lindah tira meu paletó, desabotoa minha camisa e tira logo depois. Se aproxima beija meu pescoço enquanto alisava meu peito, solto um gemido excitado. A pego no colo e a beijo enquanto a deito sobre a cama fico do seu lado. Começo deslizar minha mão sobre seu corpo todo sem parar em beijá-la. Quebro o beijo e tiro minha calça encima da cama, a jogo do lado fico somente de cueca. Passo por cima ficando entre o meio de suas pernas e beijo sua barriga estava grande. Vou descendo até a marca da calcinha e a tiro. Volto deslizando e beijando sua perna, ela ficava me olhando. Vou fazendo caminho de beijo até chegar em sua intimidade. Na sequência abocanho a usufruindo: chupo, mordiscou e beijo enquanto ela se contorcia até ela gozar. Tiro minha cueca, meu amigo já estava duro feito rocha. Me sento na cama enfiando a minha debaixo da delas e depois eu ajudo puxando ficamos igual X, ela senta sobre meu colo com a sua pernas do lados de minha cintura e se encaixa perfeitamente. Lindah fica com a cabeça para trás e penetrava indo pra trás e pra frente. Eu segurava em sua cintura dando uma ajudinha e gemia excitados.

Mudo de posição, peso pra ela ficar de quatro, mas sentava fazendo um encaixo perfeito, penetrava gostoso e enrolo o cabelo dela na minha mao, ela sentava penetrando lentamente, me dava muito tesão e já estava quase pra gozar, ela estava já ficando exausta por conta da barriga. Troca de posição, a peso deita sobre a cama e entro dentro suas pernas, a penetro, ali beijo sua barriga e depois chupo seus peito, vou penetrando até que começo a vontade em gozar, sinto ele vindo tão rápido que solto um gemido em seguida do jatos. Meu coração acelerado e apoio a cabeça sobre sua barriga.

--- Eu amo vocês. --- digo, quando sinto ele chuta aonde estava com a cabeça.

--- Ele mexeu. --- fala Lindah um pouco ofegante.

--- Ele ficou bravo que o pai dele sujou a casinha dele. --- falo, Lindah da tapa na minha cabeça.

--- Tonto. --- xinga, levanto a cabeça e gatinho até ficar frente a frente com ela.

--- Não é verdade, não tô mentindo. --- falo, ela vira os olhos

--- Não é, mas você é tonto. --- fala, beijo ela.

--- Bem que ama este tonto aqui.

--- Quem disse isso?

--- Você, quem mais.

--- Eu não lembro, quando foi?

--- Foi em 2001, quando você disse que me ama. --- falo, ela abre um sorriso.

--- Caramba 17 anos atrás, não sei porque falei isso para um tonto. --- fala com sorriso enorme.

--- Porque me amava e ama até o momento e para sempre. Não sei você, mas sempre irei amá-la. ---- digo, a beijo e ela abraça meu pescoço.

--- Nunca me arrependi em dizer que eu o amava, ainda continuo mais do que nunca apaixonada por você, te amo meu tontinho. --- fala e a viro pro lado me deixando na cama ficamos de frente um para o outro.

Hoje é o primeiro dia de núpcias, será os dias inesquecíveis aproveitar ao lado de minha esposa. É um sonho virado realidade...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...