1. Spirit Fanfics >
  2. Love Yourself : Answer - Park Jimin >
  3. Seven

História Love Yourself : Answer - Park Jimin - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 7 - Seven


Você  POINT OF VIEW

Estar deitada naquela cama ,a cama do cara que fez dos meus últimos dias serem os piores, era estranho. Era estranho estar ali conversando naturalmente, como se nunca tivéssemos criado uma confusão antes. Posso dizer que seu oposto é muito mais gentil e dócil do que aquele que conheci. Rabugento , estressado e idiota! Algo em, Park Jimin que me intriga, mas não sei o que é. Irei me odiar pra vida toda, não acredito que salvei o cara que me trata feito lixo, agora serei mais ainda massacrada

– Eu preciso ir. – Disse levantando.

– Já? – Se inclinou, urrou de dor.

– Tenha cuidado, Park! – O ajudei a encostar as costas na cabeça da cama. – Seus pontos podem abrir!

– Vou mandar o motorista te levar até em casa então.

– Dessa vez terei que aceitar, pois está tarde.

– Olá. – Senhora Park entra no quarto com uma bandeija com sanduíches de amendoim, assim deduzi. – Tudo bem?

– Tudo, só já estou de saída, está tarde e preciso voltar logo. – Sorri simpática.

– Por que não dorme aqui? Pode dormir na cama com Jimin, é bastante espaçosa.– Arregalei os olhos, ela age normal ou o que? 

– Mãe! 

– Obrigada pela hospitalidade, mas tenho que ir mesmo.

– irei embrulhar uns sanduíches para a viagem! Jimin ,coma! – Saiu , nós deixando sozinhos.

– Desculpa, minha mãe é maluca.

– Ela só está preocupada.

– Não sei o que deu nela, geralmente não está em casa a noite. 

– Besta, foi por causa de você! Se não tivesse reagido a um assalto estaria muito bem agora! – Cruzei os braços brava.

– Ah, claro! E você aí, se sentindo heroína. – Desviou seu olhar. 

– Não vamos discutir, né? Já deu! – Iniciei passos até a saída.

– Espera... – Abriu seu criado mudo e Jogou um moletom. – Vai precisar, está frio lá fora ...agora. – Mordeu o lábio. 

– Ah, valeu. Amanhã te devolvo!

– Pode ficar! Acabei estragando o seu mesmo, aceita como um presente. – O vesti ali mesmo, era maior que eu, bem pouca coisa. – Até que não ficou mal. – Sorriu ladino.

– Gosto de coisas e pessoas maiores que eu! – Fechei a porta , saindo de seu quarto. Desci as escadas frequentemente.

– Gosto de coisas e pessoas maiores que eu, o que ela quis dizer com isso? – Coçou seu queixo. – Espera, eu dei o meu moletom favorito a ela. 

– Voltei sempre querida! A casa é sua também! – Acariciou meus cabelos. 

– Obrigada, Senhora Park! 

– Obrigada por salvar a vida do meu filho, você é a esperança de Busan! 

– É apenas meu trabalho, ajudar. Então, até logo! Se cuide e cuide de Jimin. 

– Pode deixar! Ah, não esqueça de se alimentar e se manter saudável! 

Entrei dentro da limousine e isso é tudo muito chique pra mim. 

– É , você tem que aprender muito comigo Park! – Olhei por uma última vez para sua janela. Deixando o local a chuva sobre caía Busan, era o inverno mais frio de todos os tempos. 

Após chegar em casa a primeira coisa que fiz foi para o chuveiro elétrico, mesmo amando essa estação do ano precisava me aquecer para não adoecer. Tomei um banho rápido, separei uma calça moletom e o moletom que Jimin acabará de ter me dado. Fitei o mesmo várias vezes vestido em meu corpo. Por quê eu tinha lembranças desse moletom? Foi na noite do parque ,agora me lembro! Eu nem agredeci pelo que fez por mim. Amanhã irei voltar lá e agradecer.

– Sr. Strong. – Peguei a pelúcia , deitando sobre a cama e colocando o bichinho ao meu lado. – Como foi o resto do seu dia? O meu foi estranho até agora. – O encarei. – Estou confusa sobre várias coisas, e você não pode me ajudar por ser uma pelúcia ridícula! – O dei um soco. – Ah, me desculpe. Estou tão estressada! – Dei um beijinho em sua cabeça. – Irei dormir, preciso descansar. Boa noite! – Acho que não estou batendo bem da cabeça. vai ver que isso tudo foi apenas um sonho. Dormi sentindo o perfume impregnado naquele casaco.

Estava anotando os pedidos. Suspirava a cada minuto que se passava.

– Você tá bem? – Pergunta Iu.

– Imagina, pra quem fala com um monstrinho de pelúcia todas as manhãs, eu tô ótima! Devo me preocupar?

– Como assim?

– Longa história ... 

– Oi, tenho mais notícias... e não são nada boas.

– Jogue - as no ar. 

– O pagamento irá atrasar esse mês, muitos estão deixando seus cômodos por não terem o dinheiro. Não foi só na empresa da nosso chefe, em vários lugares.

– Aish, não acredito nisso! Como irei pagar o apartamento? Posso ser despejada. Ainda tem as parcelas do meu celular que nem existe mais, estou ferrada! 

– Iremos resolver isso! Não se preocupe.

Jimin POINT OF VIEW

Era chato ficar deitado naquela cama, sem fazer absolutamente nada! Precisava jogar, precisava do meu Milkshake , precisava ver a estrangeira, só não queria admitir ainda. 

– Estou ficando louco aqui.

– Jimin! 

– Nancy? O que faz aqui?

– Fiquei sabendo do ocorrido, mas ela te salvou mesmo?

– Quem te disse? Meu irmão? Minha mãe? 

– Sua mãe! Sério que ela fez isso? Nossa.

– Sim ,ela fez.

– Ah, ela pediu algo em troca? 

– Não, por quê?

– Porque ela é pobre e não tem condições financeiras. – Disse com cinismo.

– Por que eu negaria? Ela me salvou! 

– Qualquer um te salvaria! 

– Você não, mas ela sim.

Sei o quanto sou grato , só não sei agradecer. Era meu defeito, o pior de todos. Era só uma palavra, mas por quê não saía da porcaria da minha boca ? Por que eu era rude e achava que tudo girava apenas ao meu redor?!

A maior riqueza que podemos ter é a felicidade.'' 


Você  POINT OF VIEW 

O jardim da Senhora Yora era o maior conforto que alguém amaria estar agora. Ela precisava de ajuda com sementes, vasos, mudas, uma boa adubação,e isso traria um gasto e tanto. E eu estava disposta, mesmo que eu havia reservado uma pequena quantia em dinheiro no banco, precisava agora pensar em um plano para poder me manter, tinha muitas dívidas e não sei como cobrir.. 

– Olá? Você está bem? 

– O quê? – Saí dos devaneios.

– Tudo bem? Parece abatida. É por causa do pagamento?

– É, estou preocupada com o pagamento sim! Tenho tanta coisa pra resolver. Não creio que o pouco dinheiro que tenho guardado irá cobrir todas as minhas despesas! Pode ser que dê para se virar, mas tem gente indo pro olho da rua!

– Eu fiquei sabendo que foi um roubo no banco central e para restaurar os danos será mais complicado. Se algo acontecer com você, não se preocupe! Sabe que tem minha casa, não é? Pode se acomodar la! 

– Obrigada Iu! Você é um anjo! Meu expediente chegou ao fim. – Tirei aquele avental e patins desconfortáveis. Tudo o que me cairia bem agora era um banho quentinho. 

– Te mandarei notícias sobre o dinheiro assim que estiver tudo resolvido! – Espremeu seus lábios em preocupação.

– Valeu. – O sino da porta do Dok's cantou quando  cruzei a porta. Me perguntava como Park estava com certeza estava bem, ele tem energia de sobra. Atravessei o sinal esgotada, meu corpo estava dolorido e tomara que não seja gripe agora, preciso me manter saudável para cuidar da Senhora Yora, das flores. Não sei o porquê de carregar tanto afeto agora sendo que, nós odiamos corpo e alma. Essa é uma qualidade minha, eu não deixo ninguém não, sabendo que as pessoas serão as próximas a me darem as costas! Meu trajeto era a casa da Velhinha simpática , eu mal saía do lugar de tão cansada que estava, meio desnorteada bati em alguém e rapidamente lamentei por aquilo.

– Me desculpe... – Levei minha sobre minha testa.

– Tudo bem? Como você está?

– Perdão, conheço você de algum lugar? – Não parei meus passos, se eu estava sem algo, esse algo era sem paciência de ficar ouvindo conversa fiada de um estranho. 

– Sou eu, Jaebum. A gente se conheceu naquela noite no Parque lembra? – Esboçou um sorriso simpático. Sim, eu acabei por me lembrar, até trocamos de números, mas me esqueci depois de tantos acontecimentos. – Ou você não lembra, ou jogou meu número fora? – Disse de uma forma engraçada.

– Me desculpa , estou tão fora de si que nem lembrei desse detalhe! Mas e aí, como você está? 

– Muito bem! E você?

– Estou, estou ótima! O que faz por aqui?

– Estou a procura de trabalho para sobreviver! – Olhou dos pés à cabeça, me deixando sem graça. – Espero que aqui seja uma boa opção.

– Não se preocupe, aqui é o pedaço bem mais frequentado quando se fala em emprego, só tem que se esforçar e dar orgulho aos patrões! 

– Queria muito te ver e olha o destino tramando seus planos aí . – Soltou uma risada.

– Eu também. Me desculpa se estou sendo inconveniente é que estou exausta ultimamente, e com pressa! 

– Não, você não está sendo nada disso! Pelo contrário é uma boa garota. – Riu anasalado. Ficamos sem assunto e a vergonha se proliferou. – Bom, agora vou deixar você ir. – Antes que se fosse o parei.

– Que tal a gente se encontrar no Dok's algum dia? Sei lá. – Soltei as palavras em um impulso.

– Tô dentro. Eu te ligo! – Fizemos um toque de mão, seguindo nossos rumos.

Não que eu estava sendo atirada ou algo do tipo. Ele era uma gracinha e educado. Bem, eu sou jovem e bonita, mereço um tempo para mim! Na casa da Senhora Yora, já de avental e luvas, eu começaria a limpeza do quintal , recolher alguns lixos, distribuir vitaminas para a terra. 

– Tudo bem, criança? Parece um pouco distraída.

– É o cansaço sabe? Acordar cedo e pegar direto no trabalho.

– Venha! Vamos tomar um chá , você precisa repor as energias! – Insistiu me puxando pelo braço. 

O eflúvio do chá verde percorria a casa da Velhinha, um cheiro adocicado, leve e perfumado. Apenas seu cheiro me fazia se sentir bem. 

– Aqui está! – Entregou uma pequena xícara para mim.

– Obrigada! 

– Sua cabeça está uma guerra! Precisa resolver isso logo! – Engasguei com o líquido, olhando para ela em seguida.

– Do que está falando?

– Aquele menino, ele deve estar bem agora, não é? Pobre garoto. O quão é difícil para ele sobreviver na escuridão. – Lamentou balançando a cabeça negativamente. Eu não havia falado nada sobre a noite anterior, e não sei como ela adivinhava essas coisas.

– Como sabe dessas coisas? – Arregalei os olhos tomando um gole do meu chá.

– Sou velha! Sei de muitas coisas, e seu destino tem muito a te dizer, esperança. – Fiquei mais ainda confusa. – Problemas virão e vocês dois precisam ser fortes o suficiente para aguentar.

– A Senhora está me assustando! O que exatamente está para acontecer?  – Fiquei assustada com a previsão horrenda da velhinha, nem eu sabia o que viria pela frente e já me dava os nervos. 

– Confie no tempo, quando acontecer você impedirá! E o perdoe, por tudo que ele fez ,ele só tem medo, medo de ser abandonado. Porque no amor existe amor e dor. 

– Estou muito confusa.

– Não tente entender a vida, a deixe fluir. – Colocou mais gotas em sua xícara. O incrível era ela ser tão calma falando sobre o fim do mundo para mim. 

– Então, o que eu faço? Não sei bem o que está por vir.

– Se prepare. Seja ágil. O tempo é curto e você tem muita missão pela frente, jovem esperança! 

Arrancar informações da Senhora Yora era como procurar uma simples dor de cabeça no Google que daria resultado a outras doenças no geral. Ou seja, quem faz o diagnóstico certo é o médico, mas até o próprio erra suas teorias. Depois que me despedi dela fui diretamente para casa de Jimin, acho que estava bem melhor ,eu creio.  Estava tão sem tempo que nem a lista de Gastronomia havia lembrado de conferir e pretendia acessar ao site antes ,mas só faria isso quando chegasse em casa. 

– Oi. Ahn, sou amiga do Jimin.

– Oh, você  é a garotinha. Entre! – Uma velha mais baixa que eu me puxou pelo braço. Por que todo mundo gosta de me puxar para os cantos? Pelo que sei não tenho braço de borracha pra sobreviver a tantos puxões! 

– Me chamo Mary ,vou te levar até o quarto de Jimin! – Entrelaçou seu braço ao meu.

– Jimin! Visita!!

– Não quero saber de ninguém.

 Oras , sua namorada está aqui!

– Eu não sou nada dele!

– A Nancy não é minha namorada! E já disse que não quero saber de visitas! 

– É melhor você abrir antes que eu meta o pé nessa coisa! – Bufei. Não demorou muito e com um milagre ele abriu a bendita porta. 

– Oi. – Cantarolei. Ele parecia surpreso.

– Você? Achei que não viria mais.

– irei deixa - los, a sós. – Desceu as escadas.

– Entra! – Me acomodei em sua poltrona. 

– Você está melhor? – Ele tirou sua camisa e realmente, ele só poderia levantar a metade da camisa ,né? Não havia percebido o quão ele era definido? Seria um grande erro pensar no abs do Jimin?

– Estou melhorando como pode ver. – Sorriu. – Mas devo agradecimentos a você.. – Fitou o chão. – Obrigado! – Park tigelinha me agradecendo? Essa é nova!

– De nada. Você sabe que eu faria de novo! – O que acabei de dizer? Ele estava me olhando profundo dessa vez. Como os olhares que trocamos dias anteriores, era diferente. 

– Você é uma ótima pessoa... – Não tirava seus olhos dos meus. 

– Você também, aliás , obrigada também! 

– Não sou uma boa pessoa, não.

– Então deixa eu te mostrar. – Saiu quase um murmuro fazendo o garoto sorrir de jeito sexy. 

– Então me mostra.



Notas Finais


🌚🌚🌚🌚
Mostrar o que em?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...