História Love Will Never Be Easy - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Castigo


 -Marinette? Tem um jovem muito bonito aqui querendo falar com você. -A mulher asiática chamou.

-Eu estou ocupada. -A mesma dizia. Marinette comia um pote de iogurte, enquanto via pela centésima vez o comercial que Adrien participou.

-Mas parece importante. -Ouviu a mãe dizer no andar debaixo.

-Se for o Luka fala pra ele que eu morri! -Gritou nervosa, suspirando ao dar replay no vídeo novamente.


-Perdão, ela as vezes é um pouco teimosa... Marinette Dupain Cheng desça já aqui! -Gritou a mulher e Adrien recuou um passo.

No quarto, Marinette revirou os olhos e desceu, pronta para gritar com a pessoa que ousou interromper seu aglomeramento pelo tal ômega loiro, mas ao descer as escadas, recebendo uma visão total do andar de baixo, a mesma encarou os olhos verde esmeralda com um sorriso sem graça. A beta esfregou os olhos achando estar em uma ilusão e quando percebeu que não, correu imediatamente de volta para o quarto, quase se atropelando na escada.


-Ok, Adrien Agreste esta na minha casa... ELE TA NA MINHA CASA! E eu to de pijama! E descabelada!! -A mesma dizia nervosa, correndo pelo quarto para se arrumar rapidamente.


♤♤♤

-Me desculpe por chegar de repente Marinette, acontece que no final de semana eu vou estar muito ocupado e hoje foi o único dia que eu me vi livre. Então como eu sou um homem de palavra, eu decidi visitar seu ateliê. -Dizia enquanto Marinette o guiava para o ateliê nos fundos da casa.

-Que isso, não precisa se desculpar, só foi um pouco repentino... - Sorrindo de nervoso era o que Marinette fazia. Seu coração estava palpitando como louco ao ver Adrien Agreste em seu ateliê.

-Me desculpa. Eu devia ter ligado, se quiser eu vou embora. -O loiro dizia.

-Não! -O grito de Marinette foi alto o suficiente pra ela se arrepender logo em seguida. -Q-quero dizer, já que estamos aqui...

-Isso... Agora, deixe-me ver suas criações. - Adrien disse pegando um dos cadernos de Marinette.

E assim passaram a tarde, Adrien olhou todos os desenhos e peças da garota, vez ou outra a mãe da mesma chegava por lá para oferecer alguns lanchinhos. Marinette sentia que havia zerado a vida quando Adrien pôde desfilar para ela com suas peças -que por sinal estavam sob medida para o corpo do loiro-, e tirar foto do mesmo. A garota olhava o celular desacreditada, como se não acreditasse que aquelas fotos eram reais.

-Marinette, agora que eu já olhei, posei e até desfile pra você, só tem mais uma coisa que eu quero pedir. -Ele dizia ajeitando sua jaqueta, percebendo a mesma imersa em pensamentos.

-Ah sim! Um beijo? -Perguntou saindo de seu devaneio, fazendo um biquinho e se esticado até o loiro.

-Não. Eu queria que você me desse o número do Luka. - Ele disse sério, diferente do garoto submisso e inocente que havia chegado mais cedo, aos olhos de Marinette.

-O número do Luka? Por quê?

-Bem, nós ficamos amigos no dia em que ele trabalhou no evento da minha família. Depois a gente se viu naquele dia da boate... Mas eu acabei esquecendo de pedir o número dele. -Coçou a nuca envergonhado, voltando ao estado "fofo inocente".

-C-claro... Digo, é normal se esquecer dessas coisas, eu... -Procurou um caderno e anotou o número do Luka, entregando para o loiro. -Toma.

-Obrigado Marinette. -Sorriu de um jeito malicioso, olhando para o papel. -O Luka me contou que eram namorados. Vocês brigavam muito?

-Ah, pff. -Bufou. -O Luka era insuportável. Ele é totalmente obsessivo e grudento.

-Sério mesmo? Ele parecia mais um galanteador pra mim. - Adrien disse, deixando Marinette confusa.

Ambos foram interrompidos pelo celular de Adrien que começou a tocar. E ao perceber que era seu pai, já pode saber que coisa boa não era.

-Só um minuto. -Pediu a Marinette e se afastou um pouco atendendo a ligação. -Pai...?

-Seu fotógrafo acabou de me ligar. Que história é essa de você estar faltando aos ensaios? -Ouviu o pai gritar do outro lado do telefone.

- Pai se acalma, eu posso explicar...

- Quero você em casa em quinze minutos! Está me ouvindo? -Gritou e Adrien pôde ouvir sua mãe dizendo para que o mesmo ficasse calmo, ao fundo.

- Eu já estou indo. -Desligou. - Bom, acho que já vou indo. Muito obrigado Marinette, foi um prazer te conhecer, seus trabalhos são ótimos.

- Q-que? A-ah sim. Obrigada. O prazer é meu por te receber aqui... -Dizia de modo atrapalhado. -Deixa que eu lhe guio até a porta.

- Obrigado e mantenha nosso encontro em segredo, sim? -Acenou.

- Ok, claro! Volte sempre! ...Meu Deus...-Marinette dizia ao vê-lo partir. Logo a mesma olhou para o céu e o viu escurecer, sendo coberto por nuvens carregadas.



- Problemas? -Natalie perguntou ao ver a cara de preocupação de Adrien.

- Meu pai descobriu tudo. Eu devia ter dito para o meu fotógrafo ligar somente pra minha mãe quando eu faltar ou coisa assim, me esqueci completamente. -Disse e deitou a cabeça para trás se encostando no banco do carro.

- Sinto muito. Mas conseguiu o que queria? -Perguntou.

- É, consegui, mas eu sequer vou conseguir colocar a prova com o castigo que meu pai provavelmente vai me dar. -Disse apertando o papel em mãos.




Ao chegar em casa foi recebido com o olhar de pesar da sua mãe. Adrien deu um sorriso preocupado para ela e se dirigiu ao escritório de seu pai.

- Pai eu posso explicar. -Começou ao vê-lo se levantar.

- Não Adrien. Você só tinha uma coisa a fazer. Ser o filho obediente que cumpre seus deveres, que não falta nos seus compromissos, como pôde faltar aos ensaios!? -A cada palavra o tom de Gabriel se elevava, fazendo Adrien recuar de cabeça baixa. - Eu criei você todos esses anos para ser o filho perfeito e você sequer pode fazer isso para o seu pai!? Como se já não bastasse ter se tornado um ômega medíocre na frente das pessoas importantes que trabalham pra mim.

Ele disse e por um instante a respiração de Adrien falhou, um nó se formava em sua garganta e seus punhos cerraram tentando se manter estável com as palavras duras do próprio pai.

-Gabriel! -Emilie interviu tão indignada com as palavras do marido, tanto quanto o filho. Porém o alfa apenas sinalizou para que ela não intervisse.

-A partir de hoje você não sai mais dessa casa sem a minha permissão, será daqui para o seu trabalho e do trabalho de volta pra casa.

-Mas pai! Eu já tenho dezenove anos, você não tem direito de me privar assim!

-Enquanto viver sobre o meu teto eu irei mandar e desmandar em você até a segunda ordem. - Ele dizia com a voz de alfa, fazendo os dois ômegas presentes se encolherem. -E não ache que você vai conseguir escapar Adrien. Por todos esses anos eu deixei de lado as suas escapatórias noturnas, mas eu já cuidei para que isso não se repita. Nunca mais. -Deu sua palavra final e Adrien se apressou para sair o mais rápido possível daquele escritório e se trancar no quarto, para que pudesse desabar em lágrimas.

Em um lugar nem tão distante assim, ao som da chuva que caia do lado de fora. Luka sentia um pesar e um sentimento de preocupação lhe invadir.


Notas Finais


Quando eu estava escrevendo esse capítulo eu pensei: Adrien e Luka vão finalmente ficar juntos.
Daí o meu cérebro: O Adrien vai sofrer.

Eu: O que?

Meu cérebro: Faz ele sofrer

Eu: ...

Meu cérebro: '-'

E sim gente, o Adrien vai sofrer um pouquinho...Mas nao se preocupem, não vai durar muito tempo ^^ k
Enfim, desculpem os erros! Até o próximo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...