História Love The Way You Lie - Capítulo 2


Escrita por: e laiwonderland

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Jimin!bottom, Koomin, Yaoi
Visualizações 1.738
Palavras 3.912
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Laiwonderland: olha quem voltou logooooo 0///
Gente muuuuuito obrigada pelo apoio e carinho de vocês, sério! Ficamos surpresas com tantos favoritos *0* será que dobra com esse capítulo? Ansiosa por isso.
Aproveito o momento para pedir a vocês para me seguirem no perfil se puderem e acompanharem minhas obras além dessa.
Obrigada de verdade pelo carinho e até o próximo!
Boa leitura!

Capítulo 2 - Acidente


Fanfic / Fanfiction Love The Way You Lie - Capítulo 2 - Acidente

❝ Você já amou alguém tanto 

Que você mal consegue respirar 

Quando você está com eles? 

Você encontra 

E nenhum de vocês 

Nem sequer sabem o que os atingiu 

Tenho aquela estranha sensação quente 

Sim, os arrepios 

Eu costumava ter 


Jimin tinha o coração dilacerado quando saiu de Seul, assim como quando chegou no lugar aconchegante que cresceu; a  nongjang de sua omma.  

Havia decidido não contar a ela sobre o que acontecera, pelo menos até que ele próprio processa-se o que havia ocorrido consigo.  

Park queria paz e um lugar onde pudesse chorar até secar por completo e que seu coração virasse pedra para não sentir tudo o que sentia. 

O menor só queria sumir até que ele próprio conseguisse se recuperar daquele abalo, mesmo que no fundo ele soubesse muito bem que não conseguiria, afinal Jungkook era o amor da vida dele e não haveria nenhum outro que ele amaria como fizera com Jungkook. 

Jimin havia se entregando ao mais velho de toda as formas possíveis. Havia dado tudo para o alfa, abandonado a família e a cidade aonde nasceu apenas para ficar perto do homem que amava. Largou tudo apenas para seguir Jungkook, o garoto que teve que crescer cedo para substituir o pai na empresa. 

Mas traição era algo que Jimin não podia aceitar, pois ele dava tudo que podia de si para o Jeon. Ele apenas se perguntava do porquê de Jungkook ter feito o que fez, depois de tudo que jurou para ele. 

Traição era inadmissível para o ômega. 

Jimin não aceitaria Jungkook depois daquilo, pois mesmo que o amor dele pelo alfa fosse grande, ele em primeiro lugar amava a si próprio e se rebaixar a esse nível de voltar com o Jeon para que o mesmo tivesse sabe-se lá quantas outras em suas costas era algo que Jimin não faria de forma alguma.

Nunca o faria. 

O Park precisou respirar muito fundo antes de tocar a campainha. Seu rosto estava inchado do choro compulsivo e desesperado e mesmo que tivesse parado por alguns momentos de chorar, por dentro era como se houvesse um tornado a ponto de o deixar tonto. 

Finalmente Jimin tocou a campainha, tentando colocar um sorriso no rosto mesmo que qualquer um que o visse saberia que ele estava tudo menos bem. 

— Meu bebê! Estava me perguntando quando chegaria. — sua omma abriu a porta já o abraçando forte antes mesmo de o olhar a face. 

Jimin abraçou a ômega fortemente, era disso ele precisava, muito carinho. 

— Oi omma — Jimin diz e sua voz sai quebradiça. 

— Você parece tão triste, o que aconteceu? — ela pergunta o olhando e puxando para dentro de casa. 

— Não sei se quero falar disso agora, mãe. — Jimin diz sem a olhar nos olhos e sua omma imaginava que havia sido apenas uma briga boba entre casais. 

Já tivera tantas brigas com o pai de Jimin e sabia como era. Logo ambos estariam juntos. Era isso que ela acreditava. 

— Tudo bem — ela sorriu —, eu preparei seu quarto para você dormir, sua cama ainda está lá. 

— Obrigado omma, já estou subindo. — fala Jimin com um tom cansado, ele sobe as escadas de sua casa para ir para seu quarto descansar da longa viagem que vez sem paradas.

 Ao subir pra seu quarto ele abre a porta e suspira aliviado, era realmente um alívio estar ali novamente depois de quase dois anos. Ele começa a guardar seus pertences após fechar a porta, arruma sua cama e se deita se preparando psicologicamente para tomar um bom banho. 

Se passaram algumas horas depois que ele saiu do banho, se deitou na cama e leu uma revista. Mas, para Jimin, estava sendo cansativo e depressivo demais. Estava finalmente em sua casa e não ficaria o dia todo emburrado dentro do cômodo. 

No andar de baixo se encontrava sua omma preocupada, ela ficava de um lado para o outro arrumando as coisas para quando sua filha chegasse. 

Era fim de mês e sempre vinham parte da família os visitar, esse mês viria a irmã mais velha de Jimin, Yoo Jung e sua esposa alfa Do Yeon junto da filha do casal, Somi. 

Quando o telefone da casa tocou ela deixou tudo que estava fazendo, limpou as mãos e foi atender a ligação. 

Jimin?! — a voz exasperada do alfa soou pela linha fazendo a mulher se assustar. 

— Jungkook? Menino não me ligue desse jeito, está querendo que eu tenha um infarte? — deu o sermão. 

Senhora Park — ele suspirou — Desculpe-me, eu estou um pouco desesperado. — confessou sem graça. 

— Por que está procurando por Jimin? Vocês por acaso brigaram? 

Bem... — a voz do alfa saiu sofrida — Houve um mal entendido, não vejo Jimin desde ontem. 

— Não sei se posso te contar aonde ele está, ele não me contou nada. Chegou aqui pela manhã e apenas subiu para... 

Ele está aí? Estou indo. — e a ligação caiu, a omma de Jimin corou ao perceber o que tinha feito. 

Ela e sua boca aberta. 

A porta se abriu e ela arregalou os olhos achando se tratar do namorado de seu filho, mas suspira aliviada ao ver sua filha mais velha. 

— Que cara é essa omma? Faz tempo que não me vê e nem para me dar um abraço. — faz bico cruzando os braços. 

— Não fale assim com sua omma, Yoo. — a alfa diz segurando sua filha de cinco anos no braço — Bom dia senhora Park, o cheiro da sua comida está ótima. 

A mais velha sorri envergonhada pela educação de Do Yeon, ela sempre foi uma alfa calma e respeitosa. Vinha de uma família bastante nobre, mas acabou por se manter afastada, principalmente por seus pais não a apoiarem por ter se casado as pressas com a filha mais velha dos Park's por conta de uma gravidez sem planejamento da parte de sua ômega. 

— Não precisa me chamar de senhora Park, me chame de Cho hee, eu já lhe disse muitas vezes. — fingiu um tom irritado para descontrair o clima. 

— Está bem, senhora Hee. — a alfa deixou sua filha de cinco anos no chão e logo Somi foi correndo para os braços da avó. 

— Cadê o Appa? Mande ele vim logo, estou com fome. — Yoo segurou a barriga reclamando. 

— Ele deve estar vindo, está arrumando o estábulo para o festival. — a mulher lembra — Não esqueçam do festival, é uma data bastante importante e todo ano conseguimos bastante dinheiro. 

— Chatice. — Yoo sussurra se sentando na mesa e deitando sua cabeça em seu braço. 

Chatici! — a menina de cinco anos repete sorrindo, fazendo Yeon rolar os olhos. 

— Não repita isso Somi! Isso é feio. 

— Mas a mamãe falou. — apontou para a ômega que riu deixando seus olhos fechados de maneira fofa. 

— Está certo Somi, não é porque eu disse que você pode repetir. 

A menina faz bico emburrada. 

— Não fica assim sobrinha. — Jimin fala descendo as escadas um pouco melhor, decidindo sorrir e ter um dia calmo, esquecendo as preocupações de antes. — Prometo comprar uma maçã do amor para você no festival se for uma boa menina. 

— Tio Minnie! — ela grita eufórica saindo dos braços da avó, correndo para os braços do tio . 

Jimin se abaixa e pega a sobrinha no colo, logo se sentando ao lado de sua Yoo com a menina no colo. 

— Como vai, Yoo? — pergunta para sua irmã, de vinte um anos, que estava com uma cara de morta. 

— Eu vou com fome, e você? — a ômega levanta sua cabeça para encarar o irmão, tirando uma mecha de cabelo que caia nos olhos de sua querida filha. 

— Vou bem, e você Yeon? — responder por fim, não querendo alongar mais o assunto, ficando com sua atenção na pequena filha do casal ao seu lado. 

— Bem, o trabalho está me desgastando demais, vou tentar tirar umas férias para ficar mais com minha família. — a alfa anuncia e ganha sua atenção — Meu pai ainda não fala comigo, mas sei que um dia ele vai mudar de ideia já que estou na empresa da concorrência, ele não vai aguentar me ter lá por muito tempo. — sorri passando seu braço pela cintura de sua ômega — Ele vai ter que esperar, eu e Yoonie vamos viajar com Somi, só ficar trabalhando não tem graça. 

Jimin cora ficando meio tristonho, ele queria que Jungkook pensasse o mesmo sobre eles. Já estavam juntos desde de seus dezesseis anos, já moravam juntos e não tinham uma família que pelo que parece não é mais importante do que o trabalho na empresa. 

— É estranho — Yoo começa — Jimin nunca vem para os festivais, está sempre em Seul com aquele métodico do Jungkook. Por que voltou? 

Jimin cora não sabendo como responder àquilo. 

— Yoo não seja desagradável, deixa seu irmão quieto. — Yeon dá uma cutucada na ômega. 

— Por que você sempre briga comigo quando eu nem mesmo estou fazendo nada? — reclama. 

— Porque te amo. — sorri fazendo a ômega corar — e porque você consegue ser bem desagradável né. 

Em meio a discussão Jimin acabou se afastando emocionalmente dali, parecendo nem mais ouvir todos ali. 

O ômega desejou voltar no tempo quando ainda tinha quinze anos, a época que conhecera Jungkook, e queria nunca ter falado com ele.

Acabou que o almoço em família foi em repleto silêncio para Jimin, ele apenas se sentou quieto e comeu enquanto toda a família conversava feliz sobre as novidades. As vezes até tentavam colocá-lo no assunto, mas o mesmo respondia com palavras curtas para não alongar a conversa com ele.   

— Jimin? Você topa? — Sua omma olhava para ele, levantou a cabeça e percebeu que todos o olhavam.   

— Hã? O-oque? — cora percebendo que estava viajando em seus pensamentos. 

— Nonna disse para ajudarmos ela com o festival. — Somi responde rindo. — Você pareceu uma estátua, titio.  

Yeon pegou a filha no colo após se levantar.   

— Ajuda apenas dos mais velhos, você vai é tomar banho querida. — tocou o braço de Yuu — E você minha linda, vai subir e dar banho na nossa filha.   

Yoo espremeu os olhos. 

— Mas ela faz muita bagunça, eu fico encharcada quando dou banho nela. Você é melhor. — faz bico tentando se livrar do serviço.  

— Eu vou ajudar seu pai, agora levante logo. — ordenou a alfa com humor. 

Yuu apenas se levantou e pegou a filha no colo, mandando língua para a esposa.   

— Para de rir Somi! — a ômega mandou mas a pequena apenas riu mais alto. — Aish, essa menina só debocha de mim. 

E saiu da cozinha indo banhar sua filha que tanto amava.   

— Vamos então. — Jimin falou se animando, amava ajudar o pai a preparar o estábulo para competições e festivais. Era a melhor coisa do ano e iria fazer sua cabeça se esquecer de coisas indesejáveis. 

Já havia se passado cerca de três horas desde que abraçou seu appa e ajudou ele a preparar os cavalos. Sua omma continuou na cozinha preparando a janta, enquanto Yeon, Jimin e seu pai ajudavam com alguns ajudantes a terminar tudo.  

Haviam diversas barracas com comidas das mais variadas, as arquibancadas estavam montadas e estava lá para as cinco da tarde quando a única coisa que restava era montar as selas nos cavalos. 

Park estava concentrado no que estava fazendo, não queria acabar montando errado a sela e alguém cair do cavalo e acabar se machucando. Mas sua atenção foi voltada para gritos não muito longe, ele virou a cabeça e sentiu seu corpo tremer e suas mãos suarem. 

Lá estava Jungkook batendo boca com seu appa, enquanto Yeon tentava acalma-lo. 

No momento em que Jimin pôs os olhos em Jungkook os olhares se cruzaram, como um ímã que sempre fazia os dois se aproximarem.  

— Acabou? — um homem perguntou para Jimin, que corou assentindo.   

— Está pronto, estou indo. — Jimin entregou o cavalo para o homem, para o mesmo por Honey, nome do cavalo, de volta no estábulo aonde ele dormia. 

Jimin quando percebeu que Jungkook ia em sua direção tratou de ir embora, se virou e tentou escapar do Alfa que estava logo atrás dele. 

Ele já podia imaginar Yeon pedindo para que o senhor Park deixe que ele fale com Jimin, ela era uma alfa afinal. Ela sabia o que era ter um ômega na qual faria de tudo para ter se tivesse perdido. 

Jimin deixava lágrimas molharem a palma de sua mão, já que não conseguia parar de chorar e soluçar um segundo se quer, enquanto uma mão escondia seu rosto. Jungkook conseguiu o alcançar e puxou seu braço da forma mais delicada que encontrou. Virou o ômega para o olhar e seu coração se derreteu quando viu o quanto o menor estava abalado. 

Amor... 

— Não me chame assim! — disse puxando seu braço para longe do alfa. — Você não pode me chamar assim, eu não sou o seu amor. 

— Jimin não diga isso, você é o único ômega que eu amo, o único que eu quero. — suas palavras foram como agulhas no coração do pequeno.

— Então por que Jungkook? Por que me trocou por ela? — seu corpo tremeu enquanto mais lágrimas caiam — Eu não era suficiente para você? O que ela tem que eu não tenho? 

— Não faça isso Jimin, você sempre foi o suficiente pra mim! — ele quase gritou, fazendo o ômega se encolher. — Por favor, me escuta. — tentou tocar o ômega, mas ele se afastou negando. 

— Eu não quero mais Kookie, não quero mais ficar com você. — suas palavras duras fizeram o alfa ficar surpreso e com o semblante magoado. — Quando eu estiver melhor vamos nos separar e cada um vai seguir com sua vida. 

— Jimin você não pode fazer isso, você não entende que... 

— Jimin! — sua omma chamou pelo baixinho, que sem se despedir do alfa saiu às pressas até sua omma. 

— Uma hora ele vai te ouvir. — Yeon apareceu segurando sua filha nos braços, que estava entretida demais mexendo nos cabelos da alfa para prestar atenção na conversa. — Dê tempo a ele, mesmo que você tente ele não vai querer ouvir. Está apenas magoado demais para te ouvir, tem que deixar ele respirar. 

Jungkook passou uma mão em seu cabelo levando sua franja para trás. 

— O que eu posso fazer então? Ficar parado e aceitar perder meu ômega?! 

— Não levante a voz pra mim! — disse indignada. Mesmo que não queira ser grossa ainda eram dois alfas ali, era difícil conversar com todos os feromônios funcionando. — Apenas aproveite o festival, depois você tenta falar com ele. 

— Eu apostava voltar hoje. — confessou fazendo a alfa ficar séria. 

Sério? Está falando sério? — diz incrédula — O seu ômega está desolado por aí e você quer voltar para Seul como se não fosse nada? Escute Jeon, tem que entender que uma empresa e dinheiro não vai te trazer mais felicidade do que um ômega e uma família. Se magoar o meu cunhado eu quebro a sua cara. — fala por fim deixando um alfa surpreso para trás. 

Ele pensou no que a alfa havia lhe dito e suspirou, ela estava mais do que certa. 

Jungkook colocou seu emprego em cima de tudo, até mesmo de quem mais amava na vida e acabou o perdendo. Ele se sentia um idiota, queria voltar no tempo e diminuir a carga horária em sua empresa, até porque tinha quem o substituísse quando não ia. Mas não, ele preferiu se afastar de quem mais amava. 

Jungkook não iria desistir tão fácil, não ia perder seu ômega para nada nesse mundo. Ele iria correr atrás de Jimin o quanto conseguisse, nunca iria desistir de seu pequeno. 

••• 

Enquanto Jimin estava chorando em seu quarto, Jungkook estava determinado a fazer de tudo para ter Jimin de volta.

O ômega depois do choque de rever o agora ex-namorado, correu para seu quarto sendo seguido por sua Omma que agora estava com ele deitado com a cabeça em seu colo.

— O que houve? — sua irmã, Yuu, apareceu no quarto. — O appa me contou que Jungkook está aqui, por que está com frescura Jimin?

A ômega se senta na cama.

— Não seja desagradável Yuu, Jimin e Jungkook brigaram. 

— Sério? — fala surpresa — Eu achei que vocês nunca brigavam, vivem colados um no outro. É tão meloso.

Jimin sente seus olhos mais molhados que antes, lembrando como era o relacionamento dos dois. Jungkook sempre era muito amoroso com Jimin, quase não brigavam e quando brigavam não passava meros momentos.

Jimin se perguntava o que aconteceu para acabar assim.

— Não fica assim, Minnie. — sua irmã tocou em seus cabelos. — Deve ser apenas fase, vocês logo vão estar juntos.

Jimin nada respondeu, ele não queria contar ainda que não havia sido apenas uma briga e sim uma traição da parte do alfa.

— Você precisa se divertir, meu filho. — sua Omma começou — Não deixe isso te abalar, você gosta tanto dos festivais e já faz tanto tempo que você não participa.

Então o ômega se sentou finalmente levantando sua cabeça do colo da mais velha. Ela estava completamente certa, Jimin não ficaria triste e perderia o festival por conta do que aconteceu. Ele iria levantar a cabeça e ser forte.

— Tem razão, vou aproveitar o festival com ou sem o G... Sem o Jeon. — disse emburrado se levantando. — Que horas são? 

— Tarde, o sol está se pondo. — Yuu pegou em seu braço — Sete horas, hora da competição com os cavalos. — disse animada, puxando Jimin para fora do quarto fazendo sua omma rir.

Assim que voltaram para o resto da preparação para o festival, Jimin caçou Jungkook com os olhos não o vendo em lugar nenhum. Ele suspirou entristecido.

— Ah Jimin, se for pra ficar com essa cara era melhor nem vim. Melhora aí. — ela foi a uma barraca comprar uma maçã do amor, então Jimin lembrou que havia prometido comprar uma para Somi.

— Aonde está Somi? — perguntou para a ômega que já havia mordido um grande pedaço do doce.

— Deve estar com Doyeon, sei lá. A-aquela ridícu-ula me deixou sozinha. — fala com dificuldades por estar ainda mastigando.

— Vou comprar duas. — pediu para a atendente, iria comer uma pois estava morrendo de vontade e daria a outra para a pequena Somi. — Vou atrás dela, você vem?

Yuu assentiu sem poder falar por estar com a boca cheia.

Jimin sorriu pegando as duas maçãs, segurando uma com uma mão e a outra começou a comer com a outra mão.

Ambos caminhavam no meio de tantas pessoas que já iam chegando, ele procurou alguém próximo para descobrir aonde Somi estava. Até que Yuu gritou.

— ALI! — Gritou Yuu, assustando Jimin que deu um pulo fazendo-a rir.

Os dois foram para aonde a ômega apontava, um lugar para sentarem ao lado de Doyeon, seu appa e Somi.

— Vou chamar sua omma, não coma tantas besteiras Jimin! — seu appa alertou, quando se aproximaram mais para se sentarem nas arquibancadas.

— Eu não sou mais criança! Devia falar isso para a Yuu, ela que sempre come demais. — reclamou, mas seu appa apenas ignorou indo atrás da esposa, enquanto Yuu lhe deu um tapa.

— Eu não como demais! Eu apenas fiquei um grande período de tempo sem comer. — se justificou terminando a maçã doce.

— Você comeu quase agora. — Do Yeon comentou, abraçando a esposa de lado enquanto a outra começou a discutir. A Alfa apenas ria.

— Tio, essa é pa' mim? — falou Somi com um pouco de dificuldade para terminar a frase, com os olhos brilhando.

— Sim, coma logo porque ainda vamos jantar. — entregou o doce para a mais baixa que abriu um grande sorriso começando a lamber o doce.

— Vai começar. — Yuu anunciou agora com um braço de Doyeon em volta do ombro, enquanto entrelaçavam os dedos. 

Do Yeon fez uma cara preocupada olhando para frente, Jimin seguiu seu olhar e ficou surpreso com o que viu.

Jungkook estava na pista.

— Ele sabe andar a cavalo? — Yuu comentou sem obter nenhuma resposta.

De longe Jimin viu Honey sendo preparado para Jungkook. Por algum motivo seu peito se apertou, ele estava com um mal pressentimento.

— Jimin esse não foi o cavalo que você montou a sela? — Doyeon perguntou — Bem na hora que Jungkook chegou? — ela o olhou deixando Park mais apavorado.

— F-foi. — apertou uma mãozinha na outra, mordendo os lábios e torcendo para ter montado a sela certo no cavalo. Jungkook havia chego na hora que estava terminando, ele só não sabia que aquela distração havia sido um problema.

Jimin não sabia o que Jungkook estava tentando fazer, mas apenas continuou ali sentado vendo aonde aquilo tudo iria dar. Ele analisou perfeitamente quando Jungkook pegou o microfone, que estava na mão do cara que estava anunciando a competição.

— Jimin — ele chamou fazendo Jimin se arrepiar com sua voz rouca — Aonde quer que você esteja saiba que te amo, peço desculpas por ter feito você sofrer, mas agora estou aqui para me redimir com você.

— O que ele está fazendo? — resmungou Do Yeon.

Jimin apenas continuou concentrado no Alfa que parecia o caçar com os olhos, o ômega já sentia deu rosto quente de vergonha. Muitos o reconheciam e ficaram o olhando.

— Você lembra da primeira vez que me ensinou a montar? Agora vou mostrar que aprendi muito com você, e quero continuar aprendendo. Eu só peço que você me escute quando isso terminar. — Jimin o viu sorrir, por um momento os olhares se encontraram de repente.

Jungkook sorriu mais ainda quando achou Jimin no meio da grande quantidade de pessoas. Jimin sentiu seu coração acelerado, mas mesmo assim deu um meio sorriso para Jeon que largou o microfone e subiu em Honey.

Jungkook estava indo bem, passando pelos obstáculos como se fossem a coisa mais simples do mundo, faltou apenas um último obstáculo para que Jungkook consiga terminar a prova e concorrer ao prêmio final; o obstáculo mais alto.

Assim que o cavalo acelerou para passar por cima do obstáculo e ergueu seu corpo para pular, a sela se desamarrou.

Jimin se levantou no mesmo momento sentindo seu corpo petrificar no mesmo lugar quando viu a cena a sua frente.

Jeon foi arremessado para longe do cavalo, fazendo-a cair no chão desacordado com o cavalo descontrolado com homens tentando o domar.

O ômega apenas ouviu a movimentação, seus pés estavam no chão, mas ele não conseguia se mover. Como se o mundo tivesse parado apenas para ele, enquanto todos prestavam socorro para Jungkook que estava desmaiado.

O que foi eu fiz? — perguntou baixinho para sí próprio, levando uma de suas para sua boca perplexo.

Jungkook havia sofrido um acidente sem ao menos conseguir fazer com que Jimin o escutasse. Ele havia se machucado e a culpa era toda do ômega, que chorava baixinho se perguntando por que não deixou Jungkook se explicar. Por que não o ouviu quando teve a chance?

Mas estava feito e o presente não poderia ser mudado, mesmo que o Park desse a vida por isso.


Jimin se culpou por aquilo.


Notas Finais


Esse é o penúltimo capítulo da shortfic, espero que tenham gostado e estejam ansiosos para o último. Adoramos cada comentário e favorito que deram a essa shortfic, esperamos vê-los novamente com todo esse gás nesse também. Por isso, comentem!! Não se esqueçam, ein?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...